História ^° O Garoto & a Lua °^ - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Anotações, Coração Partido, Lua, Poesias, Sofredor
Exibições 4
Palavras 1.172
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror
Avisos: Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


^^Oi galera, tudo bem? Demorou mais saiu kk Desculpem pela demora, eu fiquei sem tempo para escrever, mas agora está tudo organizado e creio que esse intervalo de tempo da criação de um capitulo para o outro, não se repita.
Enfim.. kk Está ai, espero que gostem. Boa Leitura.^^

Capítulo 9 - ° A Nona EscriTurλ °


Fanfic / Fanfiction ^° O Garoto & a Lua °^ - Capítulo 9 - ° A Nona EscriTurλ °

° A Nona EscriTurλ °

|A Estrela|

Mais uma noite se passou e eu continuo vivo, sobrevivendo nessa cidade. A curiosidade rodea em minha mente e eu quero entender o que está havendo e o que explica a mudança repentina da Floresta. Isso era o que eu queria após acordar mais uma vez. Mas, na noite passada, eu havia me descuidado, e minha doença não me perdoou. Eu sofria de uma doença que para a minha sorte, só existia na minha cidade, e como nós que vivemos por aqui e não temos para aonde irmos, estavamos em uma crise. Não havia médicos e nem meios de descobrir de qual doença eu estava sendo atacado.
Essa doença não deixava eu pegar frio ou chuva, caso contrário ela atacava  com fortes dores no meu pulmão e minha respiração ficava ofegante, sintomas similares a Hinite.
Porém, eu sabia que não era Hinite, por que ela não ataca por causa do frio. Essa doença acabava comigo por completo, e eu sentia que aos poucos, ela poderia me matar…

Minha Tia sabia da doença, mas, pra minha sorte, as vezes ela ataca sem explicação, por isso minha Tia não iria me xingar depois de descobrir que eu estava passando mau.

Tirando o fato do meu mau estar, o dia começou bem. Harry foi ao meu quarto e como sempre, me acordou pra eu ir tomar o café. Ele só assustou,  após ver que não estava bem. Eu estava suando muito e mau conseguia me levantar. Meu irmãozinho ainda  assustado, chamou minha tia que, rapidamente chegou ao quarto e me fez milhares de perguntas. Logicamente, eu menti, dizendo que não fiz nada que poderia fazer a doença atacar, a não ser, ter cochilado nas escadas por algumas horas. Ela me xingou por isso, por que o tempo era de frio, o que era fatal pra mim. Passou a mão na minha testa e percebeu que eu estava com febre.

Horas se passaram e depois de minha tia por uma compressa em minha testa e me dar alguns comprimidos para febre e um café na cama, eu melhorei muito, mas ela mandou eu ficar de repouso.

Depois disso, o dia ficou meio chato,  até porquê,  tive que ficar no meu quarto o dia todo, sem nada pra fazer.  Harry me acompanhou, esse menino adorava ficar ao meu lado. Eu gostei da companhia do meu irmãozinho, ele me fazia rir e eu adorava o modo dele de ver o mundo, me fazia lembrar dos meus tempos de mais novo, a ingenuidade que eu tinha, era muito bom ver o mundo do jeito que eu queria. As vezes eu penso que todos deviam ser, mesmo que apenas por um dia, pequenas crianças, para nunca esquecermos da ingenuidade que faz bem e poder ver o mundo do jeito que mais desejamos. Isso faria bem á todos. 

Eu e Harry ficamos conversando o dia todo,  o clima estava muito bom, até Harry me perguntar uma coisa.

-Mano, você sente saudade do seu pai? -Ele me perguntou cabisbaixo.

Tal pergunta me pegou de jeito, eu não esperava que ele perguntasse disso. Percebi a tensão no ar. Engoli seco e disse o oque deveria dizer.

-As vezes sim Harry, por quê? -Eu respondi.  Ele ainda cabisbaixo, sem revelar seu rosto para mim, se levantou e ficou perto da janela.

-Sinto saudade do papai… -Ele respondeu. Eu me levantei com dificuldade e puz minhas mãos no ombro dele e respondi.

-Hey, Harry. Ta vendo aquela estrela ali? -Perguntei.

-Aquela grandona ali? -Ele me respondeu apontando o dedo para o céu que, começara a ficar estrelado devido o horário.

-Sim maninho, essa mesma. Sabe o que ela é? -Perguntei com igenuidade e dando uma pausa dramática na voz.

-Lógico que sei! -Ele respondeu entuziasmado. -É uma estrela uai! -Completou ele com irônia.

-Haha! Engracadão. Eu sei que é, to falando se você sabe o que ela foi antes disso. -Respondi com uma feição de sabichão.

-Eu não, não sou astrologo. Calma, to zuando. O que ela era? Você sabe? -Ele perguntou após a piada, com curiosidade em suas palavras.

-Na verdade… ela não foi algo, mas sim, alguém… -Eu respondi, deixando meu irmão pequeno com ainda mais dúvida.

-An? Quem ela foi? -Ele perguntou todo curioso e com muita dúvida.

-Essa estrela, antes era um homem, muito inteligente e um ótimo pai que, infelizmente se foi, para salvar seu filho. Seu nome… era George. -Eu expliquei.

Harry se assustou com a explicação e com os olhos arregalados, não comentou nada sobre a história que lhe contei. Ele sorriu e uma lágrima caiu de seus lindos olhos. Limpei seu rosto e segurei seus ombros, enquanto eu estava perto dele, observando o céu.

-George… salvou você maninho e virou aquela estrela. Ele me disse que te ama muito e sente sua falta, mas que adora ver lá de cima, você sorrir. Então, não chore. Sempre que sentir saudades, converse com ele, olhando a estrela. Ele adora te ouvir e eu também.  Nós te amamos muito, ouviu? -Expliquei dando um conselho a Harry. Ele chorando, me abraçou muito forte, de uma forma como nunca me abraçou antes. Ambos ficamos felizes e continuamos á conversar.

A noite se formou e Harry ja queria ir dormir, eu me despedi dele e fiquei muito feliz, após ele me abraçar novamente e dizer: "Obrigado por esse dia Maninho"
Meus olhos se encheram de lágrimas e eu apenas sorri e puz meu irmãozinho para dormir e também me deitei para acordar somente amanhã.

Mas, a noite não acabou por ai…

Eu, infelizmente, iria me dormir sem conversar com a minha amada lua. Até que, eu vi uma luz vindo do céu.
Me levantei rapidamente para ver o que era. Eu sabia que não era, pois, a única que poderia fazer uma luz daquela era ela na lua cheia,  mas aquela noite não era uma noite de Lua cheia, e assim que vi o que era aquela luz, eu literalmente paralizei…

Aquela Luz vinha de uma estrela, a que eu disse para Harry ser o George, mas, eu não tinha nem noção do que eu falava, apenas queria deixar meu irmão feliz e me surpreendi. A tal estrela estava brilhando muito forte, mais até que a lua na Lua Cheia. Brilhava ao ponto de se destacar no céu mesmo de muito longe, mas não parou nisto.
Neste exato momento, minha doença parou de atacar e fiquei cem por cento bem e depois disto na manhã seguinte achei um bilhete em baixo de minha cama, quando eu procurava meu lapis para escreve uma escritura da noite passada. Neste bilhete estava escrito.

"Obrigado por cuidar dele por mim, considere isso um presente. Se cuide.
       
                         Ass: George."

Meus olhos, assim que eu vi bilhete, se encheu d'agua e uma imensa felicidade entrou em meu coração. Olhei para a posição onde a estrela ficava á noite e mesmo de dia eu podia ve-la. Pensei em algo e fui tomar café.

Eu pensei: "Obrigado por tudo George…"


CønTinuλ…


Notas Finais


^^E ai gente, gostaram? Espero que tenham gostado. Desculpa pela demora novamente. Comentem e favoritem se quiserem. Espero que não tenha ficado muito grande o capítulo. Obrigado por ler. Um abraço. Raiko Tysli. Arigato Gozaimasu.^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...