História ~ O novo estagiário ~ SasuSaku * - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chouji Akimichi, Deidara, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Haku, Hanabi Hyuuga, Hashirama Senju, Hidan, Hinata Hyuuga, Indra Otsutsuki, Ino Yamanaka, Iruka Umino, Itachi Uchiha, Jiraiya, Juugo, Kabuto, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Killer Bee, Kisame Hoshigaki, Konan, Konohamaru, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Maito Gai, Mebuki Haruno, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Personagens Originais, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Shisui Uchiha, Shizune, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju, Yamato
Tags Girl Power, Hinata, Ino, Naruto, Sakura, Sakusasu, Sasuke, Sasusaku, Shounen
Visualizações 601
Palavras 3.223
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Hentai, Josei, Lemon, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


São quatro da manhã e eu to ligada nos 220 xD

Meus lindos a mamãe está de volta !!!!!!

Nosso casal temperamental, sexual... Lindos está bombando *-* e saky como sempre está poderosa >.< essa mulher é demais !!!!

Mas.. E Sasuke? Delicia ate o último átomo HAHHAHAHAHAHA incrível né

Obrigada pra caralho por os comentários!!!! E os favoritos *3*

Chega de falar... O sono está vindo...

Bjs de luz ;'*

Capítulo 8 - História


Fanfic / Fanfiction ~ O novo estagiário ~ SasuSaku * - Capítulo 8 - História



- Senhora Haruno ? - eu a chamo mas ela continua dormindo - senhora Haruno, nós já chegamos - encosto em sua perna e ela acorda.

- O que... Eu dormi ? - ela pergunta manhosa enquanto estica o corpo.

- Sim, parecia cansada - digo.

  Dou a mão para ajuda-la a descer do veículo, mas ela não a pega me deixando com ela extendida - estou bem, não precisa me ajudar a sair - ele desce e caminha elegantemente como sempre faz.

     Fecho a porta do carro e corro até ela - está tudo bem ? Pensei que não dormisse em carros - digo curioso.

- Eu também pensei, mas vejo que a sua presença é mais benéfica do que eu pensava - ela diz com sua expressão vazia de sempre.

- De nada - digo me vangloriando.

- Preciso que vá até o setor do Shikamaru e peça pra ele quatro cópias da revista V magazine desse mês, duas da ELLE e duas da Vogue. Preciso ver como está a coleção do O'Hara, faz um bom tempo que não acompanho seu trabalho - ela esfrega as têmporas - preciso de férias.

- Certo - não consigo evitar de olhar para ela a cada dois segundos, mesmo que seja de relance.

Caminhquietaelo estacionamento da empresa, ela ainda meio sonolenta e muito calada. Estranho, pois eu sou o calado.

      " talvez ela só esteja cansada e não está muito afim de conversar, não que ela tenha sido afim alguma vez " penso encarando o chão.

- Uma moeda pelos seus pensamentos - ela diz me tirando dos pensamentos.

- Só estava pensando no motivo que deixou você tão quieta - digo sem jeito.

- E você sabe qual seria o motivo ? - ela para e vira o corpo para mim.

    - Eu?.... - com muita duvida no tom eu solto.

       Ela sorri como se estivesse me debochando - claro senhor Uchiha, não tenho outras preocupações sem ser você e sua petulância - ela retorna a caminhar, o barulho de seu salto alto ecoa no ambiente - vai ficar parado aí mesmo ?- já sem paciência ela me chama.

- Me desculpe - entramos pela escadaria e vamos para o hall de entrada.

- Bom dia senhora Haruno - Naruto me cumprimenta abrindo a porta dupla de vidro.

- Bom dia Naruto, preciso que venha a minha sala após o almoço, quero discutir com você sobre uma coisa - ele consenti com a cabeça e olha zombateiro para mim.

- Senhor Uchiha? Por quanto tempo pretende ficar olhando para o Naruto, e deixar de fazer suas obrigações ? - torno a virar para ela que estava dentro do elevador com os braços cruzados - é no final do corredor - ela diz antes da porta de fechar.

     Ando pelo longo corredor, vejo fotos de um homem com os cabelos estranhos e claros, usando vários ternos diferentes.

- Esse é o pai da senhora Haruno - uma voz feminina me faz saltar de susto - ola Sasuke - Karin estava com uma pilha gigantesca de papéis em mãos, mal dava para ver seu rosto.

- Ola Uzumaki, quer alguma ajuda ? - eu tento pegar alguns papéis para alivia-la mas ela recua.

- Não precisa, provavelmente ela já lhe deu alguma tarefa, não quero atrapalhar - ela passa por mim correndo e tentando equilibrar tudo aquilo naqueles braços pequenos.

- Pare de ser teimosa, já basta a Sakura - pego metade da pilha - aonde está indo com isso tudo ?

- Para a sala do senhor Nara - ela diz.

- Ótimo estou indo para lá também, viu! Você não está me atrapalhando em nada - digo sorrindo.

- O-ok - ela gagueja - como consegui chama-la assim? - ela pergunta.

- Assim como ? Sakura ? Esse é o nome dela pelo o que eu saiba - viram os a esquerda.

- Todos falam que ela é muito assustadora e rígida - ela comenta.

- É bem pior que isso, mas ela é uma boa pessoa quando está de bom humor - ambos gargalhamos - e como você sabia que aquele era o pai dela ? 

- Me admira VOCÊ não saber disso, como vem trabalhar para uma empresa sem ao menos fazer uma breve pesquisa sobre ela ? Isso é muito descuido da sua parte - ela diz séria.

- Naruto me indicou aqui, ele não seria idiota o suficiente para me colocar em alguma roubada, mas enfim, aonde ele está ? - pergunto.

- Você não tem televisao na sua residência? Tanto a mãe como o pai faleceram num acidente de carro, Sakura, quer dizer, a senhora Haruno estava no carro nesse dia mas ela conseguiu sobreviver sem um arranhão, o que foi bem incrível pois o carro ficou aos pedaços - eu havia parado de ouvir na parte do acidente do carro. 

      " Eu sei ... Mas não posso " penso em seu olhar ao dizer isso.

- Faz muito tempo que isso aconteceu ? - estava com o peito pesado. Tento imaginar como ela ficou naquele dia, como ela lidou com aquilo tudo sozinha, a vontade de ter estado lá somente para dar suporte que ela precisava.

- Hoje faz quatro anos, por isso as fotos do fundador da empresa estão espalhadas pelo hall - 

       Então esse é o motivo para ela estar assim, e eu, ingênuo, pensando que o problema estava em mim, nunca me senti tão idiota como agora. Finalmente chegamos a sala do Nara.

- Com licença, senhor Nara, a senhora Yamanaka pediu para você analisar isso e depois aqueles que estão com o senhor Uchiha - ela coloca os papéis sobre sua mesa e eu faço o mesmo.

- Meu senhor, quanta coisa ... - ele reclama.

- a senhora Haruno pediu algumas revistas, são exatamente 3 das V magazine, 2 da ELLE e 2 da Vogue - digo.

- Ela disse de qual país ela quer ? - ele pergunta ao se levantar.

- Não, me disse somente isso, eu vou ver e volto aqui.

- Não é necessário, eu ligo daqui - ele pega o telefone e liga para ela - estranho, ela não está atendendo - ele tenta novamente - deve estar ocupada.

     - Se ajuda, ela disse que queria ver como anda a marca do O'Hara - digo.

- Ah, menos mal - ele pega as revistas e coloca em meus braços - são as nacionais - ele se joga na cadeira e olha desanimado para os montes de papéis a sua frente - complicado - ele suspira - agora podem ir, estou atolado de coisa para fazer - olho para a ruiva e nós deixamos a sala.

      - Obrigada pela ajuda Sasuke - ela parecia mais a vontade com a minha presença.

      - Relaxa, não foi nada - paramos frente ao elevador e eu aperto o botão. Bato os pés de nervoso, pensando em como eu poderia falar com ela sobre a morte dos seus pais, ou dizer que sentia muito pelo o que aconteceu. Talvez ela não queira falar sobre isso, mas e se eu não falar sobre isso e ela achar que eu sou insensível? E ela liga para algo que envolva sensibilidade? - pior do que ter uma namorada - digo baixo e suspiro.

     - O que ? - havia esquecido que Karin estava ao meu lado.

     - NADA! - falo alto. 

     Entramos no elevador e a porta se fecha, encosto no espelho e suspiro novamente. " acho que não irei falar nada, se ela comentar eu ditei algo sobre " penso. Percebo que a atmosfera está densa, olho para o lado e percebo que ela está nervosa e agarra uma pasta cor de rosa contra seu corpo - está tudo bem ? - tento tocar em seu braço mas ela recua - eu não vou fazer nada contra você, calma - volto para meu lugar.

      Ficamos em silêncio até o elevador chegar em seu andar e ela sair correndo.

     - Ue... Não entendi - coço a cabeça e subo mais um anda. O elevador anuncia minha chegada ao andar e abre as portas - ta pesado, por que uma revista com quinhentas páginas ? - ando pelo corredor até chegar em sua sala, coloco a caixa no chão e abro a porta, mas ela não estava lá - senhora Haruno? - a chamo mas não ouço nenhum barulho.

     Entro em minha sala e ela está lar sentada na minha cadeira com um headfone gigantesco, estava segurando um lápis e um pedaço de papel - Ah.. - ela tira o fone - demorou senhor Uchiha - ela se levanta - pode se sentar.

- As revistas estão em cima da sua mesa - digo.

- As traga para cá e minha cadeira também - ela estava nervosa, nunca a tinha visto assim.

- OK.. - vou para o outro cômodo e pego a caixa a coloca em cima da cadeira e as levo para minha sala - aqui está - a coloco ao lado da minha.

- Obrigada, vamos olhar as revistas, já que você participou do incio do processo irá participar até o final - ela diz abrindo a caixa - depois da sessão de fotos teremos o grande evento de moda que reúne todas as marcas num grandioso desfile e você irá comigo, é um evento de gala já aviso logo, e eu odeio esses eventos, mas não posso deixar de ir - ela folheia a ELLE até achar alguma coisa da marca dele - estranho aqui não tem nada - ela pega outra a V Magazine - e nem nessa - e por último a Vogue - mas, como assim - ela pega o celular - Hideo? É a Sakura, o que houve com a publicidade da sua impressa? Acha mesmo que sem estar nessas revistas a sua marca irá vender ? - ela espera ele falar - na In Style? Mas essa é uma revista simplória demais para sua marca Hideo - ela fica muda novamente - Claro que sim, as fotografias da V Magazine são espetaculares, a própria Lady Gaga saiu da na capa há algumas meses atrás, então dê o seu jeito ou eu não irei patrocina-lo no próximo fashion week - ela desliga.

- Por que se importa com a empresa dele ? - de monstro não gostar.

- Pelo simples fato de que eu ja assinei um contrato e com isso eu sofro junto com a imagem dele - ela esfrega as têmporas, percebo que isso é um hábito dela quando lida com algo complicado.

- Entendo.. Senhora Haruno? Vocês não criam mais roupas? Lembro de quando era pequeno todos queriam usar as roupas daqui - ela respira fundo.

      - A última criação foi há seis anos, somente meu pai desenhava e costurava, e como ele faleceu não tive coragem de fazer algo assim - ela 

olha pela janela.

- Não quis entrar num assunto tão delicado, mas senhora Haruno, logo as empresas vão começar a se desenvolver e crescer por sí e o que irá acontecer com todo o trabalho que seu pai se dedicou? Não deixe o medo de arriscar atrapalhar os seus sonhos - ela se senta ao meu lado novamente. Sua mão aperta minha coxa.

- Tem razão senhor Uchiha, tem toda razão, mas tem um porém... Eu não estou com tempo para sentar e criar uma coleção, e costurar - diz desanimada.

- Eu ajudo! - nervoso por causa da sua mão eu acabo gritando e ela RI - sei costurar e posso te ajudar no processo de criação - digo animado.

- Não irei descartar essa ideia, depois da fashion week verei se o mercado estara viável para arriscar dessa forma - ela parece estar falando sério e sua mão sobe mais um pouco, seu rosto se aproxima mais do meu e eu fecho os olhos.

Alguém bate a porta.

- Entre - dizemos juntos.

- Estou aqui senhora Haruno - Naruto entra.

- Ah, Naruto, bem na hora - ela diz e se levanta

     " É, bem na hora " penso.

- Naruto, preciso que implante um novo sistema de segurança na minha sala, vi um que eu me encantei e gostaria de saber se existe essa possibilidade. É um sistema de digitais, do qual você cadastra as digitais que você deseja e só poderá abrir a porta quem estiver cadastrado.

- Não será difícil, só preciso dos nomes das pessoas que está ou autorizadas - ele diz.

- senhor Uchiha anote para mim - pego uma papel na gaveta e uma caneta - Ino, Sai, Naruto, Você ( Sasuke ), Karin, Shikamaru, Lee e Eu. O resto, contando os três investidores não estão autorizados de entrar aqui sem l meu consentimento. Ah sim, mais uma coisa, quero também poder deixar bloqueado para ninguém abrir a porta quando eu estiver trabalhando, para que ela só seja aberta por dentro.

- Certo, algo mais ? Ah sim, Hinata mandou um bolo para a senhora, o seu favorito e está te convocando a ir jantar na nossa casa na sexta-feira, e leve esse ingrato junto. Ela disse que não aceita um não como resposta - eu entrego a lista para ele.

- Não, somente isso, eu estarei lá e ele também- não gosto desse tipo de confraternização - quando conseguir tudo me avise. - Naruto a reverência e sai.

- Senhor Uchiha, nós vamos sair - ela diz ao calçar os saltos - agora.

- Vamos para onde ? - pergunto mas ela não responde. E eu novamente, resolvo não insistir.

  Deixamos a sala e entramos no elevador, olho para o lado e ela continua com a mesma expressão vazia e isso me deixa nervoso, pois ela é imprevisível, bipolar, louca, gostosa.. E que par de pernas.. Me perdi de novo - vamos comer primeiro? Estou morrendo de fome - ela olha para mim.

      - Claro, passamos em algum lugar no caminho - ouço seu celular tocar - Haruno falando - alguém grita do outro lado da linha - fico aliviada, se ela e o bebê estão bem pra mim está ótimo! - era o motorista - Lee, não se preocupe, cuide dela para não tomarmos outro susto igual a esse - ele fala muito alto, não sei como ela aguenta - ele Irá me levar até lá, está tudo bem - ela sorri - sim, fique com ela até que tudo esteja cem porcento - ela desliga.

     - Está tudo bem ? - pergunto.

      - Sim, eles estão bem - ela guarda o celular na bolsa e o elevador para ao chegar no estacionamento - deve ser bom, se tornar mãe.

- Nunca pensou em ser ? - pergunto.

- Eu não seria uma boa mãe - ela diz desanimada.

- Não concordo com isso, vejo como cuida de todos. Ao meu ver você seria uma ótima mãe - ela me olha de canto e sorri.

- Quem sabe um dia - entramos num carro diferente dessa vez, um muito antigo, um Opala' 67 vermelho.

- Carro lindo, você tem um bom gosto - digo.

- Era do meu pai - ela coloca o cinto e eu dou a partida - vamos parar numa casa de panquecas aqui próximo, é só virar na próxima esquerda e percorrer uns quatro ou cinco quadras.

- OK - com o carro já na estrada eu olho para ela compenetrada no caminho - aonde iremos depois ?

- Ao cemitério - ela diz.

Odeio lugares mórbidos.

Chegamos ao local que ela havia dito e pedimos para viajem cinco panquecas de queijo com frango e voltamos para o carro.

- abra a boca - ela diz - continue dirigindo, eu te dou o seu - ela estava querendo me alimentar - vamos.

Abro a boca e ela coloca um pedaço da panqueca nela - nossa que delícia - digo com a boca cheia.

- realmente é, sempre como alí - ela enfia uma panqueca inteira na boca e aproxima o garfo da minha - aaah - ela pedi para eu abrir a boca.

Ela abria a boca junto a minha e isso estava me deixando inconfortável.

Acabamos de comer e falta alguns minutos para chegarmos.

- Vou colocar uma música, se não se importar - ela conecta o carro com o celular.

- Por mim tudo bem - balanço os ombros. Um rock começa e me assusta saber que ela gosta desse tipo de música, pois ela estava ouvindo um pop dias atras.

- Conhece ? - ela pergunto e eu nego - chop suey! Da banda System of a Down, muito boa.

A batida era realmente boa e contagiante - a letra é interessante - eu digo e a vejo de olhos fechados cantando. Ela estava vulnerável para mim naquele momento, balançando a cabeça, batendo os pés ao ritmo da bateria.

- Father, into yours hands I commend my spirit, father into yours hands ( pai, em suas mãos eu entrego meu espírito, pai, em suas mãos ) - ela cantava como se aquilo fosse o que ela quisesse expressar naquele momento - Why have you forsaken me? In your eyes, forsaken me, in your throughts, forsaken me, in your heart forsaken me ( por que você me abandonou? Em seus olhos, você me abandonou, em seus pensamentos, você em abandonou, em seu coração, você me abandonou ) - a forma como ela cantou doía, aquilo era profundo demais até mesmo para mim - trust in my self righteous suicide, I cry when Angels deserve to die ( acredite em meu suicídio moralista, eu choro quando anjos merecem morrer ).

A música acaba e segue para outra que eu não ouço pois ela havia abaixado o volume - realmente a letra é boa.

Chegamos ao nosso destino. Deixo o carro numa vaga e ambos saímos dele - espere aqui - ela corre até a floricultura e compra um buquê de violetas - vamos.

Caminhos em silêncio, mas por dentro eu estava inquieto, a cena do carro foi demais para processar, nunca pensei que a rainha do gelo tivesse um lado tão... Humano.

Ela para a frente a duas lápides e percebo pelos nomes que são seus pais - eu voltei - ela diz para elas - esse é o meu novo escudeiro - ela coloca o buquê sobre o túmulo de sua mãe e junta as mãos orando por eles e eu faço o mesmo.

- prazer em conhece-los - digo baixo e continuo a rezar.

- Gosta de histórias senhor Uchiha ? - ela pergunta - era uma vez um casal maravilhoso que teve uma filha dos cabelos cor de rosa, antes dessa menina eles eram felizes e sempre se amavam, após o nascimento dela as especulações de que a garotinha não era filha dele eram enormes pela cor de seus cabelos e olhos verdes esmeraldas. A mãe da criança jurava que não havia se deitado com nenhum outro homem na vida a não ser ele, mas mesmo após o teste de DNA ter dado positivo ele continuava a desconfiar - ela não tirava os olhos da lápide de seu pai - os anos se passaram e essa menina cresceu, extremamente inteligente e não quis seguir o ramo da família e seguiu seu próprio sonho, em ser uma renomada neurocirurgiã - ela engole em seco como se estivesse segurando o choro - porém, um dia antes dela se formar, eles brigaram muito sobre isso, e resolveram passear para refrescar a cabeça, seguiram os três dentro do carro, mas num súbito de ciúme dele para com a mãe ele jogou o carro no barranco os matando e deixando a filha desamparada, sem sonhos ou espectativas...

- Sakura...- a abraço e ela retribiu o mesmo - sinto muito pela sua perda... 






Notas Finais


Desculpem qualquer erro... Foi o sono xD

Até...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...