História •• The Contract •• - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Andrew Garfield, Jamie Dornan, Marco Reus, Mats Hummels
Personagens Andrew Garfield, Jamie Dornan, Marco Reus, Mats Hummels
Tags Casamento, Marco Reus, Mats Hummels, Novela, O Contrato, Romance
Visualizações 161
Palavras 1.486
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, minhas amoras?
Tudo bem? Espero que gostem boa leitura 😉❤😘

Capítulo 2 - •• Partiu, Lua De Mel, Ou Férias? ••


Fanfic / Fanfiction •• The Contract •• - Capítulo 2 - •• Partiu, Lua De Mel, Ou Férias? ••

Narrado Pela Natasha


-- Hummels.. -- sussurro, em voz delicada, suspirando tão aceleradamente


Seus olhos fixaram nos meus, me trazendo bastante borboletas em meu estômago. Mais só que fomos interrompidos, pela minha sogra, Manuela.


-- Natasha, vamos? -- me chamou meio de longe da porta da casa de eventos, me fazendo olhar ela


-- Eu já vou, Manuela -- respondo delicada, e me erguendo, Mats sorriu


-- Boa sorte com o casamento -- ele diz sorrindo, e eu sorri


-- Obrigado, Hummels -- agradeço, ao longo do sorriso, fui andando e deixei o sapato cair, que afinal, estava maior que meu pé, e preenchido por algodão


Quando me abaixei pra pega-lo, Mats tocou junto comigo, em meu sapato, trazendo nossos olhares se encontrar novamente, me fazendo arrepiar, ele sorriu, e eu me sentei na escada, ele ergueu meu pé perto de seu joelho, e encaixou o sapato de volta.


-- Pé grande? ou pequeno? -- brincou ele, rindo e me trazendo risos 


-- Pequeno kkk -- gargalhei, pondo a mão sobre a boca levemente, e ele me ajudou a levantar, ao me levantar voltei a andar, mas ao mesmo tempo sorria de volta pra ele, que ficava acenando


Ao adentrar, me deparei com o salão cheio, muitas mulheres vieram me cumprimentar, eu sorri, e agradeci, pelos elogios, e pelos "boa sorte". A mulher de Marc Bartra, então me cutucou, sempre pra me retirar do sério.


-- Eu sei, que casou com ele, por interesse, um cara como o Marco, nunca que iria escolher filhas, do amigo do pai dele, estranho até não é? -- Melissa me cutucou, com carro agrado, de me retirar da paz


Me manter em silêncio, foi a melhor coisa, melhor que tem!

Melissa era aquela mulher do contra, só porque se casou com Bartra, e tem sua herdeira com ele. Ela sempre me achou interesseira, depois do jantar de noivado, durante ela, mal me conhecia e já me cutucava com certos prazeres de me ver revoltada.


-- Oi, Marco -- ela o cumprimentou, eu estava perto, atendendo cada mulher que me abraçava, e me entregava bolsas, mais eu ouvia cada palavrinha dita por ela -- preferia a Scarlett, mais dedicada ao seu grande lugar de Natasha! -- ela dizia, que mulher venenosa, tenho pena de Bartra E sua filhinha


Manuela então me retirou dali e me levou até a pista de dança, me parou em meio a toda gente que me olhava, envergonhada, corei. Uma música começou a tocar, e logo tive a certeza que seria a dança tradicional, eu mesmo sendo italiana (portuguesa) conheço tais danças, Marco então veio e me rodeou, batendo palmas e me olhando, me senti meia "desorientada", ele me puxou, e me fixou em seu corpo, com certa violência, cheguei a grunir. Durante toda dança, senti que o mesmo iria fazer uma baita merda, ele me ergueu sobre o ar, e quando ergueu, faltou braços, mal tinha bebido, e já estava bêbado de verdade, seus braços dobraram e eu desequilíbrio, cai em meio a todos, ele continuou em pé, logo que cai, olhei todos em volta, com meu rosto coberto pelo cabelo, me sentindo envergonhada. Todos seguravam o riso.


' Nossa que vergonha, que maluquice eu fiz? não, não creio que em pleno momento estou passando esta vergonha? tudo por causa do Marco ' pensei.


Ele me olhava segurando meio que o riso. Aubameyang, junto com Mats, me ajudou a se levantar, ao me erguer, Manuela me puxou, me tirando de cena, e levando até a sala que havia na casa de eventos.


-- Se machucou? -- ergueu meu braço, e eu senti dor, logo me veio a visão, de que havia ralado meu braço


-- Ai! -- resmungo, trazendo um semblante de quem ta sentindo uma dor danada


-- Oh, perdão Natasha -- ela dizia enquanto procurava o kit de primeiros socorros


-- Tudo bem, Manuela, tenho que lidar com fatos -- eu digo sabendo mesmo que Marco não gostava realmente de mim, desde que assinamos o contrato com certas trocas de farpas


-- Marco, estava bêbado -- ela enrola meu braço com um pano, e logo amarra


-- É.. -- apenas me calo, logo mudo de roupa e vou a festa, me sentindo um lixo, depois da vergonha que passei, meu pai sorria com minha madrasta, senti me puxarem


-- Quer dançar? -- Mats me chamou, ainda segurando meu braço


-- Ah, é..não, não.. -- eu digo me soltando, e ele riu


-- Não vou te deixar cair, prometo -- ele diz rindo, referindo e ironizando ao tombo que tive por causa de Marco


-- Hmmm -- pensei bem --tudo bem! -- logo respondi, animada


Ele pegou em minha mão, saímos correndo que nem dois adolescentes de 15 anos, correndo no salão até a pista de dança, entre risos e gritos abafados.

Ao chegar, ele parou, segurou minha cintura e dançamos em sintonia. A música era Mirrors - Jutins Timberlake. Nossos corpos se encontravam sempre no refrão, nossos olhares e sorrisos, tinha uma certa liberdade, na qual me dava um enorme prazer de continua naquela dança, e nunca parar de dançar, aquela música com ele. Logo ele me ergueu sobre o ar, bem no fim, da música, me fazendo soltar uma risada, na qual ele me desceu, e no fim nos encaramos tão bem, que iria acontecer um breve acidente se Marco, não interrompesse bem na hora.


-- Interrompo? -- ele diz sério, tirando minha atenção dos olhos de Mats e logo se separamos


-- Não -- respondo direta, Mats sorriu


-- Não, eu apenas dancei com ela, tchau, Natasha -- ele beija minha bochecha, meus olhos brilhou, não foi?


Mats se retirou e eu acenei pro mesmo, Marco então me encarou sério.


-- Mal casou e já está nesta Natasha? -- ele questiona, me puxando pelo braço machucado


-- Me solta, isto, não passa de um casamento de mentirinha -- repito o mesmo que ele disse enquanto assinavamos papeis a 1 mês atrás


-- Natasha, você é minha mulher -- ele diz me soltando, e eu frisei a testa


-- Olha, eu só aceitei isto tudo por causa do meu pai, acho melhor retirar o cavalo da chuva porque ele tá molhando! -- eu digo em ar debochante, e fui andando, peguei o buquê


Já era hora de terminar essa festa, quero que esses 5 anos passem RÁPIDO!

Correndo, tipo o Flash, pedir demais?


-- Eu vou jogar o buquê -- tento animação, e logo uma mutirão de mulher ergue por baixo do salão, eu em plena varanda, ergo os braços, e logo Marco chega, tapa meus olhos e eu suspiro -- é 1, é 2, é 3 e..e..JÁ! -- grito jogando o buquê e logo me viro pra ver quem pegou dou de cara com Marco, que me deixa bamba, e me encara, nossos lábios estavam proximos, os gritos de Alanna retirou nossas atenções


-- ME DÁ O BUQUÊ! ERIK E MARCEL! -- gritou, me debrucei e vi ambos correrem pelo salão, comecei a rir


-- Isso ai, anjo! -- ele ri comentando sobre Erik


Sorri de lado e desci, a festa foi esvaziando, depois de tantas fotos, corte do bolo, e danças, e bastante homenagens, e risadas, finalmente saímos pra Lua de mel, ou férias? 

O casamento é de mentira, então, é férias.


-- Te vejo daqui a quantos meses? -- Mats diz me olhando, eu fiz cara de pensativa


-- Hmmm -- mumurro pensativa e brincalhona, com a mão sobre o queixo -- que tal daqui a..1 ano? -- ele fez cara de frustração e eu dei uma risada -- daqui a 1 mês, Mats --digo abrindo a porta do carro


-- Topa um café? -- ele pergunta me olhando, e eu sorri


-- Sim, Hummels eu aceito --sorri e coloquei o óculos


-- Não está sol, esta de noite -- ele Brinca, e eu bufo


-- Mais agora sou mulher de um jogador -- resmungo brava


-- Desculpas, kkk -- Marco então veio, cambaleando


-- Até Mats -- eu entro no carro -- te vejo no café mania daqui a 1 mês, as 10hrs, depois da viagem! -- eu sorri e ele também, Marco adentrou eu acenei


Logo o motorista tocou o carro, e Marco adormeceu durante a ida ao aeroporto, quando acordou, acordou bem mais esperto.

Entreguei o óculos, e coloquei o casaco, entramos no aeroporto, e fomos cercados de fotógrafos, escondi o rosto por conta dos flashes. Fomos pra sala de embarque, ele foi beber café e eu fiquei vendo revistas, havia fotos de Mônaco nelas, seria onde iriamos passar essa lua de mel, logo anunciaram o vôo. Olhei e Marco não estava mais na cafeteria. 


-- Ai deus! -- eu digo olhando a hora, já era pra embarcamos o vôo atrasou e a fila já estava feita pra embarque


Esperei e só foi diminuindo, logo fui atrás de Marco, cheguei a área de banheiros, ele saiu do banheiro, pálido, o puxei pela mão, e o levei, ainda estava de porre. Mostrei meu passaporte, e ele o dele, entramos no túnel e logo acomodamos em nossos assentos, a viagem toda escutei música, e pensei neste casamento e na vida, que burrice causei, logo peguei no sono, e dormi a viagem toda.


Notas Finais


Beijos, e até o próximo episódio ☁❤😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...