História † Psychopathic Passion ♡ - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Álcool, Bangtan Boys, Bts, Deathfic, Drogas, Jikook, Lemon, Longfic, Mistério, Suspense, Tortura, Tragedia, Vhope, Yaoi, Yoonmin
Visualizações 28
Palavras 2.075
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


To caindo de sono perdoa os erros eh nois hj e sempre
Leiam as notas finais por favor eu imploro :')

Capítulo 9 - Oh Man Holy Shit.


Pov Jimin


Não que eu tenha acordado de um sonho com lembranças do dia de ontem e que estivesse beijando o travesseiro e que o sonho tenha a ver com a boca do Jungkook na minha, mas foi isso mesmo, que venham os processos.

Eu costumo ter pesadelos todas as noites a quase dois anos e esta foi a primeira em que eu pude dormir todas as horas seguidas até de manhã. Eu me senti relaxado e revigorado pela primeira vez em meses. Parecia um milagre, mas era só uma noite bem dormida. Quem me vê de longe já diz que eu vou muito em festas, fico até muito tarde online conversando a toa, mas era só meu trauma psicológico.

Nada de mais.

Besteira.

Bobagem.

Tsc. Inúteis.

Sempre odiei que me julgassem sem ter a menor ideia de quem eu sou. Odiava ainda mais quando me conheciam e preferiam tirar conclusões próprias.

"Jimin, porque se isolou do mundo?"

"Já faz tanto tempo, tenta superar isso."

"Você só fica trancado em casa cuidando desse muleque, você não era assim!"

"Você mudou tanto, parece que quem morreu foi você..."

E com isso já deu para entender onde estão meus antigos "amigos".

Aqueles que eu esperava o minimo de consideração, talvez um pingo de respeito. Até porque isso é algo que, na minha humilde ignorância, deveríamos ter com o próximo independente de conhecê-lo ou não.

Digamos apenas que na minha cabeça era: "Sem respeito o mundo não gira".

Até pode parecer que eu errei. Mas o mundo girou bem forte jogando as pessoas erradas, na hora certa, para longe de mim.

Eu nunca mudei. Eu me blindei. Porque diante de tudo que acontecia na minha vida, não bastava apenas construir um muro de tijolos e pronto.

As pessoas destroem tudo.

Então eu fiz uma blindagem.

De todas as coisas que eu poderia ter feito essa foi a que menos me mudou.

Eu poderia ter me tornado uma pessoa fria.

Me isolado, literalmente, e virado uma pessoa amarga.

Mas eu preferi me defender apenas de quem parecia querer o meu mal. De quem não me fazia bem.

E aquele "muleque" que eu cuidei, céus, ele me fazia tão bem.

Eu sorria o tempo todo junto a ele.

Sua presença aquecia o ambiente de uma forma tão prazerosa.

Era impossível ficar longe dele.

A verdade é que eu gostava demais daquele menino. Em todos os sentidos possíveis e existentes.

Eu não agia como um garoto na adolescência se apaixonando pela primeira vez.

O que eu sentia era exatamente o que eu transmitia, e se isso era exagerado, foda-se o mundo.

Sempre fui assim, emocional.

Detestava que, enquanto eu transbordava de sentimentos por alguém, o último citado era um copo seco, no máximo meio copo.

Jungkook transbordava.

Ele era complexo e simples.

Composto e derivado.

Comum e propriamente dele.

Único.

Assim como ele tinha pairando ao seu redor a névoa de bobeira, eu tinha uma névoa de admiração pela criança que ele era e pelo homem que se tornava nos momentos mais intensos.

Percebi que já estava nessa tal névoa a um tempo e decidi me levantar logo e tomar um banho.

Saindo do mesmo, fui até minha cômoda e escolhi uma roupa, a vestindo em seguida. Andei até a cozinha e peguei meu celular que havia ficado na mesma e nele tinha algumas mensagens.


Jungkookie: Bom dia, hyung >•<

Taehyung: to indo ai esteja vestido

Pai: Bom dia, meu filho.

Jungkookie: [foto]

Pai: Alguma notícia de seu irmão?

Jungkookie: JIMIN QUAL O NOME DESSA BEBIDA?

Jungkookie: É MUITO BOA VC SABE FAZER??

Jungkookie: FAZ PRA MIM JIMIN


Não posso dar a resposta que eu gostaria a meu pai então mando somente um "infelizmente, não" e desvio de possíveis confusões futuras.

Ignoro a mensagem de Taehyung e olho as mensagens de Jungkook.

Ele vivia me pedindo para lhe preparar bebidas de graça. Já que eu trabalhava em uma balada como bartender "não custa nada, hyung, poxa larga de ser chato é só um copinho".

Talvez não faça o menor sentido eu trabalhar em um lugar a noite, já que parte do meu trauma também se fixou em que "nunca devemos sair a noite de novo", mas eu chego lá consideravelmente cedo e passo a madrugada e parte da manha lá. Quando chego em casa, já está claro, e isso é um ponto positivo.

Era isso ou trabalhar no Starbucks. E cá entre nós, é muito mais divertido por vodka em taças do que por creme de caramelo naquele copo de plástico.

Também era mais divertido ver o desespero e o nervosismo de algumas meninas quando me viam.

Bom, devia ser melhor que atender velhinhas surdas que insistem em apertar suas bochechas te chamando de bom menino.

Jungkook dizia que trabalhava, mesmo não precisando. E parando para pensar, eu nunca lhe perguntei em que.

Tomo uma nota mental para interroga-lo assim que possível.

Lhe respondo e encaro o celular.


Eu: Se vc pagar eu faço


Ele não demorou para me responder.


Jungkookie: Posso te pagar em comida ou em beijo oq vc prefere?


Desgraçado. Sabia que ele ia fazer isso. Eu até já imaginava as inúmeras chantagens que aquele idiota ia fazer comigo.


Eu: oq vc acha q eu gosto mais?

Jungkookie: eu acho vc um faminto, mas considerando q eu sou irresistível...

Eu: vc tem razão

Jungkookie: eu sempre tenho

Eu: me compra um kimchi

Jungkookie: ...

Jungkookie: tchau Jimin.


— Ai que fofinho, tá apaixonado...

— CRUZES GAROTO DE ONDE VOCÊ SURGIU??

Nem percebi que sorria olhando para o celular quando Taehyung brotou atrás de mim.

— Se você não tivesse distraído conversando com seu namoradinho tinha visto a mensagem que eu mandei avisando que viria.

— Primeiro, não tô namorando com ninguém sossega o rabo e segundo eu vi a mensagem.

— Então por que tá perguntando de onde eu surgi?

— Porque eu tomei um susto?

— Tomou? Sabe que eu nem reparei?

Dou um soquinho no seu braço e ele se joga no sofá rindo.

— E ai, como está a vida de Park Jimin?

Sento no sofá ao lado dele e falo simplista.

— Ah, tava uma merda até eu beijar o Jungkook.

— Desanima não, cara, isso acontec-QUE VOCÊ BEIJOU ELE??

— Beijei —digo sorrindo me lembrando de seu rosto corado depois do beijo.

— Me conta tudo agora mesmo, quero detalhes, demonstração, amostra de saliva, fala tudo, não me esconde nada.

— Falar o que, menino? Foi só um beijo...

— Ah para, Jimin. Você e Jungkook são duas personificações da luxúria, vai me dizer que não teve nem uma língua? Uma mão esperta?

— Não seria mão boba?

— Esperta é aquela que pega no lugar certo, você nunca ouviu isso?

— Sabe que não, conte me mais.

— Para de mudar de assunto! Me conta como foi!

— Não quero, você vai me encher.

— Prometo que não.

— Ok... —suspirei e lhe contei, superficialmente, como foi.

Ao terminar ele me encarava com uma expressão pensativa e surpresa.

— Mas...ele beija bem?

— Aish, para de perguntar coisa assim...

Ele me olhou levantando uma sobrancelha.

— Beija bem pra um caralho.

— Ah seu safado... E como vai ser agora? Você falou com ele hoje?

Mostrei a ele a conversa que tinha acabado de ter com Jungkook e Tae riu.

— Que viado difícil você...

— Haha.

— Enfim, tô muito feliz de verdade que você pegou aquela delícia de jeito, Jiminie, mas eu já vou indo, tenho umas coisas da boate pra resolver.

— Coisas graves, coisas perigosas, que tipo de coisas?

— Uns meninos novos, nada demais, se preocupa não. —disse se levantando do sofá.

— Tudo bem, se cuida Taetae, vê se me liga, viu? —me levantei e o abracei.

— Quase esqueci... —ele se afastou e pôs a mão no bolso pegando algo de lá.— Sua chave reserva.

— Obrigado —coloquei a chave na bancada da cozinha e acompanhei Tae até a porta.

— Até depois, Tae!

— Até. E...Jimin?

— O que?

— Se pegar ele de novo me conta, hein?

— Tchau, Taehyung...

Voltei a cozinha e peguei me celular olhando as horas.

Puta merda são 5 e meia da tarde.

Desbloqueio o aparelho que já tinha outras mensagens de Jungkook.


Jungkookie: vc é mal jiminie

Jungkookie: qro ver se vc diz q prefere comida doq a mim na minha cara

Eu: a porta ta aberta mas eu vou esperar sentado


Larguei o celular na bancada e me sentei no sofá, ligando a televisão.

Pensei que ele não viesse. Fazia menos de uma hora que tinhamos nos falado.

Minha bunda já estava ficando quadrada quando ouvi dois toques na porta e em seguida a mesma sendo aberta.

Ouvi passos e em instantes um Jungkook sério estava parado na minha frente com os braços cruzados.

Ele usava uma calça de couro apertada demais para minha escassa sanidade, uma blusa de manga comprida que demarcava seu tronco definido e mostrava parte dele pelo decote em V. Eu estava tendo o privilégio de ver suas tatuagens que ele raramente mostrava.

Ah que pecado.

Normalmente eu só via algumas rosas que ele tinha no pescoço e tinha acabado de saber que elas não paravam ali e sim seguia para o tronco. Ele tinha alguns desenhos pelo braço e talvez tivesse pelas costas também, mas o meu sonho de ver nunca tinha de realizado.

Ainda.

Engoli seco e ele sorriu de canto.

— Tô esperando, Jimin.

— Hm? —eu não conseguiria falar sem gaguejar e aquele som foi desespero mesmo, afinal ele tinha passado a língua em seus lábios e trincado o maxilar.

— Eu disse que estou esperando.

Eu era covarde demais para não fugir, mas orgulhoso demais para recuar.

Nunca gostei de mentiras, vamos ser sinceros.

Não só o escolheria ao invés de comida, eu até passaria fome por ele.

Por mais engraçado que fosse, Jungkook já fez isso "por mim".

Nós "brigamos" porque ele me chamou de inútil. Ele disse também que eu era fresco por ficar chateado, daí eu fiquei ser falar com ele e o mesmo duvidou dizendo que não comeria nada até eu voltar a falar com ele. Ficamos uma semana nessa palhaçada. Ele vinha na minha casa. eu ignorava ele, a gente ficava um encarando o outro em um quase silêncio, já que a barriga dele roncava cada vez mais alto, até que eu "cedi". Na verdade eu briguei com ele, de novo, por causa da sua "greve de fome" e voltei a falar com ele na base de gritos lhe enfiando comida a força.

— Eu prefiro você do que comida. —murmurei inaudível.

Ele se sentou na minha perna e eu senti meu baixo ventre formigar.

— O quê? Você tem que falar mais alto, Jimin...

— Prefiro você que comida...—murmurei um pouco mais alto, porém bem enrolado.

— Deixa eu te ajudar a desenrolar essa língua.

Não tive nem tempo para pensar antes que ele colasse seus lábios quentes nos meus.

Ele transmitia um calor forte. Meu corpo ficava ainda mais quente a cada segundo. Amava seu beijo lento. Ele parecia um louco se segurando para não perder o controle.

Nossas línguas se encontraram, se movendo lentamente uma na outra, explorando a cavidade bocal alheia. Era tão bom que eu mesmo queria estar vendo essa cena.

Ele chupou meu lábio inferior me fazendo arfar.

Confesso que eu mesmo me sentia um louco com aquele menino.

Recuperando o fôlego, ele parou o beijo, mas eu não parei. Fui até seu pescoço, descendo o beijo até suas clavículas e dando mordidinhas em seguida para lhe causar arrepios, alcançando êxito.

Ele se derretia nos meus braços.

Tão indefeso.

Eu poderia simplesmente puxar suas pernas e enlaça-las em minha cintura o fazendo sentar em meu colo.

Tentador.

Porém muito precipitado.

Nos afastamos de vez e ele deitou a cabeça em meu peito se aconchegando em meu corpo.

— Já são 7 horas.

— Eu não quero que você vá, hyung... —ele disse meio manhoso.

— Mas eu volto de manhã cedinho, não se preocupa.

— Tudo bem, vou deixar você trabalhar, também tenho que ir mesmo. —disse se levantando de meu peito.

—Você nunca me contou onde trabalha, no que...

— Não vou contar, você vai me zoar.

— Conta logo, Jeongguk.

— Não...

— Conta! Conta!

— Aish, Jimin, cê é muito chato...

— Aham, conta.

— Tô tentando ser tatuador, caralho.

— Uou. —disse surpreso— Por que eu te zoaria? Você desenha bem.

— Porque não tá dando certo.

— Você tem foto de alguma que já fez?

— Não, mas fiz as flores do meu tronco pra baixo. Meu amigo fez o restante. É por isso que não mostro, tá uma merda.

— Posso pelo menos ver?

Ele deu um longo suspiro e apenas puxou a barra de sua camisa e a tirou revelando seu tronco com incríveis rosas vermelhas e espinhos tão reais que pareciam espetar a pele dele. E mais uma vez, a tatuagem não parava no tronco e sim desciam agora para o limite de sua cintura, indo até sabe lá onde. Ele tinha o abdômen definido e o peitoral bem desenvolvido.

Todo perfeito. Todo gostoso. Maldito.

Meu queixo tinha despencado e tudo que se passava na minha cabeça era que aquele homão da porra tava sentado na minha perna.

Meus dedos gelados foram até as rosas, tocando ali involuntariamente e arrepiando sua pele.

— O que achou? —ele perguntou.

— Ah cara, puta merda.


Notas Finais


Oin meus bebês lindos
Qm ta gostando levanta a mão \(°-°)/
ADIVINHA QM POSTOU ONE SHOT TAEGI
EU MESMA ALOHA MELLO
https://spiritfanfics.com/historia/cuide-bem-deles-por-mim-sim-9981057
Essa é só uma das coisinhas q eu venho fznd e q ta atrasando as postagens dclp mas eu n me controlo
Vai ter mais minha gnt fiquem no aguardo ate o próximo cap xuxus 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...