História -The Assassin- - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Originals
Personagens Davina Claire, Kol Mikaelson
Tags Kolvina
Visualizações 13
Palavras 1.732
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Uis... Finalmente o segundo capítulo ❤

Capítulo 2 - -O ACONTECIMENTO-


Fanfic / Fanfiction -The Assassin- - Capítulo 2 - -O ACONTECIMENTO-

-ANTES-
-5 horas antes dos assassinatos-

P.O.V. Kol ON

Eu estava totalmente arrumado , aquela festa ia ser inesquecível , tanto pra mim , quando para as pessoas que la estariam , literalmente, por que seria o ultimo dia delas.
Sorri enquanto me olhava no espelho , eu estava elegante , por mais que a festa fosse com trajes "informais".
Mas eu adorava contrariar , então , por isso , coloquei um terno da cor branca e uma gravata rosa avermelhada.
Eu estava realmente bonito , qualquer garota morreria pra me ter.
Mas eu não queria saber de relações amorosas, tudo que eu queria era continuar matando , isso sim me dava prazer.
Fui até a porta do quarto e abri a mesma , e ao sair do cômodo fechei a mesma.
Andei pelo corredor em direção ao elevador , uma bela moça ali estava aguardando o elevador também.
Eu sorri para ela , que se envergonhou toda e disfarçou olhando para a parede.
Entrei no elevador quando ele chegou e a moça logo entrou também.
Como o hotel tinha vários andares , demorou para que o elevador chegasse ao térreo.
Fui até a recepção do hotel e entreguei a chave ao recepcionista.
Quando olhei para a entrada do hotel , logo vi a moça que estava comigo sair.
Andei rapidamente e comecei a segui-la , e quando me aproximei o suficiente, peguei no braço dela e mostrei uma faca para a mesma.

- Escuta aqui , se você gritar , morre...

Para minha sorte ela não gritou e assentiu com a cabeça, guiei-a até um beco escuro e sem qualquer tipo de iluminação.
Chequei o lugar a minha volta para ver câmeras ou algo que filmasse oque eu iria fazer.
Não tinha nenhuma, olhei para a mulher , que me olhava assustada.
Dei um sorrisinho cínico e disse que ficaria tudo bem , oque era mentira , obviamente.
Ela tentou escapar mas agilmente peguei a pelos braços e peguei uma espécie de corda suja que estava ali.
Amarrei os seus braços e os prendi no suporte de uma suposta cesta de lixo abandonada.
Peguei um pano que estava no meu bolso e coloquei na sua boca , de uma forma que se ela gritasse , oque no caso ela iria tentar fazer , seus gritos seriam abafados.
Peguei a minha faca novamente e passei a ponta da lâmina encima da sobrancelha dela , forcei um pouco e fiz um grande corte no supercílio , ela gemeu de dor e gritou , mas esse foi abafado pelo pano.
Passei a faca em seus lábios e os fiz sangrar com um rápido movimento.
Eu ria enquanto ela tentava desesperadamente se desprender.
Com a faca na mão , um movimento lento e doloroso fiz ao cortar seu pescoço , me afastei e vi o sangue jorrar , logo vi seu corpo ceder a dor , ela me olhou vagarosamente , um olhar que queria dizer "Porque eu?"
Logo ela morreu , limpei minhas mãos e minha faca em sua roupa , sabia que os polícias iriam detectar minhas digitais , mas pouco me importava no momento.
Sai do lugar escuro e sujo , e olhei se horas em meu simples relógio de pulso.
Ja estava quase na hora da "festa" , eu tinha perdido a noção do tempo enquanto "me divertia".
Andei até a grande mansão em que ocorria a festa , e logo me deparei com as pessoas ali , não eram muitas , no máximo 30.
Com certeza o organizador da festa era um "filhinho de papai" , e eu odiava esse tipo de gente.
Ao adentrar o lugar , fui até a mesa de bebidas e peguei um copo de Whisky , uma das minhas bebidas favoritas.
Esperei até que já fosse noite e então , parti para o ataque , subi as escadas e fui até o segundo andar , que continha apenas duas pessoas , que estavam se beijando apaixonadas.
Logo peguei a faca na mão e ataquei o homem no pescoço, que caiu morto no chão.
A mulher gritou e pediu socorro , e era exatamente isso que eu queria , logo ataquei-a também , outras pessoas subiram ao segundo andar da Mansão , e pouco a pouco , matei-as , algumas mortes foram rápidas e sem dor , outras , lentas e dolorosas, o meu jeito preferido de matar.

P.O.V. Kol OFF

-AGORA-

Davina acordou e logo se espreguiçou , esticando seus braços.
Levantou-se e tirou suas roupas , prendeu seus lindos cabelos negros em um coque frouxo e foi até o banheiro , logo tomou um banho rápido e se enxugou , enrolou a toalha envolta de seu corpo e andou até o guarda-roupa.
Escolheu uma roupa e a colocou , logo pegou seu distintivo policial de investigadora e o colocou na bolsa.
Andou até a porta de sua casa e saiu da mesma , trancou-a e colocou a chave na sua bolsa.
Esperou alguns minutos até que um taxi chegasse , e quando avistou um , acenou e fez o motorista parar , sorriu e entrou no carro , pediu ao homem que ja era de uma certa idade que a levasse até a delegacia.
O homem assentiu com a cabeça e logo se pôs a dirigir ao endereço que lhe fora dado.
Alguns minutos depois , ela tinha chegado ao local , tirou de sua bolsa vinte reais e deu ao homem. 
Ela saiu do carro e logo viu o mesmo sair , voltou sua atenção a entrada da delegacia e começou a andar até a própria.
Ao entrar no local , cumprimentou alguns policiais que ali estavam e sorriu , indo em direção a sua bancada de trabalho , se sentou na cadeira e logo pegou alguns papéis, com nomes de vitimas do assassinato , logo uma mão tocou em seu ombro e disse oi.
Ela se virou para ver quem era e logo viu Marcell , o delegado.

- Davina , recebi o seu recado , infelizmente não consegui retornar pra você por falta de tempo - ele sorriu- mas oque você queria falar comigo?

Ela estava olhando fixamente para Marcell , e quando ele falou que queria saber oque ela diria para ele , ela sorriu.

- Bom , eu so queria dizer que...

Ela mal tinha terminado de falar quando Camille apareceu e falou para Marcell que uma pessoa havia encontrado um corpo em um beco.
Cami entregou um relatório a Marcell e logo se retirou.
Marcell olhou pra Davina e suspirou .

- parece que nosso papinho vai ter que esperar. -Ele entregou o relatório a Davina- Quero que descubra pra mim quem fez isso.

Ele saiu e deixou Davina com o relatório.
Ela suspirou e começou a olhar os papéis.
Logo ela viu oque havia acontecido e que a vitima havia sangrado até a morte.

- Isso é terrível... Como alguém pode deixar alguém morrer assim.

-Horas mais tarde-

Depois que Davina investigou muito ,  ligou alguns pontos e percebeu que o assassino foi o mesmo do caso passado que ainda estava sendo investigado.
E que o assassinato tinha sido por puro prazer , não por vingança ou dívidas, ja que a vitima era uma pessoa que tinha uma ficha limpa e nunca havia sido presa ou algo parecido.
Ela ligou seu Laptop e digitou o nome o nome do Hotel em que a moça assassinada tinha se hospedado.
Logo ela viu o endereço e fechou o Laptop com a mão e se levantou.
Como o hotel era "perto" da delegacia decidiu ir a pé.
Ao chegar la foi direto ao quarto da moça,  e procurou algo, como não achou nada saiu do quarto, e quando passou pela porta trombou em um alto e belo homem.
Ela sorriu envergonhada e o olhou.

- Me desculpa senhor... Estou muito distraída ultimamente.

Ele a olhou e riu de lado.

- Ta tudo bem moça, eu te entendo, as vezes fico tão distraído que não sei oque é real e oque é imaginário.

Ele sorriu logo olhando o distintivo dela na mão da mesma.
Os instintos dele já estavam o alertando para que saísse imediatamente dali, já que um assassino conversando com um policial não seria nada legal.
Ela riu.

- Como é o seu nome? Eu sou Davina... Davina Claire!

Ele sorriu e abaixou o olhar mas logo retornou sua atenção a Davina novamente.

- A propósito... Lindo nome o seu! O meu nome é Kol... Kol Mikaelson , prazer em conhece-la Davina.

Ele pegou a mão dela e beijou como um cavalheiro e então sorriu de uma maneira encantadora.
Ela corou ao sentir os lábios dele por um mínimo momento em sua mão, eram macios e levemente rosados.

- Então Davina... Sinto em lhe dizer que já preciso ir, tenho um compromisso.

Ele falou , sorriu , e depois saiu andando.
Davina suspirou de amor e então lembrou que ainda tinha trabalho a fazer.

-Horas depois-

Ela chegou em casa e logo pegou o celular , colocou no contato de Cami e a esperou atender.
Em pouco menos de 10 segundos uma voz  feminina diz oi.
Ela sorri animada e então deixa a ligação no viva-voz.

☏Em chamada com Camille☏
(Davina)- Camiiiii, você não vai acreditar! Eu fui ao hotel em que a vitima do recente assassinato estava hospedada para pegar o depoimento das pessoas que a viram quando estava viva - Ela parou de falar e suspirou ao pensar em Kol- E acabei encontrando o homem mais bonito que eu já vi...

Cami riu.

(Camille)- Davina , Davina , como é nome dele ? Pelo menos pegou o telefone dele? Ou você achou que ele vai se comunicar telepaticamente com você!?

Cami riu de novo e então balançou a cabeça negativamente.
Davina pensou no que Cami havia acabado de falar e então percebera que havia acabado de fazer um bobagem.

(Davina)- Ah meu deus Cami... Nem me toquei em pedir o número dele, eu estava tão encantada que nem sequer isso passou pela minha cabeça. Acho que isso quer dizer adeus Crush novo né -Ela riu meio decepcionada- então tchau amiga... Só liguei pra dizer isso mesmo...

Ela desligou ja triste e foi até o seu quarto cabisbaixa , abriu a porta e foi até a cama , se jogou na mesma e ali ficou até que dormiu.

 


Notas Finais


✦-------------------------------------✦
Espero que gostem amores ❤
✦-------------------------------------✦


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...