História 우리의 작은 큰 사랑 (Jeon Jungkook) - Capítulo 58


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 259
Palavras 1.178
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 58 - • Capítulo 56 •


Fanfic / Fanfiction 우리의 작은 큰 사랑 (Jeon Jungkook) - Capítulo 58 - • Capítulo 56 •

나의 아름다운 배 •


Me: minha barriga está linda, quer ver?


Biscoito: quero😍


Me: (mídia do capítulo)


Me: Jimin hyung me deu o sapatinho que havia comprado hoje.


Me: diz ele que havia esquecido na casa dos pais, mas eu sei que ele comprou de última hora.


Biscoito: sabemos.


Biscoito: eu estou na casa do Yoongi hyung, tá?


Biscoito: só pra avisar mesmo.


Me: tudo bem, bebê.


Me: eu vou contar pra você agora.


Me: antes que façam fofocas e você queira divórcio antes de realmente estarmos casados.


Biscoito: sou corno?


Biscoito: é disso eu sei.


Me: ??*


Biscoito: desconfiei desde que te conheci que você pegava a Kathe.


Me: cala a boca, Jungkook, cala a boca por amor as suas filhas.


Biscoito: vou calar os dedos.


Me: não interessa pra você, palhaço!


Me: desculpa, não me aguentei.


Biscoito: vai a merda.


Me: .....continuando.


Me: eu estou no estúdio, escutando os xingamentos de Kathe por conta da noite passada, ela realmente ficou revoltada.


Me: então, eu e Kathe fomos almoçar no meu restaurante preferido, porque ela ainda se sente culpada pelo quase tapa que levei.


Biscoito: se tivesse levado eu já estaria preso.


Me: ................


Me: então, de repente, o Cho de chocolate apareceu com um buquê de rosas.


Me: pedindo desculpas e tal.


Me: não vou mentir, fiquei assustada quando ele apareceu e me escondi atrás da Kathe como um cachorrinho.


Me: ele deixou o buquê na mesa do restaurante, e continuou se aproximando da minha pessoa.


Me: então Kathe deu um tapa na cara dela e agora estamos dentro do carro com ele do lado de fora.


Me: bebê, ele tá bêbado, da pra perceber isso, e nós estamos com medo de sair do carro, e o estúdio tá aberto... eu acho.


Me: chamamos a Yuna, e agora ela também está trancada no carro com a gente, enquanto ele está batendo no vidro pedindo pra gente ouvir ele.


Biscoito: eu tô indo aí, amor.


싸움


Jungkook, Hoseok e Taehyung haviam acabado de chegar no estúdio das meninas, confirmando que o local não estava trancado, confirmando a história contada pela morena mais cedo.


— O carro da Kathe é o cinza. — Hoseok murmurou, olhando em volta, logo vendo o carro da namorada um pouco afastado do local. — O carro!

Os três foram até o carro, observando o galã batendo na janela, querendo a atenção das garotas.

É incrível como alguém que você acha legal, de um mês para outro vire praticamente um maníaco que não percebe que está incomodando os demais.

— Cho-Hyung! — Tae o chamou, de braços cruzados. — No meio das três mulheres no carro, uma é minha, então para sua própria segurança, se afaste.

Cho-Hyung se virou lentamente, observando os três homens ali parados, com a expressão de quem não ligava, mas por dentro, eh, por dentro ele estava uma bagunça, ele queria ver Kathe, se desculpar com Mi-Cha, e deixar Yuna sair do carro, mas se Yuna saísse, as outras duas também sairiam, então ele não poderia vacilar.

Ele não era assim, nunca foi, mas o sentimento que ele sentia por Kathe o deixou estranho, com sentimentos estranhos, e ele sabia de uma coisa, ele não iria desistir dela, nem que ela implorasse por isso, ela, querendo ou não, seria dele, e não de Hoseok.

— Taehyung! — Yuna tentou abrir a porta do carro, mas Kathe fez que não com a cabeça. — Tira esse louco dai!

— Cara, vai pra sua casa. — Hoseok ia passar pelo homem, mas o mesmo o pegou pelo braço. — Que?!

— Ela... a Kathe, ela me ama, não você. — Cho-Hyung disse, entre dentes, dando um pequeno empurrão em Hoseok.

— Esse cara ta usando droga? Não, ele só pode estar usando droga. — Taehyung revirou os olhos, perdendo a paciência. — Jungkook, faz alguma coisa, sua mulher está lá dentro, porra!

Jungkook continuava calado, sem se meter na pequena confusão, afinal, Mi-Cha aparentava estar segura dentro do carro, e os outros dois garotos ja estavam chamando atenção demais naquele pequeno estacionamento, ele não queria fazer parte do show, não enquanto Mi-Cha ainda estivesse segura.

Certo, ele pode estar sendo egoísta, mas, pense do jeito dele: Mi-Cha está segura, então porque se meter naquela merda? Porque ele desafiaria um cara, aparentemente louco e bêbado, sabendo que Mi-Cha ainda estava segura trancada no carro? Ah, ele se pouparia disso.

— Elas estão seguras lá dentro, vamos só chamar um guarda ou a polícia pra tirar esse cara daqui. — Jungkook arrumou a máscara, revirando os olhos. — Cho-Hyung, você quer conversar, né? Então se afaste do carro, assim as garotas sairam e irão conversar com você.

— Porque devo confiar em você? — ele se aproximou do moreno, recebendo um empurrão do mesmo em troca.

— Então vai pra porra. — Jungkook revirou os olhos indo até o carro e batendo na janela. — Mi-Cha!

Enquanto Jungkook tentava convencer Mi-Cha e Kathe a saírem do carro, não percebeu quando Yuna saiu correndo, pulando no colo de Taehyung, também não percebeu quando Hoseok e Cho-Hyung começaram a brigar, e continuou sem perceber quando Taehyung se meteu no meio, mesmo ouvindo os protestos de Yuna.

— Hoseok! Hoseok para com isso! — Kathe tenta puxar o namorado, mas Mi-Cha a impede de completar tal ato, com medo da amiga levar um murro por conta da agressividade em que os dois estavam brigando. — Hoseok, para!

Taehyung continua tentando separar a briga, enquanto Jungkook está encostado no carro, sem ligar pra nada que está acontecendo ali.

Ah, eu só queria estar dormindo agora.

Era a única coisa que se passava pela cabeça do moreno, que olhava aquilo tudo entediado.

— Solta ele seu idiota! — Yuna se meteu dessa vez, quando viu que Cho-Hyung fechou as mãos em punho, para bater em Taehyung. — Cacete!

Agora Jungkook levou um susto e se meteu na briga, raios, ele sabia que aquilo ia acontecer, estava na cara que alguém iria levar um soco, e esse alguém foi Yuna, que estava agora com a mão na boca, a boca da morena estava sangrando por conta da força do soco, e aquilo com certeza deixaria sua boca horrível depois.

— Yuna! — Mi-Cha e Kathe correram até a morena, desesperadas. — Jungkook, chama a porra da polícia! Ele simplesmente bateu nela!

— Isso não é considerado um crime. — Jungkook caminhou até a morena, observando os lábios de Yuna. — Isso que dá se meter em briga alheia.

— Cala a boca! — os presentes ali gritaram juntos, nervosos.

Taehyung se aproximou da morena, com um bico super fofo formado nos lábios avermelhados, e isso fez Yuna sorrir, mesmo com a boca doendo, aquela atitude de Taehyung mostrou que ele estava preocupado.

— Eu tô bem... mas, cadê o Cho-Hyung? — a garota olhou em volta.

— Então, esse merda deve ter sumido, mas o foco é você porque foi você que levou um murro. — Hoseok deu de ombros, sorrindo.

Eu ainda queria estar dormindo.


Notas Finais


Socos, socos, bate, bate, soco, soco, vira, vira, soco bate, soco vira... *lê cantando*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...