Tópico Castelo dimensional Blood Moon

130 Respostas

~LastusDarkness - Clan Dragon

Usuário: ~LastusDarkness
Reaper
Administrador do Grupo


O castelo construído por Alucard, na realidade é só uma fachada para todos pensarem que a base da escola é naquele local, na realidade, para os alunos e professores, Alucard mancou chaves dimensionais que os permitem ir para o castelo verdadeiro, nos limites do planeta, em pleno ar. Os alunos novos e professores deverão passar por este castelo inicial para chegar ao verdadeiro castelo.



Para chegar neste castelo somente os seres que sabem voar e possuem habilidades magicas fortes o bastante para quebrar a barreira criada por Alucard. O interior deste castelo é muito maior do que aparenta por fora, mesmo que sua aparência seja já grande.

~LastusDarkness - Clan Dragon

Usuário: ~LastusDarkness
Reaper
Administrador do Grupo
Ele aparece caminhando orgulhosamente pelo pequeno terreno a frente dos grandes portões daquele castelo entre as cachoeiras. Logo percebe uma garota completamente nua desmaiada a sua frente, a mesma possuía um cajado e seu cheiro assim como a magia que ela emitia, o fazia lembrar dos seres da floresta.
Ele então se ajoelha perto da garota e estende uma das mãos a puxando para si e com a outra mão ele a pega no colo fazendo o cajado dela levitar ao seu lado, enquanto a cobria com sua capa.

~LastusDarkness - Clan Dragon

Usuário: ~LastusDarkness
Reaper
Administrador do Grupo
Ele percebe o movimento da garota e a olha.

- Que bom que acordou, ninfa. Depois poderá me explicar como chegou aqui, mas por enquanto... Vamos para as pontes, o resto dos alunos deve estar chegando logo logo.

Ele então adentra os portões imensos a frente dos dois e então aparece caminhando em uma das pontes.

~LastusDarkness - Clan Dragon

Usuário: ~LastusDarkness
Reaper
Administrador do Grupo
Ele se mantem de pé no meio da grande ponte leste, onde sabia que um ser poderoso estaria vindo. Ele segura firme a ninfa em seu colo, enquanto fechava os olhos esperando.

~Giukino

Usuário: ~Giukino
Garotinho Chato
Estava ofegante, sua visão estava embaçado e nem mesmo conseguia mover-se, seu peso parecia dez vezes maior do que o normal. O garoto mal andava cinco passos, e logo seguia a desmaiar próximo ás pessoas presentes ali, que o mesmo não havia percebido.

~LastusDarkness - Clan Dragon

Usuário: ~LastusDarkness
Reaper
Administrador do Grupo
Ele olha para o garoto, então para o cajado da ninfa e depois para a própria.

- Cure ele, ninfa. Rapido!

Não era um pedido, e sim uma ordem, os olhos dele até brilham de uma maneira sobrenaturalmente aterrorizante.

~LastusDarkness - Clan Dragon

Usuário: ~LastusDarkness
Reaper
Administrador do Grupo
Ele cruza os braços e olha para o horizonte, esperando pelo próximo aluno que chegaria me pouco tempo, pelos seus cálculos.

~Lymeraiton

Usuário: ~Lymeraiton
Espírito DZeísta não morreu!
Caminhava se aproximando daquele castelo que ainda não era o destino final.
Ao adentrar nos portões e se encaminhou para as pontes,o rapaz se deparou que ali no ambiente havia a existência de mais alguém.

-Um,dois...três -contou em pensamento e aproximou-se deles silenciosamente.

-Estão a caminho do castelo? - disse com a voz rouca que por breve momento teimou em não sair - Provavelmente sim - concluiu imaginando que sua pergunta teria uma resposta um tanto obvia.

~LastusDarkness - Clan Dragon

Usuário: ~LastusDarkness
Reaper
Administrador do Grupo
Ele fixa seu olhar no elfo, erguendo uma sobrancelha mas logo volta ao normal, esperando. Sabia que logo mais duas pessoas chegariam.

- Enquanto esperamos, eu vou falar logo o que vocês farão, primeiro eu lhes darei umas chaves especiais, e vocês tentarão abrir esta porta atras de mim. Se falharem.... Irão cair no lugar que sua mente estiver pensando no momento, ou em um lugar aleatório.

Ele fala em um tom baixo porem forte, que exibia poder a cada palavra.

~MC-

Usuário: ~MC-

A silhueta humida das quatro pessoas que caminhavam em encontro a mim, naquela altura já impaciente pela falta de companhia, animaram meus olhos cansados, que já ameaçavam adormecer repousados fixos por horas na mesma posição, encostado desconfortávelmente naquela pilastra amaldiçoada, tendo apenas o barulho das cachoeiras e a névoa de gotas que encostavam em meu rosto para me manter desperto.
Eram meus alunos, mesmo olhando-os de longe no extremo oposto da ponte que já havia traçado o caminho há tempos, estava certo. E essa certeza desenfreada foi o que reconquistou minha ansiedade para desencostar, me pondo no centro da ponte enquanto os esperava. Minha espada de prata fincada levemente no concreto, servindo de simples apoio para meu corpo isento de descanço há dias.