Tópico Hstoria dos Membros

12 Respostas

~WhitezinhO - Clan Kaykoness

Usuário: ~WhitezinhO
Rock!!
Aqui você postara a sua hitória.
Contando sua vida até o presente momento.
Como coseguiu os seus poderes e sua linhagem No clan.


É obrigatorio para todos os mebros postarem neste Tópico.

~uchiha-sara - Clan Kaykoness

Usuário: ~uchiha-sara

, antes eu não tinha família,não conhecia ninguém,não confiava e acreditava em ninguém tinha medo das pessoas,ai eu entrei no clan, e tudo isso mudou,agora eu tenho uma família e amigos,e sou vampira xD.e sempre busco um modo de me tornar mais forte para proteger meus amigos e minha família ^^
é só isso ^^

~kiyone-akimura

Usuário: ~kiyone-akimura

Moderador do Grupo
Minha história é um pouco longa e acho que muitos não terão paciencia de ler até o final, mas td bem eu vou começar.

Eu nasci no palácio Kaykoness, há muito tempo atrás, minha mãe era a segunda no comando, onome dela é Fumiku, eu cresci em um local isolado do palácio, não conhecia ninguém e ninguém me conhecia.
Eu nasci com uma obrigação, que é guardar o poder que origina a ordem da natureza, por isso vivia escondida de todos, só eu possuo a chave pra esse poder. Poder esse que o nosso clan tem como obrigação proteger.
Mas quando um grupo de vampiros invadiu o palácio, eu fui obrigada a me expor e lutar tbém contra esses vampiros sedentos de sangue.
Após essa vitória, sem nenhum motivo (pelo menos pra mim) minha mãe saiu do palácio e eu e minha familia à seguimos.
Depois que eu fui descobrir que ela saiu de lá porque queria obter mais poder e queria deixar suas obrigações como fada de lado.
Nós vagamos por vários lugares até que nós encontramos um grupo, uma organização pra se mais exata, o nome dela era Kuroi no Hana (flor negra), eles possuiam os mesmos objetivos que minha mãe, e por isso ela se juntou a eles,mas pra isso ela teve que passar por um teste, não só ela como todos da minha familia, eles queriam ver qual era a sua força.
Primeiro ela lutou e venceu, meus irmãos e meu pai, não passaram, quando chegou na minha vez, eume recusei, como poderia aceitar algo assim?
Eu que protegia um poder relacionado com a natureza não poderia simplesmente me unir a um grupo que queria destruí-la, principalmente porque minha mãe falou sobre o poder que o nosso clan protege e eles o queriam de qualquer maneira.
Quando me recusei minha mãe se voltou contra mim e nós duas começamos a lutar, foi uma luta muito dificil, pois tudo o que ela usava contra mim eu sabia defender e vice-e- versa, porque ela que havia me ensinado tudo, tudo o que eu sabia e o que ela sabia, mas eu ainda era uma criança, por isso fiquei muito ferida. Quando ela ia me dar o golpe final eu consegui me transportar pra outra dimensão, e me trasportei pra várias, para poder despistá-la, deu certo, no fim ela acho que eu iria morrer mesmo, por isso desistiu de me procurar.
Eu fui para em um local completamente desconhecido e, com meus poderes de cura, comecei a me curar.
Treinei sozinha por muitos anos, até que encontrei uma familia que me adotou e, por fim, encontrei o clan novamente, não que não soubesse onde estava, mas não poderia vir aqui sem ter certeza de que ela (minha mãe) não viria atrás de mim.
Agora eu sou a segunda no comando aqui, porque conquistei a confiança de nossa lider e pretendo me encaregar de minha mãe também, pois ela já deixou de ser minha mãe ha muito tempo e ainda não desistiu de seu objetivo.

~Shampoo1 - Clan Kaykoness

Usuário: ~Shampoo1
Dallya
Eu sei que os vampiros tentaram nos destruir, mas não podemos esquecer que existem muitos vampiros aqui no clã, lutando junto pra proteger o reino.

O que seríamos então?

~kiyone-akimura

Usuário: ~kiyone-akimura

Moderador do Grupo
Agora nós somos amigos, mas antigamente houve muita disputa por esse território.

~bruna-hime

Usuário: ~bruna-hime
Just love me right
Nasci em uma pequena vila longe daqui, tinha uma familia grande e unida, mas a vila foi atacada por um grupo de vampiros, em meio ao caos, sangue e mortes eu fui salva por um cara chamado Ryuki, foi com a ajuda dele que eu desenvolvi meus poderes de fada e minhas habilidades com a espada, com a magia e com poções, durante anos ele foi como uma pai para mim, sempre estavamos viajando e conhecendo lugares novos, até que chegou um dia que a vila no quel estavamos abrigados foi atacada pelo mesmo grupo de vampiros de antes, novamente me vi em meio ao caos, mas eu já estava preparada, ou pelo menos achava que estava, um vampiro me encurralou, vi suas presas sairem um medo invadiu eu corpo me paralisando completamente , ele ia me matar, eu sentia isso, mas Ryuki novamente me salvou, mas para a minha surpresa descobri que Ryuki também era um vampiro, lágrimas inundaram meus olhos, não era hora para chorar, apesar de saber a verdadeira forma de Ryuki, sabia que ele estava lutando contra aquele vampiro para me proteger, aquele vampiro era forte, mas Ryuki finalmente conseguiu derrotá-lo, mas era um pouco tarde demais para mim, um vampiro ia me atacar com uma espada, eu estava indefesa, Ryuki pulou na minha frente sendo perfurado pela a espada, o vampiro assasino riu da dor que me aflingia, com a raiva correndo em minhas veias peguei a espada que havia perfurado Ryuki e matei eu mesma o vampiro cortando a cabeça e separando-a do corpo daquele detestável vampiro, depois de matar aquele vampiro fui em direção a Ryuki, era tarde, ele já estava morrendo e as únicas palavras que consegui ouvir da boca dele foram
- Gomen, minha filha, não fui um bom pai para você, escondendo a verdade de quem realmente eu era.
Depois disso ele morreu, eu chorei como nunca havia chorado antes, mas me recompus, tirando o corpo inerte do meu "pai" e enterrando-o em um lugar devido, depois disso comecei a vagar pelo mundo passando os meus conhecimentos para quem quisesse aprender, foi quando achei o clan Kaykoness onde fiz muitos amigos e uma familia, recentemente encontrei meu irmão mais velho, Shirasu, e o trouxe para cá também, a pouco tempo descobri alguns poderes vampiricos herdados de Ryuki atraves do grupo Castelo Vampirico Kanashiro, Ryuki cuidava muito de meus ferimentos, portanto não estranharia se ele já tivesse tomado meu sangue.

Bem, é isso, ficou meio que grande neh!? xD

~Akane1 - Clan Impossibile

Usuário: ~Akane1

oi
bem minha história é meio normal

eu era orfã
(pelo que eu achava)
fui sequestrada ainda bebê da minha mãe a shampoo para ser escrava até que eu fuji só que na minha fuga bati com a cabeça e perdi a memória
até que eu encontrei o clã andando por seus arredoresencontrei minha mãe a shampoo que me contou tudo que havia ocorrido comigo recobrando assim minha memoria e descobrindo meu nome e meus familiares e assim como minha mãe descobri ser uma mestiça (meio fada, vampira e humana (sóde consideração pois eu não sou mais humana)) encontrei minha vó e muitas outras pessoas

XD

~Shampoo1 - Clan Kaykoness

Usuário: ~Shampoo1
Dallya
É, tive sorte de ser adotada, e transformada em vampiro pela Bruuh, ela é uma mãe maravilhosa. E o Clã realmente é meu lar. Não sei bem a minha real origem, só lembro de não lembrar de nada. E isso é realmente bom, pois tenho a impressão que não foi nada legal. Nunca gostei de violência, sou totalmente avessa a ela, me causa sensações ruins. Só aqui descobri meus poderes e estou desenvolvendo, ou então voltei a usá-los. Já disse que não sei ao certo.

E tenho duas filhas lindas e fofas. Reencontrei a Akane há pouco -ela foi seqüestrada quando bebê e eu estava passeando fora dos limites de kaykoness- E to muito feliz em ver a garota q ela se tornou.

Espero me conhecer cada vez mais, e desenvolver meus poderes. Com o tempo saberei quem sou eu hehe (eu escreveria demais se fosse inventar agora)

[off: refazendo minha história, já que a outra não ajudou muito.]

~Aninha-

Usuário: ~Aninha-

Bom, não gostaria muito de contar minha história, pois ela ainda me entristece um pouco ao lembrar. Mas, confio ao clãn Kaykoness e seus integrantes meu passado.


Ao norte, existe um pequeno e pacífico reino élfico chamado Paládia. Seu antigo rei, Megaron, era velho e bondoso. Ele tinha apenas um filho, Kaleb que logo herdaria o trono. Este não teria problemas em se tornar o soberano, pois fora bem educado por seu pai e era muito bem aceito pelo seu povo.


Megaron esperava pacientemente a coroação de seu amado sucessor para que pudesse morrer em com mais um pouco de orgulho. Infelizmente, os conselheiros reais teimaram que o jovem príncipe deveria se casar com uma nobre elfa. Eles conseguiram colocar na cabeça do povo essa necessidade, então a coroação foi adiada até que o herdeiro arranjasse uma noiva. De mãos atadas pela vontade da maioria, o rei nada pode fazer a favor do filho.


O que ninguém sabia era que o coração do príncipe já pertencia a alguém. E para a decepção dos conselheiros não era a noiva que eles desejavam. Kaleb havia se apaixonado por uma fada dos bosques chamada Legandrinien e estavam vivendo uma bela história de amor.


Quando o príncipe anunciou com quem desejava se casar os conselheiros não quiseram aceitar tal união. Meses depois sem nada ter se resolvido, Legandrinien apareceu gestante. O futuro rei não cabia em si de tanta felicidade.


Então uma reunião foi marcada com o príncipe, a fada, o rei e os conselheiros. Os três primeiros tentavam convencer os demais do correto. Esses últimos defendiam fim da relação e o abandono da criança num orfanato. Irado com tais palavras, Kaleb despejou um mar de palavras demonstrando a falta de amor dentro dos conselheiros e como eles se amavam. Assustados com a determinação do príncipe encerraram a reunião.


O escriba real captou tudo e expôs ao povo por ordem do rei. Vendo a intensidade do amor entre a fada e o elfo, o casamento se consumou, mas a criança não era bem vista. Bem... Eu não era bem vista.[/justo]

Quando nasci sofri bastante preconceito por parte dos conselheiros. Um ano depois do meu nascimento meu avô morreu tornando meus pais oficialmente reis. Mas os malditos conselheiros diziam que eu não era digna de herdar o trono como filha mais velha e que eu precisava provar meu valor. Provar meu valor... Eu era uma das melhores alunas da minha turma de toda aula que eu tinha. Não fazia ideia do que eles queriam dizer com isso.


Apesar de ser tratada como um nada pela maioria das pessoas externas ao meu circulo familiar, nunca me senti inferior. Sendo filha de um elfo e uma fada eu possuía habilidades diferentes. Como aprender qualquer coisa extremamente rápido e... Bom, deixa pra lá. Minha mãe me enaltecia para que não caísse em depressão.


Cresci com muito amor dos meus pais, indiferença da população e desprezo dos conselheiros. Mas, quando fiz 12 anos, já irritada com o que me atormentavam declare que iria provar meu valor. Deixando meus pais preocupados, mas esperançosos.


Sai vagando pelo mundo afora. Aprimorando minhas habilidades. Visitando florestas, pradarias, vilas. Enfrentando monstros que eventualmente apareciam no caminho.


A propósito, foi numa batalha contra uma salamanda de fogo que eu encontrei meu melhor amigo e animal de estimação; Raiden, o tigre branco.
Caminhamos sozinhos por bastante tempo até encontrarmos o clãn Kaykoness. A princípio não quis ficar, – por medo, confesso - mas Raiden me convenceu usando como justificativa uma das minhas... hã... características... É! Características. U.u


Agora fico muito feliz em ter permanecido. Eu espero pacientemente o dia que cumprirei o meu destino e meu dever como princesa de Paládia.

~Shampoo1 - Clan Kaykoness

Usuário: ~Shampoo1
Dallya
A minha “aldeia” não foi das melhores, e pra terem certeza disso, basta dizer quem são o total contrário do que sou.
É, uma família de guerreiros fortíssimos. E do que viviam? De suas habilidades, lutando e matando por dinheiro. Assim, eu cresci. Pais muito exigentes, cobrando o melhor, sempre! Nunca me neguei a obedecê-los, achava que sabiam o melhor pra mim.
Desde muito pequena assisti a terríveis lutas sangrentas, e elas me causam mal até hoje. Nunca gostei de violência, pelo motivo que fosse.
Quando atingi a idade que pra eles seria a ideal para minha primeira luta, me dediquei ainda mais, e encarei um cara muito mais experiente que eu, e uns dez anos mais velho. Perdi feio, como se era de esperar. Confesso que realmente não queria ganhar, pensei que assim me deixariam em paz, o que não aconteceu.
Fui humilhada por todos, a esquisita! Meus pais me trataram com desprezo, obrigando-me a lutar muito mais. Fiquei muito forte – se comparada com a maioria das crianças de minha idade na época -, e a única coisa que pensei foi, fugir!
Não ia fazer o que cresci vendo minha família fazer, não ia matar inocentes, apesar de saber como.
Vaguei pelo mundo, e nunca mais usei meus poderes - não em alguém – até chegar ao Kaykoness e há pouco me sentir novamente segura para lutar. Meu passado? Prefiro esquecer! Minhas habilidades? Estou aprendendo desde os primeiros passos, desta vez da maneira certa, desta vez não para matar!


Ainda tem mais coisas, mas deixa pra lá.