História • Why So Bad, Dad? • // Kim Heechul - Incesto // - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Jay Park, Super Junior
Personagens Cho Kyuhyun, Choi Siwon, Han Geng, Heechul, Henry Lau, Jay Park, Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Kangin, Kim Heechul, Kim Jongwoon, Kim Kibum, Kim Ryeowook, Kim Youngwoon, Lee Donghae, Lee Hyukjae "Eunhyuk", Lee Sungmin, Lisa, Park Jungsu, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Shin Donghee, Shindong, Suga, V, Yesung, Zhou Mi
Tags Blackpink, Bts, Daddy, Heechul, Incesto, Jay Park, Jennie Kim, Super Junior
Visualizações 96
Palavras 845
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Harem, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Demorei para postar de novo? Sim. Mas tenho uma explicação lógica. Falta de tempo e criatividade. Me desculpem por isso.
(FINALMENTE SAIU MADDU!! AMÉM!)

Capítulo 7 - ~* Family Park *~


Fanfic / Fanfiction • Why So Bad, Dad? • // Kim Heechul - Incesto // - Capítulo 7 - ~* Family Park *~

~* Kim Park *~

Namjoon pegou em minha mão e assim fomos até a pedra do beijo. Logo que chegamos, todo mundo começou a se pegar. Nam me olhou e eu dei um sorriso tímido. Ele me empurrou contra uma árvore e deu um sorrisinho fazendo suas lindas covinhas aparecerem, segundos depois, senti seus doces lábios contra os meus. O beijou começou calmo e depois foi se intensificando cada vez mais. Suas mãos que estavam em meu rosto desceram para a minha bunda.

- Que lindo Dahyun. – Tio Minho disse nos assustando. – Até você MinHee? – perguntou e ela coçou a nuca. – Seu pai sabe que está aqui? – perguntou sério.

- N-não... – ela respondeu baixinho descendo da pedra.

- Appa... Eu posso explicar... – Dahyun começou mais foi interrompida.

- Não quero explicação alguma, Dahyun. – disse sério. Ele fica com uma expressão macabra sem seu sorriso fofo.

- Achou ela Minho? – papai disse parando trás de tio Choi. Seu olhou pousou sobre mim me causando arrepios.

- Oi. – falei ficando com as bochechas num tom avermelhado.

- Não ia dormir na casa da Eunbi, Kimberly? – perguntou colocando suas mãos na cintura, visivelmente irritado.

- Pra que um caminho tão difícil? A encontrou Minho? – Era a tia Akemy. Mãe de Kyuhyun. Ela é tão severa quanto nossos pais.

O Appa de Kyuhyun prometeu o céu e todas as estrelas a ela. Mas quando Akemy o contou que estava grávida. Ele foi embora a deixando. Seus pais reagiram mal á gravidez dela já que tinha apenas 14 anos.

- Para de reclamar Akemy! – era a voz do tio Chullie.

- Não vai querer que a gente te carregue também né!? Ela tá aí nessa maldita pedr- ele se interrompeu ao ver a Maki. – Mackenzie?

- Kyuhyun? – tia Akemy perguntou.

- Minhee? – tio chullie disse sério olhando para a Min.

- Fudeo. – falamos em coro.

Parei de ouvir o que papai dizia quando começou com aquela ladainha de “Eu te proíbo de conversar com a Eunbi!” e blábláblá. Papai me pegou pelo braço me levando até o carro e eu suspirei fundo revirando os olhos. Appa como o cavalheiro que é, abriu a porta para mim e me enfiou dentro do carro. Quando entrou socou o volante irritado. Fomos até nossa casa em silencio. Não digo que foi ruim. Até que foi bom não ficar o ouvindo brigar comigo.

- Sabe, eu nunca imaginei que fosse capaz de fazer isso comigo. – papai disse olhando em meus olhos. – Você nunca me desobedeceu. Sempre foi uma ótima filha. Foi a Eunbi que fez isso com você? – ele perguntou e eu bufei.

- Para de colocar a Eunbi em tudo! Que saco! Ela não tem nada haver com isso! Eu escolhi me divertir a ficar ouvindo seus gemidos com a secretaria em casa! – falei recebendo um tapa no rosto em forma reprovação. – Vai me bater por dizer a verdade? Certo, certo. Eu aguento as pontas. – falei tirando meus sapatos os colocando em qualquer canto da sala. – Qual foi a última vez que deu um tempo para a filhinha querida? Qual foi a última vez que jantamos juntos? – perguntou com os olhos marejados. – Você é um hipócrita! Eu sempre me comportei bem. Sempre me dediquei em ser a melhor filha do mundo! Mas o que eu ganho em troca? Ganho desprezo! Ganho um “Hoje não filha, estou cansado.”; “Tenho uma reunião importante em meia hora. Sinto muito.”. – falei sentindo uma lágrima escorrer sob meu rosto.

- Isso não vem ao caso, Kimberly! – praticamente gritou comigo e eu ri.

- Vou para o meu quarto. Chame-me quando for um pai de verdade. – falei pegando meus sapatos e indo na direção da escada. Ele segurou meu pulso com força e deu um suspiro fundo.

- Eu nunca quis ser ausente na sua vida. Eu só... – ele se interrompeu suspirando fundo. – Tenho lá minhas necessidades, Kim. Desculpe se não tenho tempo para você.

- Desculpas não vão mudar o fato que você trabalha de mais e quando tem folga, transa com sua secretaria. Fale menos e faça mais. – falei séria puxando meu braço com brutalidade.

- Não fale assim comigo! Eu sou se- eu o interrompi.

- Mas não age como tal. – falei subindo as escadas e entrando em meu quarto batendo a porta.

Peguei uma troca de roupa e fui para o meu banheiro. Abri a torneira da banheira e sentei na borda da mesma esperando eu ela enchesse. Quando encheu, coloquei sabonete liquido para fazer espuma e desliguei a torneira. Me despi e entrei na banheira tentando relaxar. Ouvi a porta ser aberta e deduzi ser meu appa. Fechei os olhos e suspirei fundo.

- O que quer? – perguntei seca.

- Pedir desculpas. Não devia ter batido em você. Apenas estava dizendo a verdade. – disse e eu o olhei de soslaio. – Posso? – perguntou se ajoelhando ao meu lado. Eu assenti e ele virou meu rosto levemente e arregalou os olhos ao ver o estado que minha bochecha ficou. – Por favor, me perdoe Kim. – pediu e eu assenti.

Ele acariciou minha bochecha ficando mais próximo de mim. Seu olhar que permanecia em meus olhos desceram até meus lábios em questão de segundos, senti seus lábios cheinhos e macios contra os meus.


Notas Finais


Não revisei, então desculpa os erros.
Não deixe de comentar!
Até o próximo meus lindos ❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...