História History of my life - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Capitão América, Homem de Ferro (Iron Man), O Incrível Hulk, Thor
Personagens Anthony "Tony" Stark, Dr. Bruce Banner (Hulk), James Buchanan "Bucky" Barnes, James Rupert "Rhodey" Rhodes, Johann Schmidt (Caveira Vermelha), Loki, Natasha Romanoff, Nick Fury, Pepper Potts, Personagens Originais, Sam Wilson (Falcão), Sharon Carter (Agente 13), Steve Rogers, Thor
Tags Anahi, Brutasha, Loki, Romance, Sexo, Tony Stark, Triângulo Amoroso, Vingadores
Exibições 52
Palavras 1.743
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Fiz esse capítulo ouvindo a música cicatriz (coloquei até uns trechos dela na capa do capítulo e o nome dele com o mesmo da música) e espero que gostem

Capítulo 5 - Capítulo 5 - Cicatriz


Fanfic / Fanfiction History of my life - Capítulo 5 - Capítulo 5 - Cicatriz

• Segunda - 12:13 •

P.O.V Anahí

 Abro meus olhos lentamente sentindo muita dor de cabeça e no corpo, vejo alguns machucados pelo meus braços e pela minhas pernas, olho pro lado e vejo minha tia chorando orando em silêncio de olhos fechados sentada no sofá.

- Eu to bem - Sussurro

- Graças a Deus - Diz ela chorando mais aliviada de certa maneira, vejo ela vim até mim e sinto ela me abraçar com cuidado

- Ela acordou? - Diz a Maya entrando no quarto distraída segurando dois café, vejo ela respira aliviada me vendo ali acordada, vejo ela derruba o café no chão e me abraçar chorando

- Estão me deixando sem ar - Sussurro e me ajeito na cama - Trouxeram roupa limpa pra mim?

- Sim, mas a senhorita não vai sair daqui - Diz minha tia séria e reviro os olhos

- Eu preciso ir pra faculdade - Falo olhando ela

- Você precisa sossegar essa bunda nessa cama de hospital e melhorar isso sim - Diz a Maya e reviro os olhos

- Droga - Sussurro e mordo meu lábio olhando a janela tendo uma ideia - Nossa estou tonta

- É normal por causa da injeção que aplicaram em você - Diz a Maya

- Você quer dormir? - Diz minha tia

- Sim... - Olho elas

- Vamos deixar você dormir, vamos ficar no corredor e qualquer coisa chama a gente - Diz a Maya - Depois quero te contar sobre a noite maravilhosa que eu tive com o Rhodey - Diz ela abrindo um pequeno sorriso, vejo elas saírem e levanto da cama

 Tranco a porta por precaução, visto a roupa que minha tia arrumou pra mim, ajeito meu cabelo no banheiro e pego a uma pequena bolsa com minhas coisas básicas pra cuidar da minha pele com a minha maquiagem, acabo de me arruma e guardo tudo na minha mochila preta, sorrio vitoriosa quando vejo que minha tia colocou meu notebook na bolsa junto com meu estojo e meu diário. Saio pela janela, respiro fundo e olho o céu.

- Não olha pra baixo Anahí - Falo pra mim mesma

 Vão andando lentamente pela beirada do hospital grudada na parede respirando fundo muito gelada com coração acelerado, olho pro lado e vejo uma janela aberta, olho discretamente dentro dela e respiro aliviada quando vejo um quarto vazio, entro dentro dele e saio pela porta discretamente, entro no elevador e respiro aliviada ajeitando meu cabelo me olhando no espelho. Escuto o barulho da porta se abrindo, saio do elevador sem olhar ninguém e saio do hospital. Vou andando até a minha faculdade, entro na mesma e respiro aliviada vendo o relógio na parede marcando 12:30, vou até a o balcão de informações e vejo onde seria minha sala, vou até onde seria meu armário e me surprendo quando um bilhete cai dele no chão em seguida pego e leio em silêncio.

" Olá querida, fiquei sabendo do seu acidente e acredite eu sinto muito mesmo, não era minha intenção te machucar. Preciso conversa com você sério sobre o seu passado que você deve saber, quando pegar esse bilhete liga pra esse número  (XXX)"

 Respiro fundo guardando o bilhete na minha mochila, vou até o jardim da faculdade e sento em baixo de uma árvore em seguida fico escrevendo no meu diário. Minutos depois o sinal toca, levanto e vou pra minha sala. Quase de noite saio da faculdade, vou até um telefone público e ligo pro tal número do bilhete.
 

- Fico feliz em saber que melhorou tão rápido - Diz uma voz masculina do outro lado da linha

- O que você sabe sobre meu passado? - Falo e respiro fundo

- Olha pro outro lado da rua - Diz a voz e percebo que desligaram

 Reviro os olhos bufando, me viro e vejo o mesmo homem que falou que eu tenho "os olhos do meu pai" me observando, atravesso a rua e vou até ele.

- Quem é você em? - Falo olhando ele

- Muitos me conhecem como Caveira Vermelha - Diz ele andando e vou seguindo ele do lado do mesmo

- Qual o motivo de está me perseguindo? - Falo olhando ele e vejo ele ir até um dos bancos do parque

- Sente-se - Diz ele sentando me olhando e respiro fundo - Por favor

 Sento do lado dele sem tirar os olhos de cima dele e pisco algumas vezes mordendo meu lábio confusa.

- Você precisa saber de uma coisa - Diz ele - Você é minha neta

 Arregalo os olhos paralisada olhando ele e engulo seco.

- Ah? - Sussurro confusa muito surpresa - O pai da minha tia que era irmã  da minha mãe já morreu e o pai do meu pai morreu também - Falo e vejo ele respirando fundo balançando a cabeça negativamente

- A sua "tia" não é sua tia de sangue, ela é irmã de consideração da sua mãe Anahí - Diz ele olhando pra frente - Sua mãe é minha filha

- Mas... qual seria o motivo dela de esconder isso de mim? - Falo confusa

- Simples, ela acha que eu vou te rouba dela e por isso não conta nada a você, ela sabe que você não vai perdoa ela pela mentira... - Diz ele e respiro fundo - Se quiser posso contar sua história toda... desde da noite que sua mãe engravidou

- Fale então - Falo olhando ele fixamente

- Sua mãe era exatamente assim, linda como você e tinha os olhos um pouco mais claro que os seus - Diz ele olhando pra frente com um olhar vazio - Sua mãe era uma agente da Hydra, eu mandei ela em uma missão até simples, capturar seu pai e levar pra mim. Sua mãe levou um mês pra conquistar seu pai, na noite que ela iria levar ele pra mim simplesmente resolveu ajudar ele fugir e ir junto

- Qual o motivo de você querer esse homem?

- Queria ele do meu lado e se não desse certo o que planejava iria matar ele - Diz ele - Seu pai tinha sido descongelado a poucos dias antes que sua mãe conheceu ele e estava péssimo... vamos dizer que ele ficou "maluco"

- Continua a história - Falo olhando ele

- Um mês depois da fuga da sua mãe descobri que ela estava grávida, consegui levar ela comigo pra uma base na Hydra que fica na Rússia e seu pai sumiu - Diz ele - Mesmo continuando sendo o grande Caveira Vermelha, o grande vilão que causava medo em muita gente, estava disposto a mudar com sua mãe por causa de você, até os 5 meses da gravidez tudo ocorreu normalmente até um ataque que teve na base, foi assim que sua mãe conheceu seu pai de criação, ele era um agente da Shield e conseguiu capturar ela, ele se apaixonou perdidamente por ela e conseguiu provar a inocência dela fazendo ela ficar livre da cadeia, eles te criaram longe de mim e na época eu fiquei péssimo realmente como nunca antes, causei aquele acidente de carro que você perdeu seu pai de criação - Diz ele, sinto meus olhos encherem de lágrimas e dou um soco no rosto dele

- VOCÊ MATOU MEUS PAIS ASSASSINO PSICOPATA - grito com raiva chorando levantando e sinto ele me fazer sentar

- Deixa eu acabar de falar por favor - Diz ele me olhando e respiro fundo - Quando eu te tirei do carro, um dos meus agentes tiraram sua mãe e a levaram pro meu carro, seu pai que só morreu no acidente como era o que esperava... Quando eu levei você pro carro sua mãe estava acordando...

- E? - Sussurro

- Você conhece seu namoradinho bem antes do que você acha que conhece - Diz ele e encaro ele confusa

- Está falando do Tony?

- Sim, desse desgraçado - Diz ele e vejo ele ficar com uma expressão de raiva no rosto - A Shield mandou ele atrás da gente, sua mãe implorou pra ele não te machucar quando ele te pegou, segundo a Shield você era uma grande ameaça, quando sua mãe conseguiu pegar você dele sem piedade alguma ele matou ela, meus agentes conseguiram explodi a armadura dele e consegui fugir com você

 Engulo seco sem querer acreditar que aquilo era verdade e sinto mais lágrimas escorre do meu rosto.

- Criei você durante alguns meses em uma base na Alemanha, sua tia que era a única amiga da sua mãe invadiu o lugar e te roubou de mim... provavelmente ela conseguiu um trato que deixaria você em segurança e provou que você não era uma ameaça - Diz ele - A Shield fez você passar por um processo pra você esquecer muita coisa e se lembrar de poucas partes

 Levanto do banco chorando muito de tristeza misturada com raiva e engulo seco olhando pro chão com um olhar vazio.

- Onde você vai? - Diz ele e levanto minha cabeça

- Preciso fazer uma coisa - Falo e saio andando

 Vou até a torre onde sabia que o Tony estava, entro no laboratório dele e vejo ele me olhar surpreso.

- Você fugiu do hospital! Anahí! - Diz ele preocupado

- ASSASINO - Grito com raiva e vejo ele confuso

- Que? - Diz ele confuso

- VOCÊ MATOU MINHA MÃE DESGRAÇADO - Grito chorando e jogo ele em cima de uma mesa fazendo ele deslizar pela mesma quebrando muita coisa em seguida me abaixo no chão olhando em seus olhos segurando seu pescoço com força

- Por favor me solta - Sussurra ele com dificuldade, pego um caco de vidro muito grande bem afiado e enfio na sua barriga - Anahí - Sussurra ele com dificuldade me encarando e vejo ele começa tossir sangue

 Solto ele e saio rápido do laboratório, entro no elevador com um olhar vazio e encaro minhas mãos, saio da torre e vou pra casa andando sentindo a chuva que começava me encharca.

• Minutos depois •

 Entro em casa, sinto minhas pernas ficarem bambas, olho a cicatriz do acidente que eu tinha na minha barriga, vejo as marcas no meu pulso de quando eu me cortei, começo chorar desesperada como nunca antes com uma mão segurando meu cabelo pra trás um pouco e vou deslizando até o chão fechando os olhos encostada na porta.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...