História 10 dias com ele - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Sakura, Sasuke, Sasusaku
Exibições 216
Palavras 2.819
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Self Inserction, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - Nono dia


 

10 Dias com Ele


     Posso dizer que ninguém nunca havia me levado para jantar na minha humilde vida. Muito menos em um encontro, mas isso não poderia ser um encontro. Sasuke esta tão diferente, se me dissessem que eu estaria jantando na beira da praia com Sasuke Uchiha eu mandaria essa pessoa se internar. E olha onde eu estou agora, que vida irônica.

— Qual o motivo desse jantar? — Ousei perguntar o olhando comer um camarão.

Ele me olhou por um tempo em silêncio, parecia pensativo.

— Um pedido de desculpas. — Ele disse sério e eu abri a boca surpresa.

— Desculpas?

— Fui grosso com você desde que chegou aqui...na verdade eu só agi assim por que estava com medo. — Ele disse e sussurrou a última frase com um olhar perdido.

— O que você disse? — Perguntei não entendendo.

— Experimenta esse camarão. — Ele disse socando o camarão na minha boca.

O olhei comendo o camarão e balancei a cabeça, ótima maneira de mudar de assunto.

O jantar foi delicioso e agradável. Sasuke e eu conversamos normalmente como se fossemos realmente amigos. Ele estava realmente se mostrando ser uma boa pessoa. E isso fez um sentimento bom surgir em meu peito.

— Gostou do jantar? — Ele perguntou depois de um tempo em silêncio.

Depois que um bando de garotas pediram autógrafos e tiraram fotos com Sasuke, Havíamos ido embora e agora estávamos caminhando pela praia observando as estrelas e as ondas do mar. Meu vestido balançava com o vento e minhas sandálias estavam em minhas mãos.

— Sim, ninguém nunca tinha me levado para jantar. Foi muito legal da sua parte, obrigada. — Disse parando de andar e olhei para a imagem da lua refletida na água. Aquilo era lindo.

— Você nunca foi a um encontro. — Ele disse me fazendo o olhar surpresa, então aquilo era um encontro? — Quer dizer...sei lá você deve ter tido muitos namorados. — Ele continuo virando o rosto para o outro lado. Ele estava tenso.

— Na verdade...eu nunca namorei na minha vida. — Disse envergonhada atraindo seu olhar de volta pra mim.

— O que? você nunca...

— Não tenho tempo pra essas coisas. E ainda não encontrei a pessoa certa. — O cortei começando a andar para mais perto do mar. A noite estava fresca e o vento batia em meu rosto me trazendo uma calma inexplicável.

— Hum. — Ele murmurou e parou ao meu lado colocando as mãos no bolso.

Ficamos em silêncio por um tempo, até que eu tive uma ideia louca.

— O que esta fazendo? — Ele perguntou surpreso quando eu coloquei as sandálias no chão e tirei o vestido do meu corpo o jogando na areia.

Eu vestia uma lingerie verde e quando o vento gélido tocou em minha pele eu estremeci. Senti o olhar de Sasuke queimando em meu corpo e baguncei meus cabelos entrando na água.

— Sakura? — Ele me chamou e eu sorri o olhando por cima dos ombros.

— Vamos dar um mergulho. — Disse e me virei entrando na água gelada.

A água estava congelando e eu bati os dentes sorrindo da minha loucura. Tomara que não apareça nem um tubarão. Escultei o barulho de água ao meu lado e olhei para Sasuke que tinha mergulhado ao meu lado.

— Você ficou maluca? a água ta congelando. — Ele disse trincando os dentes.

— E por que você entrou então? — Perguntei ainda sorrindo.

— Você não sabe nadar sua louca. — Ele disse me dando bronca e se aproximou de mim ficando a centímetros do meu corpo.

Verdade, mas eu não me afogar pois estou paradinha. Só se uma onda vier e me derrubar.

— Tava preocupado comigo? — Perguntei erguendo o rosto ficando presa em seus olhos penetrantes.

Senti sua mão em minha cintura, sua respiração batia em meu rosto, arfei sentindo meu corpo esquentar.

— Talvez. — Ele sussurrou roçando seus lábios no meus.

Meu coração disparou e eu fechei os olhos sentido minha boca ser tomada pela sua. Não sabia o que estava acontecendo entre a gente, mas eu não conseguia mais controlar.

Nossas línguas dançavam e ele explorava cada canto da minha boca, o aperto em minha cintura se intensificou e ele me puxou para ele colando nossos corpos. Em um passe de mágica o frio foi embora e meu corpo estava pegando fogo.

Ele desceu os beijos pelo meu pescoço e eu soltei um suspiro sem ter coragem de abrir os olhos. Suas mãos passearam pelo meu corpo parando em minha bunda onde ele deu um leve aperto. Não aguentei e soltei um gemido esganiçado abrindo os olhos.

— Merda. — Ele grunhiu e me deu um chupão próximo aos meus seios.

— Sasuke. — Gemi cravando as unhas em seus ombros.

Aquilo não estava nos meus planos.

— Droga garota por que você faz isso? desde que você apareceu nessa casa eu to tentando manter o controle pra não fazer nenhuma loucura, e você faz de tudo pra me fazer perder a cabeça. Quer me matar é isso? eu to tentando concertar as coisas e você tira a roupa na minha frente me mostrando esse corpo maravilhoso. — Ele disse ofegante tropeçando nas palavras olhando para meu corpo tentando se afastar.

Meus olhos brilharam e ele balançou a cabeça desnorteado. Mordi os lábios sentindo uma escola de samba em meu peito. Ele me desejava todo esse tempo, ele estava fugindo de mim por isso que ele estava agindo daquela forma. Ele queria me afastar.

— Sasuke. — Me aproximei tocando em seu peito.

Eu estava feliz, ele sentia algo por mim.

— Eu não posso fazer isso com você. — Ele tentou se esquivar de mim.

— Eu quero. — Afirmei segurando seu rosto o olhando profundamente. Eu quero, eu o quero inteiramente. Pode ser loucura mas eu não me importo.

Ele me olhou surpreso e me puxou para ele me levantando, me encaixei em sua cintura e gemi quando nossas intimidades se tocaram por cima das nossas peças intimas . Ele arfou no meu pescoço e saiu da água comigo enquanto me beijava.

— Eu vou te fazer minha garota. — Ele grunhiu entre meus lábios.

Sorri e comecei a beijar seu rosto.

— Onde estamos indo? — Sussurrei em seu ouvido.

— Estou tentando chegar em casa e você não esta ajudando. — Ele disse e eu comecei a beijar seu pescoço.

Não sei o que estava fazendo mas eu não quero parar.

Com muita luta chegamos em casa, ele me colocou no chão me prensando na porta tomando meus lábios com voracidade. Eu estava pegando fogo e minha intimidade estava latejando, estava desesperada.

— Vem. — Ele mordeu meus lábios e me puxou para as escadas.

— Sasuke. — Sorri quando quase caímos da escada.

Não sei como conseguimos chegar no andar de cima inteiros. Ele me empurrou pro quarto dele e me beijou me guiando até a cama. Puxei seus cabelos gemendo seu nome, esbarrei na cama e cai com o mesmo em cima de mim.

Suas mãos logo foram ao meu sutiã o tirando do meu corpo sem dificuldades, ele também estava desesperado. Seus olhar parou em meus seios e seus olhos brilharam. Me olhou como se pedisse permissão e eu assenti, logo senti sua boca me abocanhando me fazendo revirar os olhos soltando um gemido alto. Aquela sensação era maravilhosa, como eu nunca senti isso antes?

— Sasuke. — Me contorci em seus braços e ele acariciou meus seios com as mãos.

— Você é perfeita. — Sussurrou descendo beijos pela extensão da minha barriga.

— Sasuke eu... — Tentei dizer algo com a respiração descompassada.

— Shhi calma. — Ele sussurrou e logo senti suas mãos no elástico da minha calcinha.

Ele a tirou lentamente do meu corpo e voltou a me beijar, senti meu rosto esquentar de vergonha. Sua mão desceu para meio das minhas, quando seus dedos me tocaram eu quase explodi de desejo. Ele acariciou minha intimidade e mordeu os lábios introduzindo um dedo dentro de mim.

— Sasuke. — Gritei cravando as unhas em seus braços.

Seu dedo estava me invadindo fazendo um leve incomodo, só aumentando meu desejo.

— É tão apertadinha. — Ele sussurrou fazendo leves movimentos com o dedo.

— Por favor. — Gemi revirando os olhos querendo mais daquela sensação deliciosa.

Ele gemeu em meu ouvido e colocou outro dedo me fazendo gemer mais alto.

— Céus. — Gritei sentindo meu corpo estremecer.

Para meu desgosto ele tirou os dedos de dentro de mim, se levantou logo em seguida tirando sua cueca e pegando um preservativo na gaveta do criado mudo. Em poucos segundos ele estava em cima de mim outra vez, Ele se encaixou entre minhas pernas e sua mão foi para minha cintura.

Entrelaçou nossas mãos as levando para cima da minha cabeça e colou nossos lábios. Sentiu seu membro roçar em minha intimidade e arqueei o corpo sentido o mesmo me penetrar com um único movimento.

A dor foi cortante, mas quando ele começou a beijar meu rosto e busto com delicadeza, a dor foi embora e o prazer voltou com tudo. Ele começou a me penetrar lentamente e quando eu comecei a gritar seu nome ele aumentou o ritmos dos movimentos, me fazendo elançar as pernas em volta de sua cintura.

— Tão apertada e deliciosa. — Ele grunhiu em meu ouvido voltando a me beijar com luxúria.

Suas mãos desceram pelo meu corpo apertando minha bunda com certa força, me puxou mais para ele fazendo uma penetração mais funda. Minhas unhas desceram pela suas costas o rasgando.

— Sasuke. — Tudo o que eu sabia fazer era gemer e gritar.

— Tsc. Sakura. — Seus gemidos baixos em meu ouvido estava me levando a loucura.

Fechei os olhos arfando sentindo seus chupões descerem pelo meu pescoço até meus seios. Meus olhos lacrimejaram e uma corrente elétrica passou pelo meu corpo me fazendo estremecer e me contorcer gritando de prazer. Havia tido um orgasmo. Sasuke me apertou contra ele mordendo meus lábios e gemendo meu nome, logo ele também seu chegou a seu clímax.

Deitei a cabeça no travesseiro respirando fundo, Sasuke continuou beijando meu pescoço.

Eu perdi minha virgindade com Sasuke Uchiha. Se me contasse que isso iria acontecer um dia eu mandaria a pessoa se internar em um hospício, por que ela estaria louca.

— Se arrependeu? — Ele perguntou depois de um tempo em silêncio.

— Não. — Respondi e olhei para ele soltando um sorriso.

Foi a melhor escolha que eu fiz na vida. Me entregar a ele.

Ele deu um sorriso de lado e voltou a me beijar. Aquela foi a melhor noite da minha vida, passamos a madrugada inteira nos desfrutando um do outro e por fim dormimos juntos. Eu nunca estive tão feliz em minha vida.

Abri os olhos devagar tentando me acostumar com a claridade. Soltei um bocejo e me mexi na cama olhando para o lado. Estava vazio, Sasuke não estava lá. Franzi o senho estranhando pois ele acorda mais tarde do que eu, me sentei na cama olhando para um relógio na parede onde marcavam onze horas e meia. Arregalei os olhos dando um pulo da cama, não acredito. Eu nunca dormir até tão tarde assim.

Senti o frio no corpo me lembrando de que estava nua. Sorri ao me lembrar da noite passada e corei sozinha. Me enrolei no lençol da cama e sai do quarto dele correndo para o meu onde tomei um banho e vesti uma saia florada e uma blusa vermelha. Amarrei meus cabelos em um rabo de cavalo e sai do quarto indo em direção a cozinha.

Senti um cheiro bom vindo da mesma e parei na soleira da porta tendo uma visão interessante, Sasuke estava cozinhando. Ele estava vestido apenas uma bermuda preta e usava um avental branco. Se eu fosse uma tarada eu estaria babando, mas como eu não sou tarada...eu estou babando do mesmo jeito.

— Pensei que não iria acordar hoje. — Disse me pegando no flagra enquanto eu o secava. Se ele fosse mais feio eu não estaria nessa situação, mas o desgramado parecia não ter nenhum defeito. Seus pais deveriam ser abençoados de beleza.

— Por que não me acordou? — Perguntei saindo do transe.

— Você estava uma tentação dormindo, então eu fiquei com dó de te acordar e resolvi fazer o café da manhã mas como você tava demorando a acordar eu comecei a fazer o almoço. — Ele disse vindo até mim e parando em minha frente.

— Você cozinhando? acho melhor eu correr pois acho que o mundo vai acabar. — Brinquei e ele revirou os olhos levando as mãos a minha cintura.

— Ta me chamando de inútil? — Ele perguntou erguendo uma sobrancelha.

— Não até que você não é tão inútil assim. — Disse divertida.

Eu pensei que não conseguiria o encarar depois de ontem, mas para minha surpresa eu não estou gaguejando e estou me sentindo bem ao lado dele.

— Você ama me ofender. — Ele retrucou e me beijou.

Nossas línguas se encontraram e começaram a disputar um comando. Ele sorriu mordendo meus lábios e me puxou para mesa.

— Senta, vou servir o almoço. — Ele disse e eu assenti, já havia perdido o café da manhã mesmo.

Depois de comermos sua deliciosa comida, eu tinha que admitir que ele era bom em tudo o que fazia.

— O que quer fazer hoje? — Ele perguntou guardando o último prato.

— Eu não sei. — Respondi secando minhas mãos.

— Você podia me falar onde aprendeu a cantar. — Ele disse se encostando na mesa e cruzando os braços.

— Eu sempre gostei de música desde pequena, meu pai me ensinou a tocar violão mas cantar eu só....simplesmente canto. — Disse indo até ele.

— Então é um dom. — Ele disse acariciando meu rosto e eu dei de ombros.

— E você? canta desde pequeno? — Perguntei olhando em seus olhos.

— Eu também sempre gostei de música, de tocar violão, bateria, guitarra. Mas não era esse o futuro que meu pai queria para mim. Depois da morte deles...eu comecei a tocar e compor músicas para de alguma forma me distrair e não enlouquecer e cometer uma loucura. Meu tio Mandara irmão do meu pai, apareceu depois de muitos anos e começou a encher a minha paciência dizendo que eu tinha futuro como cantor. Eu nunca quis fama, eu só queria tocar pra mim mesmo. Quando percebi ele tinha me convencido a ir em uma gravadora, me arrumou um empresário e eu gravei algumas músicas. Depois de um tempo já estava fazendo sucesso e sendo seguido por um monte de loucas, mas eu reconheço que elas são minhas fãs e que gostam do meu trabalho, elas me dão muito apoio e eu acabei me apegando a elas. — Ele disse com um olhar perdido.

— Acho que enganei com você...você não é um riquinho esnobe. — Disse sorrindo sem graça.

— Eu tenho cara de riquinho esnobe? — Ele perguntou divertido.

— Bom...um pouco. — Disse apertando suas bochechas.

— Sabe o que eu acho? que você me ama e é gamada em mim, só fica ai fingindo que não é minha fã pra faze charme. — Ele disse convencido e eu revirei os olhos.

— Você não sabe o que é passar anos escutando minha melhor amiga te bajulando, Como eu amo o Sasuke, Sasuke é tudo na minha vida, Sasuke é lindo, Sasuke é isso, Sasuke aquilo...arg como é irritante. Eu odiava você de tanto que o povo te bajularem. — Disse imitando a Ino e fiz careta.

— Odiava? então não odeia mais? — Ele sussurrou no meu ouvido.

Sorri sentindo minhas bochechas corarem, eu o odeio? claro que não. Não sei o que esta acontecendo entre nós mas eu estou sentindo algo forte por ele, acho que...estou apaixonada.

Isso não é bom. A não ser que eu seja correspondia, e essa é a pergunta que não quer calar. Sasuke Uchiha estaria apaixonado por mim?

— Acho que não. — Sussurrei pra mim mesmo.

— Isso bom. — Murmurou beijando meu pescoço.

Suspirei sentindo suas mãos descerem pelo meu corpo, ele foi subindo os beijos para meu rosto e logo estávamos nos beijando fervorosamente. Puxei seus cabelos e ele me levantou me fazendo sentar na mesa.

— Lembra quando nos beijamos pela primeira vez? — Ele murmurou no meu ouvido e eu assenti. Como esquecer aquilo.

— Naquele dia você me deixou louco me provocando com aqueles tomates. Isso não se faz. — Ele disse me fazendo sorrir.

— Foi engraçado. — Disse e ele apertou minhas bochechas.

— Não foi engraçado Sakura, foi exitante. — Ele disse me fazendo corar. — E hoje você vai me pagar por ter feito aquilo. — Ele continuo com um sorriso malicioso.

Abri a boca e ele se afastou indo até a geladeira, o vi pegar o liquidificador e alguns tomates. O que ele estava aprontando?

— O que você vai fazer? — Perguntei nervosa.

— Suco de tomate é uma delícia sabia? — Disse sem tirar aquele sorriso pervertido.

— Você ainda ta com fome? — Perguntei fazendo careta, como uma pessoa pode gostar de suco de tomate que nojo.

— Muita fome e só você pode mata-la. — Ele disse sedutoramente me devorando com os olhos.

— O que? — Ele quer me matar? sera que ele sabe que é um gostoso? claro que sabe.

— Tira a roupa Sakura. — Ordenou ligando o liquidificador.

Tirar a roupa? o que ele vai fazer? preciso ligar os fatos. Vingança, Fome, sorriso malicioso, eu pelada e suco de tomate. O que isso daria? sopa de Sakura? oh estou fodida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...