História 10 dias com ele - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Sakura, Sasuke, Sasusaku
Exibições 164
Palavras 3.650
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Self Inserction, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 12 - Oitavo dia


 

10 Dias com Ele


        Aquele dia ficou guardado em minha memória como o mais surpreendente e calmo desde que pisei nessa casa. Sasuke foi legal comigo e conversamos como pessoas civilizadas. Por incrível que pareça não brigamos em nenhum momento, é claro que tinha uma pequena tensão no ar pelo fato de já termos tido um contato físico. Porem eu decidi que esqueceria o que aconteceu e tentaria ser sua amiga, era estranho mas ele se mostrou inteiramente interessado na minha amizade.

Ele alegou com todas as letras que não me odiava e se desculpou pela grosseira, aquele era o jeito dele, essa era a forma em que ele agia com as pessoas. Acho que não sabia lidar com as elas. Mas ele ainda continua sendo um enigma para mim, um enigma que eu precisava desvendar.

Aproveitamos o resto do dia para ensaiarmos mais um poucos, claro que com muita insistência minha pois não quero passar uma vergonha em público. Eu estava um pouco nervosa pelo dia do Show, e por incrível que parece ele me acalmou alegando que daria tudo certo. E com essas simples palavras ele conseguiu me tranquilizar.

Acordei no outro dia um pouco animada. Era o oitavo dia em que estava aqui e agora só faltavam dois. Isso me deixava ansiosa e um pouco triste, só não sei o porque. Dei de ombros e me levantei indo para o banheiro. Tomei um banho delicioso e vesti um short jeans branco e uma blusa vermelha de alcinhas. Amarrei meus cabelos em um rabo de cavalo e calcei minha rasteirinha branca.

Sai do quarto enquanto cantarolava e sorri para o peixinho nemo quando passei pela sala. Entrei na cozinha vazia e constatei que Sasuke ainda não havia acordado, dei de ombros e fui preparar algo para comermos. Sorri me lembrando que ontem ele havia feito panquecas deliciosas, realmente me surpreendi em vê-lo cozinhando.

Olhei o relógio que estava na parede da cozinha, iria dar dez horas ele deveria estar acordando. Dei um passo para ir até o armário mas parei assim que escultei o barulho de algo se quebrando no andar de cima. Me virei instantaneamente para porta, o que sera que aconteceu?

Resolvi ver o que tinha acontecido, Sasuke deve ter deixado quebrar alguma coisa e de alguma forma eu fiquei preocupada já que aquela vez ele quebrou um copo na cozinha e acabou se cortando.

Cheguei no corredor do andar de cima e comecei a ir em direção ao seu quarto, o mesmo estava com a porta aberta e estava vazio. Onde sera que ele esta?

Olhei ao redor e a porta da biblioteca estava meio aberta. Será que ele estava lá? não faria mal nenhum ir checar.

Fui a passos lentos até a porta e a abri cautelosamente, vasculhei o local com os olhos e parei o olhar no canto da biblioteca. Abri a boca vendo Sasuke sentado no sofá com um copo de bebida nas mãos. Ele usava só uma calça moletom e olhava fixamente para um ponto qualquer não chão com a cabeça baixa.

Olhei para o canto do sofá vendo três garrafas de uma bebida que eu não consegui identificar, tinha uma cheia, e duas vazia, uma delas estava quebrada. Então foi esse o barulho que ouvi, entrei na biblioteca sentindo um incomodo no peito. Não acredito que ele esta bebendo a essa hora da amanhã, ele é louco?

Fechei a porta e comecei a andar em sua direção pronta para lhe dar uma bronca, mas quando seu olhar bateu no meu eu parei surpresa. Sua cara não estava nada boa, tinha mágoa misturada com ódio em seus olhos. Olhos que estavam avermelhados, sera que?....ele tinha chorado? impossível.

O que sera que tinha acontecido para ele estar dessa maneira?

— Sasuke, o que aconteceu? — Tomei coragem e perguntei parando em sua frente o olhando de cima.

O olhar dele estava fixo em minhas pernas, cruzei os braços limpando a garganta tentando chamar sua atenção e ele não moveu um músculo.

— A vida é uma merda. — A voz dele saiu mais rouca que o normal.

Não entendi o que ele disse, por que ele diria isso se ele tem tudo o que quer? resolvi me abaixar em sua frente atraindo seu olhar no meu.

— Por que esta bebendo a essa hora? — O reprendi com o olhar e ele ficou me encarando em silencio sem nenhuma expressão.

— Por que esta aqui? você é igual aos outros, vai me deixar também. — Ele disse com desgosto olhando em um ponto qualquer naquela biblioteca.

— Do que esta falando Sasuke? — Perguntei impaciente, ele não estava falando coisa com coisa. Bem provável que estava bêbado.

— Faz três anos, três malditos anos e eu não consegui superar. Eu deveria ter morrido junto mas como a vida é uma puta comigo, ela preferiu me deixar vivo para me destruir aos poucos. — A voz dele saiu baixa e irritada, abri a boca não conseguindo falar nada. A única coisa que conseguir pensar foi que ele havia perdido alguém. Acho que agora entendi o que estava acontecendo, mas beber não vai ajudar em nada.

Me levantei e tentei pegar o copo de bebida de sua mão enquanto ele estava distraído mas o mesmo afastou o copo de mim.

— O que esta fazendo? — A voz dele saiu irritada.

— Me da essa bebida Sasuke, você não precisa disso. — Disse tentando pegar a bebida mas seu braço me impediu.

— Me deixa em paz. — Ele resmungou e eu soltei um suspiro.

— Sasuke me da essa bebida agora. — Disse colocando um olhar sério de quem não estava brincando. Eu tinha que intimida-lo mais pelo seu olhar zombeteiro não estava funcionando.

— Por que eu daria a você? vai me dizer que quer também? veio comemorar minha desgraça comigo? — A voz dele saiu irônica enquanto erguia o copo fazendo um brinde no ar.

— Vamos fazer o seguinte, você me da a bebida e nós conversamos assim eu posso te ajudar. — Disse dando um pequeno sorriso estendendo a mão pra ele.

Ele olhou para minha mão e depois para meus olhos desviando o olhar logo em seguida, me ignorando por completo. Bufei sem paciência e em um ato impensado subi em cima dele me sentando em seu colo, aproveitei que o mesmo se assustou com minha ousadia e tomei o copo de suas mãos derramando todo o conteúdo no chão.

Larguei o copo na mesinha ao lado e cruzei os braços o olhando com um sorriso vitorioso. Ele olhou para sua bebida derramada no chão e depois me olhou como se eu fosse uma idiota.

— Sabe que posso colocar mais no copo não sabe? — Ele perguntou erguendo uma sobrancelha.

— Eu não vou deixar, nós vamos conversar agora. — Disse convicta.

Ele passou a língua nos lábios e desceu o olhar para minhas pernas que estavam ao redor de sua cintura. Corei ao constatar que estávamos tão perto, essa não foi uma boa ideia. Quando iria me levantar sua mão em minha cintura me impediu.

— Fica. — Ou não, outra vez ele estava me pedindo para ficar com aqueles olhos pidões. To começando a achar ele muito carente.

— Eu não vou embora, vou me sentar aqui do lado e... — Comecei a falar mas parei assim que ele me abraçou. Arregalei os olhos sem saber o que fazer, ele estava me abraçando? Sasuke Uchiha estava me abraçando? senti ele me apertar mais contra ele enquanto seu rosto estava na curvatura do meu pescoço.

— Sasuke. — Sussurrei seu nome sentindo meu coração bater mais forte.

— Não me deixa igual todos eles. — A voz dele saiu baixa e em suplica, senti um nó na minha garganta e retribui o seu abraço.

— Não vou te deixar. — Afirmei convicta, eu estava errada sobre ele. Agora tenho certeza que aquele arrogante de ser era só uma mascara, ele perdeu alguém que ama assim como eu. Eu entendo sua dor e estou disposta e conhecer quem é o verdadeiro Sasuke Uchiha.

— Quer me contar o que aconteceu? — Perguntei depois de longos minutos em silencio.

— Hoje faz três anos em que toda minha família morreu, meu pai, minha mãe, meu irmão. — A voz dele saiu baixa e eu arregalei os olhos.

— Sasuke eu sinto muito, eu entendo você, eu também perdi meus pais a cinco anos. — Disse apertando os lábios.

Ele tirou o rosto do meu pescoço e me olhou nos olhos, nossos rostos estavam próximos e eu pude sentir sua respiração em minha face.

— Como você superou?

— Não superei, já tentei até me matar. Mas eu percebi que não valia apena, meus pais não iriam gostar disso. Eu tento ver as coisas bonitas da vida e seguir em frente só com as lembranças boas. — Disse soltando um pequeno sorriso. Eu guardava só as lembranças boas em minha memória.

Ele ficou em silêncio com o olhar perdido, em um impulso levei a mão ao seu rosto atraindo seu olhar pra mim. Seu olhar era tão penetrante que me deixava sem ar.

— Eu quero você. — Ele disse na cara dura me fazendo arregalar os olhos.

— O que? — Eu não acredito que ele disse isso, deve ser por causa da bebida. Ele ta bêbado só pode.

— Eu quero você Sakura. — Ele repetiu apertando minha cintura me puxando pra ele, estava a centímetros da sua boca.

— Você esta bêbado Sasuke, não sabe o que esta dizendo. — Disse tentando empurra-lo, isso é muito perigoso. Não posso ficar muito perto dele.

— Eu sei o que eu estou dizendo, não estou bêbado. — Ele respondeu passando a mão no meu rosto.

— Somos amigos lembra? — Disse com a respiração descompassada. Por que ele faz isso comigo? não quero ser usada.

— Que se foda essa amizade. — A voz dele saiu séria e ele puxou meu rosto.

Eu não estava conseguindo controlar meus batimentos cardíacos. Só temos um dia de amizade e ele já a mandou se foder?

— Eu vou fazer um café pra você. — Disse apressadamente conseguindo sair de seu colo.

Ele olhou pra mim por um tempo e depois olhou ao redor.

— Você se parece com ela...aqui era o lugar em que ela mais gostava. Ela montou cada parte dessa biblioteca. — Vi um pequeno sorriso em seus lábios e seu olhar estava perdido.

Não pude esconder a surpresa em ser comparada com sua mãe. Então foi por isso que ele disse que aqui não era apenas uma biblioteca, por isso tinha essa biblioteca nessa casa. Não era ele que gostava de livros e sim sua mãe.

— Ela deveria ser uma mulher encantadora.

— Sim ela era. — Eu via em seus olhos o brilho em que se formava quando falava dela.

— Esta vendo? guarde só as lembranças boas, em vez de chorar você irá sorrir.

— Tem razão...obrigado. — As palavras dele saíram sinceras assim como seu olhar, e mais uma vez eu me surpreendi com ele.

— É...va tomar um banho e eu vou fazer o café. — Disse e me virei rapidamente, aquele olhar estava me deixando nervosa.

— Sakura. — A voz dele me fez parar.

— Sim. — Disse sem me virar.

— A noite irei leva-la para jantar.

— Me levar pra jantar? — Me virei assustada pra ele.

— Sim, é um restaurante na praia aqui perto. — Ele disse se levantando.

Engoli em seco o olhando feito idiota. É só um jantar de amigos Sakura não tem porque ficar nervosa, quem eu quero enganar, ele acabou de mandar nossa amizade se foder alegando me querer. Sasuke você esta me matando, não sei nem o que sinto por você. Aquela repulsa que sentia desde que cheguei aqui estava sumindo aos poucos. Essas mudanças de personalidade estava me deixando louca.

— O que tanto pensa? Acho que você merece um jantar com seu ídolo. — A voz dele saiu risonha e o mesmo parou em minha frente. Será que ele percebe que esta jogando esse peitoral definido na minha cara e isso estava me impedindo de pensar.

— Você não é meu Ídolo. — Consegui dizer desviando o olhar.

— Não faça essa desfeita comigo, deixa eu me achar um pouco. — Senti seu toque em meu rosto e engoli em seco.

— Tu..do bem. — Merda por que eu gaguejei, concentre mulher.

— Você fica mais linda corada. — A voz dele saiu divertida e eu arregalei os olhos o empurrando e correndo para porta.

— Vou fazer café. — Gritei passando pela porta e corri pela casa parando só quando cheguei na cozinha.

— Ai meu Deus, o que esta acontecendo comigo? — Coloquei a mão no coração sentindo o mesmo fora de controle.

Respirei fundo e coloquei a água para esquentar. As coisas estão saindo do controle.

— O que acha de um banho na piscina. — Escultei uma voz rouca atrás de mim e dei um pulo. Ai meu pai essa tentação vai ficar me seguindo?

— Sasuke por favor vai tomar banho. — Disse olhando para a criatura que estava de braços cruzados encostado na porta.

— Eu to fedendo? — Ele perguntou fazendo uma careta.

— Sim, esta fedendo a álcool agora me obedece e vai tomar banho. — Disse perdendo a paciência. Parecia que eu estava falando com criança.

— Só se você ir comigo. — A voz dele saiu maliciosa e eu o fuzilei com os olhos.

— Sasuke você esta estourando a minha paciência. — Disse entre dentes e ele deu um grande sorriso.

— Bom saber disso.

Soltei um suspiro e desliguei o fogo, fui até ele tendo uma maravilhosa ideia. Eu iria matar dois coelhos com uma cajada só, iria dar banho nele e me vingar.

Parei em sua frente sentindo seu olhar em meu corpo e lhe dei um sorriso cinico.

— Tudo bem, eu vou com você. — Disse com a voz doce e toquei naquela barriga sarada começando a empurra-lo para trás. Se concentra Sakura, foco.

— Serio? — Ele perguntou me olhando desconfiado.

— Claro. Vamos dar um mergulho na piscina.

— Estranho você falar isso já que não sabe nadar. — Ele disse levando a mão a minha cintura.

— Você que me chamou lembra? e a piscina não é tão funda assim. — Disse nos levando até a porta.

Ele deu um sorriso de lado e eu o empurrei para lado abrindo a porta e saindo da casa. Olhei a enorme piscina e sorri o puxando pela mão. Sua outra mão voltou para minha cintura e eu me virei para ele nos girando fazendo o mesmo ficar de costas para piscina. Estava sendo muito fácil pois ele não tirava os olhos dos meus, parecia nem perceber o que eu estava tentando fazer.

— Preciso tirar a roupa. — Disse tirando a suas mãos da minha cintura.

— É uma boa ideia.

Ele desceu o olhar para meu corpo se distraindo e eu sorri maldosa erguendo as mãos pronta para empurra-lo. Daria certo se o maldito não tivesse segurado minhas mãos no caminho, ele tinha um sorriso debochado e balançava a cabeça.

— Esta tentando me jogar na piscina? que menina má. — Ele disse fingindo estar decepcionado.

— Não eu não ia. — Disse balançando a cabeça rapidamente. Por que tudo que eu faço da errado?

— O que eu faço com você em? — Ele fez uma cara de pensativo e deu uma olhada para a piscina.

— Não Sasuke. — Gritei percebendo suas intensões e me soltei me virando para correr.

Porem não consegui dar nem um passo, o maldito me pegou pela cintura e me arrastou até a beirada da piscina.

— Não por favor. — Gritei esperneando apertando seus braços com força.

— Promete nunca mais fazer isso? — Ele sussurrou no meu ouvido e eu assenti rapidamente.

— Eu nunca mais vou fazer isso. — Disse em suplica, aquela água deveria estar só o gelo.

— Então repete comigo, eu nunca mais vou tentar jogar o meu Ídolo na piscina. — Ele só pode estar brincando com a minha cara. Ele esta muito sóbrio pra quem ta bêbado.

— Nunca. — Respondi emburrando a cara.

— Que pena. — Ele respondeu fazendo menção de me jogar na água e eu gritei o mandando parar.

— Eu nunca mais vou tentar jogar o meu Ídolo na piscina. — Disse entre dentes.

— Muito bem Sakura, eu sempre soube que você me idolatrava. — Ele estava rindo da minha cara, maldito.

— Ta agora me coloca no chão. — Disse emburrada e ele rio alto. Isso não é bom. Engoli em seco e soltei um grito quando ele afrouxo o aperto ao meu redor. Rapidamente fechei os olhos e senti meu corpo cair batendo na água naquela água gelada. Eu mato ele.

Consegui subir pra cima e respirei fundo passando a mão no rosto. Abracei meu corpo começando a tremer frio.

Escultei um barulho caindo na água ao meu lado e pisquei olhando para o idiota que sorria pra mim.

— Seu idiota. — Gritei olhando para minhas roupas ensopadas.

— Não fique irritada, você fica bem molhada. — Ele disse passando a mão no rosto.

— Eu te mostrar quem fica bem molhada. — Grunhi indo pra cima dele. Iria lhe dar um soco se ele não tivesse segurado minha mão e me puxando para ele.

Prendi a respiração quando ele colou nossos corpos e logo depois nossas testas.

— Sasuke. — Sussurrei olhando em seus olhos, nossas respirações estavam descompassadas. Ta muito perto.

Merda. Praguejei mentalmente e sua boca tomou a minha começando a me beijar do jeito dele. Uma de suas mãos foi para minha nunca me puxando mais para ele e aprofundando o beijo. Desistindo de lutar contornei seu pescoço o respondendo a altura.

Quando eu estou com ele eu me esqueço de tudo, é como se só existisse nós dois e todos os problemas sumissem.

O ar nos faltou e nos separarmos por pouco tempo para logo voltarmos a nos beijar feito dois esfomeados. Sorri quando ele me pegou no colo e me sentou na borda da piscina. Acho que não vamos sair daqui tão cedo.

Eu sei que irei me arrepender depois, mas não tem como evitar.

Como eu havia imaginado ficamos mais de uma hora naquela piscina, quando saimos já era hora do almoço e Sasuke não me largava um estante sequer. Deu que cozinhamos juntos e a comida quase não fica pronta pois queimamos várias vezes. Culpa desse louco que parecia estar com fogo no cu só pode.

Depois do almoço resolvemos jogar jogos. A tarde foi cheia de batalha naval, xadrez, perfil, uno, dama, jogo da memória, quebra-cabeça e até baralho. O maldito era bom e tudo e eu quase sempre perdia, era milagre ganhar uma partida.

— Xeque Mate. — Ele disse com um sorriso vitorioso e eu abri a boca incrédula.

— Você roubou. — Gritei apontando o dedo na sua cara.

— Sakura se você não sabe jogar não venha colocar a culpa me mim. — Ele disse revirando os olhos.

— Desisto, joga sozinho. — Emburrei a cara e me levantei do chão.

— Só esta desistindo por que esta perdendo todas.

— Eu só cansei tá. — Disse cruzando os braços.

— Sei, de qualquer forma esta na hora de nos arrumarmos. — Ele disse olhando para o relógio que marcava seis e meia.

— Pra que? — Perguntei confusa.

— Se esqueceu do nosso jantar? — Ele perguntou erguendo a sobrancelha e eu arregalei os olhos correndo para o quarto. Droga como eu sou esquecida.

— Só tem meia hora pra se arrumar. — Escultei seu grito e apressei os passos me trancando no quarto e correndo para o banheiro. Como eu vou me arrumar em meia hora? nem sei o que vesti.

Resolvi parar de pensar pois só estou perdendo mais tempo. Tomei um banho lavando os cabelos. Foi o banho mais rápido em que já tomei na vida.

Corri para o guarda-roupa onde eu havia guardado algumas de minhas roupas e começou a joga-las pelo quarto a procura de algo apresentável. Ele disse que era um restaurante na praia então resolvi vestir um vestido branco soltinho e calcei uma sandália preta de salto baixo. Fiz uma penteado de lado nos meus cabelos e uma maquiagem clara.

Dei uma última olhada no espelho e me virei indo até a porta do quarto. O caminho até a sala foi longo e pensativo. Seria um encontro? ou um jantar entre amigos? o que eu estou pensando acho que nem amigos somos mais, nunca vi amigos se beijarem. Parando pra pensar nós somos o que mesmo?

Quando percebi estava na sala em frente a ele, seus olhos me analisavam por inteiro. Aproveitei para olha-lo, vestia uma calça jeans preta, uma blusa azul marinho. Os cabelos estavam bagunçados e o perfume dele estava presente em todo ambiente. Que perfume delicioso.

— Até que você é bonitinha. — Ele brincou e eu revirei os olhos.

— Não posso falar o mesmo de você. — Provoquei e recebi um sorriso divertido do mesmo. Ele parecia gostar de me provocar.

— Vamos. — Ele estendeu a mão para mim e eu a peguei.

— Esta me surpreendendo com tanta gentileza. — Disse pegando sua mão.

— Isso foi uma ofensa? — Ele perguntou erguendo uma sobrancelha.

— Imagina.

— Vou ignorar suas ironias. — Ele comentou quando saímos da casa.

Avistei um carro preto próximo a casa e o olhei quando o mesmo tirou uma chave do bolso.

— Esse carro é seu? — Perguntei e o mesmo abriu a porta do passageiro fazendo um gesto para que eu entrasse.

— Sim. — Respondeu fechando a porta e rodeando o carro entrando ao meu lado.

— Pensei que iriamos andando. — Comentei quando ele começou a dirigir.

— É perto mas nem tanto.

Dei de ombros e fiquei olhando pela janela o caminho todo. Sasuke parou o carro em frente a um restaurante totalmente de madeira, ele era enfeitado com velas e flores. Havia algumas mesas do lado de fora onde se tinha uma visão privilegiada do mar e da luz da lua. Era lindo.

— Nossa. — Murmurei quando sai do carro.

— Sabia que ia gostar. — Ele comentou e me puxou me levando até uma daquelas mesas que estavam do lado de fora.

Me sentei ainda admirada e ele se sentou a minha frente me dando um sorriso de canto.

— A noite só esta começando Sakura.

Sua voz saiu sedutora me fazendo estremecer, tive a total certeza de que ainda iria me surpreender muito naquela noite. Parece que estou começando a desvendar o verdadeiro Sasuke Uchiha. Estou entrando em um jogo perigoso e posso acabar me queimando. Só espero não me decepcionar e me arrepender depois.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...