História ライト - Uma Luz - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Drama, Horror, Onelight, Romance, Suspense
Visualizações 23
Palavras 2.290
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Canibalismo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Estou um pouco cansado más este é o capítulo de hoje. Super atrasado hihi...

Capítulo 3 - Stay Alive


Fanfic / Fanfiction ライト - Uma Luz - Capítulo 3 - Stay Alive

 ---Capítulo anterior---


De fato essas notícias são assustadoras,  não é?

12:00 Dia.  Eu acordei com a voz daquela garotinha que eu conheci,  eu tenho sonhado com ela e creio que ela deve estar por aí perdida,  eu me sinto culpado na realidade.
           Todos da nave estavam abismados com a quantidade de sangue e partes de carne humana espalhadas pela sala,  como tava todos se esforçando para limpar a sujeira eu aproveitei para sair de fininho sem que ninguém me veja.  Passei por todo o caminho de antes e não encontrei nada de novo, até então chegar no salão e ver o computador ligado e dois botões "vermelho e azul", eu cliquei e logo começou a passar àquelas mesmas reportagens nas telas enormes.

_ Ora de fato só tem notícias ruins né?  - Disse a garotinha sentada em uma mesa.

_ Então te encontrei de novo Mika...

_ É parece que sim... Apple


-----
---
--
-


Capítulo: Stay Alive



    Meu nome é Nakano Apple,  eu encontrei novamente a Mikaela e dessa vez não irei esquecê-la.  Naquela noite eu tentei voltar para o local onde às pessoas estavam abrigadas,  más,  por algum motivo quando cheguei naquele lugar estava completamente desocupado,  isso incluí também o material da sala do doutor Ogura,  não havia nenhum equipamento. Era impossível qualquer humano desinstalar aqueles equipamentos enormes das paredes e carregar para outro local,  eles foram feitos para ficar em apenas um lugar.

_ Ei grandão,  o que tanto olha pelas paredes e fica tocando elas com essas garras como se já conhecesse esse lugar,  você já explorou todo esse local antes de mim? - Perguntava ela se aproximando de mim.

_ B-Bem,  sim eu acho...  E garras?  Eu não estou usando mais a armadura de bai...  - Por algum motivo eu estava equipado na armadura...

_ Você está estranho hoje!  Se levantou tarde e me deixou dormindo sozinha,  eu estava dormindo no seu colo,  más por algum motivo você re fez o caminho de volta e foi ver àquelas notícias.

_ Não!  Eu não fiz isso!  Eu estava no local seguro junto com outros humanos! - afirmei.

_ Hein?  Humanos?  Pensei que 98% deles estivessem mortos. - Dizia ela se afastando.

_ COMO VOCÊ PODE FALAR UM ABSURDO DESSES!!  VOCÊ TAMBÉM É HUMANA!!! - Ah olha só,  gritei com uma garotinha,  eu estava com muita raiva naquele momento. Tudo estava tão confuso,  ela ainda está me dando às costas,  acho que fiz ela ficar triste.

_ Ei...  Nakano... 

Droga, ela realmente deve estar chateada!!!  - Pensei internamente.

_ Você acredita nos humanos? - Perguntou Mika.

_ A-Acho que sim! - Respondi.

_ SIM OU NÃO!?

_ SIM! 

_ Por acaso você está em outra realidade?  Eu não sou um humano e nem você imbecil. - Disse ela se virando e em seguida seus olhos ficando completamente "azuis".

_ E...  E...  EI!!!  O QUE DIABOS ESTÁ ACONTECENDO!!!  SE AFASTE-SE DE MIM!!! - Apontei assustado minhas garras em direção a  Mika que caminhava lentamente até mim.

_ Você está com medo de mim?  Logo eu que dei um nome para o lobinho assustado e perdido?

_ Eu disse para se AFASTAR!!  - Tentei um ataque com às garras e ela desviou e acertou um ataque em meu capacete,  foi tudo tão rápido...  Eu caí e apaguei na hora.




Eu estava meio zonzo dava para ver alguém me arrastando pelas pernas em um escuro novamente.  Já dava para de imaginar aonde eu iria parar,  sim!  Novamente eu acordei no meio do nada,  naquele lugar escuro e vazio.
           21:10 Noite.  Eu me levantei bem rápido e começei a correr em direção aquele salão,  muitas perguntas eu não consegui responder,  más tomará que eu encontre aqueles soldados  novamente. Ao chegar na porta,  assim que abri eu estava em um lugar completamente diferente.  Não tinha um bar e sim aquele mesmo local onde eu tinha morrido. A lança estava perfurada na parede e haviam sinais de sangue na parede.

_ Olá me chamo "Mitsuha" sou uma dos líderes que trabalhou para construir está nave. - Disse uma mulher de terno parada bem na minha frente.

_ Mitsuha?  - Perguntei.

_ Sim,  esse é meu nome!  Bom é meio vergonhoso né?  Eu estava apenas treinando meu discurso para quando for o dia da reunião com alguns dos visitantes e líderes hahaha. Bom deixando isso de lado,  como foi a manutenção na base de apoio da nave "Jin".


_ Jin?

_ Sim!  Este é seu nome esqueceu?  Bom contamos com o apoio seu já que não temos muito engenheiros. Logo todos vão poder evacuar a terra e tudo será um sucesso, bom tenho que ir,  até logo!  - Disse ela virando às costas e indo em direção à uma porta dupla.

_ Ei espera!!  - Eu chamei e assim que abri a porta um enorme corredor cheio de salas e pessoas correndo para todos os lados, falando em telefones,  atendendo tail e correndo com documentos em mão. Estava uma completa barulheira.
        Continuei andando pelo local,  estava meio apertado até então encontrar um elevador,  fui até o andar principal que conectava à um grande salão dez vezes maior que os outros que entrei,  ou até vinte vezes.  Ele tinha uma saida em linha reta,  fui até ela e logo dei de cara com a civilização e vários prédios. Eu estava em terra firme,  eu estava no planeta terra.

_ Eai Jin! Como vai?  - Disse um com chapéu de militar.

Assim que olhei para o lado era o mesmo soldado de cabelo loiro que me guiou para aquele refúgio.

_ Eu estou um pouco ocupado!  - Evitei e continuei andando.

_ Tudo bem!  Boa sorte com o trabalho aí!!!  - Disse ele acenando.

Enquanto eu andava pela cidade, tinha muitas pessoas nas ruas,  algumas completamente machucadas e outras pessoas bem vestidas e ricas frequentando o mesmo lugar. Era um futuro "moderno" que passava por uma crise de pobreza, mesmo com tanta tecnologia. Continuei andando sem um rumo específico até então encontrar uma área fechada com símbolos que soavam familiares,  além disso tinham placas dizendo "Perigo" ou "Área proibida". Não tinha como continuar por aquele  caminho existiam guardas armados com máscaras de gás, sem dúvidas eram para se proteger do tal vírus que acabará com a raça humana.
      
_ Oh Jin! Você por aqui,  não está trabalhando hoje? - Disse uma senhora pegando em minhas mãos

_ Q-Quem seria você?

_ Hahaha fazendo piadinhas é?  Acho que te falta oxigênio depois de ter ficado dias em uma "manutenção" né?  Bom venha comigo,  hoje eu fiz bolo!  - Disse a senhora me puxando.

_Ah!  Hahaha,  tudo bem.  - Apenas aceitei.

Entrei em um prédio comum,  subirmos às escadas e fui ao lado da senhora até o final do corredor do último andar,  ela retirou o olho da direita colada em sua face colocando-o na porta fazendo assim a mesma abrir.

_ Entre, sinta-se à vontade. - Disse a senhora me levando direto para a sala.

_ É bonito o apartamento. - Dizia eu quanto observava os peixes em um aquário.
      Era um aquário bem decorado e brilhante, haviam vários peixes diferentes, até mesmo peixes que eu nunca tinha visto antes. Além disso a casa deles era uma espécie de navio afundado, era um aquário enorme com uma grande casa em formato de navio.

_ Apreciando os meus amados filhotes da profecia? - Disse a senhora servindo chá e pedaços de bolo. - Não sabia que você gostava de peixes, sempre odiou o "mar" nunca teve coragem até mesmo de colocar os dedos na praia.

_ Ah, acho que superei essa fase minha sabe. - Respondi.

_ Entendo, bom pode tomar! Creio que é o melhor chá que irá em fim experimentar.

_ Se você diz... - Assim peguei e joguei tudo para dentro, tinha um sabor desconhecido, não parecia chá más ainda assim aceitei.

*TUMP! -um barulho veio do cômodo ao lado.

_ Hump! Que tal ir lá e dar um oi para sua filha? - Disse a senhora.

_ E-eu tenho uma filha? - Fiquei confuso e perguntei.

_ Para com essas piadas Jin! Parece que o trabalho tem lhe deixado exausto e confuso hein? Vai lá, ela vai gostar de te ver. - Disse a senhora estampando um sorriso no rosto.

_ Tudo bem... - Me leventai e fui direto para o quarto, era uma porta rosa e decorada de flores, era uma menina.
      Assim que Girei a maçaneta e entrei no quarto fiquei fascinado com às parades bem decoradas e cheias de desenhos colados em volta do quarto, era desenhos de paisagens marcados a data, cada uma simbolizava um acontecimento. Um desenho em especial me tirou atenção de todos os outros,  era um papel enorme bem destacado no centro,  ele tinha acontecimentos de tragédias de vários países pintados em tinta preta e vermelha,  um deles em especial era a torre gêmeas. Como uma criança iria saber deste acontecimento tão antigo?  Assim que olhei para o lado na cama estava dentro das cobertas a tal criança que dizia ser minha "filha". Assim que sentei na cama e puxei bem devagar a coberta da mesma eu me assustei. Era linda,  incrivelmente linda.
            Uma garota com cabelos prateados e olhos "azuis-reais", ela tinha metade da minha altura,  e seus cabelos brilhavam e não tinha fim em minhas mãos.

_ Tão linda.  - Soltei da minha boca essas duas palavras sem ao menos querer.

_ Você acredita na lua quê um dia os anjos irão colorir de azul? - Disse ela tocando em minhas mãos quanto olhava no fundo dos meus olhos.

_ Eu não sei bem sobre essa história...  Que lua é esta que você menciona?  - Perguntei e logo o rosto dela ficou corado soltando-se em imediato  das minhas mãos.

_ Você esqueceu de novo? Novamente irei lhe pedir e te conceder essa chance de "viver" - disse ela e se aproximou me abraçando e indo em direção aos meus ouvidos e então disse às seguintes palavras.


"STAY ALIVE" _ E então tudo ficou escuro novamente.











        Um dia você acordou e pensou se tudo àquilo que você viveu foi em vão,  a vida é apenas algo "natural" um dia você morrerá e renascerá como uma criança,  um animal,  ou apenas um fenômeno "paranormal", você não pode escolher se quer viver ou não, você apenas é obrigado a aceitar quem você é independente do que você "seja".

Mas...

Afinal...

Quem é você?


















_ Você não me ouviu robô?  Quem é você ? responda! - Perguntava Mika batendo em minhas costas.

_ Você novamente...  - Eu disse.

_ Novamente?  - Pergunta ela meio confusa.

_ Bom isso não interessa né? Afinal,  eu sou "eu". - Disse e logo me levantei fechando às garras mecânicas e acertando em cheio no estômago da garotinha pequena. Ela começou a gritar e se contorcer de dor quando eu apertava e arrancava suas tripas fazendo um buraco em seu estômago. Seus olhos ficaram brancos e logo começou a cospir seus pedaços arrebentados pelas minhas garras junto do sangue que vaza pelos seus olhos.

_ Eu apenas irei seguir em frente. - Assim eu disse pisando na cabeça de Mika.




19:45.....
     Chegando ao enorme salão onde às telas estavam ligadas passando às mesmas notícias  de tragédia os soldados de antes me encontraram novamente e assim disse às mesmas coisas.

_ Ei!!  - Chamou,  um homem com mais dois ao lado segurando armas de fogo em mãos.

_ Ah! vocês de novo.  - Dizia eu.

_ Suas mãos estão sujas de sangue,  é muito sangue não?  ...  Já faz quanto tempo que anda por essa área? - Perguntou um colocando seu dedo sobre o gatilho de sua arma.

_ Esse sangue?  Eu matei um deles na porrada. - Respondi.

_ Parece uma boa resposta...  - Disse o do lado.
_ Sim,  ele não parece ferido e nem nada... -Disse o outro.
_ Você não quer nos acompanhar para o refúgio?  Essas áreas é infestadas deles sabe?  Sem uma arma de fogo um dos grandes pode te matar...  Mesmo com uma armadura enorme como essas não da para se defender dos ataques dele. - Disse um estendendo a mão e abaixando a arma.

_ Tudo bem,  eu irei com vocês.

_ Ótimo me siga. - Disse o mesmo se virando junto com os outros dois.



Eu fiz novamente às mesmas coisas,  retiraram  minha armadura e fiquei apenas com o capacete colado em meu pescoço com aqueles malditos tubos,  porém naquela noite eu decidi deixar aquele grupo...



01:30 Noite.  Eu me levantei eu fui direto para os corredores,  no fundo do corredor onde levava para o caminho que já frequentei e o salão onde o pessoal se reune estava escuro e entre às paredes já tinha arranhões enormes. Porém bem mais ao fundo do corredor escuro dava para se ver um corpo com braços esticados até os pés e olhos brilhantes e azuis com um sorriso enorme estampado até às orelhas. Eu me virei e ignorei seguindo o corredor conhecendo o caminho "Inexplorado", eu não estava certo doque estava fazendo naquela noite extremamente "Bizarra" apenas continuei andando e logo dava Para ouvir os gritos de fundo das pessoas morrendo pelas tais "criaturas" que mal sei descrever como são. A única coisa que eu conseguia pensar era naquele ser enorme no fundo do corredor,  ele não estava me agradando de tal forma no meu pensar,  isso me deixou com calafrios além de não conseguir parar de pensar no mesmo.

_ SeU NoMe É DIn?  - Disse a criatura com uma máscara sobre os olhos e o cabelo apenas deixando o sorriso enorme de fora.

_ Me seguiu?  ... Quem é você?  - Perguntei.

_ Eu?






Eu não sei meu nome assim como...


VOCÊ.




Fim do capítulo 3

Notas Finais


Talvez na próxima semana quem sabe terá o capítulo 4. Espero que tenham gostado. Até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...