Grupo Kingdom Of Asgard



Grupo Kingdom Of Asgard
Administrado por ~Caim_, §Reishin
Criado
Tipo Privado
Conteúdo visivel para Apenas membros
Dois deuses o qual seu povo não sabe os reais nomes são conhecidos como o deus do sol e o deus da lua, ambos construíram um mundo o qual era para ser perfeito e foi durante um tempo, criaram o planeta Asgard.
Ambos criaram um planeta, construíram cada um, um pedaço de tal o exilaram esse planeta para que nunca fosse encontrado pelos humanos, após a criação existiam 6 raças que possuíam semelhanças de alguma forma com os deuses tendo conhecimento comum em que todos daquele planeta falavam a mesma língua, Ninfas, Delfos, Elfos, Dragões, Lobos e Löwen cada deus escolheu uma raça o qual um deles teria maior parte de seu poder sempre liderando os outros, enquanto Ninfas, Elfos e Delfos pertencem ao deus do sol pelo fato de viverem durante do dia e dormirem a noite, os Lobos, os Löwen e Dragões são pertencentes do deus da lua, pois apesar de poder viver durante o dia o momento de caçarem e travarem batalhas para ver quais eram os mais poderosos era a noite, assim não havia nenhum desequilíbrio no mundo.
O deus do sol escolheu a primeira ninfa que criou para ter parte do seu poder, com isso toda herdeira mas nova a cada geração teria maior parte do poder do deus do sol, enquanto o deus da lua escolheu o primeiro dragão, sempre o herdeiro primogênito dele teria o poder, porem tudo foi perfeito durante os mil primeiros anos.
Houve uma guerra, uma guerra o qual quebrou o coração dos dois deuses, porém não foi apenas a guerra entre as espécies, mas também guerras internas, quebras de promessas, conflitos internos e a matança.
Alfadur o rei dos seres noturnos, juntamente de Fenrisulfr o líder dos lobos e Ymir o líder dos Löwen, nenhum interferia na espécie um do outro, Alfadur possuía 4 irmãos que faziam parte do grande conselho de Dragões, Aegir dragão da água representava todos dragões da água, Berserk um dragão de fogo que igualmente representava todos outros de fogo, Borr um dragão da terra assim como os outros representando os dragões da terra e por último o dragão do vento Búri.
Os quatro irmãos agiram pelas costas de Alfadur no ano de 1038 eles conseguiram finalmente destruir seu irmão, pelo menos havia sido o que eles haviam pensando, Alfadur havia conseguido escapar muito ferido, não tinha coragem de revidar sobre seus irmãos mais novos, não tinha um herdeiro e estava preste a morrer, foi quando pela primeira vez um dragão pode tomar uma forma humana, Alfadur estava numa forma muito parecida de um delfo porem um pouco maior e mais forte.

Como estava ferido e machucado acabou inconsciente perto de uma lagoa, ao acordar acreditando que era apenas um sono se deparou com um local completamente diferente de seu habitate natural, mesmo sendo um dragão não vivam em cavernas e montanhas mas em castelos estupendamente grandes, tento seu mover mas soltou um urro de dor, logo foi empurrado delicadamente para se deitar.
O cheiro de quem o ajudava o agradava, assim que conseguiu focar a imagem da pessoa percebeu que era uma ninfa, respirou fundo, não podia estar perto de uma ninfa era contra os princípios de qualquer dragão, ele estava em território proibido porem logo percebeu que ainda estava parecido com um delfo, a voz da ninfa o perguntando seu nome era bela, logo percebeu não sabia o que dizer, talvez ela desconfiasse quem ele era ao saber o nome dele.
Bjorn, esse nome ele havia dito par bela ninfa, com o tempo passava ele se recuperava lentamente, o que fazia a ninfa se perguntar se ele realmente era um delfo, delfos tinha a regeneração rápida, porem suas dúvidas foram esquecidas com o tempo. Havia se passado quase 3 décadas, quando algo inaceitável aconteceu Alfadur se deitou com a ninfa sendo o primeiro dela e também o único, após isso Alfadur se desesperou não sabia o que poderia acontecer, temia pela amada, o que veio a ser verdade, enquanto ele ficava mais afastado da vila das ninfas, elfos e delfos ela morava por lá, ao saberem da gravidez dela uma das profetisas dos elfos havia dito que aquele ser no ventre da ninfa poderia destruir a todos, mas o pior vinha ainda pra acontecer.

Não havia passado muito tempo e os dragões haviam mudado completamente, não se importavam mais se caçariam durante o dia ou a noite, alguns começaram a atacar vilas pequenas de elfos, ninfas e delfos, conforme o tempo passava a barriga da jovem ninfa crescia demasiadamente, o que preocupava Alfadur, com isso uma das curandeiras disse que o filho era de um dragão, o que fez a jovem ficar alterada afinal era impossível.
Ela contou tudo que havia acontecido, que havia encontrado um delfo quase morto perto de um dos lagos da floresta e o levou até a pequena cabana que tinha lá em volta, com isso ao pronunciar o nome o guardião das ninfas disse que não conhecia nenhum delfo chamado Bjron, então a ninfa disse que talvez fosse de alguma das vilas perto do lago, a jovem ninfa convidou o guardião para ir junto dela para conhecer Bjron.

Alfadur sentiu o cheiro de do guardião das ninfas no exato momento que ele colocou os pés na trilha que chegava a casa, com isso se desesperou o guardião conhecia muito bem sua voz, talvez pudesse o reconhecer pela voz, respirou fundo alguma daquelas que possuía na casa talvez conseguisse mudar um pouco sua voz, não havia encontrado nada para conseguir. O guardião adentrou a casa logo atrás da ninfa, assim que pós os olhos em Alfadur na forma humana chegou a acreditar que era um delfo, ou até mesmo uma mistura de elfo com delfo o que era extremamente raro.
O guardião confirmou que realmente era impossível a criança ter um pai dragão para ninfa ou ela estava mentindo sobre o fato de não ter se envolvido com um dragão o que fez Alfadur ficar realmente surpreso, achava que a criança não vingaria, por ser parte dragão, o que fez Alfadur ficar extremamente preocupado. Exato 1 semana antes do dia do nascimento do pequeno filho de Alfadur seus irmãos ousaram atacar o local, a vila o qual a amada de Alfadur estava, quando ouvi o bater de asa dos dragões voando naquela direção e o fogo se alastras correu desesperadamente para lá, não conseguia voltar a sua forma de dragão porem havia conseguido chegar a tempo.

Alfadur mesmo sem poder tomar a forma de dragão ainda possuía sua palavra de dragão, logo se foi ouvido o grito de Alfadur por todo o planeta seus olhos pegavam fogo, ele sentia todo seu poder em si, sabia que não poderia deixar seus irmãos dominarem essa situação, não deixaria os seus destruírem o que possuía de mais sagrado para seu pai, o deus da lua, todos dragões pararam, procuravam no céu o Alfadur, porem assim que ouviram outro grito viram que vinha de um delfo maior que os outros, isso causou uma fúria em Berserk que avançou em direção ao seu irmão porem não o reconhecia como tal pelo fato dele estar na forma de um delfo, tudo estava parado e focado no ataque brutal que Berserk havia direcionado a Alfadur porem tudo que conseguiram ver foi uma poeira se levantar e um enorme estrondo, quando a poeira baixou Berserk estava na forma de dragão possivelmente morto, Aegir e Borr iriam avançar quando ouviram Alfadur falar e explicar o que havia acontecido conforme explicava marcas nasciam em seu corpo, duas cores diferentes cercavam cada braço seu um azul e outro lilás seus olhos também ficaram um de cada cor o esquerdo lilás assim como o braço e direito azul as marcas iam até seu peito se entrelaçando. Após isso Alfadur soltou um rugido para o céu tomando sua forma original e em seguida tudo que se pode ver foi um clarão de luz e o céu completamente limpo sem dragões, como se nada tivesse acontecido, porem todos lembravam daqueles que estavam lá, nenhum dragão havia sobrevivido para contar a história de seus antepassados exceto um... o qual foi nomeado de Bjorn ao nascer, porem o mesmo não havia conseguido viver tempo o suficiente para completar um ano.

500 anos após o incidente e a eliminação total dos dragões, os lobos e löwen eram dependentes das Ninfas, Delfos e elfos, ambos caçavam com seus parceiros todo lobo ou löwen necessitava de um par para caças, pois haviam enfraquecido nesse tempo, eles serviam como cães de caça parceiros de batalhas, porem possuíam uma ligação, cada um nascia para respectivo ser, os deuses haviam escolhido assim, para evitar mais conflitos porem acabava gerando mais, então apenas resolveram dar um pequeno presente a uma pequena criança a qual não haviam encontrado um par a sua altura, pois o correto era o Parr nascer antes do “dono”. Após a eliminação dos dragões o passado foi conhecido como a guerra dos reinos, após isso os anos começaram a ser contados alguns, a cada século era conhecido como A.G.R antes da guerra dos reinos, porem conforme o tempo passava isso foi sendo esquecido e é na realidade 500 A.G.R.

Uma casca de ovo dourado foi encontrada em um lago por uma ninfa, Azelia a futura rainha e a 3ª geração da primeira ninfa criada ela possuía apenas 9 anos, era demasiadamente jovem, ela voltava todo dia deixando um peixe no lago, o mesmo lago o qual Alfadur havia conhecido sua amada, após 3 anos indo e deixando comida para o ser do ovo o qual ela não tinha a mínima ideia do que era, uma vez deixou uma cesta cheia de peixes perto da lagoa e foi se banhar no lago, durante seu banho ouviu um barulho, ela avistou um pequeno lagarto do seu ponto de vista comendo os peixes, se aproximou o suficiente, quando ia tocar no mesmo o pequeno ser de escamas roxas acabou mordendo a mão de Azelia, mas isso não a afastou pelo contrário só despertou mais a vontade da ninfa conseguir tocar no animal, porem o mesmo fugiu em seguida.

Após a fuga do pequeno ser a Azelia resolveu voltar para casa, após anoitecer e a jovem ninfa dormir ela havia tido pesadelos com um grande dragão prateado porem ao seu ver era apenas um lagarto gigante com asas e um garoto com chifres, asas um corpo completamente diferente do que ela já havia visto, lutando contra o grande dragão prateado, porem ela sentia uma enorme dor como se estivesse ferida, o que a fez acordar gritando porem logo sua avó entrou no quarto a abraçando, mas o que despertou a curiosidade da Avó não foi o motivo do grito da neta e sim a marca que havia nascido ao braço de Azelia que não tinha antes da ninfa dormir, nem mesmo Azelia sabia o que era, sua avó a contou histórias sobre dragões e sobre o amor proibido de Alfadur e a ninfa Freya e contou que a marca em seu braço era de um dragão, o que fez a ninfa ficar eufórica para poder ir novamente atrás do pequeno lagarto, agora sabia o que ele era, ele era um dragão, o seu par, disso ela tinha certeza, cada par tinha um jeito diferente de marcar seu Parr os Löwen era através de um aranhão, os lobos através de uma mordida no pescoço após isso as marcas nasciam em cada um, assim que amanheceu Azelia correu para o lago, encontrando o pequeno dragão na beira do lago, ele era pequeno demais para ter 3 anos, se perguntava quando ele cresceria e ficaria do tamanho do dragão de seu sonho. Azelia se aproximou o suficiente para pegar o dragão nas mãos porem receosa a levar outra mordida, mas não havia acontecido, a mesma entrou no lago segurando o filhote de dragão o qual nomeou de Fredur, conforme o tempo passava pequeno Fredur crescia extremamente rápido, não tinha nem 6 anos ainda e já estava quase do tamanho da jovem ninfa que já possuía seus 16 anos, porém não havia contado a ninguém sobre Fredur.

Porem no aniversário de 17 anos da jovem, um dos guardas do castelo começou a gritar que tinha um lagarto gigante tentando invadir o castelo, o que deixou a jovem Azelia apreensiva afinal Fredur era um pouco parecido, logo saiu correndo ao chegar numa das janelas conseguiu avistar e realmente era Fredur e os guardas estavam prontos para atacar o mesmo, apesar do grande tamanho o dragão ainda era um filhote, o que fez a jovem correr o mais rápido que conseguia para impedir que machucassem seu par, assim que alcançou foi obrigada a usar seus poderes para impedir que um dos guardas tivesse a chance de machucar Fredur, logo se abraçou ao dragão e em seguida começou a procurar algum ferimento nele.

Logo após isso houve mais alguns dragões nascendo como parr de outras ninfas, o mais interessante que dragões poderiam apenas ser par de ninfas as quais adquiriram o poder palavra de dragão.

Atualmente ano de 5037 apesar de serem extremamente avançados e inteligentes nunca destruíram a natureza a preservando o mundo foi divido em 3 reinos a capital Asgard, Arcádia e Alfadur, nome em homenagem ao dragão o qual dizem ser filho do deus da lua.

Agora uma guerra iniciou, tudo por causa do poder, dizem que o sangue de Alfadur está correndo nas veias de um hibrido capaz de destruir o mundo ou de salvar...


Venha fazer parte dessa aventura...
Decida de que lado está....
O bem ou o mal...
Trile seu próprio caminho.

Mensagens