História |• Entre o Passado e o Futuro•| (IMAGINE JIN) - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Rap Monster, Rosé, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Drama, Kim Seokjin, Romance
Visualizações 29
Palavras 3.234
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


∆Não demorei pra postar∆

POSSO OUVIR UM AMÉM IRMÃOS? Não? Aaah okay então...

Oi oi gente, então eu corri com esse capítulo, porque minha inspiração e eu estamos nos reconciliando aos poucos.

Espero que gostem e possam morrer do coração como eu morri escrevendo.

Boa Leitura^°^

Capítulo 14 - |•Felicidades•|


Fanfic / Fanfiction |• Entre o Passado e o Futuro•| (IMAGINE JIN) - Capítulo 14 - |•Felicidades•|

 "Um... BEIJO?!! Porque ele me beijou?"

Empurrei o homem e sai correndo pelas escadas, abri a porta da sala me deparando com um criatura toda de preto.

-Vai à algum lugar? - Era Klear apontando duas armas para minha cabeça.

O homem parou no meio da escada e ficou nos olhandando.

-Vai pra trás - Ela odernou e eu obedeci assim que ela viu o homem apontou a arma para ele também - Passeando sem a minha permissão Kim Seokjin?

"É QUEM?" meu sangue gelou e eu olhei para o homem. As luzes ligaram novamente então pude ver melhor a loira. Seu cabelo e estava preso em um rabo de cabo, estava também com uma maquiagem forte, vestida com um macacão de couro colado em seu corpo e um salto alto grosso.

-Fica longe dela! - A voz de "Jin" saiu mais grossa por sua boca estar coberta pela gola alta de sua blusa preta.

-Cala a boquinha - A menina irônizou e destravou a arma apontada para mim - Você acabou de acabar com a sua famíliasinha Jin... Se arrependa pro resto da vida - Ela me olhou colocando a arma na minha testa e eu permaneci imóvel, fechei forte os olhos e engoli a seco.

(POV JIN ON)

Meu sangue gelou por completo quando Klear puxou a trava da arma direcionada em (S/N). "Eu preciso fazer alguma coisa... Pensa Jin, pensa..." - Você acabou de acabar com a sua famíliasinha Jin... Se arrependa pro resto da vida.

"Na verdade... Não pensa!"

Pulei da onde eu estava sobre Klear e nós caímos no sofá. Ela girou o corpo e nós caímos no chão, acertando um soco forte no meu rosto ela se levantou e correu até (S/N) que, quando olhei, não estava mais lá.

Corri atrás dela e segurei seus braços, ela apontou a arma para mim e me olhou.

-Mais um passo e eu te mato...

Vi (S/N) se aproximar atrás dela com uma garrafa de vidro, a loira olhou para a mesma e apontou a outra arma para ela também. Em um movimento rápido dei uma rasteira nela fazendo ela cair no chão. Um som alto de tiro foi a última coisa que eu ouvi.

-NAAO!

(POV (S/N) ON)

Pois em meio há tantas armas, a fé ainda é a que se mostra mais eficaz. Naquele momento me lembrei de tudo. Meu pai e minha mãe, como eu os amava, apesar de tudo o que aconteceu. Os meninos, como eles me ajudaram a ficar bem quando meu mundo estava uma guerra incansável. As meninas apesar de não saber nada dela, eu me lembrava de todos os momentos juntas... De quando recebia e dava abraços, de quando secamos as lágrimas umas das outras nos momentos difíceis, quando ficávamos horas e horas fofocando sobre alguma coisa que aconteceu no relacionamento, elas eram incríveis. O Jin aquela pessoa complicada, esfomeada e fofa, que sabe a hora certa de te abraçar, te dar sermão, de ficar bravo e consolar, aquela pessoa que sabe como te completar sendo ele mesmo. E também tinha meus bebês, sempre imaginava eles me pedindo ajuda com a lição de casa, me falando algum problema que teve no dia e eu os ajudando, o meu pequeno príncipe na adolescência pedindo conselho para o Jin de algum assunto com meninas, e a minha princesinha arrasando vários coração com sua beleza... Era gratificante ser mãe, mesmo eles ainda não tendo nascido.

Mas eu não sabia se tudo isso não passaria de uma mera lembrança depois de hoje. Uma lembrança que, apesar de boa, doeria em mim.

Caí de joelhos e tombei de lado conseguindo ver somente Jin, como um borrão, fazer alguma coisa com Klear e logo a menina cair no chão e assim ficar. Meu corpo foi levantado por Jin murmurando alguma coisa que eu não conseguia ouvir o que era. Umas pessoas de branco chegaram e me colocaram em alguma coisa macia, porém fria; senti uma picada em meu braço então logo depois tudo ficou escuro.

Passado um tempo, senti me cortarem logo em baixo da minha barriga. A dor era insuportável, ardia e lateja até mesmo cada músculo do meu corpo, mas o mais curioso era que eu não conseguia me mecher, não conseguia ouvir direito as coisas em volta de mim, eu não fazia a mínima ideia em que situação me encontrava só sentia que precisava ficar consciênte como podia.

Me obriguei a sentir cada sensação daquele momento para tentar permanecer consciente.

Senti algo se mecher dentro de mim então logo depois o retirarem, a sensação se repetiu pouco tempo depois. Eu não aguentei mais, meu corpo todo doía, o cansaço se fez presente tanto fisicamente quanto mentalmente, a escuridão tomou conta de mim novamente e eu apaguei.

"-... Precisamos conversar - Ele permaneceu sério.

-O que aconteceu? - Eu disse o olhando.

-Aconteceu que eu não quero mais você! Nunca quis de verdade, nem você e muito menos esse feto que está aí dentro - Cobri minha barriga com os braços - Você é suja e patética, não serve pra mim. Eu vou crescer na vida tanto profissional quanto pessoal e eu não vou deixar você atrapalhar tudo! Eu mereço coisa muito melhor que você, então vai embora pra bem longe de mim.

Começou a chover forte, então ele se virou e saiu de lá. Soltei minha mala e três lágrimas se juntaram com as gotas da chuva. De joelhos nos chão, eu gritei.

-Porque? - Falei tomando fôlego por conta do choro - O QUE FOI QUE EU FIZ? - Falei colocando as mãos na minha cabeça. Fechei as mãos como se fosse dar um soco em alguém, mas me obriguei a não perder o controle e fazer alguma burrada, olhei para a direção em que ele partiu e respirei fundo. "Eu nunca vou te perdoar... Kim Seokjin"."

Abri os olhos com uma sensação estranha, não ruim, mas diferente. Olhei em volta e não vi ninguém. "Eu tô em um hospital?!". O quarto tinha um ar aconchegante, as paredes tinham a cor creme, havia uma mesinha com um copo d'água e um remédio em um pratinho, uma luz branca bem forte, um sofá para duas pessoas perto da porta, uma poltrona do lado da minha cama, um armário embutido de madeira e uma janela com uma cortina me impedindo de ver através, olhei para o outro lado e haviam duas incubadoras, uma do lado da outra, com dois bebezinhos dormindo calmamente.

Suspirei em surpresa e deixei lágrimas caírem, tentei me levantar, mas uma forte dor se fez presente e me minha barriga; gemi baixo em reprovação. Tirei o cobertor de cima de mim e me obriguei e me sentar na cama, a dor era muito forte então fiquei parada alguns instantes para a dor passar. Nesse momento a porta foi aberta revelando uma criatura alta carregando várias bolsas grandes, inclusive segurando uma delas com os dentes.

-Oi pequena - Jin disse entre dentes abrindo um sorriso encantador. Com a luminosidade clara do quarto, dava para imaginar claramente um anjo sorrindo para mim e pela primeira vez em muito tempo senti uma alegria grande me invadir.

-Vai logo papai - Jin foi empurrado para frente por um Jimin ruivo com um sorriso brincalhão - Gente a (S/N) acordou! - Ele disse meio alto e correu até mim me abraçando apertando, cheguei a pensar que meus ossinhos iam se partir em três.

-Eu vou colocar você para fazer esse bebês dormir se eles acordarem com os teus berros - Disse Suga em um sussurro - Cê não sabe o trabalho que da fazer isso - O branquelo empurrou Jimin e me abraçou apertado também, mas não como o ruivo. Hope chegou com um sorriso brincalhão nos lábios e me abraçou depositando um beijo na minha bochecha.

-Fiquei preocupado com você... Nunca mais faça isso! - Ele apontou o dedo bem perto do meu rosto totalmente sério, mas logo sorriu de novo. O mesmo foi empurrado por Jungkook que me abraçou tímido.

-Pensei que ia te perder Noona - Ele afundou o rosto no meu pescoço e eu acariciei seu cabelo.

-Ta tudo bem - Segurei seu rosto com um sorriso - Eu tô bem agora.

Foi a vez de V. Ele segurou meu rosto, com um sorriso quadrado, amassando minhas bochechas fazendo eu ficar com um bico de peixe.

-Nunca. Mais. Faz. A gente. Ter. Um. Ataque. Do. Coração. Ta bom? - Ele girava minha cabeça de um lado para o outro a cada palavra, e o tom de ironia em sua voz era engraçado. Ele me abraçou apertado "O que que deu nesses meninos?" e logo me soltou. Namjoon se colocou na minha frente e segurou minhas mãos.

-Nós ficamos preocupados com você (S/N). Eu sei que foi uma fase difícil, mas agora todos nós vamos te proteger - Sorri com as belas palavras e o puxei para um abraço demorado, depois de um tempo ele me soltou e beijou minha testa - Pessoal vamos deixar o casal conversar à sós - Ele disse arrastando todos para fora do quarto.

(POV JIN ON)

Coloquei as mãos no bolso quando todos saíram e respirei fundo. A olhei e ela olhava os bebês na direção contrária de mim, andei até ela parando em sua frente, levantei seu rosto pelo queixo e olhei em seus olhos.

-Nunca te traí... - Meus olhos marejaram, mas ela permaneceu imóvel - Sempre te amei... E isso nunca mudou - Ela sorrio colocando suas pequenas mãos em minha cintura.

-Assim que eu vi aquela doida apontando as armas pra mim montei todo o quebra cabeça. Ela te chantageava dizendo que iria me matar se você não ficasse com ela... Não é?

Assenti tristonho.

-Seria inconveniente da minha parte pedir para nós só esquecermos tudo isso?

-Não, na verdade é o certo a se fazer agora - Seu sorriso angelical iluminou seus lábios. Segurei seu rosto e puxei para um beijo calmo e repleto de saudade.

Ela envolveu meu pescoço com os braços e intensificou o beijo, logo minha língua estava vasculhando cada parte de sua boca, ela apertou meu cabelo não muito forte e eu fiz o mesmo. Depois de um tempo ouvi alguém atrás de mim reclamar e logo depois choramingar, sorri e olhei para os bebês, o menininho coçou o narizinho todo sem jeito é virou para o lado logo voltando a dormir.

-Te amo - Minha voz foi quase um sopro ela sorrio e me deu um selinho abraçando minha cintura e voltando a admirar nossos bebês.

(POV JISSO ON)

-Sai! Moça sai da frente por favor! Com licença pelo AMOR de Deus - Eu falava empurrando o multirao de pessoas que andavam na minha frente igual lesmas. Avistei Hoseok e sorri alegre - HOBIE!! Ahhhhhhhh - Gritei para mim mesma balancando as mãos toda alegre e disparei em sua direção, pulei em seu colo e o abracei apertado o enchendo de beijos - QUE SAUDADE... - Continuei o enchendo de beijos - QUE EU TAVA... - Ainda o atacando em beijos - DE VOCÊ! - O abracei apertado em quanto ele ria todo abobalhado.

Depois que (S/N) sumiu igual os meninos eu e as meninas entramos para uma agência chamada YG, ficamos um bom tempo sendo Trainees e esse ano debutamos. Nós não assinamos o contrato que nos impedia de ter um relacionamento e assim que Hope me mandou mensagem explicando tudo o que tinha acontecido, não pensei duas vezes para pegar um vôo para a cidade e o encontra-lo. Como ele conseguiu meu número? "Não foi muito difícil, só hackeei o sistema que contém todas as informações dos Trainees da YG" essas foram suas palavras.

Olhei em volta e Jungkook e Lisa ainda se abraçavam igual bobos. Jimin e Jennie se agrravam no meio do aeroporto mesmo. Rosé e Suga... Tá chorando?! Sim, Yoongi chorava como um bebê sem controle, abraçando e dando pequenos selares em Rosé que ria alegre de sua reação. Por falar em bebês...

-Cade a (S/N)? E os bebês? Cade eles? - Falei vasculhando cada centímetro do local depois que desci de cima dele.

-Yah! Você tem que dar atenção pra mim - Ele disse virando meu rosto e me dando um beijo.

Depois de um tempo avistei (S/N) segurando a mãozinha de um menininho e Jin carregando uma menininha de vestidinho no colo.

-Ahhhhhhhhhh meus sobrinhos - Jennie correu até eles e abraçou forte (S/N) eu e o resto das meninas fizemos o mesmo uma de cada vez, depois abraçamos Jin.

-Que coisa mais fofa gente - Disse Lisa pegando o menininho no colo, Jungkook chegou perto dela e começou a brincar com a mãozinha dele.

-Que vontade de morder - Rosé cheirou o pescoço da bebêzinha que sorrio toda fofa e Jennie fez o mesmo só que do outro lado. Juntei as meninas para mais perto e comecei a brincar com os dois bebês.

(POV JIN ON)

Depois de um tempo (S/N) foi com as meninas e eu fiquei no canto com os meninos. Cutuquei Jungkook disfarçadamente, o mesmo se curvou para trás deixando sua orelha livre.

-Ja tá tudo pronto? - Susurrei e ele assentiu com a cabeça, enfiou a mão no bolso e me entregou "a coisinha". Sorri de canto e um tempo depois, como previsto, o aeroporto se encheu de paparazzis e fans. As meninas assustadas correram até nós, abracei ela e sorri.

-Calma, não vou deixar ninguém te machucar - Disse Yoongi abraçando Rosé - Apenas sorria para as câmeras.

-Eles não sabem que estamos com vocês - Disse Lisa se afastando um pouco de Jungkook que sorrio e a puxou pela cintura de volta.

-Não seja por isso - Disse Jimin grudando na cintura de Jennie e a colocando de lado, igual aqueles filmes tradicionais, então a beijou.

Todas as fans começaram a gritar e os flashes das câmeras dispararam. Uma moça me entregou um microfone, agradeci e puxei (S/N) até o centro de onde estávamos. O pessoal foi mais pra trás fecahndo um círculo e todos tinham a atenção virada para nós.

-Eu vou querer saber mesmo o que você tá fazendo? - (S/N) disse entre dentes com um sorriso lindo para as câmeras. Ela sabia ser mais fotogênica do que eu. Neguei com a cabeça e sorri, segurei sua mão e olhei em seus olhos.

-Oi princesa, sei que você deve estar com muita vergonha já que todos estão olhando, mas imagina eu - De começo ficou um silêncio, mas logo depois todos riram - Tem amor que parece que nasceu pra durar uma vida inteira, tipo o meu por você. Não tem como fugir: eu nasci para te amar.

-Jin o que...

-Xii eu tô inspirado - Nós sorrimos e eu continuei - Quero você todos os dias ao meu lado enfrentando tudo e a todos os problemas que tivermos. Quero te amar todos os dias. São todos os dia que você me prova, mais do que com promessas, que seu amor é meu. Hoje encerra-se o inverno e inicia-se a primavera, o dia em que as pessoas celebram a entrada de uma nova estação. Dita como a mais bela das estações. Eu e você celebramos a nossa primavera. As pessoas celebram a beleza das flores, com suas cores e fragrâncias, e eu celebro você, que veio fazer da minha vida uma primavera, para sempre! Uma primavera que eu jamais pudesse imaginar, com sua amizade, cumplicidade, respeito, carinho e amor, sem contar que nenhuma flor é tão linda e possui o aroma tão agradável! - Engoli a seco sentindo meu olhos merejarem - Mas eu sei que chegará o verão do calor intenso, o calor da paixão, a paixão que eu vivi no dia que eu te vi. E a cada amanhecer eu buscarei renovar esse calor, esse calor intenso da paixão. Mas eu sei que haverão dias que esse calor não será da paixão, e quando esse momento chegar prometo, com ajuda de Deus, lembrar sempre que você é minha primavera, e com isso buscarei te ouvir, amar e respeitar. Eu sei que chegará o outono, quando as cores já não têm mais brilho, o perfume já não paira mais no ar, quando tudo parece ser a mesma rotina: não há brilho no olhar, não há sorrisos estampados nos rostos. Nesse momento eu prometo, com ajuda de Deus, lembrar que você é a minha primavera. Buscarei trazer seu sorriso de volta, olhar no fundo dos seus olhos sabendo que o brilho dos seus olhos são eternos, mesmo sabendo que não são externos. Eu sei que chegará o inverno, quando as flores e as folhas estão secas, não há mais cor, onde as noites são frias e longas, quando parece que o frio é tão intenso a ponto de parecer que o nosso calor não é suficiente, mas eu prometo, com ajuda de Deus, lembrar que você é a minha primavera. Serei fiel a você, buscarei te esquentar com meus braços e buscarei com seu calor. O que me conforta é saber que depois do inverno volta a primavera - Nesse momento eu já me encontrava em prantos seguido da mulher a minha frente - Que Deus nos ajude para que nossas primaveras sejam sempre, sempre, sempre longas, que hajam motivos para flores e fragrâncias. Te amo hoje, te amarei enquanto eu viver! - Soltei o ar do meu pulmão e sequei as lágrimas que deslizavam abertamente sobre minha bochecha - Sabe... Não seria má ideia se você... - Me ajoelhei pegando uma caixinha de um tom vermelho aveludado - Aceitasse se casar comigo!

(POV KLEAR ON)

Estava passando com o meu prato de gosma até o refeitório quando ouvi a vóz de Jin na TV, voltei alguns passos e vi o polícial na frente.

-DAK DÁ LICENÇA PELO AMOR DE DEUS - Falei me segurando nas grades.

-Como quiser - Ele sorrio irônico e saio da frente. Na pequena TV estava "AO VIVO" no canto da tela.

•...Aceitasse se casar comigo!•

Minha boca se abriu em um perfeito "O". Aquela vagabunda assentiu com a cabeça, ele colocou o anel no dedo dela e se beijaram. Desviei o olhar e joguei o prato longe.

-NAAAAAAAAAAAAO! - Eu gritei me ajoelhando no chão em prantos.

-Isso que da forçar alguém a querer alguma coisa - DAK sorrio ironicamente e abriu a grade me pegando pelo braço - Vou ter que te punir agora - Ele lambeu minha orelha e eu revirei os olhos - Olha a bagunça que você fez... Vou ter que me responsabilizar agora.

Ele sorrio de canto e me arrastou para dentro de uma sala escura, tirou meu jaleco laranja e o abaixou, me debruçou na mesa fazendo tudo que estava lá cair no chão. Ele acertou um tapa, que provavelmente ficaria vermelho, na minha bunda e logo tirou suas calças, colocou minha calcinha de lado e penetrou seu membro em minha intimidade, que não teve tempo de se lubrificar.

Em minha mão direita tinha um lápis bem próximo, o peguei e em um rápido movimento o acertei em sua garganta espirrando sangue no meu rosto.

- Isso que da forçar alguém a querer alguma coisa - Enfiei mais a fundo, fazendo mais sangue transbordar e ele caiu no chão, me vesti direito e peguei as chaves no seu bolso -Troxa - Sorri de canto e abri a porta.

"Nunca vou te perdoar pelo o que fez comigo, Kim Seokjin"


Notas Finais


TAPOHA que que vai acontecer?
Num sei.

Na moral mesmo eu não faço a mínima ideia do que escrever no próximo capítulo. Mas prometo que vou pensar.

Me perdoem os erros e comentem o que estão achando por favor. Obrigado pelos que favoritaram vocês são uns amorzinho.

Até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...