História - Quase um sonho (Imagine Jungkook) - - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Drama, Romance
Visualizações 213
Palavras 2.941
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Luta, Poesias, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha quem voltou... santa semana.
Eu não tive tempo nem de dormir nessa semana...
Mas voltei..
Espero que gostem..

Capítulo 28 - Capítulo 28 - Mala pronta.


> s/n On <
 

Duas semanas depois...

Já se passou um bom tempo desda ultima vez que falei com Jungkook, da ultima vez que o beijei.

Depois daquele dia as coisas melhoram.

E claro que no dia seguinte daquele incidente eu ainda recebi um bilhete da Sarah
 

" Espero que tenha entendido seu lugar"
 

E depois nunca mais recebi um bilhete, nem mesmo um sussurro de provocação.

Você deve estar se perguntado:

 

~ O Jungkook não te procurou nenhuma única vez?~
 

Procurou.

Ele me procurou no dia seguinte.


> Flashback On <
 

Cheguei na escola bem cedo, não queria andar nos corredores e ser encarada.

Jk: - (s/n)!!!
 

Olhei pra trás. O corredor estava vazio tirando o menino vindo à minha direção.

Meu coração parou.

Eu tinha treinado no espelho o que precisava falar, mas agora com ele, o real Jungkook vindo à minha direção, as coisas eram diferente.

Eu: - Jungkook olha.
 

Ele parou alguns passos de mim.

Lembre-se de tudo S/N.

Minha barriga estava fria, era como estar em um elevador que despenca do 22º andar.

Eu: - Eu não estou brava com você.
 

Respirei e tomei fôlego. Você consegue S/N.

Você sabe o que precisa dizer.

Eu: - Eu sei que você veio falar comigo sobre qualquer outra coisa, e vou fingir que você não veio cedo pra escola pra falar comigo. E só que, eu realmente preciso pensar. Eu não tenho nada contra você, mas também não tenho nada a favor.

 

Ele abriu a boca pra falar.

Eu: - Escuta.
 

Ele ficou parado. Eu não conseguir olhar nos olhos dele, se o fizesse me perderia, e tudo que sairia seriam engasgos sem nexos.

Não parecia tão difícil, mas ali a poucos passos dele, era como se você tivesse ganhado na loteria, mas  sabia que iria ficar viciada no dinheiro e então não foi pegar o prêmio.

Eu: - Você infelizmente é a representação de tudo que eu estou tentando evitar. Eu não quero ser chata, ou egoísta, mas você sabe tanto quanto eu que não vai dar certo.
 

Ele apenas me encarava.

Suspirei de novo. Segurei as lágrimas.

Eu estava olhando pros pés dele.

E isso estava insuportável, mas eu preciso terminar.

Eu: - E melhor parar com isso agora, antes que fique insuportável.
 

Ele abaixou a cabeça.

Eu: - Sinto muito.
 

Andei pra sala sem olhar pra trás.

Eu não chorei na sala, nem durante as aulas.

Eu já tinha chorado no dia anterior enquanto pensava exatamente no que falar pra ele.

Eu devia ter o deixado falar alguma coisa?

Provavelmente não, dependendo do que fosse eu recuaria na hora.

Ele parecia sempre saber o que falar, e quando falar.

Até me comparar com a Sarah.

> Flashback Off <


 

Agora duas semanas depois de tudo isso, as coisas só melhoraram.

Eu já tinha escolhido os clubes do qual participaria. A viagem para o Brasil seria amanhã e eu iria na casa  da Verônica pra arrumarmos a mala.

Eu iria ajudá-la, e iríamos conversar.

Eu me aproximei muito dela nas últimas semanas.

No intervalo sentávamos eu, ela, Shimi, algumas pessoas do clube de viagem, alguns do grêmio estudantil, e qualquer amigo em comum.

Nossa mesa tinha pessoas novas a cada dia, sempre tínhamos que alimentar o número de cadeiras.

A essa altura do campeonato eu já tinha desistido de ser invisível, eu só queria mesmo era criar um clima mais sociável.

E as pessoas da escola estavam reagindo bem a isso, parecia até um começo de uma era de paz, mas muita coisa tinha que mudar ainda.

Jun Pyo tinha feito um julgamento de um menino do primeiro ano que bateu em uma menina simplesmente por que ela não quis dormir com ele.

Não posso dizer que não concordei com a punição. Mas ainda não acho certo isso ser feito pelos próprios alunos.

O menino não poderia vir pra escola durante uma semana, teve que pedir desculpa pra menina na frente de todos ajoelhado de frente pra garota, não iria a nenhuma viagem por 3 meses, e por ultimo mas não menos insignificante,  Jun Pyo deu um jeito de falar com a mãe do menino, que deve ter apanhando muito em casa.

Eu não concordaria, mas ver uma menina de 14/15 anos de olho roxo simplesmente por que não quis fazer sexo com um idiota, me fez mudar de ideia.

Na sala de aula fiz amizade com a criatura que senta atrás de mim.

E ele trocou de lugar com o Jungkook na aula de química.

Então agora somos a melhor dupla ever, Tae e eu.

Jun Pyo não pegou no pé dele nenhuma vez, pra falar a verdade ele as vezes ainda fala uma ou outra frase pra nos.

Sarah está tremendo de saber que a Asami vai na viagem amanhã.

Ela está tão preocupada em ir na área VIP que não me provocou nesse tempo.

A escola toda ficou sabendo que a amiga dela Ellia transou com um menino no banheiro do teatro, na tarde do dia em que eu e Jungkook ficamos "conversando" no banheiro.

 

Ultimamente Jungkook nem olha nos meus olhos direito, eu ainda me pegava encarando ele de vez enquanto.

Mas tudo que ele fazia era ignorar, fingia que não via.

Estava me tratando como se eu fosse apenas uma menininha apaixonada.

Eu não podia ir lá e bater nele, e falar que ele está sendo um babaca, até por que eu pedi por isso, talvez indiretamente, mas pedi por isso.

Eu ainda acho que ele está de certo modo bravo comigo.

Nos beijamos no banheiro, e meio que gostamos daquilo, deixamos bem claro um pro outro isso, só que mesmo assim não foi o suficiente.

 

E se você acha que as pessoas não estão falando mais sobre a hierarquia se enganou, elas estão falando disso mais agora que nunca.

Durante a viagem os "reis" tendem a dar festas.

Pelo que eu entendi, eles podem dar desde uma festa de luxo, a uma reunião pequena no quarto dele.

Mas ambos tem que dar uma festa.

Todos só comentam sobre isso. Estão tentando adivinhar como vai ser as festas, os temas, os convidados, e como entrar nessa lista.

Eu descobri que alguns rituais de iniciação também acontecem nessas festas, mas ninguém quis me contar muito sobre o assunto.
 

E aqui estou eu, no teatro da escola, ouvindo um professor fazer um discurso sobre como essa viagem é focada no estudo e apenas nisso.

Honestamente eu não ouvi metade do que ele falou.

Shimi: - s/n acorda, a Verônica vai começar a falar.
 

Sai dos meus devaneios e voltei minha atenção pro palco.

Veronica tinha a função de falar como funcionariam as instalações no Hotel.

Ela e Shimi passaram um bom tempo conversando sobre isso.

Ve: - Bom dia a todos, eu como presidente do grêmio vou dizer como as coisas iram funcionar durante a viagem.
 

O teatro estava silencioso.

Ve: - Vamos passar 15 dias no Brasil, na ilha de Fernando de Noronha. Lá vamos fazer o trabalho que o professor acabou de explicar.
 

Ele tinha falado sobre um trabalho?

Olhei pra Shimi sentada do meu lado.

Shimi: - Te explico depois.
 

Voltei minha atenção para a Veronica.

Ve: - Sobre as instalações, ficaremos em um hotel 5 estrelas, com dois quartos diferentes. O quarto Master e o quarto Diamante.
 

Ele falou mostrando dois cartões.

Ve: - A segurança dos quartos e de ultima qualidade, todos vem com um cartão. E cada cartão e programado para ter uma senha, assim mesmo que você divida o quarto, seu cartão terá uma senha e o do seu colega outra.

Ve: - Os quartos Diamante possuem uma cama de casal, e é uma instalação pra apenas uma pessoa. Eles vêm equipados com dois banheiros, uma cozinha própria, sala e uma linda varanda.
 

Virei pra Shimi e sussurrei.

Eu: - O fato de ter uma cama de casal e ser apenas pra uma pessoa é bem contraditório.
Shimi: - Dependendo de quem seja o dono, com certeza não terá só uma pessoa lá dentro.
 

Voltamos nossa atenção pra Ve.

Ve: - Os quartos Master's possuem duas camas, mas não se engane, eles são mais parecidos com um apartamento. Possuem cozinha, uma sala pequena, e dois quartos com banheiros.

Ve: - Os quartos Master's tem um preço mais acessível, enquanto os quartos Diamantes tem vantagem próprias como comida servida no quarto, varando com ofurô, e outras vantagem que vão estar no folheto que eu vou entregar pra vocês.
 

Chique, mas deve ser bem caro.

Ve: - O hotel tem cozinheiros renomados, área de lazer, academia, piscinas, salas de reunião, e tudo que precisamos.
 

Parece que vai se bem interessante essa viagem.

~ Quebra de tempo ~
 

Após ouvir por pelo menos duas horas e meia a Verônica falando sobre a política do Hotel, as regras, e sobre o contrato que faríamos com eles, finalmente fomos dispensados.

Todos levantaram e seguram pra saída, mas eu continuei ali sentada.

E no final parece que não fui a única.

Shimizune tinha ficado do meu lado.

E Jungkook e Jimin estavam sentados a umas 7 fileiras na nossa frente.

Veronica estava descendo do palco e vindo na nossa direção.

Jungkook e Jimin se levantaram, andáramos te o final da fileira e depois de dirigiram pra saída.

- Hey Jungkook, por que eu não ouvi  ninguém falando da sua festa?
 

Uma voz conhecido soou atrás de mim.

Quando virei pra trás lá estava ele.

Jun Pyo, estava sentado atrás de mim, com apenas uma fileira agora vazia entre nos.

Levantei e Shime me acompanhou.

Jungkook tinha parado de andar, ele parecia pensar se deveria virar ou não.

Comecei a sair da fileira sigilosa pela Shimi, que assim como eu previa que o clima só iria piorar.

Jp: - Hey Veronica, me responde uma pergunta sobre as instalações.
 

Veronica olhou na nossa direção acompanhada pelo olhar do Jimin.

Finalmente cheguei na final da fileira agora era só andar até a saída, passar por Jungkook e não chamar a atenção.

Comecei a andar com a Shimi logo atrás de mim.

Jp: - Posso dividir o dormitório com uma menina, a (s/n) por exemplo?
 

Parei imediatamente.

Meu nome tinha sido mencionado e isso não podia ser bom.

Minhas costas automaticamente ficaram eretas assim que ouvi meu nome.

Jungkook virou pra trás como se o nome dele que tivesse sido mencionado.

É óbvio que o destino não foi nem um pouco gentil, e me colocou bem no meio de tudo aquilo, não só nas frases como literalmente entre os dois.

Meu corpo impedia Jungkook de olhar totalmente pro Jun Pyo, e por isso quem recebeu o olhar de ódio fui eu.

Assim que seus olhos encontraram o meu senti minha barriga afundar, assim como no dia que falei que as coisas não iam dar certo.

Os olhares de raiva do garoto foram diminuindo, mas não cessaram.

E aí eu pude concluir que Jungkook estava com certa raiva minha.

E meu estômago que já se encontrava frio levou um soco certeiro.

Dizer a mim mesma para suportar aquele olhar era impossível já que minhas pernas começaram a tremer.

 Eu podia sentir todos os olhares direcionados pra mim, mas apenas um par de olhos me atraia.

Um par de olhos que vagueia nos meus sonhos, que aparece até mesmo quando fecho os olhos.

Jungkook estava forte no seu lugar, ele não desviava o olhar, me encarava como se estivéssemos apenas eu e ele ali.

Ve: - Sim, vamos decidir manhã como vamos dividir os quartos, os alunos devem trazer o formulário preenchido com qual dos quartos ocupará.
 

O sim foi a única coisa que ouvi e consegui raciocinar, e parece que pro Jungkook também.

Ele começou a piscar os olhos e balançar a cabeça como se estivesse saindo de um transe.

Quando seus olhos encontraram os meus, estavam mais frios, mais distantes.

Ele tinha entendido, ou se lembrado de tudo que houve, pois agora me olhava como se tivesse recuperado a consciência, e parecia dizer a si mesmo que não ligava para a provocação do Jun Pyo.

Dei um passo na direção do Jungkook. Não sei exatamente por que, mas aquele olhar no rosto dele me parecia tão errado e por um minuto eu quis tirar isso.

Jp: - Bom então vejo vocês amanhã nos quartos Master's. Menos o Jungkook é claro.
 

Isso era um tipo de provocação?

Ouvi passos de aproximando.

Jun Pyo parou do meu lado.

Jp: - Até amanhã meninas.
 

Ele passou por Jungkook e saiu do teatro.

Procurei o olhar do Jungkook, mas ele só olhava pro chão.

E quando levantou o olhar voltou a me ignorar.

 Apenas seguiu com Jimin pra saída.

Deixando eu e as duas meninas me olhando.

Shimi: - (s/n), você está bem?
Eu: - Sim, só vamos embora logo.

~ Quebra de tempo ~
 

Cheguei em casa após ter ficado horas na casa da Verônica, finalmente eu voltei pra casa.

Antes de voltar pra casa eu passei em umas lojas e fiz algumas comprar.

Eu comprei roupas mais curtas e leves pra levar.

Tomei um banho e comecei a arrumar minhas malas.

Eu tinha arrumado meu apartamento no final de semana, mas precisava arrumar alguém pra me ajudar.

Acho que essa viagem vai ser boa pra mim.

Peguei o telefone, eu tinha que ligar pra algumas pessoas antes de ir.

Primeiro para a ajumma.

Eu tinha pegado o número dela no dia que fui na casa do Jeon.

Ela me foi bem útil nessas últimas duas semanas.

> Ligação On <

Eu: - Ajumma oi.

Ajumma: - S/n olá.

Eu: - Ajumma eu vou viajar.

Ajumma: - Sim eu fiquei sabendo.

Eu: - Eu preciso da sua ajuda. Nesses quinze dias tem como você vir aqui em casa, pelo menos pra dar uma olhada nas coisas.

Ajumma: - Sim, eu posso passar aí hoje e você me da uma cópia da chave.

Eu: - Sério obrigada ajumma eu vou esperar você chegar, meu endereço é XXXXXXXXXXXXX.

Ajumma: - Ok chego aí em meia hora, você já jantou?

Eu: - Ainda não.

Ajumma: - Então vou levar comida.

Eu: - Até ajumma.

> Ligação Off <
 

Desliguei o telefone feliz.

A ajumma sempre me lembra minha mãe.

Peguei a cópia da chave e coloquei na bancada da cozinha, comecei a arrumar a mesa para a janta.

Peguei o telefone de novo, agora seria uma ligação bem mais difícil.

Tocou uma vez, duas, cinco.

Ninguém me atendeu.

Tentei mais quatro vezes mas ninguém me atendeu.

Decidi ligar pra outra pessoa.

> Ligação On <

Eu: - Alô, tio!

Tio: - S/n?

Eu: - Hey tio.

Tio: - Que saudade s/n, como você está? Aconteceu alguma coisa?

Eu: - Também estou com saudade tio, eu estou bem, você sabe se aconteceu alguma coisa com o meu irmão?

Tio: - Você tentou ligar pra ele? Que eu saiba ele está em uma missão na Arábia.

Eu: - Ah, sim eu tentei ligar, agora sei por que ninguém atendeu.

Tio: - Aconteceu alguma coisa pra você querer ligar pra ele?

Eu: - Eu só iria avisar que vou viajar amanhã com a escola e vou ficar 15 dias fora.

Tio: - Pra que ligar você vai?

Eu: - Brasil.

Tio: - Sua mãe adorava aquele lugar, você vai visitar seus avós?

Eu: - Se eu conseguir.

Tio: - Você deveria, sua mãe gostaria  e seus avós ficariam muito felizes.

Eu: - Eu vou tentar tio.

Tio: - Precisa de alguma ajuda?

Eu: - Não, eu já achei alguém pra cuidar da casa, já escolhi o quarto e vou pagar tudo.

Tio: - Sabe que não precisa gastar o dinheiro dos seus pais, eu posso pagar tudo pra você.

Eu: - Realmente não precisa tio, eu peguei um quarto barato, tudo vai ficar bem.

Tio: - E como está a escola nova?

Eu: - Bem, eu encontrei amigos lá.

Tio: - Fico feliz, infelizmente eu tenho que desligar, mas por favor me ligue mais, eu quero saber como anda as coisas. Ok?

Eu: - Ok, tchau tio.

Tio: - Tchau.

> Ligação Off <

 

Antes que eu pudesse pensar a campainha tocou.

Ajumma tinha chegado.

~ Quebra de tempo ~

Ajumma: - Mas aí ele só correu.
Eu: - Ajumma e você não fez nada? Coitado do Bebê Jungkook.
Ajumma: - Eu disse pra ele não ir lá, ele foi porque quis.
 

Ri da história.

Estava lavando a louça enquanto a ajumma tomava um café.

Ajumma: - Fiquei sabendo que amanhã é a viagem de vocês, como você está se sentindo sobre isso?
Eu: - Bem, por quê?
Ajumma: - Jungkook parecia estressado quando ele chegou hoje.
 

Terminei de lavar o prato e virei pra ajumma.

Eu: - Estressado como?
Ajumma: - Ele pediu pra mãe que pegasse um quarto simples e compartilhado, mas ela não deixou.
 

Ele queria um quarto compartilhado.

Isso significa que as palavras de Jun Pyo tiveram algum efeito.

Eu: - Então ele vai ficar com o quarto  Diamante?
Ajumma: - Eu não sei o nome, mas ele vai ficar com o quarto mais caro.
 

Ele tem dinheiro pra isso.

Ajumma: - Bom eu já vou indo, já peguei a chave, já jantei e tomei um café delicioso, agora vou pra minha casinha.
Eu: - Eu já chamei o taxi, boa noite ajumma.
 

A abracei.

~ Quebra de tempo ~
 

 Acordei, extremamente animada.

Estava tão ansiosa que mal dormi.

Tomei banho e escovei os dentes.

Peguei a roupa que eu tinha separado, minha mala e sai.

Na cafeteira tomei um café e comi um misto quente acompanhada pelo Yukio.

Levantei, me despedi e fui pra escola.

Hora de ir viajar.
 

...Continua...
 


Notas Finais


Um cap maior pra compensar...
Foi muito difícil arranjar tempo pra escrever essa semana...
Mas não me abandonem.. eu prometo tentar..
Até a próxima coelinhos...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...