História - I Will Be A Vampire? - - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 11
Palavras 2.222
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Boa Leitura ^^

Capítulo 2 - - Calm Down -


XXX: - Aya, acorda...- Disse um ser, enquanto me "abanava" de leves.

- Hugo?- Perguntei ensonada e confusa.

Hugo: - Pensei que quisesses tomar um banho, para depois fazer o curativo, e irmos para a escola.

- Posso ir?

Hugo: - Claro, já estão lá toalhas. Oh, antes que me esqueça, são 06:30 da manhã.

- Hm, ok. Obrigada.- É um bocado cedo, mas o lado positivo é que vou poder demorar no banho, afinal só tenho aulas daqui à 4 horas.

Com muita preguiça levantei-me, agarrei na minha mochila e fui para a casa de banho. Assim que cheguei lá, coloquei a mochila no chão, e comecei a tirar a roupa. Quando já estava completamente nua, decidi tirar o curativo, respirei fundo e logo comecei a retira-lo. Não estava com mau aspeto, mas também não era lá muito giro de se ver.

Hugo: - Aya, tiras-te o curativo?!- Perguntou com uma voz preocupada, pregando-me um susto.

- S-Sim, porque?- Perguntei confusa.

Hugo: - Ahh, nada, esquece...- Isto foi estranho, provavelmente foi só uma coincidência. Solto um suspiro e entro no banho

(...)

Sai-o do banho, passado mais ou menos 40 minutos. Seco o meu corpo e os meus longos cabelos negros, com a ajuda de uma toalha. Vesti umas calças pretas, e um moletom cinza com um 'F*ck off' escrito. Pronta, saí da casa de banho e comecei a procurar o Hugo. Como não o encontrei, fui para o seu quarto. Chegando lá, toda a minha atenção foi parar a uma caixinha brilhante, que estava dentro do armário.

Esta caixa estava ali quando eu cheguei? Não me lembro de a ver aqui... Eu quero muito ver o que está lá dentro, sinto uma necessidade de saber o que ela contém no seu interior... Olho em volta, para ver se não havia ninguém para me ver, e com cautela abro o armário e aproximo as mãos para retirar a caixa, até que uma mão agarra o meu pulso e afasta-me do armário.

XXX: - Quem és tu, e o que estás aqui a fazer?!- Pergunta, a menina de cabelos avermelhados e portadora de uns olhos âmbar.- Responde-me!- Gritou.

Hugo: - Catarina tem calma!- Após essas palavras, a ruiva soltou-me e foi na direção do Hugo, parando à sua frente.

Catarina: - Quem é ela?- Perguntou, apontando para mim.- É a tua namorada?

Hugo: - Ela é a Aya. E não, ela não é a minha namorada...

Catarina: - Ainda bem, porque tu arranjas bem melhor.- Isso doeu, mas estou muito confusa para protestar neste momento.- E já que a apanhei, quase a abrir a caixa, presumo que, ela já saiba sobre nós sermos vam...- Hugo, tapou-lhe a boca, antes que ela pode-se terminar de falar.- Ah, ok. Mas então, porque caralho ela estava a mexer na caixa?!- Gritou novamente, ela gosta de gritar...

- E-Eu estava a-apenas curiosa.- Respondi encolhendo o corpo, já esperando a pior reação.

Hugo: - Catarina, ela não abriu a caixa, então está tudo bem...

Catarina: - Ok, desta vez, vou confiar no meu irmão...- Disse, soltando um longo suspiro no fim.

- Irmão?- A irmã dele não vivia no Japão? Já não estou a entender nada...

Catarina: - Sim, ele é meu irmão, algum problema?- Perguntou com arrogância.

Hugo: - Eu esqueci-me que ela voltava hoje do Japão...- Lamentou, levando a mão à cabeça.

- Acontece...- Disse, forçando um sorriso. Isto foi muito estranho...- Hugo, podes voltar a fazer o curativo?- Digo, revelando um dos meus pulsos.

Catarina: - Tenho sair daqui... Fico à vossa espera na sala...- Faço uma cara confusa e olho para o Hugo.

Hugo: - Ela não pode ver sangue.- Explicou, enquanto procura as coisa que precisa, para fazer o curativo.

- Eu não sabia... Agora sinto-me mal...

Hugo: - Não fiques assim, ela vai ficar bem.- Eu sei que ela vai ficar bem, mas mesmo assim...

(...)

Catarina: - Vocês demoraram...

- Desculpa Catarina, eu não sabia...

Catarina: - Não faz mal, agora já sabes.- Disse soltando um sorriso.- Bem, imagino que vocês ainda não comeram nada, por isso toca a despachar, porque eu quero matar saudades da escola!- Finalizou, empurrando-me, juntamente com o Hugo para a cozinha.

Tenho muito medo de encontrar a Laura e o Diogo, principalmente o Diogo... Eu não sei como ele se está a sentir... Mas sei que agora já é tarde demais, tenho que continuar. Não preciso ter medo, o Hugo está comigo... Ele vai ajudar-me certo...? Bem, ele disse que queria ajudar-me, e eu confio nele.

Hugo: - Aya, que se passa?- Perguntou, tirando-me dos meus pensamentos.- Mal tocas-te na comida.

- Estava só a pensar, sabes...

Hugo: - Não te preocupes, vai tudo correr bem.- Disse soltando aquele sorriso que eu tanto adoro. Os meus lábios não conseguiram resistir e formaram um sorriso.

Catarina: - Oh namoradinhos, já chega não?- Reclamou.- Vamos para a escola!

- Nós não somos namorados...- Disse sem graça.

Catarina: - Correção, ainda não são namorados.- Corei na mesmas hora, não sei bem o que sinto em relação ao Hugo, mas sei que não o vejo como apenas um amigo...- Vocês até coram pelas mesmas razões.

Hugo: - É melhor irmos para a escola...- Sugeriu, cobrindo o rosto com a mão.

- T-Tens razão...- Concordei, ainda mais corada.

Catarina: - Vocês ainda me vão fazer vomitar.- Disse revirando os olhos.

(...)

Hugo: - Ainda falta algum tempo para tocar, vais falar com o teu irmão agora?

- Sim... Hugo, eu sei que é um bocado egoísta mas, quando for falar com o meu irmão, podes vir comigo?- Perguntei, com medo da sua reação.

Hugo: - Sentes-te mais segura se for contigo?- A resposta era óbvia, e pelo sorriso que ele tinha no rosto era óbvio que ela a sabia. Tenho a certeza que fiquei mais vermelha que o cabelo da Catarina.- Sim, eu vou contigo.- Disse afagando a sua mão no meu cabelo.
- Vamos procura-lo?- Perguntei, numa tentativa de contornar o que tinha acabado de acontecer.

Hugo: - Não vale a pena, ele vem aí.- Respondeu, apontando para o espaço atrás de mim, o Pedro vinha a correr na nossa direção.

Pedro: - Mas que merda fostes fazer?! Tu pensas?!- Berrou, agarrando em um dos meus pulsos. Apenas fiz uma cara de dor, que infelizmente o Hugo reparou.

Hugo: - Pedro, estás a magoa-la. Tem calma.- Disse frio, soltando o meu pulso da mão do meu irmão.

Pedro: - Não te metas! Aya qual é a razão para teres feito essa merda?! O pior é que nem tentas-te esconder!

Comecei a chorar e a tremer, não sabia o que fazer. De todas as reações possíveis, esta era a que eu menos esperava... Não consigo falar... Não consigo...

Hugo: - Pedro gritar com ela não ajuda! Só estás a piorar tudo.

Pedro: - Cala-te, não tens nada haver com isto, não te metas! 

Hugo: - Tenho sim, porque fui EU que a ajudei, quando ela estava com medo da TUA reação!

Eles gritavam um com o outro, até que o Hugo deu um soco no rosto do meu irmão e foi embora. Sem pensar duas vezes, fui atrás do Hugo. Eu amo o meu irmão e tudo mais, mas não é uma boa ideia falar com ele neste momento. Segui o Hugo, até ele se sentar num dos bancos que havia pela escola.

Hugo: - Desculpa...- Pelo seu tom de voz, era óbvio que ele estava triste... Claro né, discutir com o melhor amigo...

- Não, a culpa foi minha. Eu não sabia o que fazer, desculpa...

Hugo: -Pronto, todos erramos ali.- Disse soltando uma risada.- Mas o teu irmão... Não devia ter reagido assim...

- Eu sei, mas a culpa é minha, afinal eu é que fiz a "merda".- Disse fazendo aspas com os dedos.

Hugo: - Mas isso já passou, e não vai voltar à acontecer.- Afirmou, levantando-se e colocando-se à minha frente.- Porque, eu não vou deixar.- Finalizou, encostando a sua testa na minha.

Perdi-me nos seus lindos olhos azuis claros...As nossas respirações chocavam uma na outra, e o meu coração batia rapidamente. Num ato rápido, ele selou os nossos lábios num beijo. Um beijo cheio de carinho e paixão que, infelizmente não durou muito...

Hugo: - Tinha vontade de fazer isto, desde o dia em que te vi pela primeira vez na escola.- Disse, colocando uma mexa do meu cabelo atrás da orelha.- Só,não sabia como começar a falar contigo...

-Ainda bem que sou irmã do Pedro.- Afirmei, encostando a cabeça no seu peito.

Hugo: - Mesmo.- Concordou, pondo os seus braços a minha volta, e abraçando-me com força.- Vais falar com o teu irmão?

- Eu depois falo com ele, quando ele estiver mais calmo, não quero ouvi-lo a gritar comigo de novo.

Hugo: - É verdade, como está o teu pulso? Já parou de sangrar?

- Ainda doí um pouco... Mas espera, como sabias que tinha sangrado?- Perguntei confusa.

Hugo: - Ahh, apenas achei que ele tivesse começado a sangrar de novo, por causa da cara de dor que fizeste e isso...- Disse, um pouco desconfortável.

-Ok então...- Estranho...

Ficamos a conversar sobre coisas aleatórias até o sinal tocar. Quando isso aconteceu, ele puxou-me contra o seu corpo, e em seguida depositou um selinho nos meus lábios. Ele foi embora, sem nem me deixar reagir com o seu ato, o que fez com que solta-se um sorriso.

Shannon Harris

- Aria!?- Gritei.- Se ela tiver com a merda do Lewis outra vez, juro que é hoje que arrebento a cara dele...

Fui em direção ao quarto da minha irmã, e entrei sem bater a porta... E arrependi-me...

Matt: - Não sabes bater à porta?- Reclamou saindo de cima da minha irmã.

- Não Lewis, eu não sei...- Respondi, revirando os olhos.

Matt: - Eu tenho nome, Harris.

- Mas ninguém te perguntou.

Aria: - Já chega! Eu sei que vocês não se dão bem, mas pelo menos podiam tentar...

Matt: - Quando ensinares a tua irmã a crescer...

- Olha Lewis, eu não gosto de ti e tu sabes bem o porque, nunca vou apoiar o vosso relacionamento, e ainda não te matei porque a minha irmã te ama e eu não seria capaz de viver com ela a odiar-me. Se tu me provocares, acidentes podem acontecer, se é que me entendes...- Respirei fundo.- Aria, o Pedro ligou a pedir para passarmos o fim de semana com a Aya, aconteceram umas coisas e ele quer a nossa ajuda.

Aria: - O que foi que a nossa priminha fez desta vez...?

- Quando chegarmos lá descobrimos. Agora, livra-te do cão e começa a fazer as malas, quero chegar lá cedo...- Disse, e logo saí do seu quarto.

Não acredito que ela tem coragem de namorar um lobisomem, nós somos uma família de caçadores caramba! Como ela consegue desonrar a nossa família... E ainda por cima tem que trazer esse cão cá para casa... A sorte é que vivemos sozinhas, se não aquele cão já tinha batido ás botas à muito tempo, isso garanto. Não vale a pena estar a pensar nisto agora, é melhor ir tomar um banho e despachar-me...

Aya Thompson

As aulas passaram a correr, também, com alguém a ocupar os meus pensamentos... Mas agora tenho que me focar em falar com o meu irmão, é melhor ir a procura dele. Saí do pavilhão e comecei a andar sem rumo pela escola, na esperança de encontrar o Olhos Verdes. Enquanto procura o meu irmão, vi a Laura e o Diogo juntos... Para eles tarem assim de novo, o Diogo pôs toda a culpa em mim... O que não é mentira. Afinal fui eu que "comecei"... É melhor ir para casa, falo com o meu irmão quando ele chegar a casa...

Fui em direção à saída da escola, e no portão estavam o Pedro e o Hugo, a falarem como se não tivesse acontecido nada. Eles são mesmo melhores amigos... Cheguei perto deles e forcei um sorriso, na esperança que eles não repara-sem que eu estava mal, mas o Hugo percebeu...

Pedro: - Aya, desculpa... Eu não devia ter gritado assim contigo...

- Não faz mal, eu desculpo-te.

Pedro: - Olha, não te zangues com o Hugo. Ele contou-me o que te aconteceu... Mas só contou porque eu lhe pedi. Não te preocupes com isso.

- Preocupo-me sim... Ela voltou para ele.- Assim que essas palavras saíram da minha boca, ambos arregalaram os olhos.

Hugo: - Isso explica o motivo de estares um bocado em baixo. Aya, eu estou aqui para o que precisares, podes contar comigo.- Disse sorrindo. Não consegui resistir e sorri também.

Pedro: - Oh, as nossas primas vão passar o fim de semana lá em casa. Hugo, se quiseres, também podes vir. Ajudavas-me a aguentar as pestes.- Comentou, soltando uma risada no fim, fazendo com que eu revirasse os olhos.

Hugo: - É uma boa ideia.- Disse olhando para mim. Tenho a certeza que corei na hora.

Pedro: - Bem, Aya vamos?

- Aham.

O meu irmão começou a andar e no momento em que eu ia começar também, o Hugo impediu-me, e virou-me para ele.

Hugo: - Vou adorar passar o fim de semana contigo.- Disse, e no fim deu-me um selinho, e em seguida, foi andando para casa.

Eu também vou adorar passar este fim de semana contigo...


Notas Finais


Espero que tenham gostado ^^
Ps.: Peço desculpa por qualquer erro ortográfico encontrado ;_;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...