História ... for love! - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Jiraiya, Kakashi Hatake, Kiba Inuzuka, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shion, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Drama, Naruhina, Naruto, Romance, Samurai, Sasusaku
Visualizações 163
Palavras 2.848
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Como prometido! Um capítulo fresquinho...
Tive que encaixar alguns momentos na história, espero que gostem...
Boa leitura!! 😘

Capítulo 37 - Motivo


Fanfic / Fanfiction ... for love! - Capítulo 37 - Motivo

- Naruto

Hinata me deixou sem palavras, como conseguia falar todas aquelas coisas e sair fugindo. Minha vontade era ir atras dela, mas o que eu falaria? Para ela parar de pensar sobre isso, que todos tentaram e foi inútil? Mas com a Hinata é diferente, será que de algum modo conseguiria fazer, o antigo eu retornar?

Ainda estava divagando em pensamentos quando um dos secretários veio ao meu encontro novamente, tinha muitos assuntos a tratar pensaria nisso mais tarde. Assim que chego ao meu escritório, percebo que Yuuko já me aguarda.

– Estamos encrencados, sabe disso? – Yuuko falava andando de um lado para o outro, sem nem esperar eu fechar a porta. – Ela percebeu que eu menti, deu pra ver.

– Como sabe disso Yuuko? – Digo tentando acalma-la. – Hiashi realmente te consultou.

– Sim, mas Hime percebeu que havia algo mais. Ela tem um sexto sentido. – Disse por fim se sentando.

– Acho que eu o percebi hoje. Mas fique calma, será por pouco tempo.

– Naruto-sama, está longe de ser o que diz. Pelo que sei, demorará muito para que Hime possa saber tudo. – Disse suspirando, sem esperanças.

– Tenha um pouco de fé em mim Yuu-chan. – Tento sorrir, mas devo ter feito uma careta, pois Yuuko caiu na gargalhada.

– Estamos perdidos. – Yuuko diz entre risos. – Naruto-sama, tem certeza que é o menino de 11 anos atrás?

– Dúvida da própria visão? – Retruco de volta.

– Não sei mais em que acreditar, até ontem não podia ver o passado, e olha onde estou. – Fala de cabeça baixa, como se tentasse desaparecer.

– Isso só mostra seu crescimento Yuuko. Nunca imaginei que faria regressão, apenas com as informações que tinha na biblioteca. – Digo admirado, a fazendo olhar pra mim. – E só me prova o quanto Hinata é importante para você, pois tentou desvendar o mistério que ronda sua amiga. 

Com isso pareceu que Yuuko havia se acalmado, e enquanto respondia às cartas de algumas negociações, lhe contei o que aconteceu para ela perder a memória, e Sasuke e eu ficarmos como estava. Conto calmamente toda história, pausando em alguns momentos quando Yuuko surtava de raiva, ou por saber que a mãe sabe, ou sobre o Toneri que causou todo o problema, e em alguns momentos o olhos enchia de lágrimas ao relatar sobre Hana.

– Isso é tudo que sei. Agora Kakashi me mandou ir a Uzushio para desvendar minha família, e como diz meu amigo Shikamaru, será problemático.

– Se é que posso ajudar, tenho uma sensação boa sobre isso. – Olho-a atentamente – Não consigo dizer o motivo, mas ao pensar no senhor e sua família, vem coisas boas a mente, é algo selvagem, mas que traz coisas boas.

– Selvagem? – Digo curioso – Talvez não seja de todo ruim.

– Posso ir junto? – Yuuko pergunta de forma serena.

– Claro que sim. E por favor, estude algo que proteja você e Hinata. Algo me diz que precisaram de proteção. – Digo tentando imaginar um escudo mágico ou coisa do tipo.

– Mais fácil Hinata me proteger e não o contrário. – Yuuko diz num sussurro, mas escuto suas palavras.

– O que quer dizer com isso? – Pergunto.

– Isso Hinata que deve contar-lhe. – Yuuko foge, já abrindo a porta. – Cuidado, ou vai se atrasar para encontrar-la.

Olho no relógio e percebo, que quase era a hora que havia combinado de buscá-la na estufa. E mal terminava de escrever o penúltimo pergaminho. Iria buscá-la, não teria problema trazê-la aqui para terminar o último termo de negociação.

Ao chegar na estufa, percebo que ela aguardava olhando alguns himawaris que provavelmente estavam para nascer. Parecia um pouco cansada, e seu cabelo estava amarrado em um rabo alto, era linda.

– Gomenasai Hina... Me enrolei um pouco quase que perco a hora. – Digo passando a mão nos cabelos, sempre o fazia quando envergonhado.

– Não quero atrapalhar, – disse tímida – se precisar de mais um tempo posso esperar.

– Por isso vim aqui. – Ela me olha curiosa. – Me acompanha um pouco, preciso só terminar com uma papelada. E assim pode conhecer, onde eu resolvo a maior parte dos problemas do reino. Algo nada interessante.

– Eu adoraria.

Hinata sorria pra mim, mas estava envergonhada, será que era pelo que havia me dito? Não sabia dizer. Chegando no escritório, ela pediu um livro emprestado e se sentou a minha frente. Enquanto tentava renegociar alguns acordos, percebia que ela parecia focada no que seria relatos de viagens. Algo que sempre pedia aos meus secretários sobre missões diplomáticas, não era assim tão interessante, mesmo assim lia como se fosse uma novela.

– Se continuar a me olhar, irá terminar só amanhã. – Hinata diz por cima do diário. – Vamos imperador Uzushio, meu estômago não tem a minha paciência. 

Ela fazia graça mesmo que estivesse envergonhada. Não tinha como não se encantar mais por ela, aquela criança monossilábica agora fazia piadas de si mesma. Hinata não parava de me surpreender, queria gargalhar dela, ou fazer chacota, mas meu instinto não permitiu. Apenas a olhei de canto de olho, dando a entender que havia entendido e que seria rápido, ela então retornou a leitura um tanto frustrada por seu plano ter falhado.

Batem à porta, assim que permito entrar vejo que Yuuko traz uma bandeja com algumas frutas, suco, algo que enganaria a fome por algum tempo, ideal para nossa situação.

– Sempre como se adivinhasse. – Digo para ela. – Não poderia ser em melhor hora, Hinata estava para me comer já que seu estômago não tem piedade.

– Exagerado. – Hinata diz entre sorrisos. – Talvez faltasse sal a carne, precisaria esperar.

Ela e Yuuko não se aguentaram de rir, enquanto devoravam o que havia na bandeja. Fui o mais rápido que consegui para conseguir pegar apenas uma maçã antes que acabasse, voltando à mesa iria terminar o mais rápido. Ficar com Hinata sozinho não era uma boa ideia, não quando tinha assuntos do império a tratar.

Assim que termino percebo que estão cochichando sobre algo, mesmo concentrado não as entendia. Após perceberem que eu havia terminado, Yuuko recolhe as coisas, e vai embora dizendo ter assuntos a tratar.

– Então Hinata, agora sou todo seu. O que quer fazer? – Pergunto de forma marota.

– N... não faça esse tipo de pergunta. – Ela responde envergonhada.

– Não consigo imaginar o que poderia pensar dessa pergunta. – Digo me fazendo de desentendido, me aproximando ainda mais dela.

– Não pensei em nada. – Ela responde fazendo bico.

Era minha deixa para atacar, pego o lábio inferior e o chupo. Ela foi pega de surpresa, pois permaneceu estática, o que me fez puxar seu corpo ao meu enquanto iniciava o beijo.

Começo devagar saboreando sua boca, a cada toque ela puxava meu cabelo um sinal para não parar o que havia começado. E eu não pararia tão cedo, a levanto segurando sua bunda sentando-a na mesa, saboreando a sensação de tê-la, apalpo cada centímetro do seu corpo tentando marcar todas suas curvas. Meu corpo se enrijece com a sensação daquele corpo, precisaria de mais, muito mais. Com uma das mãos desço ate sua roupa íntima retirando sua calcinha, ela atrapalharia o que estava planejando para Hinata. Ao fazer isso ela geme, mas abafa olhando para a porta.

– Ninguém entra aqui Hina... Não sem minha permissão. – Digo beijando sua nuca, caminhando beijos pelo pescoço alternando entre mordidas. Ela assentiu sem jeito, pedindo mais.

– O que quer princesa? – Pirraço um pouco, queria ouvi-la falar.

– Quero muito você... – pega uma das mãos que apoiava na mesa e a leva até seu sexo. – O quero aqui! 

O olhar que me dava estava me deixando louco, não conseguia me controlar. Estava molhada, e eu continuava a massagear suas partes, enquanto levava minha boca ao colo rancando o sutiã com a mão livre. Não tiraria o quimono, ficava ainda mais sexy usando apenas ele. Continuo descendo por toda sua pele, mordendo-a todinha, até chegar ao seu sexo.

Sinto a antecipação, assim que sua mão vai em encontro aos meus cabelos, tentando em vão ter o controle do que estava por vir. Início colocando a língua, dando voltas por todo seu sexo e depois sugando o líquido, ela aperta ainda mais meus cabelos, levanto meus olhos para ela, e a percebo ofegante entregue a sensação.

Continuo com um dedo fazendo a massagem, mantendo o prazer, enquanto retiro minha cueca não aguentaria ficar sem Hinata por mais tempo, meu membro latejava cada vez mais, afastei um pouco suas pernas me encaixando na entrada, entrando profundamente enquanto ela gemia de prazer.

Queria vê-la gritar, me chamando, pedindo por mais. Entocava cada vez mais forte, fazendo Hinata falar meu nome, em súplica. A cada entrada, mais me aproximava do prazer, continuei massageando seu clitoris, enquanto enfiava mais e mais fundo. Nós estávamos arfando, incansáveis meu corpo pedia por Hinata, e ela chamava por mim.

Olhava para Hinata enquanto ela se perdia no desejo e prazer, quanto mais a olhava mais tinha necessidade de tê-la. Aumentei a velocidade, estava no ápice do desejo, foi então que ela se derramou me fazendo derramar em seguida.

Apoiei em seu ombro inalando seu cheiro, mesmo com a dificuldade de respirar, precisava sentir Hinata. Ela passou os braços em mim, me apertando ao seu corpo.

– Aqui foi interessante. – Ela fala próxima ao meu ouvido, suspirando.

– Realmente muito interessante. – Mordo levemente seu ombro a fazendo arrepiar.

Por azar ou sorte, ouço alguns passos, e faço Hinata se sentar e fechar seu quimono, voltando ao outro lado da mesa levando nossas roupas íntimas até a gaveta. Arrumo o cabelo, e indico para Hinata fazer o mesmo. Ela está vermelha de vergonha, qualquer um perceberá aquela típica vermelhidão.

Segundos depois escuto a batida na porta, olho para Hinata e ela respira fundo para se controlar. Então permito que a pessoa entre, é quando vejo Konohamaru e Sasuke rindo de algo que estavam conversando.

– Oh Hina-chan, veio ajudar esse dobe? Ele é sempre lento quando o assunto envolve o império. – Sasuke disse apoiando na mesa olhando o que eu tinha feito, parece não ter imaginado a situação. – Arrume essa questão aqui, se for entendido errado poderá causar problemas.

Olho para o que ele havia indicado, então ele escreve numa folha a parte. “Quando tentar disfarçar, faça Hinata ficar menos vermelha e assustada com tudo.” O olho de relance e ele me dá um sorriso malicioso, ele havia entendido em tão pouco tempo. Agradeçi mentalmente a Konohamaru ser mais lento, nem havia percebido e conversava com Hinata sobre algo que Hanabi fez, enquanto ela se remexia na cadeira sem parar, então me lembrei que não havia nada embaixo do quimono.

– Kono-kun, acompanha a Hina até o quarto? – Digo tirando a atenção deles, Hinata me olha confusa. – Sasuke e eu temos que avaliar todo o meu trabalho novamente. Desculpa Hina, mas logo termino aqui.

– Sem problemas Naruto-kun. – Ela diz, dava pra perceber que havia entendido meu pedido. – Konohamaru, pode me acompanhar.

– Posso sim, assim podemos conversar mais. – Konohamaru, não havia entendido nada mesmo.

– Até mais Hina-chan. – Sasuke diz assim que ela chega a porta.

– Jah ne! Bom trabalho para os dois.

Então ela sai me deixando com Sasuke, que senta na cadeira que ela estava. Ele me olha bravo, mais serio que o normal.

– Imagina Naruto, se não entra Konohamaru comigo? Pois sabemos que ele ainda tem a mente de um criança. Sabe a situação em que estavam? – Ele falava com sangue nos olhos, pude ver o quanto estava bravo. – Hina é muito tímida, imagina a situação para ela? Pensei um pouco mais antes de agir.

– Realmente não pensei, pedirei desculpas a ela. – A expressão dura começou a suavizar. – Agora entendo o que vocês estavam falando, da relação dos dois, me lembrou um irmão mais velho defendendo a honra da irmã. – Não queria pirraçar falava sério, me deixou ainda mais aliviado que antes.

– Mas é óbvio dobe, a Hina é minha irmãzinha. – Por fim admitiu corado.

– Desculpa... – Digo, enquanto ele me olha surpreso. – Duvidei, e suspeitei de você. Sendo que poderia ter sentado e falado com você antes.

De alguma forma meu pedido de desculpas o deixou sem palavras, algo incomum para Sasuke, foi então que ele começou a rir descontroladamente me deixando sem ação.

– Nem assim consegue rir Naruto? – Ele pergunta entre risos. – Parecemos dois compadres.

– Estava sentindo falta disso, – aponto para ele, enquanto ainda sorri – passamos por muitas coisas.

– Eu ainda vou encher muito o saco. – Sasuke diz, voltando a ficar sério em seguida. – Naruto, e sobre o tal do Toneri? Nesses anos soube de algo?

– Pior que não Sasuke. E como se fosse um fantasma, nunca achei nada relacionado, e o que dificulta é que não sei seu sobrenome.

– Será que é parente da Hinata? – Sasuke questionou, e eu esperei ate que concluísse o raciocínio. – Ele parecia querer o direito dos Hyuugas, quando comentou que ela era sua noiva.

– Estou arriscando minhas fichas em Yuuko. – Percebi que ele estava curioso e continuei. – Ela conseguiu fazer uma regressão que não havia acontecido com ela e sim com a Hinata.

– O quão poderosa ela é?

– Do tipo que supera até mesmo Miroku. Sasuke, ela conseguiu fazer a regressão, apenas lendo os livros que temos na biblioteca. – Dei uma pausa, o que deixou Sasuke curioso. – Ela sabe sobre mim.

– Sobre você o que?

– Ela voltou ao passado, quando encontramos com Hinata depois da morte de Hana.

– Ela sabe? Ela viu? Naruto me explica melhor.

– Ela voltou aquele dia, como se fosse um narrador observador. Ela até viu quando eu me afastei de vocês porque estava bravo. – Digo envergonhado, ela viu muito mais.

– Ela te viu chorando? – Sasuke brincou. – Naruto, será que podemos pedir para ela voltar ao passado quando nos encontramos com Toneri.

– Eu expliquei para ela o que havia acontecido, estou esperando ela retornar novamente. Antes de nossa viagem a Uzushio ela conseguirá alguma resposta. – Falei enquanto guardava minhas coisas e o chamei para irmos. – Yuuko nos acompanhará na viagem.

– Nada contra, afinal com todo esse pontencial. Eu a quero por perto sempre.

Assim que abrimos a porta, Shion estava parada frente à ela. Aparentava que iria bater, mas parou antes. Realmente devia falar com os guardas, todos entravam na ala sem serem anunciados, teria que impor limites.

– Ohayo, Naruto e Sasuke. Precisava conversar com os dois. – Ela diz sorrindo, muito falsa por sinal.

– Pode ir falando. – Sasuke diz enquanto continua andando para fora da ala, comigo logo atrás.

– O assunto é sério. – Ela diz fazendo bico, correndo atrás de nós dois.

– Pois não se reprima, pode falar. – Falo provocando.

– Estão indo para Uzushio, sabe que é perigoso. – Ela fala tentando tirar minha atenção.

– Sim, você sempre me disse que era perigoso, por isso nunca fui. Mas não posso adiar mais essa viagem.

– Naruto, não pode ir! – Ela diz segurando meu braço nervosa.

– Shion, a não ser que tenha um motivo muito bom, não a como impedir. Kakashi nos mandou ir. – Sasuke falava autoritário.

– Eu tive uma visão em Uzushio, que Naruto acabaria por encontrar algo ruim. – Ela parecia esconder mais do que falava.

– Já fui alertado sobre algo que irei encontrar por lá. Não há com que se preocupar, por enquanto preciso que se concentre sobre nossas negociações com Iwagakure. – Falo tentando deixar claro a importância dessa decisão. – Precisamos concluir no máximo até final do mês, ou abriremos brechas para os outros.

Shion assentiu, como se tivesse perdido a batalha, concordou em fazer o que eu pedi, então despede e segue para sua ala tentando disfarçar a raiva.

– Toma cuidado dobe, ela é capaz de qualquer coisa. – Sasuke diz baixo, só para eu escutar.

– Eu sei. Por isso ando consultando Yuuko, se fosse antes teria acreditado no que Shion disse. – Digo pensativo. – Já tem algum tempo, que ela não me deixa retornar a Uzushio, sempre dizendo que algo ruim acontecerá, minha dúvida é que ela já saiba o que está para acontecer.

– Ela sabia que eu apareceria após seu casamento? – Sasuke questionou.

– Sim, e não me avisou de nada. – Ficava com raiva ao lembrar do perigo. – Ela acreditava que seria um meio de tirar Hinata do jogo.

– Então isso realmente me preocupa, porque depois do seu casamento, foi o momento que eu estava mais determinado a acabar com a vida da Hina. – Sasuke diz amargurado, por já ter pensado algo assim.

– Calma Sasuke, por enquanto não lidaremos com Shion. Enquanto estiver inofensiva melhor não cutucar. – Digo com receio, – Depois de conseguimos a regressão de Yuuko, pedirei para que fique de olho em Shion. Yuuko tem uma forma única de olhar as coisas, com se as visões se alterassem.

– O que quer dizer Naruto? – Sasuke me olha curioso.

– De alguma forma ela conseguiu ver 3 diferentes situações, e como se uma escolha diferente alterasse as outras 2, e assim por diante.

– Impressionante, sempre achei que estávamos presos ao destino.

– Se pensarmos bem, faz sentido. Por exemplo seu desejo da morte da Hina era realmente forte, e mudou com o conhecimento do passado. Lembrando da época que ocorreu isso, Shion não demonstrou ter dúvidas que você perseguiria até obter seu desejo. Mas sempre houve a possibilidade de se alterar o futuro caso as recordações voltassem.

Nada mais foi dito, e encerramos a conversa já que estávamos muito próximo a sala de jantar. Eu seguiria para buscar Hinata, enquanto Sasuke se reunia a turma para ceia.


Notas Finais


E aí? Oq acharam???
Gente, vou falar para vcs Hentai contado pela mente de um cara é muito difícil... 😓 Fiquei tentando fazer o mais natural possivel, me perdoem se não ficou bom!
Era uma experiência q eu queria testar!
Jah nee!!
Kissus de nutella ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...