História Wishlist ;;Reescrevendo;; - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Show Nu, Won Ho
Tags !kink, 2won, Daddykink, Fetish, Hyunghyuk, Hyungwonho, Hyungyoon, Sexting, Suga, Sugawon, Texting, Yoongi
Exibições 235
Palavras 1.951
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Ecchi, Escolar, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - M


- Ok, então, como vamos resolver isso? – Hoseok perguntou, encarando Kihyun que mantinha os lábios projetados em um biquinho raivoso e os braços cruzados. Aquilo era extremamente fofo aos olhos do mais velho, que riu baixo com a situação. Kihyun parecia uma criança.

- Hyung, eu posso dormir na sala, tá tudo bem. – Changkyun sorriu, olhando para o garoto de cabelos róseos que se mantinha emburrado. Ele estava encolhido no canto do sofá, olhando fixamente para o chão, com as bochechas coradas.

- Você – Kihyun disse pela primeira vez desde que a discussão havia começado – apontando o dedo na direção de Hoseok, que sorriu com o ato infantil. – Vocês dormem juntos no quarto do Wonnie, e ele dorme comigo!

- Ah, Kihyun, porque eu deixaria você roubar meu namorado assim? – Hoseok sorriu, vendo Kihyun corar ainda mais e se levantar, irritado, indo em direção à seu quarto.

O de cabelos róseos caminhou rapidamente até trombar com alguém. Pensou em xingar ou algo do tipo, porém ao perceber que esse alguém era Hyungwon, segurando sua mala de rodinhas e com uma expressão completamente confusa pelo esbarrão, apenas abraçou a cintura do mesmo, escondendo seu rosto no suéter branco do maior.

O Chae não entendeu o que estava acontecendo, mas pôde ver de relance Hoseok conversando com alguém que não estava em seu campo de visão. Acariciou os fios lisinhos do menor, aconchegando seu rosto entre os mesmos, inspirando o cheiro doce que o melhor amigo possuía. Hyungwon o segurou pela mão, deixando a mala exatamente onde estava e puxou o menor até a sala.

- Hoseok, porque o Kihyun tá emb... Changkyun?! – A expressão de espanto no rosto de Hyungwon era inevitável, deixando o garoto de cabelos caramelados corado pela reação do outro. Changkyun se levantou, fazendo uma breve reverência para o mais alto. – O que você ta fazendo aqui?

- Hyungwon! – Hoseok o repreendeu, franzindo a testa. O mais novo logo percebeu que poderia ter soado agressivo demais com aquela frase e pediu desculpas, sorrindo e esclarecendo que não havia sido sua intenção.

 

 

 

 

- Então a confusão toda é porque você não quer o Chang no seu quarto? Kihyun, não seja tão egoísta! – Hyungwon fez uma careta para o mais velho, que tornou a se encolher atrás de si. Changkyun observava o garoto de cabelos cor de rosa com certo encanto. Ele era tão adorável que o mais novo tinha vontade de escondê-lo no bolso de seu moletom. Sorriu timidamente com o pensamento, mas logo o desfez, temendo que alguém reparasse. – Bom, eu decido então. Chang, você fica com o Kihyun, e Hoseok comigo. Se esse algodão doce mal-humorado te incomodar em qualquer momento, você tem total permissão pra trancá-lo no armário. – Hyungwon ditou, sorrindo para o garoto de cabelos cor de rosa, que retribuiu mostrando a língua e saindo da sala, em direção ao banheiro de seu quarto.

- Me desculpe por isso... Eu não pretendo ficar por tanto tempo, só até encontrar um apartamento. – Changkyun disse timidamente, fitando o chão à sua frente.

- Chang, não se preocupe. O Kihyun é uma boa pessoa, só é um pouco mimado. Logo vocês estarão amigos. – O maior disse sorrindo, enquanto se direcionava até o namorado e sentava no colo do mesmo, ainda de frente para o mais novo, que corou com a situação. – Aliás, Chang, o que houve com as roupas de garota? – Hyungwon sorriu novamente, compreensivo.

- Ah... eu só... percebi que não era pra mim. Elas ficavam melhor em você. – O mais novo retribuiu o sorriso, desviando o olhar e seguindo até suas malas, que se encontravam no canto da sala. Hyungwon riu baixo, observando o garoto ir até o quarto de Kihyun, enquanto sentia os braços de Hoseok ao redor de sua cintura, puxando-o para um abraço gostoso, do qual ele havia sentido tanta falta.

- Senti sua falta. – O mais velho disse calmamente, enquanto passava carinhosamente a ponta de seu nariz pelo pescoço de Hyungwon, sentindo-o estremecer sob seus toques. Puxou a gola do suéter do mesmo, expondo uma parte de seu ombro, beijando-a com lentidão. Acariciou aquele pedaço de pele com os dentes, passando a lingua vez ou outra apenas para sentir o mais novo arfar. – Como foi a viagem?

- Eu fui ver meus pais, mas não quero falar sobre isso. – O mais novo suspirou, sentindo as mãos firmes do loiro invadirem sua blusa, tocando seus mamilos suavemente com as pontas dos dedos. – Seokie, vamos pro quarto... Seu irmão pode nos ver aqui.

- Ele não iria se importar, mas já que você faz tanta questão. – O mais velho sorriu, pegando o garoto em seus braços e carregando-o até sua cama. Hoseok fechou a porta, logo subindo na cama sobre o garoto com certa pressa. Hyungwon sentiu os lábios do maior pressionarem os seus com urgência, pedindo passagem, a qual fora cedida sem pestanejos. As mãos do mais novo passearam pela nuca do mais velho, mas logo se direcionaram aos botões da camisa social que o mesmo vestia.

Não levou muito tempo até que ambos estivessem apenas com suas roupas íntimas, sentindo a camada fina de suor cobrindo seus corpos. A mão firme de Hoseok agarrou o membro do mais novo por cima da cueca azul claro, sentindo-o estremecer sob seu toque. Massageou o mesmo lentamente, observando cada expressão de deleite e luxúria do garoto abaixo de si. Os lábios macios do mais velho passearam pelos mamilos rosados, mordiscando-os enquanto os gemidos baixos de Hyungwon preenchiam o quarto, deixando o ambiente cada vez mais sensual.

As mãos do mais novo desceram até a cueca de Hoseok, se adentrando na mesma, acariciando desde a cintura, até as coxas malhadas do mesmo. Passando as pontas dos dedos em sua bunda lisinha, à qual apertou de leve, sentindo o mais velho rir baixo contra seus lábios.

- HYUNG O KIHYUN DESMAIOU E- A porta fora aberta bruscamente, assustando os dois garotos na cama, mas a cena com a qual Chang se deparou o assustou mais ainda. O mais novo arregalou os olhos, fechando novamente a porta. – Podem deixar, eu me viro com ele!

Os garotos se entreolharam enquanto o mais novo corria de volta ao quarto. Mal tiveram tempo de processar o que havia acontecido até que Hyungwon se levantasse desesperado, vestindo suas roupas e correndo até o quarto de Kihyun.

 

 

 

 

O garoto de cabelos cor de mel observava o mais velho em seu sono tão profundo, causado pelo cansaço. Sentia todo seu corpo doer pela tensão que se acumulava ao sono. Se ajeitou melhor na cadeira, repassando melhor os acontecimentos da noite em sua mente. Não sabia bem o que havia acontecido, havia sido tudo tão rápido. Em um momento Kihyun reclamava baixinho sobre ele estar ocupando metade de sua cama, no outro ele havia desmaiado, e convulsionava no chão. O pequeno corte em sua cabeça sangrava de forma que fizesse parecer que era realmente mais grave.

Changkyun respirou fundo, lembrando da cena em que encontrara seu irmão quando foi pedir por ajuda, mas logo balançou a cabeça, afastando a imagem um tanto quanto perturbadora de sua mente. Não é como se Chang não aceitasse a vida sexual de seu irmão, mas ele também não precisava vê-la. Voltou sua atenção ao garoto de cabelos rosas. Ele parecia angelical a maior parte do tempo, mesmo quando estava completamente enfurecido.

Ficava tentando imaginar o que poderia tê-lo feito ficar sem se alimentar por tanto tempo, como o médico alertara após os três chegarem na ambulância com o garoto. Kihyun não havia comido direito há dias, e esse era o motivo do desmaio. A convulsão fora apenas uma consequência da lesão em sua cabeça. Naquele momento, Changkyun agradeceu mentalmente à seus pais pelo curso de primeiros socorros que havia feito – leia-se: sido forçado a fazer – quando mais novo.

Como apenas um acompanhante poderia ficar durante o resto da noite, Changkyun se ofereceu para isso . Poderia explicar melhor a situação, e não queria ter de ficar sozinho com seu irmão em casa depois da cena anterior.

Os cabelos de Kihyun lhe chamavam a atenção, e ele tinha vontade de tocá-los apenas para saber se tinham a mesma textura de um algodão doce, pois assim lhe parecia. Mordeu o lábio inferior, e, no segundo seguinte se levantou, indo à passos lentos até a cama onde o outro estava. Ele não acordaria naquele momento. Seria coincidência demais se ele acordasse. Seus dedos finos tocaram os fios cor de rosa, sentindo a maciez dos mesmos, e Changkyun sorriu com aquilo.

E apenas percebeu que acariciava levemente a bochecha rosada do garoto quando o mesmo lhe encarou, sonolento. O mais novo retirou a mão do rosto do outro, assustado. Kihyun possuía olheiras rasas, que mesmo discretas, pareciam extremamente agressivas em sua pele alva.

- Por que... por que estou aqui? Aliás, onde eu tô? – O mais velho perguntou, olhando ao redor. Sua cabeça doía como se tivesse apanhado, mas ele realmente não conseguia ficar calmo em situações como essa, nas quais se sentia confuso.

- Ah, você desmaiou, e bateu a cabeça. Deve ter percebido, imagino que esteja doendo. – Changkyun apontou para o alto da cabeça de Kihyun, que apenas assentiu devagar, tornando a se deitar na maca, ainda encarando o garoto de pé. – O médico disse que você não têm se alimentado, por isso o desmaio...

Kihyun suspirou, focando seu olhar no teto branco. O mais novo puxou a cadeira onde antes estava sentado para perto da maca, tornando a sentar-se nela. Observava o olhar vazio de Kihyun, tentando decifrar cada uma de suas angústias. Não negava em momento algum que o garoto havia lhe atraído, apesar de não parecer que era recíproco.

- Obrigado... sabe, por ficar aqui comigo. Por salvar minha vida. – A voz baixa do rosado se fez presente, quase um sussurro, mas de uma sinceridade tão espontânea que arrancou um sorriso tímido do garoto de fios caramelados, que logo foi contido por uma mordida no lábio inferior.

- Não precisa agradecer, hyung. – Kihyun olhou confuso para o garoto, que o retribuiu com um olhar ainda mais confuso que o primeiro.

- Hyung? Qual a sua idade? – A voz espantada de Kihyun fez com que Chang risse baixo, entendendo de uma vez por todas o susto do garoto. Ele realmente não parecia ser mais novo que o outro, porém, com aquele cabelo fofo, e um rosto adorável, quem apostaria que Kihyun tivesse ao menos quinze anos?

- Você não deveria se preocupar com a minha idade. Não é algo que justifique meus atos. – Changkyun sorriu, deixando um Kihyun completamente corado e confuso. O mais novo estava o cantando? Balançou a cabeça, afastando aqueles pensamentos. Não é como se fosse algo horrível. Ele era tão belo quanto – talvez até mais – que o irmão. Kihyun só não estava pronto para ter seus desejos retribuídos tão rapidamente.

Sempre fora rejeitado, exceto por Hyungwon, tão facilmente que se acostumara com isso. Assim como havia sido deixado de lado – ou ao menos era o que ele pensava – quando Hoseok havia reaparecido. Mas agora aquele garoto de cabelos caramelados surgia em sua vida, abalando todo o seu conceito de que deveria sofrer antes de ser desejado. Ele realmente não sabia como agir.

- Anda, sai daqui. Vá perguntar ao médico quando vou receber alta... – Kihyun ditou, emburrado, mas ainda com as bochechas coradas, fazendo o mais novo rir baixo e se afastar.

- Hyung, não fuja de mim, ok? – O sorriso sincero no rosto do mais novo desabrochou lentamente enquanto ele proferia as palavras, olhando o de cabelos róseos. Changkyun sabia que queria Kihyun para si, mesmo que talvez isso não fosse possível. Talvez ele fosse apenas um viciado em amores súbitos e unilaterais.

 


Notas Finais


twitter; xkihywnn


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...