História ..:: We are boyfriends « JiKook » ::.. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae
Visualizações 249
Palavras 1.113
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eeeee chegamos aos 100 favoritos ♥!

Muito obrigado a todos vocês, seus lindos ♥!

Bom, não tenho muita coisa para falar e como não quero ser chata vou deixar vocês lerem.

Capítulo 5 - ..:: Capítulo quatro - Reencounter ::..


..:: Capítulo quatro - Reencounter::...

Jimin acabará de acordar de seu sono, devido a Jung Hoseok que ligava para si. Ele, mesmo com todo o ódio no coração sobre o amigo, atendeu e começou a conversar com o outro que lhe contava novidades de seu trabalho como fazia todas as manhãs.

Então após desligarem a chamada Jimin suspirou e se levantou, se espreguiçando e indo para a cozinha. O ainda ruivo pegou uma caneca e a encheu de café, tomando todo o líquido negro em poucos segundos. Depois ele coçou seus olhinhos e voltou para seu quarto com o objetivo de se trocar para ir trabalhar, mas o garoto não sabia o que vestir. 

Jimin vestiu uma camisa social da cor vermelho vinho, uma calça preta e sapatos pretos. Ajeitou seus cabelos ruivos, passando gel e dividindo sua franja. E depois ele pegou seu óculos de armação redonda e saiu de seu apartamento.

O caminho até seu próprio consultório foi um tanto conturbado, já que Jimin havia pegado muito trânsito em algumas ruas do trajeto, mas mesmo assim ele não chegou atrasado ao local.

Jimin adentrou no local e sorriu, seguindo em direção ao balcão, aonde sua secretária falava com alguém no telefone. Então, apenas como diversão, ele gritou com ela, fazendo a mesma soltar um grito pelo susto. O Park começou a rir, sentindo sua barriga doer, enquanto que a outra se ajeitou e começou a prensar os peitos em direção ao mais velho.

— Pois não, senhor Park? — Perguntou com sua voz irritante, elevando os peitos em direção ao Park.

— Querida, me poupe, se poupe, nos poupe.— Jimin disse irritado.— Primeiro: para de prensar seus peitos, isso não deixa maiores, apenas mais ridículos. Segundo: fale normalmente e não com essa voz irritante. Terceiro: eu contratei uma secretária e não uma puta, então para de agir feito uma.

Dito isso Jimin foi para sua sala e se direcionou a sua cadeira, ajeitando seus livros e seu caderno de anotações na mesa a sua frente. Ele era sempre assim - perfeccionista.

Um suspiro escapou por seus lábios assim que ouviu o nome Kim Yangi-Mi; ela começou a sofrer de depressão assim que viu sua mãe sendo estuprada e em seguida assassinada. Desde aquele dia, a pobre menina, passou a ser perturbada por sua tristeza e medo. E seu pai passou a leva-la até o consultório de Jimin.

Então, assim que a garota entrou na sala e deitou no divã, Jimin ligou o seu relógio e o ajeitou em trinta minutos contados, o tempo total da consulta.

Yangi-Mi começou a falar sobre o que via e ouvia, alegando que iriam atrás dela e que ela seria a próxima a morrer. Além de que a menina começou a sofrer bullying em sua faculdade, por estar com medo de tudo e todos. Jimin ouvia tudo atentamente, pensando em um jeito de ajudar a pobre galeota, que agora chorava desesperada.

— Yangi-Mi, vamos fazer uma dinâmica que acho que irá lhe ajudar, sim? — Sugeriu, vendo a garota assentir.— Agora feche seus olhos.— Pediu e Yangi-Mi o obedeceu.— Lembre-se do sorriso doce de sua mãe, das palavras amorosas que ela sempre te falava, dos restos carinhosos e dos abraços que transmitiam proteção. Agora se lembre de seu pai, ele está na sua casa, esperando o horário para poder te buscar, não é mesmo?

— Sim…

— Seu pai vem fazendo de tudo para que você se sinta protegida novamente, ele vem dando duro apenas para ver um sorriso em seus lábios novamente. Então sorria e aconchegue nos seus braços, aceitando sua proteção. E não ligue para aqueles que te zoam, pois eles não sabem a dor de sua perda.

O som do alarme soou e a consulta com a Kim acabou. A menina se sentia muito melhor agora e o psicólogo também, ambos estavam felizes de que a dinâmica havia funcionado. Então eles se abraçaram e se despediram, sabendo que se veriam em outra consulta daqui a exatos seis dias.

Jimin suspirou aliviado, olhando seu bloco de notas e vendo as anotações que fez das consultas. Todas tinham a causa e o progresso de seus pacientes. Então um sorriso surgiu em seus lábios e ele se levantou, saindo da sala e logo do estabelecimento.

Em alguns minutos ele chegou no restaurante de Seokjin - que ele havia inaugurado a pouco tempo. Jimin amava a comida de seu hyung e sempre ia almoçar lá, sabendo que comeria do bom e do melhor.

Seokjin viu que Jimin havia entrado em seu restaurante e sorriu para o menor, indicando para que ele fosse para uma mesa já reservada. Então o Park o obedeceu e foi até a mesa, sentando-se confortavelmente em uma das cadeiras.

— Boa tarde.— Um dos garçons falou.— Vai querer o de sempre, não é mesmo?

— Claro!

O garçom anotou o pedido do Park e saiu da mesa. Logo ele voltou para a mesma e lhe entregou seu prato, revendo um agradecimento do outro em troca. Então Jimin começou a comer sua comida - kimchi -, deliciando a comida.

O pequeno estava jogado sobre seu sofá, olhando para o teto e brincando com o anel que estava em seu dedo. Ele não lembrava o porquê de usar aquele anel e nem quando ganhou, mas por algum motivo não conseguia tirar o acessório de seu dedo anelar. Jimin sentia que aquilo era especial e que um dia iria ajuda-lo a encontrar algo.

Jimin bufou, tentando compreender aquele anel que para ele era um mistério e se sentou, pegou seu celular e o ligou, vendo que já eram oito horas da noite. Então o pequeno se levantou, pegou as chaves de casa e do carro e saiu de casa, começando a dirigir em direção a um de seus lugares preferidos, a cafeteria.

Ao estacionar saiu do carro e entrou no estabelecimento, indo em direção ao balcão. Jimin pediu um capuccino e logo foi servido. Então ele já estava pronto para sair após pagar, mas quando virou seu corpo acabou esbarrando em alguém mais alto e pelo impacto caiu de bunda no chão.

— Você está bem? — O outro perguntou com sua voz melodiosa.

— Ah, estou.— Jimin disse, se levantando.

Então, ao olhar para o rosto do sujeito, seu coração parou de bater por alguns segundos e o ar fez falta em seus pulmões; ele era lindo! Tinha um rosto fino, olhos grandes e negros, um nariz levemente inclinado, lábios finos e suas bochechas estavam coradas. Seus cabelos eram negros e davam um charme a mais em sua pele não tão branca, o que o deixava mais bonito ainda.

Jimin não sabia porque estava assim na presença do outro, não se lembrava dele. Mas o sujeito se lembrava muito bem do Park, que nunca havia saído de seu coração.

J-Jimin?


Notas Finais


PAN PAN PAN

~ Chu 🐥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...