Aula Homônimos IV


Por: +


A diferença dos Homônimos Perfeitos e Imperfeitos



Escrita por ßsawont
Nível: Básico



Olá, pessoal! Tudo bem com vocês? Espero que sim! Bem, hoje estarei explicando-lhes as diferenças entre homônimos perfeitos e homônimos imperfeitos.

Mas o que são homônimos, afinal?

Homônimos são aquelas palavrinhas da língua portuguesa que possuem escrita e/ou pronúncias iguais, mas têm significados completamente distintos.

Exemplos:
Incipiente (que está começando; inicial, iniciante, principiante) e insipiente (tolo, ignorante, não sapiente);
Ruço (grisalho) e russo (aquele que nasce na Rússia);
Gosto (dádiva do paladar) e gosto (verbo gostar em 1ª pessoa do singular do presente do modo indicativo);
Cesta (utensílio próprio para se guardar objetos diversos, recipiente, vasilha), sexta (sexto dia da semana, sexta-feira) e sesta (repouso, descanso);
Manga (fruta) e manga (parte de sua camiseta, blusa, casaco e etc.).


O que são homônimos perfeitos?

Homônimos perfeitos são aquelas palavras que possuem exatamente a mesma grafia e pronúncia, mas com significados diferentes. Um exemplo já citado anteriormente é a palavra manga.

“– A manga está muito comprida.”
(parte de sua vestimenta)
“– Manga é minha fruta favorita.” (fruta)

Também há outros exemplos como verão:

“– Eu amo o verão.”
(uma das quatro estações do ano)
“– Eles verão como sou capaz!” (verbo ver em 3ª pessoa do plural do futuro do presente do indicativo)

Molho:

“– Eu preciso achar meu molho. A chave desta porta está nele...”
(coletivo de chave)
“– Alguém acabou com todo o molho!” (preparação culinária)

Fui:

“– Eu fui à uma festa ontem.”
(verbo ir em 1ª pessoa do singular do pretérito perfeito)
“– Eu já fui um monstro...” (verbo ser em 1ª pessoa do singular do pretérito perfeito)

São:

“São João, um dos apóstolos de Jesus Cristo [...].”
(santo)
“– O paciente está são, doutor.” (portador de boa saúde)
“– Eles são demais!” (verbo ser em 3ª pessoa do plural do presente do modo indicativo)

E entre outros.

“E agora? Já terminamos?” Não, ainda não. Vamos prosseguir com a aula:

O que são homônimos imperfeitos?

Os homônimos imperfeitos possuem duas subcategorias: homógrafos e homófonos.

Os homônimos imperfeitos homógrafos são aquelas palavras que são pronunciadas da mesma forma, mas possuem grafia diferenciada. O exemplo citado nesta aula foi gosto. Porém, obviamente, existem vários outros como:

Almoço:

“– O almoço está maravilhoso!”
(substantivo, nome da refeição);
“– Eu almoço ao meio-dia.” (verbo almoçar em 1ª pessoa do singular do presente do modo indicativo).

Colher:
“– Eu preciso de uma colher pra comer isso!”
(utensílio de cozinha);
“– Quem vai colher as batatas na minha fazenda?” (verbo no infinitivo).

Sede:

“– Estou morrendo de sede!”
(necessidade do organismo de beber água);
“– A sede da ONU fica nos Estados Unidos.” (local onde o edifício principal de uma empresa se situa).

Já os homônimos homófonos são aquelas palavras que, ao serem ditas, emitem exatamente o mesmo som, mas possuem a escrita diferenciada. Os exemplos citados lá no início foram incipiente e insipiente, ruço e russo, e cesta, sexta e sesta. É claro, como vocês já devem ter presumido, existem outros exemplos, como:

Celeiro e seleiro:

“– Vá checar se há palha o suficiente no celeiro.”
(local onde se armazena cereais e/ou palha);
“– Poderia fazer-me uma sela especial? Fiquei sabendo que és o melhor seleiro da região.” (aquele que fabrica selas).

Cínico e sínico:

“– Eu não gosto muito dessa menina. Ela é cínica demais.”
(adjetivo que se dá àquele que afronta ostensivamente as convenções e conveniências morais e sociais);
“– A empresa estabeleceu parcerias com distribuidores sínicos em Macau.” (relativo ou pertencente à China).

Cessão, seção e sessão:

“Eles permitiram sem nenhum remorso a cessão dos documentos para o dono da empresa.”
(sinônimo de transferência);
“– Quando vamos chegar na seção dos biscoitos?” (parte de um local em que há divisórias);
“– Precisaremos marcar outra sessão com seu psicólogo.” (espaço de tempo em que determinado evento acontece).

E entre muitos outros!

Finalizando, a diferença entre homônimos perfeitos e imperfeitos é bem simples: homônimos perfeitos são aqueles que possuem grafia e pronúncia iguais, e os imperfeitos são os que possuem a mesma grafia mas pronuncias diferentes (homógrafos) ou que possuem a mesma pronuncia mas se escrevem de forma diferenciada (homófonos).

Você ainda permaneceu com dúvidas? Deixe um comentário falando sobre ela! Eu estarei respondendo cada dúvida remanescente. Muito obrigada pela sua atenção e espero que vocês tenham gostado. Até a próxima!


sawont
Beta Reader

Gostou da Aula? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...