História Dissolver Love - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Ryan Butler, Zayn Malik
Personagens Jaxon Bieber, Justin Bieber, Lily Collins, Ryan Butler, Zayn Malik
Tags Drama, Segredos, Violencia
Visualizações 11
Palavras 3.367
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 28 - The Revenge


Merda, eu odeio ser tratada como uma criança, Justin sumiu e estou aqui nesse quarto sem poder fazer nada, é cansativo ter que ficar assim, e cansa ainda mais quando você se limita, que droga! Não aguento isso mais, mas ao mesmo tempo Justin e nossos filhos é tudo o que tenho agora-Está pensando no que?-diz uma voz rouca-

-Em como é cansativo não fazer nada-bufei-

-Babi, você precisa disso-diz Justin sério-

-Só ando ouvindo isso-digo suspirando-

-Amor, olha precisamos ser fortes, você não pode ficar assim-diz Justin se sentando na cama-

-Não é fácil isso tudo Justin-digo olhando para a cama-

-Babi olha para mim-diz Justin levantando meu rosto-

-O que foi?-pergunto olhando nos olhos de Justin-

-Você não tem que ficar assim, sua vida nunca foi fácil Babi, mas você não tem que desistir agora-diz Justin simples-

-Eu sinto que estou me destruindo e que ninguém pode impedir isso-digo encarando meus pés-

-Barbara você não está fazendo isso, ei chega disso-diz Justin me abraçando-

-Tudo bem-digo suspirando-

-Agora você tem comer-diz Justin indo em direção a uma mesa-

-O que é isso?-pergunto curiosa-

-Algo que você gosta, ou pelo menos gostava-diz Justin trazendo uma bandeja-

-Não gosto de comida surpresa-digo cruzando os braços-

-Nem se for essa?-diz Justin me mostrando a comida-

Eu não acredito que são burritos, não me lembro quando foi a última vez que comi burritos, e parecia ter uma caixinha perto deles, o que é? Justin parece estar feliz

-Eu não acredito eu amo burritos-digo dando um sorriso-

-Sabia que iria gostar, essa caixinha é do seu pai-diz Justin me entregando a caixinha-

-Sinto a falta dele-digo passando a ponta dos meus dedos sobre a caixinha-

Justin me olha, abro a caixinha e era um colar com o meu nome dou um sorriso, mas não tinha somente isso, tinha um pequeno envelope o abro e vejo que é um anel, um anel de 15 anos, o qual nunca recebi pelo fato de que aquelas cretinas, iam atrás do meu pai e de mim, eu ainda vou dar o que elas merecem-Você gostou?-uma voz intenrrompe meus pensamentos-

-Eu amei-digo colocando o anel em um dos meus dedos-

-Eu vou tomar um banho-diz Justin dando uma piscadinha para mim-

-Justin tenho um pedido a fazer-digo inquieta-

-Se estiver ao meu alcance, eu o realizo-diz Justin cruzando os braços-

-Quero que você me leve até onde está minha mãe e minha irmã-digo suspirando-

-Barbara, não, não, não e não-diz Justin surpreso-

-Justin eu preciso saber o porque delas terem o matado-digo levantando os braços-

-Babi por que isso?-pergunta Justin indignado-

-Porque eu quero ver e sentir o medo delas, eu quero me vingar, mas ao mesmo tempo quero ouvir um pedido de perdão-digo pegando um burrito-

-Babi, amanhã conversamos sobre isso-diz Justin indo para o banheiro e fechando a porta-

O por que disso agora ? Por que Justin não deixou eu me vingar ? Eu não o entendo, se fosse antes, ele assinaria em baixo, agora isso não está acontecendo, a algo de errado, e isso não vai ficar assim. Me levanto da cama jogando a coberta para o lado, e caminho até o banheiro, abrindo a porta sem fazer barulho, e fecho a mesma, ao entrar vejo Justin de costas lavando seu cabelo, o olho de cima a baixo, e logo tiro a minha roupa, abro o box com cuidado e antes que olha-se eu o abraço por trás, ele termina de lavar seu cabelo, o solto e ele se vira para mim.

-O que você está fazendo aqui ?-pergunta Justin me olhando de cima a baixo-

-Apenas indo tomar um banho com você-digo olhando em seus olhos-

-Tomar banho comigo, sei-diz Justin me puxando para perto dele-

-Estou falando a verdade-olho maliciosa-

-Acredito em você-diz Justin colocando suas mãos em minha cintura-

Não digo mais nada, apenas o beijo, suas mãos descem até chegarem em minha bunda, no meio do nosso beijo o empurro para debaixo do chuveiro, Justin me olha mordendo seus lábios, o beijo novamente, minhas mãos pecorrem por seu peito, paramos o beijo por falta de ar, encosto minha cabeça no peito do Justin... Justin passa suas mãos em meus cabelos, mas por um momento para, o encaro e o vejo pegando o shampoo...

-Vira vou lavar esse seu cabelo mona-diz Justin fazendo voz de gay-

-Cortando para os dois lados Bieber?-digo soltando uma risada-

-So torço para um time gatinha-diz Justin dando um tapa em minha bunda-

-Achei que era para os dois-digo me virando de costas-

-Nossa Babi, que cabelo imundo-diz Justin passando o shampoo em meu cabelo-

-Acha que cuidar disso tudo é fácil?-pergunto me refirindo ao meu cabelo-

-Não, mas as vézes é bom lavar-diz Justin massageando meu cabelo-

-Vai a merda-digo mostrando o dedo do meio-E você me viu lavando o meu cabelo?-pergunto cruzando os braços-

-Se te vê transando, logicamente te vi lavando seu cabelo-diz Justin enxaguando meu cabelo-

-Quando você nunca me observou?-pergunto curiosa-

-Eu sempre te observei, nunca tirei os olhos da minha Babi-diz Justin com um tom de posse-

-Pensei por um momento que você uma vez na vida nunca me observou-digo soltando meus braços-

-Eu disse que iria proteger você, e é isso que vou fazer-diz Justin passando mais shampoo no meu cabelo-

Assim que Justin disse isso, um frio pecorreu minha espinha me fazendo se arrepiar

-Ela se arrepiou-diz Justin soltando uma risada fraca-

-Claro, eu lembrei quando você me dizia isso enquanto era um anjo-digo mordendo meus lábios-

-Você ainda não apagou essa parte minha, e não entendo-diz Justin confuso-

-Muito menos eu-digo confusa-

-Depois pergunto minha mãe sobre isso-diz Justin simples-

-Tudo bem-digo concordando-

-Babi, você já quis ter algo com Ryan?-pergunta Justin-

-Sim, mas isso foi depois que você "desapareceu" da minha vida-digo engolindo minha saliva-

-Você sempre foi dp tipo de seguir em frente-diz Justin enxaguando meu cabelo-

-Sim, eu não podia me prender a algo que não existia mais ou melhor dizendo achando que não teria mais nada-digo suspirando-

-Você estava certa, apesar de eu ter arruinado alguns encontros seus-diz Justin me virando-

-Eu sabia que era você-dou um tapa no peito do Justin-

-Eu estava com ciúmes-diz Justin dando um beijo em minha testa-

-Você sempre foi assim-digo convecida-

-Mas é orgulhosa-diz Justin balançando a cabeça-

-Mas o que você fazia e tinha com a Ariel?-pergunto encarando seus olhos-

-Você quer saber disso?-pergunta Justin engolindo sua saliva-

-Sim, você quis saber de mim e do Ryan, agora minha vez de saber sobre você e a Ariel-digo firme-

-Está bem, mas vamos sair do banheiro-diz Justin concordando-

Assenti com a cabeça, e logo Justin fechou o chuveiro, abri a porta do box e sai, tinha uma toalha sobre a pia, a peguei e a enrolei sobre o meu corpo, Justin me observa, dou um sorriso e abro a porta do banheiro, e vou rumo a um guarda-roupa, pego uma camisola branca com algumas costuras pretas, esta daqui usei quando eu e Justin transamos pela a primeira vez, pego uma calçinha preta e a visto.

-Eu me lembro muito bem dessa camisola-diz Justin malicioso-

-É claro que você se lembra, você se lembra sempre de tudo-digo em rumo a cama-

-Tudo é exagero-diz Justin abrindo o guarda-roupa-

-Disse apenas a verdade-digo mordendo um burrito-

Justin troca de roupa, enquanto como meus burritos, que saudades dessas coisas maravilhosas assim que termino coloco a bandeja sobre uma mesa, volto para a cama e coloco meu anel no envelope, os coloco de volta na caixinha, abro uma gaveta de uma comoda perto da cama e guardo a caixinha antes dou um beijo nela, pego o colar e guardo em um porta-joais que meu pai me deu e volto para a cama

-Você está linda-diz Justin arrumando seu travisseiro-

-Eu sempre fui-mando um beijo para Justin-

-Está bem, mas agora você quer que eu fale da Ariel?-pergunta Justin me encarando-

-Sim, desde o inicio-digo cruzando os braços-

Justin suspira e começa a me contar desde o inicio... Justin e Ariel se conheceram no texas palace um dos bares mais famosos de Miami, Justin tinha acabado de se tornar em um demônio e Ariel logo se interresou por ele, os dois conversaram, até que Justin sentiu em Ariel o que ele não sentia, maldade, perversidade, destruir qualquer um que chega-se em seu caminho, ele sentiu nela um lugar seguro, um lugar que era sua casa, sentiu que ela era sua garota, mas que ainda eu existia nele, em alguma parte, ele queria ela, mas tinha receio até que uma hora ele não sintia mais vontade de ter a Ariel, e foi ai que ele decidiu se tornar uma sombra, uma voz, Ariel não aceitava o fim deles, mas Justin apenas queria saber de mim. Mesmo se relacionando com outra garota, o seu supremo aceitou seu pedido e assim ele ficou por um tempo, até que decidiu aparecer novamente. Ariel procurava por Justin, se afundou nas bebidas, e não dormia por pensar em Justin, até que isso foi a destruindo e a tornou no que ela é hoje, Justin me observava e eu sentia isso, mas não sabia como, sua voz me deixava louca e agora estar com ele, descobrir o porque da Ariel ser assim, é novo.

-Ainda tem mais coisas-diz Justin-

Justin continua, enquanto ele estava com Ariel, ele a agredia, e a maltratava muito, as vézes a deixava roxa, mas Ariel não ficava para trás, ela o torturava dizendo "Você é um merda, você ainda ama a Barbara, você é um inútil" E sempre que isso acontecia ele saia atrás de mim, até que uma noite enquanto dormia ele me fez a marca da lua, e fez daquele simbolo o meu rastreador e minha proteção.

-Você era explosivo-digo surpresa-

-Sim e fui com você, Babi você poderia ter perdido nossos filhos-diz Justin suspirando-

-Isso já foi, esquece-digo colocando as mãos no rosto do Justin-

-Vou tentar pequena-diz Justin deitando-

-Vamos conseguir enfrentar isso juntos-digo firme e me deitando-

Justin me puxa para perto dele, e interlaça nossas mãos, dou um beijo em cada uma e fecho os olhos

[...]

Sinto uma luz invandindo meus olhos abro eles piscando, e vejo Justin abrindo as cortinas bocejo e o vejo com um sorriso no rosto

-Bom dia dorminhoca-diz Justin-

-Bom dia, que horas são?-digo me espreguiçando-

-10:00 horas-diz Justin simples-

-Você me acordou as 10:00 da manhã?-pergunto jogando o travisseiro pro alto-

-Quer uma vida de princesa agora é?-pergunta Justin-

-Bem que eu gostaria-digo dando um sorriso-

-Vai continuar querendo-diz Justin vindo em minha direção-

-Você é um pé no saco-digo me deitando novamente-

-Se quiser ir ver sua mãe e sua irmã, é melhor se arrumar-diz Justin sentando na cama-

-Algum bicho te mordeu?-pergunto arqueando uma sombrancelha-

-Não, vou te esperar na cozinha-diz Justin dando um beijo na minha testa-

Justin sai do quarto, me levanto da cama e vou rumo ao banheiro, ao abrir a porta vejo que tem uma toalha sobre o box, a deixo no mesmo lugar, tiro minha camisola e minha calçinha e jogo no cesto de roupa suja, entro no box e ligo o chuveiro abaixo minha cabeça, e deixo a água cair sobre minha nuca e sobre as minhas costas, a levanto novamente, e encaro a água caindo, pego a bucha e o sabonete e passo por todo o meu corpo, coloco a bucha e o sabonete no lugar que encontrei e pego o shampoo que está em uma prateleira, o passo umas quatros vezes e termino passando um condicionador, assim que termino meu banho, vou em rumo a pia, encontro algumas escovas e pego uma, penteio o meu cabelo, assim que termino pego uma gominha de cabelo e o amarro, enrolo a toalha em meu corpo, e abro a porta do banheiro, vou até o guarda-roupa e assim que chego nele, jogo a toalha no chão, abro a porta do meio, e vejo algumas camisetas, calças e alguns tênis meus na parte superior, pego uma camiseta sem manga cinza com um desenho de lua, uma calça jeans rasgada no joelho e coloco sobre a cama, pego um tênis preto e o coloco perto da cama, fecho a porta do meio e pego um sutiã, um calçinha, e um par de meias os jogo sobre a cama, abro uma porta perto da meia e pego um desodorante o passo e fecho a porta, coloco meu suitiã e visto a calçinha, vou até a cama e pego a blusa, a visto, logo em seguida visto a calça, pego a meia a calço e logo em seguida calço meu tênis e o amarro, ao ficar pronta, vou até a porta perto da do meio e pego uma base, um rímel, e um pincel para base, vou até o banheiro, passo a base e ao terminar passo meu rimel, lavo minha mão e fecho minhas maquiagens, as guardo no mesmo lugar, abro a porta do quarto e caminho até as escadas, as desço, e vejo Justin na cozinha.

-Desde quando você cozinha?-pergunto indo em direção a um balcão-

-Tem pouco tempo que cozinho, mas olha minha comida é uma maravilha-diz Justin orgulhoso-

-Quero só ver essa gororoba, mas então o que está fazendo?-pergunto curiosa-

-Bacon, ovos e na geladeira tem uma torta que minha mãe fez para você-diz Justin simples-

-Amo torta, mas vou comer primeiro a comida do meu futuro marido-digo dando um sorriso-

-Aqui está, não espero que goste, porque sei que vai gostar-diz Justin orgulhoso-

-A cara está boa, mas o gosto pode não estar-digo olhando o prato-

-Ia me esqueçendo do garfo e da faca-diz Justin abrindo uma gaveta-

-Como sempre é esquecido-digo batemdo meus dedos no balcão-

-E como sempre você sendo uma irritante-diz Justin me entregando o garfo e a faca-

-Obrigado, ser chato-digo cortando o bacon-

-De nada, e vê se come tudo-diz Justin mandão-

-Está mandão demais para o meu gosto-digo mordendo o bacon-

Justin me observa comendo, e odeio isso, mas ele não move se quer um dedo, e tenho que adimitir a comida está uma delicia, até que ele cozinha bem, termino de comer e arredo o prato Justin me olha vitorioso e logo reviro os olhos

-Onde está o banheiro?-pergunto simples-

-No corredor perto da sala-diz Justin me mostrando-

Me levanto e vou até o tal banheiro, chegando lá eu escovo os meus dentes, e saio novamente, ao sair vejo Justin encostado em uma parede do corredor

-Já comeu?-pergunto me aproximando-

-Sim, você quer realmente fazer isso?-pergunta Justin-

-Sim é isso que eu quero-digo suspirando-

-Então vamos-diz Justin pegando minha mão-

Não digo mais nada apenas deixo Justin me levar para fora, sinto como eu estivesse indo a algum lugad incrivel pela a primeira vez e eu não deveria sentir uma sensação boa diante a duas pessoas que levaram uma pessoa importante para mim, meu pai seria um ótimo avô se não fosse por essas malditas, Justin dirige enquanto eu estou pensando nessas coisas, elas poderiam ser minhas amigas, mas ao invés disso, elas prefiriram serem os meus monstros, eu sinto tanta raiva de cada uma, e agora elas não sabem o que esperam por ela, elas não imaginam o que essa nova Barbara tem, mas se sabem e se imaginam é melhor ainda, Justin chega onde essas cretinas estão presas, fecho os olhos e respiro fundo, ouço um barulho de porta se fechando, abro meus olhos novamente e abro a porta do carro, fecho a mesma em seguida e dou as mãos a Justin, ele me olha por alguns segundos e logo me conduz até a entrada do presídio Black North, a alguns guardas que nós olham de cima a baixo, Justin parece conhecer o lugar, paramos em um lugar e um homem vem em nossa direção

-Senhor Delegado Chaz-diz Justin simples-

-Olá jovens o que trazem você aqui?-pergunta o homem-

-Barbara quer ver a mãe dela e a irmã-diz Justin apertando minha mão-

-Você quer ve-las realmente senhorita?-pergunta o homem surpreso-

-Sim, eu não aguento mais ficar sem saber o que aconteceu-digo suspirando-

-Está bem, venham comigo-diz o homem-

O homem começa a andar e logo Justin faz o mesmo, a guardas por toda parte, aperto a mão de Justin, e ele faz carinho em minha mão, me acalmo por um instante, depois de um tempo andando chegamos em uma porta com algumas travas o homem pede para que um guarda a abri-se e assim ele fez, passamos por ela e caminhamos um pouco mais, até chegar a uma sala, e paramos por ali mesmo

-Irei busca-las se sintam a vontade-diz o homem saindo da sala-

-Queria mata-las agora mesmo-digo inquieta-

-Barbara calma-diz Justin me abraçando-

-Estou tentando ter-digo simples-

-Aqui estão elas-diz uma voz-

-Olha quem veio nós ver-diz minha irmã irônica-

-Por que vocês mataram meu pai?-pergunto fechando minhas mãos-

-Ela quer o saber, tadinha dela mãe-mãe-diz minha irmã irônica-

-Cala a boca Caroline-diz minha mãe-

-Respondam logo!-digo alterada-

-Pelo o dinheiro Barbara, pela a relação dele com você, seu pai sempre te apoiou, sempre deu o que você queria, sempre te levava a lugares escondidos de mim-diz minha mãe-

-Esse não é o motivo, me responda de uma vez-digo alterada-

-Seu pai é um fraco assim como você Barbara, vocês dois sempre vão ser fracotes-diz minha mãe-

-Não fala assim do meu pai-digo rosnando-

Por algum motivo a luz da sala começou a piscar, elas me olharam assustadas, Justin não disse e muito menos fez algo para me impedir, o delegado parecia não ligar para isso

-V-ocê se tornou em d-êmonio?-pergunta minha mãe assustada-

-Está com medo mãe-mãe, cade sua filinha para te proteger agora-digo me aproximando dela-

-Barbara não faça nada comigo ou eu...-a intemrrompo-

-Me mata?-pergunto ameaçadora-Tenta colocar um dedo em mim que corto a sua garganta vadia-digo apertando o pescoço dela-

-Barbara solta ela-diz minha irmã apertando o meu braço-

-O recado está dado-digo soltando o pescoço da minha mãe-

-Você é uma vadia-diz minha irmã mordendo meu braço-

-Você é uma estúpida-digo dando um tapa na cara da minha irmã-

-Você vai pagar caro por isso-diz minha irmã colocando a mão em seu rosto-

-E vocês pagaram mais ainda-diz o homem-

-O que você vai fazer com a gente-pergunta as duas-

-É tão obvio isso, deixar a Barbara matarem vocês duas-diz o homem ameaçador-

-Você está querendo brincar comigo?-pergunto me virando para o homem-

-Não estou Barbara, estas duas estam me causando grandes problemas-diz o homem encostando em uma mesa-

-Babi, ele é um de nós-diz Justin-

-Como podemos confiar nele?-pergunto arqueando uma sombrancelha-

-Ora cara Barbara, eu conhecia seu pai, ele nunca soube que eu era um demônio, você nunca chegou a me conhecer, seu pai vinha escondido aqui, ele sempre pediu para que se algo acontecesse com ele, que certamente eram as duas, achava que era loucura, mas seu pai sempre esteve certo-diz o homem simples-

-Adoraria mata-las, mas ainda não quero manchar minhas mãos de sangue, quem sabe outra hora-digo simples-Mas como você conheceu o meu pai?-pergunto curiosa-

-Seu pai e eu eramos amigos quando adolescentes, mas nós separamos depois, ele se mudou com seus avós, para ca, enquanto eu morava ainda em Boston com meus pais, mas após um ano eu mudei para cá, estava decidido a fazer faculdade de advogacia, e o encontrei no dia que iria me matricular-diz o homem-

-Por que meu pai decidiu te procurar?-pergunto seca-

-Ele sabia que tanto sua mãe quanto sua irmã o poderia mata-lo, então ele veio até a mim-diz o homem simples-

-Seu pai não era tão tolo assim-diz minha mãe-

-Sua vadia-digo dando um tapa na cara da minha mãe-

-Barbara você tem a chance de mata-las agora-diz Justin simples-

-Quer saber, não vou deixar vocês nessa vida e muito menos nesse mundo vou manda-las de onde eu vim-digo mordendo os lábios-

Minha irmã e minha mãe começam a andar para trás até que elas batem as cabeças na parede, o medo pecorria a alma de cada uma, isso me excitava e ninguém sabia o quanto, Justin se aproxima e o homem olha com uma cara de vitorioso, sem esperar algo, parto para cima da minha mãe e logo em seguida da minha irmã, Justin me olha com um sorriso no rosto, não me importo em comer partes do seus corpos, então deixo que Justin e o homem faça o serviço, Justin tira o coração da minha mãe e me da, o olho e rejeito, ele me olha e come aquele coração na minha frente

-Podemos ir embora-digo simples-

-Claro que podemos, mas precisamos lavar nossas mãos-diz Justin se levantando-

-Eu levo vocês até o banheiro-diz o homem se levantando-

-E os corpos onde vão ficar?-pergunto olhando para minha mãe e para minha irmã-

-Irão para o incenerador-diz o homem confiante-

O homem começa a andar e nós leva até um banheiro, lavo minhas mãos e as seco, Justin faz o mesmo, lavando sua boca também, o homem nós observa, assim que acabamos seguro na mão de Justin, não confio nesse Chaz, ele interlaça nossos dedos e começa a seguir o homem até a saida daquele lugar, ao sairmos um vento vem sobre meus cabelos, fecho os olhos por um instante e respiro. Que vocês aproveitem o inferno vadias.


Notas Finais


continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...