Tópico O que voce achou do Despertar da Força

6 Respostas

~pedro2345678

Usuário: ~pedro2345678
Nenhum
eu achei bom

~ger

Usuário: ~ger
O verdadeiro pallasito
mano eu achei fixe demais mano

~IcaroBP

Usuário: ~IcaroBP
O Escritor Amador
Gostei muuuito. Usaram bem a tecnologia a favor, mas sem exageros. A apresentação dos novos personagens foi sensacional, já deu pra todo mundo apaixonar pela Rey e ter gostar do Finn (TRAIDOR!). Cenas cômicas, homenagens aos filmes passados, Kylo Ren apelão igual o vovô dele no episódio III, BB-8, que não é tão legal quando o R2-D2, mas é legal também. Aquele plot twist do final é quase insuperável... O filho do Han Solo o matou! Sacanagem! Muita sacanagem! E eu achando que ia ser o Chewie e me preocupando com ele!
O que gosto é as teorias, então vamos lá: Acredito que o Snoke, o líder supremo da Primeira Ordem e claramente um Sith, é o Darth Plagueis (aquele que foi mestre de Palpatine). E se ele tem um controle de midi-chlorians tão grande que só fingiu que morreu? Ele é o único sith de que me lembro que pode estar vivo e ser verossímil.
Rey é sem dúvidas filha do Luke Skywalker. Com quem? Com a Leia, ué... Eles já se beijaram, então... Brincadeira. Não sei, nos próximos filmes pode ser facilmente adicionado uma esposa para o Luke... Poderiam aproveitar a Mara Jade do Universo Expandido. Acredito isso por causa da cena do sabre de luz do Anakin. Tem o Luke pondo a mão no R2-D2, poxa. E o sabre perteneu ao avô, ao pai, e agora tem que ser dela.
Por que R2-D2 ligou? A Força, mano. Se a Rey for mesmo filha do Luke, quando ele pôs a mão no R2, fez tipo uma programação para que ele reativasse com a presença da Rey. O R2 só acordou quando a Rey chegou. Muitos tiveram isso como um Deus-Ex-Machina, mas eu acredito que tenha essa explicação. E vocês? O que acham?

~loiseaubleu

Usuário: ~loiseaubleu

Tenho certeza que vou ser apedrejada por isso, mas... Não, eu não gostei desse novo filme de SW.

O primeiro ponto que me incomodou muito, mas muito mesmo foram as "transições" de cena. Nos filmes anteriores, George Lucas usou técnicas de corte e transição bem antigas, as quais foram "emprestadas" do cinema japonês. Aqueles cortes que, hoje em dia, parecem mais transição de slide do power point tinham um sentido nas trilogias. A trilha sonora e a temática mudavam completamente quando algum corte de cena era feito. Das areias de Tatooine com uma melodia suave e inspiradora passávamos para a nave do Império com uma trilha sonora imponente. Quero deixar claro que, apesar dessas transições serem antigas já na época do Lucas gravar SW, eu as admiro muito. Nesse filme novo de SW, eu não senti que essas transições foram bem utilizadas. Era como se "emulassem" ou "imitassem" os filmes antigos. A transição era muito rápida e nem um pouco natural.

O segundo ponto que me incomoda muito se relaciona com a estrutura de roteiro. A aventura foi muito fácil. Tudo estava ali, não havia grandes dificuldades. Havia muitas coincidências. Por que Rey teve que pegar a nave do Han Solo, quando fugia do ataque, ao invés de pegar uma outra nave qualquer? Por que Poe não morreu com a queda da nave em que ele e Finn estavam? Muitas coincidências e pouco esforço. Em filmes de aventuras, eu gosto de assistir o COMO aconteceu e não as relações de CAUSA e EFEITO. Luke e Anakin, como "protagonistas" de SW também passaram pelos seus momentos de "coincidência" na estória. Encontrar Padmé depois de tanto tempo? É claro que é uma "gingada" no roteiro, mas foi bem mais natural do que a estória que a Rey viveu.


O terceiro ponto que não me agradou também se refere ao roteiro. Faça assim: assista o Despertar da Força e, logo em seguida, assistao episódio IV. Rey e Luke vivem a mesma aventura, a descoberta de "ser" um Jedi! E quase da mesma forma: tendo que encontrar o seu mentor e derrotar os inimigos. Nesse ponto, eu acho que faltou ousadia e bom senso, sério! Repetir a estória com os mesmos personagens?! Cadê a criatividade, meu povo? Se isso é influência da Disney, eu não sei. Talvez a produtora esteja com medo de apostar em algo diferente e quis repetir o que já tinha dado certo.

O único ponto que gostei desse novo filme se refere aos personagens, mas tenho ressalvas a fazer. Rey, Poe, Finn e Kylo tem apelo junto ao público. A produtora está de parabéns ao colocar uma heroína mulher como protagonista (sim, a redundância foi necessária) em tempos modernos quando discutimos preconceito de gênero e temas afins. Está de parabéns também ao colocar um negro e um personagem com uma pegada mais latina (?) na estória. Nisso, temos que bater palma de pé. Padmé e Leia eram personagens fortes, mas não eram as principais. Elas vagavam em um mundo completamente rodeado de homens! Como mulher, eu amei ver Rey nas telas do cinema. Os atores de Poe e Finn não podiam ter sido melhores, eles são perfeitos para os papéis e são muito importantes para a série. Nas trilogias anteriores, só tinhamos brancos de olhos azuis (duvida? Entre na wiki e veja a descrição física dos personagens). Nesse ponto, o Despertar da Força está antenado com as discussões mais atuais. Mas, todavia, entretanto, contudo... Temos Kylo... Se ele chega aos pés de Vader? Eu acho que não, mas teremos que assistir aos próximos filmes para saber o que irá acontecer.

Bom, espero que não atirem pedras. Cada um tem sua opinião, seu ponto de vista. Muita gente está conhecendo SW agora, por causa do filme. Espero que elas assistam os outros filmes! Se gostaram desse filme, vão se apaixonar pelo resto da série. Num geral, modernizaram SW, adequando a série para novas temáticas com novos personagens. o Despertar da Força é um filme legalzinho, dá para assistir; mas como fã de SW, não acho que esse filme em especial está aos pés do resto da série. Pra mim, esse filme foi um fanservice que não me agradou totalmente. Resta saber os outros filmes que estão por vir... Espero que eu mude de opinião até lá...

~IcaroBP

Usuário: ~IcaroBP
O Escritor Amador
Escreveu @loiseaubleu

Tenho certeza que vou ser apedrejada por isso, mas... Não, eu não gostei desse novo filme de SW.

O primeiro ponto que me incomodou muito, mas muito mesmo foram as "transições" de cena. Nos filmes anteriores, George Lucas usou técnicas de corte e transição bem antigas, as quais foram "emprestadas" do cinema japonês. Aqueles cortes que, hoje em dia, parecem mais transição de slide do power point tinham um sentido nas trilogias. A trilha sonora e a temática mudavam completamente quando algum corte de cena era feito. Das areias de Tatooine com uma melodia suave e inspiradora passávamos para a nave do Império com uma trilha sonora imponente. Quero deixar claro que, apesar dessas transições serem antigas já na época do Lucas gravar SW, eu as admiro muito. Nesse filme novo de SW, eu não senti que essas transições foram bem utilizadas. Era como se "emulassem" ou "imitassem" os filmes antigos. A transição era muito rápida e nem um pouco natural.

O segundo ponto que me incomoda muito se relaciona com a estrutura de roteiro. A aventura foi muito fácil. Tudo estava ali, não havia grandes dificuldades. Havia muitas coincidências. Por que Rey teve que pegar a nave do Han Solo, quando fugia do ataque, ao invés de pegar uma outra nave qualquer? Por que Poe não morreu com a queda da nave em que ele e Finn estavam? Muitas coincidências e pouco esforço. Em filmes de aventuras, eu gosto de assistir o COMO aconteceu e não as relações de CAUSA e EFEITO. Luke e Anakin, como "protagonistas" de SW também passaram pelos seus momentos de "coincidência" na estória. Encontrar Padmé depois de tanto tempo? É claro que é uma "gingada" no roteiro, mas foi bem mais natural do que a estória que a Rey viveu.


O terceiro ponto que não me agradou também se refere ao roteiro. Faça assim: assista o Despertar da Força e, logo em seguida, assistao episódio IV. Rey e Luke vivem a mesma aventura, a descoberta de "ser" um Jedi! E quase da mesma forma: tendo que encontrar o seu mentor e derrotar os inimigos. Nesse ponto, eu acho que faltou ousadia e bom senso, sério! Repetir a estória com os mesmos personagens?! Cadê a criatividade, meu povo? Se isso é influência da Disney, eu não sei. Talvez a produtora esteja com medo de apostar em algo diferente e quis repetir o que já tinha dado certo.

O único ponto que gostei desse novo filme se refere aos personagens, mas tenho ressalvas a fazer. Rey, Poe, Finn e Kylo tem apelo junto ao público. A produtora está de parabéns ao colocar uma heroína mulher como protagonista (sim, a redundância foi necessária) em tempos modernos quando discutimos preconceito de gênero e temas afins. Está de parabéns também ao colocar um negro e um personagem com uma pegada mais latina (?) na estória. Nisso, temos que bater palma de pé. Padmé e Leia eram personagens fortes, mas não eram as principais. Elas vagavam em um mundo completamente rodeado de homens! Como mulher, eu amei ver Rey nas telas do cinema. Os atores de Poe e Finn não podiam ter sido melhores, eles são perfeitos para os papéis e são muito importantes para a série. Nas trilogias anteriores, só tinhamos brancos de olhos azuis (duvida? Entre na wiki e veja a descrição física dos personagens). Nesse ponto, o Despertar da Força está antenado com as discussões mais atuais. Mas, todavia, entretanto, contudo... Temos Kylo... Se ele chega aos pés de Vader? Eu acho que não, mas teremos que assistir aos próximos filmes para saber o que irá acontecer.

Bom, espero que não atirem pedras. Cada um tem sua opinião, seu ponto de vista. Muita gente está conhecendo SW agora, por causa do filme. Espero que elas assistam os outros filmes! Se gostaram desse filme, vão se apaixonar pelo resto da série. Num geral, modernizaram SW, adequando a série para novas temáticas com novos personagens. o Despertar da Força é um filme legalzinho, dá para assistir; mas como fã de SW, não acho que esse filme em especial está aos pés do resto da série. Pra mim, esse filme foi um fanservice que não me agradou totalmente. Resta saber os outros filmes que estão por vir... Espero que eu mude de opinião até lá...

Primeiramente, isto não é uma pedra e não estou apedrejando. Só que acho que vou por minha opinião também kkkkk
Entendo o ponto, mas a questão de criatividade vai vir depois (esperamos)kkkkk O roteiro é mais ou menos do George Lucas. Desde o primeiro Star Wars, ele tinha um roteiro para 9 filmes (mentiu em algumas entrevistas depois, mas todo mundo sabia que era mentira mesmo, gravar Star Wars dava muito trabalho, os 6 filmes eram uma fonte de renda muito boa pra ele, ainda mais com o Universo Expandido e etc). Mais ou menos porque foi adaptado, é claro, para nossa situação atual. Star Wars Ep IV tem uma história muito boa, mas seguindo os filmes com que as pessoas estão acostumados atualmente, fica parecendo "bobinho". Entende? Quem é fã e conhece a saga há mais tempo, ou simplesmente consegue entender as questões de época e curtir a história, não liga, mas muita gente liga.
Marketing e fanservice sempre terá em todo filme comercial, infelizmente (e as vezes felizmente). Isso já era esperado. Mas o Ep. VII tinha muitos desafios: manter os fãs antigos naquela sensação de nostalgia, aliás, são quantos anos desde o Ep IV? O roteiro é super parecido, mas foi dito em entrevistas que isso foi totalmente intencional pelo fator nostalgia. Eles exageraram, mas eu ainda gostei. E também tinha que apresentar o Universo Star Wars pra todo mundo que não viu o filme ainda, coisa que fizeram muito bem (por isso a Rey pegou a Millenium Falcon, o Kylo é fissurado no Darth Vader, e a base Starkiller foi easter egg kkkkk entendedores entenderão o sentido do nome). E apresentar os novos personagens: concordo com você, é sensacional. Dentro do Universo Star Wars mesmo, temos algumas evoluções: uma jedi mulher, só aparece em destaque no Universo Expandido. Claro que no Ep. III a gente viu uma jedi Twi'lek sendo morta, mas... Também temos uma humanização dos stormtroopers. Na primeira cena, aquele stormtrooper que morre e deixa sangue no capacete do Finn (sem sentido, porque tiro de blaster não faz sangrar, cauteriza na hora), aquilo deu aquela ideia de que não são robôs, são humanos. Vemos que são tirados de suas famílias ainda bebês. O Finn não é revolucionário por ser negro, ele é um stormtrooper que escolheu o lado do bem. E tinha que inserir o fator romance, né? Então uma relação entre Finn e Rey começou a ter base (espero que eles não imitem os seriados de hoje em dia e ignorem a base criada depois... isso é uma bosta).
Outra coisa que Star Wars VII tem de legal são as cenas cômicas. Sempre teve, mas o que fazia a maioria das pessoas rir antigamente não tem tanto efeito hoje. (em generalização, sei de muitos casos específicos diferentes). E também gostei da forma como eles aproveitaram o Universo Expandido. Foram coisas mais veladas assim, mas é que muitos fãs com falta de filme foram pros jogos, livros, hq's. Agora que tem filmes, é difícil ignorar todo o resto.
Agora pra pensar: Star Wars tem esses pontos fracos mesmo. Muitas coincidências (as da prequel ficaram naturais tbm não) e furos de roteiro. Mas a gente continua gostando. kkkkk O Episódio I também se parece com o IV. Acho que é lei no primeiro filme o principal usar a força para destruir algo espacial e garantir a vitória. Anakin criança, Luke e Rey mulher (diferentes pessoas, diferentes mundos, mesma família e td jedi noob). Parece lei perder a mão no segundo filme também (episódio II e V). A gente só não vê muitas semelhanças no III e no VI, mas não tem como. Mas é que os primeiros filmes de trilogia são problemáticos, personagens novos quando você tá acostumado com outros. Precisa de algo familiar, e se tudo é diferente, a aventura é a coisa familiar que eles fazem pra garantir que você assista. Lembre-se: eles só querem dinheiro.

~loiseaubleu

Usuário: ~loiseaubleu

Então, fico feliz que não tenha me atirado pedras! E fico feliz também por ter oportunidade de discutir esse tipo de coisa, eu acho muito legal debater sobre filmes, roteiro e cinema em geral.

Bom, acho que para mim, a nostalgia e o fanservice foram em doses muito altas e eu acabei não gostando. Creio que os produtores do filme poderiam ter segurado a mão nesse ponto. Vader e a Falcon podiam ser referências e não jogadas na tela. Assim os fãs antigos teriam entendido e os fãs novos ficariam mais curiosos...

A humanização dos troopers... Hum... Isso não me agradou muito, explico o por quê. Nas trilogias anteriores, os troopers eram simplesmente bucha de canhão, serviam para fazer número na guerra e para acrescentar emoção nas cenas de batalha. Tanto é que eles não tinham nomes, só números. Com o passar do tempo (e isso é influência da mudança de pensamento da sociedade), os troopers ficaram mais humanizados. Hoje em dia, vemos indivíduos e não uma massa sem forma de soldados brancos. Essa mudança começou já na série animada de SW: Clone Wars. Ali, temos capitão Rex e uma penca de outros troopers. Acho que Finn é um produto final dessa mudança de pensamento, o que não quer dizer que ele não é um bom personagem!

Sobre a questão de aproveitar o Universo Expandido. Eu não entendi muito bem o que você quis dizer. Seguindo, por exemplo, a trilogia thrawn Leia e Solo têm três filhos: Jaina, Jacen e Anakin. Ben é filho de Luke e Mara. Se eles seguissem essa parte do UE, Kylo seria filho de Luke.

Sobre coincidências e furos de roteiro... Sim, eles existem, infelizmente e em qualquer filme! E sim, eles só querem nosso dinheiro kkkkkkk Mas, sobre o roteiro (de novo). O roteiro de O Despertar da Força repete o episódio IV sem muita criatividade. Muitas pessoas (eu inclusive) acharam que o novo filme é apenas um reboot disfarçado. Pode ser que sim, pode ser que não.

O episódio IV tem falhas? Sim, é claro. Mas ele faz uma coisa que o episódio VII não consegue fazer:fechar em si mesmo. Se o episódio IV passasse na sessão da tarde, a gente assistia, se divertia e ficava satisfeito. Se fosse o episódio VII, eu iria ficar curiosa pra saber o que viria depois. Não temos um final conclusivo e fechadinho. Uma jogada de marketing da Disney? Talvez. Eles querem o nosso dinheiro no próximo filme? Com certeza.

Sobre as semelhanças nos episódios I e IV. Eu realmente não consegui enxergar muitas. Ani era um escravo sem perspectiva de vida, mas que foi gerado pela Força e que sonhava em se tornar um Jedi. Luke era sobrinho de um fazendeiro que não queria cuidar da fazenda do tio e sim navegar pela galáxia. Ele nem fazia ideia dos Jedis. É claro que os mestres jedis (Qui - Gon e Obi) vão até eles. Qui-Gon de maneira completamente aletória, já Obi vigiava Luke de perto. Enquanto Luke vai construir a Jornada do Herói, Ani vai destruí-la completamente.

Pelo menos, John WilliaMs continuou responsável pela trilha sonora. Os temas de Ani, Luke e Rey são belíssimos e diferentes entre si, cada um evocando um sentimento único que se reflete na personalidade dos protagonistas.

Como disse antes, espero que eu mude de opinião.

~puddyn

Usuário: ~puddyn
I'm c.r.a.z.y
Mais uma vez, concordo plenamente com você Loise, sobre O Despertar da Força!