Tópico Caelum [apenas anjos]

17 Respostas

~Lady-Merryweath

Usuário: ~Lady-Merryweath
Duquesa de Devilshire
Administrador do Grupo


Caelum é o céu, o paraíso, a morada de anjos, onde tudo esta em um perfeito estado de pura paz e harmonia...mas não se deixe enganar pelas belas palavras e faces angelicais, anjos são antes de tudo soldados do céu.

~HinaJujuba

Usuário: ~HinaJujuba
A Buda
Moderador do Grupo

Mary Ann


Eu estava um tanto ansiosa agora. Acabei de falar com meu superior, Uriel, e fui mandada, junto a outros, para ir até a Terra e fazer outra de nossas "limpezas".

Toquei na minha espada, ainda na minha bainha e sorri, ao lembrar de quantas lutas ela me proporcionou. E muitas vitórias. Até mesmo contra demônios. No fim das contas, acho que os vários apelidos que me eram colocados eram dignos a mim.

Continuei a andar um tanto pensativa. Eu seria avisada quando chegasse minha hora de partir, mas ainda não. Eu tinha um sinal para esperar. Não pude deixar de revirar os olhos quando passei por algumas anjas Querubins, com seus belos vestidos e aparências perfeitas.

Eu era odiada por muitos, e elas não eram diferentes. Assim que me viram, viraram os rostos e passaram o mais rapido possivel por mim. Assim que se afastaram, ri meio baixo. Era ódio ou medo? Tanto faz.

Eu não usava porcaria de vestido algum. Estava com uma blusa azul clara, um tanto justa e folgada nas mangas até os pulsos. Uma saia azul clara um pouco acima do joelho, bastante solta e a mesma sandalia de amarras até perto do joelho, o modelo padrão.

Soltei meus cabelos, deixando minha franja cobrir um pouco dos meus olhos. Mas ao fazer o movimento para deixa-la mais bagunçada, senti quando trombei em alguém.

Coloquei a mão na testa e contei mentalmente até dez, pronto para fazer aquele alguém engolir os dentes só por não ter saído do meu caminho, quando olho melhor e reconheço o outro príncipe. O príncipe dos Arcanjos.

Eu não tinha tanto o dever de trata-lo melhor, nem nada do tipo. Mas me lembrei que prometi ao meu superior que iria respeitar os outros príncipes, no minimo.

- Me desculpe senhor.

Curvei o corpo em sinal de reverencia, e permaneci assim até quando ele dissesse que eu poderia "descansar". A ideia de me curvar a outro não me era de todo agradavel, mas tinha que manter e mostrar respeito.

~HinaJujuba

Usuário: ~HinaJujuba
A Buda
Moderador do Grupo

Mary Ann


Fiquei surpresa com o gesto dele. Parecia tão... Gentil e cuidadoso. A fama de sua bondade e simpatia, principalmente entre as outras anjas, parecia ser verdadeira.

Abaixei o rosto quando disse sobre minha beleza. Eu nunca fui elogiada por isso. Por minhas habilidades e força sim, mas nunca por minha beleza. Quer dizer, as anjas mais belas e esbeltas eram e sempre seriam as Querubins.

- Me chamo Mary Ann senhor. Da ordem de Dominações.

Inclinei a cabeça novamente, em sinal de cumprimento. Vi em seu rosto que parecia que finalmente estava me reconhecendo.

- Sou... A que chamam por aí de Ira do Pai.

Coloquei as mãos atras do corpo, sorrindo um pouco.

- Por mais que eu não lhe deva tamanho respeito e tudo mais, devo dizer que... Já ouvi muito falar sobre seu modo de luta. Dizem que é o melhor.

~Lady-Merryweath

Usuário: ~Lady-Merryweath
Duquesa de Devilshire
Administrador do Grupo


Meu nome é Tsadkiel, mas talvez você me conheça como Uriel. Sou um anjo do Senhor, além da princesa e líder das dominações. No momento me encontrava caminhando por Caelum, não tinha um destino em mente, apenas perambulava sem rumo.

Me encontrava nervosa, esse caos que se instalou em Caelum estava me deixando nervosa, malditos anjos que não faziam o seu dever. Meu semblante era sério, o toc toc de meus saltos faziam os anjos em volta se tremerem e abrir caminho para que eu passasse. De certo assim era melhor, deveriam sempre mostrar respeito.

~&~

Durante meu pequeno “passeio” me deparei com uma cena que achei absurda... um de meus subordinados falando amigavelmente com o príncipe dos arcanjos... eu e Mikael não éramos os líderes mais ‘amigos’, ainda nutria ódio dele por ter arrancado uma de minhas asas. Foi muito doloroso quando o Pai a fez crescer de novo.

Instintivamente seguro meu ombro direito, havia sido a asa direita que me fora arrancada. Aperto as mangas de meu vestido com força (ela esta vestida como na imagem) antes de soltar, com a postura arrogante que sempre tinha caminho apressadamente até os dois. Paro próxima a minha subordinada as costas dela, assim sendo a vista de Mikael.

- O que acontece aqui... – falo com a voz gélida.

~HinaJujuba

Usuário: ~HinaJujuba
A Buda
Moderador do Grupo

Mary Ann


Fiquei ouvindo atentamente o que ele disse e sorria a cada palavra. Ele realmente era humilde. Digno da fama que ele possuía.

- Pois muitos soldados, como eu, dizem que sim, é um dos melhores. Seria... Uma honra e prazer um dia lhe ver em combate.

Fiz outra reverencia a ele. Eu realmente não entendia como eu estava educada demais hoje. Talvez... Algo nele me fazia respeita-lo. Era como se a aura que ele passava demonstrava poder, e fazia com que outros o respeitassem. E isso era admiravel.

Engoli em seco quando ouvi a voz de minha superior, e rapidamente passei para o lado do príncipe dos Arcanjos, e fiz uma reverencia a Uriel.

- Eu apenas... O cumprimentei princesa. Me perdoe pela ousadia de falar com ele.

Continuei ajoelhada, com a cabeça baixa. Assim que ouvi o que o Arcanjo dizia a ela, ergui o rosto com o cenho franzido. Mas assim que beijou a mão dela, balancei a cabeça. Ela não ia gostar desse gesto dele. Nem um pouco.

Me levantei novamente, com as mãos na frente do corpo em sinal de respeito a ambos. Por mais que eu quisesse avisar ao Arcanjo sobre as consequências de sua fala, ou continuar a pedir desculpas pelo meu atrevimento a falar justamente com ele, eu não podia. Era uma grande falha interromper a conversa de dois líderes.

Notei quando o Arcanjo olhou para mim, talvez em busca do por que eu estar sendo tão submissa assim, e mordi o lábio, tentando lhe passar através do olhar, o quão perigoso era brincar com Uriel. Ela sabia punir quando preciso.

~Lady-Merryweath

Usuário: ~Lady-Merryweath
Duquesa de Devilshire
Administrador do Grupo


Ao som de minha voz minha subordinada passa para o lado de Mikael, meus lábios franze mostrando meu desgosto a isso.

Escreveu ”mary”
- Eu apenas... O cumprimentei princesa. Me perdoe pela ousadia de falar com ele.


Ousadia era pouco, sabes muito bem o meu desgosto por esse ser e ainda sim... eu realmente deveria puni-la... minha mente já trabalhava várias formas de tortura-la por tal audácia, no entanto a voz de Mikael me tira desse transe.

Escreveu ”Mikael”
- Eu sem querer esbarrei em Mary Ann, ou "Ira do pai". Ela se desculpou e agora me fez um breve elogio... Já disse que lhe cai bem tal expressão séria, Princesa Uriel? Admiro a forma que se veste bem.


Ora como se atreve a jogar-me essas palavras quando sabes que me enfurece.

Escreveu ”Mikael”
- Algo lhe preocupa Uriel? Eu poderia lhe ajudar? -Vou até a mesma e educadamente beijo sua mão. - Seria uma honra.


Sinto minhas bochechas ficarem quentes após seus lábios tocarem minha mão, mas surpreendentemente ao invés de puxa-la para longe apenas o olho altiva. Sem olhar para Mary a ordeno que volte.

– Mary, volte para o palácio das dominações e me aguarde...

Não era preciso dizer que era uma ordem, ela sabia melhor que me desobedecer... quando ela já estava longe puxei minhas mãos das de Mikael e o olhei com raiva.

- como se atreve depois do que me fizeste... – digo de maneira ofendida mas sem perder a graça.

~HinaJujuba

Usuário: ~HinaJujuba
A Buda
Moderador do Grupo

Mary Ann


Assim que minha Princesa mandou me retirar, fiquei perto dos dois Príncipes, E antes de tudo, fiz uma longa reverencia para minha superior, ainda pedindo mentalmente desculpas por meu atrevimento. Eu sabia da história. Que anjo não a conhecia?

Eu fui muito tola a me permitir ter uma conversa amigável com o Príncipe dos Arcanjos. Muito tola mesmo. Mas sinceramente, não pude evitar isso. Eu... não pude me conter a uma conversa com um guerreiro como ele.

Em seguida, me virei na direção dele, e lhe fiz uma reverencia, mostrando respeito e um pouco de desculpas por te-lo colocado no problema que teria com ela.

Ergui meu corpo e dei um ultimo olhar a ele, tentando me lembrar bem de como ele é. Por que tenho a impressão de que nunca mais o veria. Bem, eu poderia até ve-lo, mas... Falar com ele novamente? Eu seria mantida presa.

Me afastei depois de um tempo, caminhando até onde ela mandara. De longe dei uma ultima olhada, e pude ver a expressão dele séria, quase de forma assustadora. Eles iam brigar agora?

Vi quando seu olhar pousou sobre mim de novo. Ele estava tentando melhorar minha situação com Princesa Uriel? Mesmo com a vermelhidão em meu rosto, que provavelmente estava, eu sorri. Não meu costumeiro sorriso de deboche ou sádico de quando matava, um sorriso sincero. De agradecimento.

Me virei novamente e continuei com meu caminho, ainda com ele em pensamentos. Eu nunca o esqueceria, o famoso Príncipe dos Arcanjos.

~AyameRei - Clan Hangyaku

Usuário: ~AyameRei
Otaku

Nicklaus

O ambiente puro e um pouco movimentado de anjos já era comum aos olhos de Nicklaus que andava calmamente para chegar ao seu destino. Este trajava roupas um pouco mais escuras que os outros, mas preferia deste modo, odiava as roupas padrão.

Seus olhos se moviam rapidamente observando o movimento a sua volta, eles não tinham brilho e pareciam sem vida, seus lábios selado mantinham a expressão de seu rosto seria. Já sabia que teria que descer à terra para cumprir o desejo de Deus, e estava indo pegar algumas coisas que pudessem ser úteis.

Passou ao lado de dois príncipes os olhou mas continuou andando, deixando que conversassem em paz, talvez finalmente eles estivessem resolvendo seus problemas. Continuou andando ate chegar ao seu destino, indo imediatamente arrumar suas coisas.

~Lady-Merryweath

Usuário: ~Lady-Merryweath
Duquesa de Devilshire
Administrador do Grupo


Escreveu ”Mikael”
-Uriel... Primeiramente deveria lhe lembrar que o pai não se agrada com estas indiferenças. Mas... Aquilo foi durante uma batalha de muito tempo atrás, Uriel. E existe algo que você ainda não sabe... –


Suas palavras me fizeram lembrar daquele dia, uma dor sem precedentes atravessou todo meu braço direito, institivamente levei a mão esquerda ao ombro dolorido e trinquei os dentes. Meus olhos percorrem o local e vejo que Mary ia muito devagar fazer o que lhe ordenei. Aquilo fazia minha fúria aumentar. Mas logo meu pensamento se volta a Mikael, ele se comunicava comigo telepaticamente.

Escreveu ”Mikael”
-Se eu não te ganhasse naquela batalha a matando, uma organização de anjos fora da vontade de Deus planejavam lhe matar com uma emboscada se eu não tirasse sua vida no local. Com isto arranquei com minha mão direita tua asa impedindo-lhe de voar para que enfim caísse de grande altura. Eu usei um de meus poderes para te adormecer e os anjos a longa distância pensaram que morreras com a altura. O resto é confidencial, somente se o pai permitir.

-Pode ser decepcionante, mas eu salvei tua vida.


Fecho meus olhos por um momento enquanto ouvia suas palavras... eu sabia que queriam me matar, é óbvio que queriam eu havia cometido um crime grave no passado... escolhi proteger Salomon ao invés de castiga-lo como me foi ordenado, afinal sou o anjo da crueldade e do arrependimento, aquele que castiga quem o conselho do caelum ordena, esse é meu dever, além de matar quem vai contra caelum.

Escreveu ”Mikael”
-Porém... -Mikael retorna a falar com um olhar sério e amedrontador.

-Eu não vou dizer o que deve ou não fazer com teus subordinados, mas tenha certeza de que se a castiga-la, não me alegrarei com seu adestramento. Seria sábio da sua parte não conquistar a antipatia do príncipe dos Arcanjos.


Ergo meus olhos para olhar nos dele, seu olhar era sério como naquele dia, não era a primeira vez que via aquele olhar. A dor voltou mas fingi não senti-la, nunca iria cicatrizar, eu sempre ia sentir esse sentimento de que ela não esta lá. Soltei meu ombro e ergui a cabeça de maneira arrogante mas delicada. Meu porte era a de uma rainha, e não iria permitir que falasse comigo de tal forma, eu não seria abalada por ele.

– Sua antipatia não é nada para mim, não irei me curvar a seu desejo, não me importa se é o líder do exercito, eu estou acima de sua hierarquia. – nisso minha voz se mostrava calma porem poderosa, era quase como se transformasse em uma tempestade que devastasse tudo. – Sou a princesa das dominações, o anjo do arrependimento e da crueldade, sou o anjo da morte e aquele que detém a chave para as portas do fins, e não irei fazer sua vontade... a forma como educo minha horda de anjos não lhe diz respeito príncipe dos arcanjos. – termino de falar o olhando de maneira quase superiora, mas por dentro não me sentia assim, ele fizeste-me lembrar do meu pecado, o pecado que sempre iria me seguir.

O vento parecia mais agitado ao meu redor, claro por causa de meus poderes, uma breve luz dourada emanava de mim, minha respiração estava acelerada e por um instante minha lança ameaçou se materializar... a lança que sempre fora minha companheira e que tantas vidas humanas e angelicais já tiraste.

Meus cabelos se moviam com o vento, eu estava me acalmando e quando voltei ao controle, dei as costas a Mikael, meu coração batia tão forte enquanto me afastava, e eu não entendia o porque.

”Que seja, agora é hora de punir aquela criança...” – foi meu ultimo pensamento antes de desaparecer das vista do príncipe.

~HinaJujuba

Usuário: ~HinaJujuba
A Buda
Moderador do Grupo

Mary Ann


Fui andando um tanto apressada, ainda com a cabeça bem confusa. Em nome do Pai, o que eu fiz? Eu falei com o homem que bem, estava no topo da lista negra da minha Princesa. Eu fui estupida demais.

Passei as mãos pelos cabelos, os bagunçando ainda mais do que já estavam. Os outros anjos que me viam, pareciam abrir espaço para mim. Bem, me enfrentar mesmo era loucura. Tirando meus superiores, da minha classe, eu era uma das melhores.

Grunhi quando tive que passar entre alguns outros, fechando os olhos tentando me concentrar. O que esta acontecendo comigo? Eu falei com ele uma vez, não tenho que exagerar tanto assim.

Mas como antes, ele era diferente mesmo. Tinha... Uma aura que passava paz. Harmonia. E fazia os outros se curvarem. Não era a toa que diziam de seu grande poder dado diretamente do Pai.

Corei um pouco e balancei a cabeça, tentando afastar esses pensamentos. Diminui um pouco os passos, afinal, eu ia ser punida mesmo. Não tinha como piorar.

Coloquei as mãos nas costas, olhando apenas para meus próprios pés. Ah Pai Celestial, me ajude.