História ♡ J'aime aimer ♡ - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Les Twins
Personagens Larry Bourgeois, Laurent Bourgeois, Personagens Originais
Tags Larry Bourgeois, Laurent Bourgeois, Les Twins
Visualizações 44
Palavras 1.193
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Festa, Ficção
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiu, gente linda!
Estou aqui para mandar mais um capítulo para vocês, tudo bem?
Aqui vai!
Boa Leitura.

Capítulo 19 - 8 meses


Exatos oito meses, muito inchaço, muita dor. Essas criaturinhas estão cada vez mais fortes, seus chutes estão cada vez mais insuportáveis. Gêmeas. Sim, meninas. Duas. Eu quando soube fiquei maluca, estava esperando por um mas veio duas, o trabalho vai ser dobrado. Dá para acreditar?

Não contei isso pra ninguém, exceto Maya. Estou feliz. Maya está dando super apoio em tudo, não posso me esquecer de agradece-la. Pensei em contar para Larry, já que ele está presente em ligações e mensagens, mas acho que não é a hora ainda. Vou enrolá-lo mais um pouco até ter coragem o suficiente para contar.

Larry e Mia  terminaram. Ela queria fazer faculdade para ser Dj, por isso o deixou. Já ele não entendeu muito bem o que uma coisa tinha haver com a outra, mas mesmo assim deixou ela ir. Deve estar em Washington, como tinha dito a dois meses atrás. Já faz dois meses que não manda uma mensagem dizendo como está, ou até mesmo liga. Estou preocupada. Não retorna as ligações, nada. Mas só não fui atrás dela porquê minha consciência acredita que ela sabe se virar, até demais.

Olho ao redor do quarto, algumas roupas jogadas no chão, outras na cadeira, dobradas. Móveis novos, dois berços rosa-claro tamanho médio, uma cama de casal grande, tudo do bom e do melhor. Não acho. Acho tudo um exagero da parte de Maya, comprar coisas caras. Poderia ser aqueles berços pequenos de madeira escura, acho muito lindo. Mas, quem consegue fazê-la mudar de idéia, não é mesmo?

Vou para cozinha após lavar o rosto e escovar os dentes, encontro Maya de pé ao lado do fogão esperando a água do café ser fervida. Quando nota minha presença ali, se desperta dos seus pensamentos e vem me dar um beijo. - Bom dia.

- Bom dia. -  digo com a voz cheia de sono. - Tudo bem? -  me sento a frente da ilha, observando ela colocar a água no coador de plástico vermelho. - Tudo, e como você está? -  pousa a leiteira sobre o pano no mármore acinzentado, e  me  olha. - Estou, um pouco inchada, mas estou bem. -  sorrio e ela volta a colocar água no pó de café. - É normal nessa fase, mas já que elas estão fora. -  não sei se estava brincando ou não comigo, mas mesmo assim fiz uma careta de horror. - Calma, Thayla. São só crianças. -  ri de mim. Começo a pensar nas noites em que eu irá acordar para dar de mamar. - Crianças choronas. -  complemento sua frase, entrega um copo de café e me passa o leite logo depois. - Você quer o que, hum? Robôs? -  se senta também, ao meu lado. Tomo meu café quieta por um momento, pensando nas coisas boas de ter um filho. O primeiro dentinho, a primeira palavra, o primeiro passo, o primeiro aniversário... - Tem razão, não deve ser tão ruim.


                ~ Laurent


- Acorda marmota! -  Larry mais uma vez invadiu o meu quarto. Fico pensando se ele não tem outra coisa a fazer, a não ser me acordar. Me prendo aos meus lençóis impedindo que ele os tire de mim. - Vamos bela adormecida, já são oito horas! -  diz animado. O que o deixa tão animado para ter o atrevimento de acordar-me? Coloco minha cabeça embaixo do travesseiro, tentando o máximo em não escutar aquela voz irritante. - Vamos Laurent! É sábado, está um lindo dia lá fora. Com pássaros cantantes, borboletas voantes, e crianças brincando no parque na esquina. -  levanto minha cabeça com os olhos fechados sentindo que vou acabar cedendo. Ele puxa meus lençóis sem piedade alguma, sinto o ventinho gelado bater de encontro com minha pele quente, me causando arrepios. Me encolho na mesma hora.

- Agr! -  relaxo o corpo e me sento na cama. Mesmo com os olhos fechados, posso sentir que ele está me assistindo com um sorriso tosco na boca por ter conseguido, mais uma vez, me tirar da cama. - Laurent. Laurent. Laurent. -  fala meu nome como ajuda para que eu consiga me levantar e sair desse sono, que tanto amo. - Não é difícil assim. -  joga os lençóis na minha cara, abro os olhos no susto. Quero arrebentá-lo mas passo por ele indo para o banheiro, não estou com forças para isso, ele ganharia fácil essa briga.

Desço, vejo mamãe e Larry sentados à mesa, tomando café e comendo pão com manteiga. - Bom dia. -  me sento ao lado de mamãe, encarando feio Larry por ter me acordado. Vou trancar a porta na próxima vez, ele vai ver só.  - Bom dia, querido. -  deito meu rosto para ela conseguir me dar um beijo, Larry olha seu pão segurando o ciúmes dentro de si. - Larry está com ciúmes, mamãe. -  o provoco, ela olha para ele e sorri. Já ele me mostra a língua, bravo. Começo a zoá-lo mas mamãe faz eu parar. - Ihu, otário. -  manda um beijo para mim e eu reviro os olhos. Preparo meu pão e meu café com leite, conversando com os dois sobre como está lindo o dia de hoje.

- Vou sair mamãe. -  ele diz se levantando enquanto bate as migalhas de pão de sua blusa. - Aonde vai? -  pergunto por ela, curioso. Ele me olha acanhado de alguma coisa, parece que quer esconder. - O que  foi? -  alterno de mamãe para ele, percebendo que sou o único que não sabe. Excluido da comunicação entre os olhares. - Não vão falar? -  pergunto impaciente. Permanecem em silêncio, não querendo contar. - Tudo bem, não quero mais saber. -  me  levanto da cadeira, com a intenção de me colocar embaixo do meus lençóis novamente. Subo as escadas e vou para o quarto, me deitar. Não acredito que estou sendo excluido até de coisas simples de se responder.


               ~Thayla


- Larry? -  me  permaneço intacta com os olhos dilados sobre a imagem dele na porta, sorridente. - Vejo que não está muito contente por me ver. -  desmancha um pouco o sorriso de lebre, olho atrás dele me verificando se está sozinho, não aguentaria ver Laurent. - Ele não sabe que eu estou aqui, fique tranquila. -  sorrio, feliz por vê-lo ali, parado. Veio me visitar, o que é muito raro de fazer, já que nunca veio. - Larry, seu coelho fofo. -  o abraço, cheia de saudade desse ser gigantesco. Ele me aperta não muito forte por conta da barriga. - Ela está maior. -   fala  em meus fios, concordo rindo. Solto-o para vê-lo novamente, não estou acreditando que ele está aqui. - Senti saudades de você, pequena. -  passa o indicador sobre  meu nariz, sorrio. - Também senti. Vem, entra. -  o puxo para dentro e  fecho a  porta atrás dele. Ele corre os olhos sobre a sala parando em mim, mais uma vez. - Bonita. -  sorri. Peço para que sente em um dos sofás e assim ele faz, me sento ao seu lado para ficar perto dele. - Que bom que está aqui. -  olho em seus olhos escuros, sorridente. - Que bom que estou aqui. -  sorri para mim de volta. Estou muito feliz.


Notas Finais


Foi isso gente, até o próximo.
XoXo da Boo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...