História 10 coisas que eu odeio em você - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Josh Devine, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais
Tags Bottom!louis, Larry, Larry Stylinson, Nosh, Nosh Devoran, Top!harry, Ziam
Exibições 85
Palavras 1.164
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, Suas lindas! Bem, como a ~Larryporqsim é uma puta de uma viada e deixou a fic em hiatus por quase um ano, eu, como boa melhor amiga, pedi as rédeas da fanfic para ela e sou euzinha quem vai postar o final. Capítulo super pequeno aqui, só para aquecer, o próximo vai ser maior e acho que já sera o final. Mais informações importantes nas notas finais.
Antes que eu me esqueça, eu sou ~BellBell. /beijos

Capítulo 11 - Capítulo 11


Louis POV.

PELO FUCKING AMOR, OLHEM AS NOTAS INICIAIS

Eu não estava afim de ir ao baile, nenhuma mínima parcela de vontade, mas meu coração se amoleceu quando eu vi Lottie, ela estava tão triste, tão frágil que eu queria pegá-la nos braços e colocá-la para dormir. Irmãos devem proteger suas irmãs, nunca as deixar chorar e sempre estar por perto para afastar possíveis ameaças, irmãos são protetores. E olha para mim, eu havia feito a minha irmã chorar, eu havia a entregado aquilo que eu devia proteger.

Eu estava me remoendo na noite do baile, totalmente acabado pensando sobre a tristeza de Lottie e pensando que tipo de irmão bosta era eu, quando a dona dos meus pensamentos entrou como um furacão no meu quarto, carregava duas sacolas enormes nas mãos e um sorriso travesso rasgava o rosto dela. Dentro das sacolas um smoking nada sutil e um vestido de gala lilás e tão extravagante quanto o sorriso da minha irmã.

E é por isso que agora estou aqui, na porta do colégio, eu simplesmente não consegui negar mais uma vez para ela e não ir ao baile, afinal, ela deve ter se esforçado tanto para conseguir uma roupa que coubesse tão perfeitamente em mim, e eu simplesmente não seria capaz de tirar mais um sorriso do rosto dela, seria cruel como tirar doce de criança.

O colégio estava todo iluminado, música alta escapava pelas janelas e eu mal pude ver quando Lottie escorregou dos meus braços e correu para se juntar a festa, alguns adolescentes bêbados de jogavam pelo gramado do campus, enquanto mais e mais chegavam para bagunçar e festejar com suas risadas escandalosas que podiam ser ouvidas a quilômetros. Que chato.

E para minha surpresa Harry estava no baile, antes mesmo que eu entrasse no prédio assim como os outros estudantes, eu vi, de soslaio, um garoto alto, vestindo roupas nada sociais: calça jeans e uma blusa xadrez amarrotada. Encostado na parede do colégio com o olhar perdido, era o meu garoto.

Sem motivo meu rosto se iluminou, minha boca se transformou uma curva, e meu sorriso rasgava minhas bochechas por espaço. Ele estava tão lindo ali, naquele canto quase não iluminado, se destacando de tudo e todos por suas roupas “erradas” para a ocasião e sua postura displicente.

Ele estava tão lindo, e até os meus passos eram felizes enquanto eu chegava perto dele.

Mas antes que eu o alcançasse, Josh apareceu de algum buraco do inferno, chegando em Harry e dizendo alguma coisa. Meu coração se apertou em ciúmes da proximidade dos dois, e eu corri para perto deles, me misturando entre alguns jovens bêbados no gramado.

Por mais que eu achasse que daria para ouvi-los perfeitamente, me enganei, Josh falava tudo muito baixo, e parecia até mesmo assustado, olhando para todos os lados e dizendo as palavras com cuidado. Tive que chegar mais perto, infelizmente meu ótimo disfarce entre os jovens não era próximo o suficiente dos garotos, e tive que me arriscar ao andar até uma fileira de latas de lixo onde eu poderia me esconder e escutá-los.

— Olha, eu não faço mínima ideia de como você fez para aquele garoto esquisito vir ao baile, mas fique sabendo que eu quero meu dinheiro de volta, porque o acordo não era esse.

— Eu só vim ao baile para te devolver o dinheiro, e não sei do que você está falando, Louis não veio ao baile. Pelo menos não comigo.

— Então você levou um senhor corno, querido, porque aquele estranho veio para a festa. Lottie está aqui.

— Não é possível – Harry negou com a cabeça e um sorriso de incredibilidade surgiu em seus lábios – só se o pai deles resolveu liberar Lottie, Louis não viria ao baile sem mim, eu sei que ele se importa muito comigo para fazer uma coisa dessas.

Tudo estava confuso, as frases não tinham nexo na minha cabeça, ou se tinham, eu preferia não ver. Por algum motivo meu coração parecia acelerar no peito, meus batimentos doíam, eram fortes e pesados, tão rápidos que eu diria que superaram a velocidade do som, talvez isso se explicasse pela adrenalina de estar agachado atrás de lixeiras, escutando conversa alheia, mas eu sabia que não era isso, eu sabia que aquilo era o grito dos meus sentimentos, que revoltavam-se com as palavras de Harry.

– E você? Se importa com ele? Ou para você ele é só mais um bobinho? – Josh perguntou com o tom de voz que pingava deboche e veneno, as palavras me machucaram, mas o que mais me doeu foram os intermináveis segundos que esperei pela resposta de Harry.

A expectativa aumentava no meu peito, tomando proporções enormes, ganhando mais tamanho a cada segundo de silêncio, já nem mais cabia dentro de mim, e eu poderia explicar aquela dor no coração como a expectativa crescendo, crescendo até não caber dentro do meu coração, e então rasgando-o, quebrando suas paredes sem dó, caçando mais espaço.

Mas a resposta de Harry não veio, o máximo que saiu da sua boca foi o ar da respiração, ele estava de costas para mim o que me impossibilitava de ver seu rosto, mas eu pude ver o sorriso maldoso de Josh, não entendi o porquê, até olhá-lo nos olhos e ver que ele olhava para mim. Fui descoberto.

– É claro que não, você não seria capaz de gostar daquele ridículo, até mesmo desistiu de chamá-lo para o baile, certo? Eu também não iria querer que me vissem por aí andando com aquele bizarro, nem mesmo pelos 300 dólares que eu te paguei para trazê-lo para cá e deixar o caminho livre para mim e para Lottie. O ponto é que aquela vadia veio ao baile, mas seu par não sou eu, é o Corey do terceiro ano, e eu quero a grana de volta, não vou te dar 300 paus para a vagabunda sair com outro cara. Eu até que poderia cobrar toda a grana que eu gastei com você e aquele babaca desde que te paguei para chamá-lo para sair pela primeira vez, porque Lottie me dava um perdido todas as vezes, só não foi porque foi muito divertido ver aquele idiota sendo feito de palhaço...

Deus.

Eu não ouvi mais nenhuma palavra, não precisava, eu não queria, eu não conseguia. Se mais alguma informação penetrasse meu cérebro nesse momento, eu explodiria. Eu nem era capaz de definir o sentimento que me tomava agora, não sabia se era tristeza, ódio, raiva, dor. Eu só sabia que aquilo me esmagava o peito, me arrancava qualquer felicidade e a pisoteava na minha frente. Ridículo, bizarro, esquisito, estranho, palhaço. E Harry não me defendeu nenhuma vez, não desmentiu a história, mesmo sem ver seu rosto eu já imaginava que nem ao menos abalado ele estava.

Céus. Eu queria chorar para sempre, mas as lágrimas que já rolavam pelo meu rosto tinham doído muito para sair, riscando meu rosto como uma navalha, arranhando meu frágil coração.

Eu acho melhor ir para casa.


Notas Finais


era só isso mesmo, obrigado por ler, beijos, olhem minha outra fanfic, comentem, favoritem, espalhem amor. fui XD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...