História Love always remains// larry - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Louis Tomlinson
Tags Amnésia, Larry Stylinson, Short
Exibições 7
Palavras 628
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Fluffy, Lírica, Poesias, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Cinco anos antes


 

Eles permaneceram unidos, mas não como antes, o romance entre eles foi esquecido em meio ano, mas eles permaneciam amigos. Harry estava determinado para outro projeto e ele não estava preocupado com a participação de Louis nele, sua inspiração nem se quer vinha de Louis.

Ele sentia calor diante da máquina de escrever, não só o calor dos dedos na excitação em escrever mas também o calor do corpo. Ele soava e ria enquanto tomava algumas doses de uísque tentando controlar a sua respiração, ele não se sentia assim desde a faculdade. Não estava escrevendo um romance como era previsto, e sim uma narrativa ilusória sarcasticamente triste, uma aventura que saiu do abandono e o levou a loucura. Na sua mente ele gritava histericamente toda a sua genialidade mas por fora ele era apenas um cara de regata branca soado escrevendo. um texto. Ele só descansou depois de sentir mãos em seus ombros. Ele respirou fundo e parou.

– O que você está fazendo? – perguntou Louis depois de ligar o ventilador ao perceber o quão quente Harry estava.

– Escrevendo...

– É pessoal?

– Não, é um projeto. – Louis fez um sinal pedindo permissão para ler, Harry assentiu e ele pegou as folhas que já havia escrito e o entregou.

– Wow, a idéia é... maravilhosa, você...

– Não, essa idéia foi 100% da Kendall. – falou entusiasmado. – Ela nunca pensou em escrever mas é cada história que ela me mostrou que...

– Quem é Kendall? – falou confuso, com uma pontada de insegurança no coração. Eles não estavam juntos, mas ainda sim ele sentia necessidade de ser fiel a Harry e queria que ele fizesse o mesmo.

– Minha amiga, ela trabalha no Macincoffe, me ajudou quando aconteceu aquele incidente do pedido negado. – falou sarcástico tomando o resto do uísque.

– Você nunca quis escutar o meu lado da história...

– Não quero, não me importo. – ele sorriu para Louis e se levantou tirando a camiseta suada e indo a cozinha colocar mais uma dose de uísque. Ele virou e dose e encarou Louis que havia o seguido.

– Tem sido um ano que você haje assim... – ele suspirou. – Se você não está indo me dar uma segunda chance, eu vou embora. – isso chamou a atenção de Harry, ele caminhou até Louis e segurou seu rosto com as mãos, Louis o sentiu soprar de propósito par sentir seu hálito de álcool.

– A porta da rua é a serventia da casa. – sorriu e beijou sua bochecha. Louis o empurrou e o socou no rosto. Aquilo era novo e violento, Louis nunca agrediu Harry. – Louis eu...

– Você é patético. – ele cuspiu as palavras na cara de Harry. – Você não não consegue perceber que eu perdi 8 anos da minha vida tentando ficar com você? Você acha que era fácil para mim toda vez em que você acordava e esquecia de tudo? – as lágrimas desciam em seus rosto. – Eu estou cansado de todo mês ter que enfrentar a porra do adolescente que você foi na faculdade. "Não é puro, não é perfeito.", foda-se você e seu poetismo. – ele se aproximou de Harry. – Por que você não cresce? – Harry o empurrou e lhe devolveu o soco.

– Lhe pedir em casamento e você o negou. – gritou.

– Neguei porque estava no hospital, com o meu pai morto. – respondeu Louis com o mesmo tom de voz. Harry havia batido forte de mais, seus nariz sangrava.

Harry queria pedir desculpas mas já era tarde de mais, ele se sentou diante a mesa de jantar e começou a virar doses de uísque. Louis sentou em sua frente e tomou a garrafa e o copo de sua mão e bebeu duas doses.

– Seu nariz está...

– Você não se importa. – o cortou bebendo outra dose.

– O que você pretende fazer?

– Ficar bêbado e provavelmente tentar te beijar.

– Estou ansioso por isso.


Notas Finais


pelas minhas contas, só restam três capítulos para terminar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...