História 10 dias com ele - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Sakura, Sasuke, Sasusaku
Exibições 212
Palavras 2.967
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Self Inserction, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 16 - Dor da perda


10 Dias com Ele

Sasuke

Quando eu era criança, eu sonhava em ser um cantor mundialmente famoso. Mas quando cheguei na minha adolescência meu pai destruiu meu sonho. Com o tempo eu comecei a criar músicas escondido apenas para mim e quando perdi minha família meus sonhos foram destruídos.

Me ergui com o passar tempo e os sons das canções, o toque do violão, a música me ajudaram a seguir em frente, eu não queria mais ser famoso, só queria tocar e cantar para esquecer a dor.

Quando eu percebi até mesmo as pedras me conheciam, meu rosto estava estampado em todas as capas de revistas, as garotas simplesmente me idolatravam. Eu tinha tudo o que o dinheiro poderia comprar, mas eu nunca me senti....feliz. faltava algo, eu estava incompleto, meu coração era um vazio sem fundo.

Até ela aparecer.

Nunca imaginei que eu mero concurso inventado por Madara iria me trazer de volta a vida. Ela conseguiu me fazer sentir sentimentos jamais sentidos, conseguiu fazer meu coração bater mais forte apenas com um sorriso.

Confesso que não queria ficar dez dias com uma garota no meu pé o tempo todo, mas ela me surpreendeu sendo completamente o oposto. Pela primeira vez na vida encontrei uma garota que não era louca por mim.

Isso me deixou intrigado e confuso, eu queria entender o por que da mesma não gostar de mim. Ela fez questão de jogar na minha cara que me odiava, me disse coisas que ninguém nunca teve coragem de dizer.

Eu fique irritado mas a admirei, ela era petulante, infantil e linda. Comecei a me odiar por estar atraído por uma garota como ela. Tentei ignora-la de todas as formas e fui o mais arrogante possível, brigávamos quase toda hora e no fundo eu gostava disso, ela ficava tão linda irritada.

Não podia negar que ela era divertida, a prova disso foi a nossa guerra de comida. Aquilo foi ridiculamente infantil mas foi o mais perto de me conseguir tirar uma risada.

Quando a vi apenas de biquíni quase tive infarto, ela tinha curvas graciosas e estava me deixando louco. Fiquei a olhando igual um babaca até ela se afogar. Nunca senti tanto desespero na vida quando ela não acordava de forma nenhuma. Naquele dia eu quase tive um ataque cardíaco.

Depois daquele dia a evitei de todas as formas possíveis pois seu corpo não saia da minha cabeça. Estava me sentindo um maluco pervertido.

Mas ela conseguiu tirar minha sanidade mental quando me provocou com aquele tomate, será que ela sabe que fica sexy comendo daquele jeito? minha mente foi invadida pelos pensamentos mais impuros. Ela nem imaginava o que eu queria fazer com ela.

Mas tudo o que consegui fazer foi beija-la, a o beijo. Não tenho palavras para descreve-lo, meu coração estava prestes a sair pela boca, uma chama se acendeu em todo o meu corpo. A boca dela era deliciosa, ela rea perfeita.

Foi naquela noite que o desespero me bateu por não conseguir tira-la da minha cabeça. Eu não consegui dormir a noite, me segurava para não invadir seu quarto e toma-la para mim.

Os próximo dias não foram fácies, eu tive que manda-la se afastar. Eu não podia gostar dela, eu não queria.

Eu tinha medo de me apaixonar.

Mas quando percebi já havia acontecido e era tarde demais, estava tão entregue que implorei para ela não ir embora. Acabei desistindo de fugir dos meus sentimentos e propus uma trégua, uma amizade.

Amizade que não durou muito pois eu queria beija-la o tempo inteiro.

Quando ela se entregou para mim eu finalmente me senti completo. Ela era, a garota da minha vida, eu não iria larga-la nunca mais. Eu estava igual um babaca apaixonado.

Ela conseguiu me fazer sentir um prazer jamais sentido.

Nossos dias foram intensos, os melhores dias da minha vida. Longe de todos e tudo. Só eu e ela.

Eu sabia que um dia teríamos que voltar, mas eu não queria. Não seria mais eu e ela mas o mundo ao nosso redor. Eu nunca tive um relacionamento sério com alguém, mas eu queria ter um com ela e estava decidido que a pediria em namoro no Show.

O que eu não esperava era que meus planos fossem quebrados.

— Sasuke precisamos conversar. — Madara me chamou quando Shizune arrastou Sakura.

O olhei e ele me pediu para segui-lo. Ele me levou até meu camarim e fechou a porta quando eu entrei.

— O que aconteceu tio? — Perguntei me sentando no sofá e ele suspirou parando em minha frente.

— Sasuke o que você tem com aquela garota? — Ele perguntou se sentando ao meu lado.

— Por que? — Perguntei confuso.

— Sasuke você não pode ter nada com essa garota. — Ele disse calmamente e meu olhar ficou sério.

— Do que esta falando? — Me levantei e ele também.

— Você já parou para olhar em volta? você é Sasuke Uchiha, se esqueceu de como é sua vida Sasuke? — Ele ergueu uma sobrancelha e passei a mão no rosto.

— Não. — Minha voz saiu baixa.

— lembra do que me prometeu no inicio de sua carreira? — Ele perguntou me fazendo apertar os punhos.

— Lembro.

— Você me prometeu que não se envolveria com nenhuma garota para o seu próprio bem e o da sua carreira. — Ele disse me fazendo cerrar os dentes.

— Isso não importa mais, eu conheci Sakura e eu gosto dela e vou ficar com ela. — Disse duro e ele suspirou.

— Meu querido sobrinho esta vendo o que ela esta fazendo com você? você esta de quatro por essa garota, ela vai destruir sua carreira Sasuke. — Ele balançou a cabeça negativamente.

— Não fale asneiras tio, Sakura não vai destruir nada. — Resmunguei pegando uma garrafa de água que tinha na mesa ao lado.

— Fale para mim o que você faz no seu dia Sasuke. — Ele ordenou e eu bufei.

— Ensaio, dou autógrafos, faço entrevistas, faço ensaio fotográficos, vou a programas de tv, faço comercias e Shows. — Disse dando um longo gole na garrafa de água.

— Onde você irá tirar tempo pra essa garota? — Ele perguntou e eu travei.

— Eu dou um jeito. — Respirei fundo.

— E você acha que ela vai aceitar ficar com você apenas por alguns minutos? você acha que será fácil para ela namorar Sasuke Uchiha? ela não terá mais vida Sasuke, terá paparazes a seguindo o dia inteiro, fã loucas a xingando por você não ser mais solteiro, poderá ser até assediada nas ruas. E pelo o que eu percebi ela é uma garota simples que gosta de privacidade, acha que ela suportara as fofocas que inventaram dela? lamento lhe dizer mais a coitada nunca mais terá uma vida normal. — Ele disse e eu engoli em seco.

Não tinha pensado nisso, ele tinha toda razão. Isso era demais para ela. Fechei os olhos com força me encostando na parede. Coloquei a mão no rosto e respirei fundo, eu pensei só em mim e não me lembre do detalhe mais importante. Eu sou famoso. Não tenho privacidade nem para usar o banheiro.

— E tem mais, você fará uma turnê pelo mundo daqui a quatro meses, acha que ela aceitara ficar longe de você por um ano? Sasuke pense bem no que esta fazendo. — Disse e saiu do camarim me deixando atordoado.

Me sentei no sofá com a mão no rosto. Sera que eu não posso ter paz nessa vida? Senti raiva de mim mesmo. Sakura merece alguém melhor, alguém que lhe dê uma vida, que sempre esteja ao seu lado.

Como eu fui burro em achar que isso daria certo.

Eu não estava conseguindo pensar direito, eu só sabia que precisava fazer alguma coisa.

E foi com esses pensamento que eu entrei no palco, milhares de pessoas gritavam meu nome e me aplaudiam. Mas eu não conseguia me concentrar, Apenas Sakura estava em minha mente.

Eu não sabia o que fazer.

Quando a vi meu coração disparou e minha boca secou, ela estava tão linda. Eu não consegui toca-la, eu tinha que me afastar.

Ela foi perfeita, a voz dela era linda. Eu queria abraça-la e beija-la mas não conseguia.

Eu precisava fazê-la me odiar, se não fosse assim ela não aceitaria se afastar. Assim seria mais fácil e ela seguiria sua vida e iria esquecer que um dia eu fiz parte dela. Foi bom enquanto durou, eu a agradeço por ter me dado os melhores dias da minha vida.

A cada palavra que saia da minha boca me fazia querer morrer, eu não acredito que falei tudo aquilo. Eu me odeio, eu sou um puto de um idiota.

As lágrimas nos olhos dela partiram meu coração, quando ela saiu correndo eu não consegui me segurar e fui atrás dela, eu tinha dizer que era mentira, eu tinha que dizer que eu era um idiota.

— Sasuke você fez o certo. — Madara me segurou no caminho.

— Eu não devia ter feito isso, eu preciso ir atrás dela. — Gritei sentindo o desespero tomar conta de mim.

— Sasuke seja forte, é o melhor a se fazer. — Ele gritou me balançando pelos ombros.

A dor no meu peito era tão grande que eu queria morrer.

Balancei a cabeça me soltando do mesmo e sai dali o mais rápido possível. Ele me gritou mas eu o ignorei, sai daquele lugar sendo cercado de paparazes e fãs enlouquecidas.

De repente aquilo me sufocou, tentei ignorar os fleches no meu rosto e empurrei todos os que entravam em minha frente. Corri em direção ao meu carro e quase atropelei uma mulher que batia no vidro gritando meu nome.

Eu queria sumir, esquecer toda merda que eu fiz.

Comecei a dirigir sem rumo me segurando para não ir atrás dela, eu tinha que aceitar que havia a perdido. Que havia a afastado de mim, duvido que ela queria olhar para minha cara depois de tudo o que eu disse.

O vazio no meu peito era enorme.

Estacionei o carro na garagem do prédio onde eu morava. Sai do mesmo indo em direção a meu apartamento a passos rápidos.

— Sasuke. — Escultei uma voz feminina mas ignorei entrando no elevador.

Fechei os olhos com força passando a mão no rosto e senti um toque em meu braço. Abri os olhos tendo a visão da última pessoa que eu queria ver naquele momento.

— Sai daqui. — Minha voz saiu seca e ela me abraçou.

— Sasuke eu estava com saudades, você foi tão bem hoje. — Aquela voz melosa me enjoava.

— Me deixa em paz Karin. — A empurrei saindo do elevador.

— Sasuke por que todo esse mal humor, amor não me ignore. — Ela correu atrás de mim e eu entrei no meu apartamento batendo a porta na cara dela.

Ignorei seus gritos e fui atrás de uma garrafa de bebida. Eu precisava me acalmar, precisava esquecer. Precisava esquecer o quanto minha vida é uma droga, esquecer o quanto eu sou um burro idiota.

— Sasuke abre essa porta.

Os gritos daquele idiota estavam me irritando cada vez mais. Comecei a beber mas não estava adiantando de nada, a imagem dela sempre vinha a minha mente.

— Que droga, sai da minha cabeça. — Joguei o copo vazio na parede o fazendo estraçalhar.

Minha cabeça estava prestes a explodir.

Eu não conseguia, eu sou fraco. Eu...eu preciso dela ao meu lado ou minha vida não vai mais fazer sentido.

Me levantei rapidamente indo até a porta a passos rápidos, dane-se tudo eu preciso ir atrás dela. Não vou deixar essa droga de carreira estragar minha felicidade.

Abri a porta e aquela idiota se jogou em cima de mim, a empurrei tentando ir até o e levador mas um bastardo me segurou.

— Senhor Uchiha, tenho ordens do seu tio para lhe não deixar sair de casa. — O idiota bloqueou minha passagem e eu trinquei os dentes o fuzilando.

— Sai da minha frente agora. — Minha voz saiu raivosa.

— Sasuke o que esta acontecendo? — Se aquela garota não calar a boca eu vou faze-la engolir a língua.

— O Senhor não esta em estado normal, não posso deixa-lo sair desse jeito. — Ele continuo a me impedir.

— Não te perguntei nada. — Gritei o empurrando e apareceu mais dois idiotas segurando meus braços.

— Ei soltem ele. — Karin continuava a gritar.

Eu juro que minha cabeça vai explodir.

Me soltei daqueles merdas e dei um soco na cara de um dos paspalhos o fazendo se curvar.

— Segurem ele. — O idiota gritou com a mão no nariz que saia sangue.

— Sasuke. — Ouvi a voz de Naruto no fim do corredor.

— Naruto manda eles me soltarem. — Gritei me debatendo.

— O que estão fazendo? soltem ele. — O loiro gritou olhando irritado para aqueles idiotas.

— Tenho ordens para não deixa-lo sair de casa, ele não esta em seu perfeito estado. — Eu vou matar esse infeliz.

— Soltem ele, ele não vai sair. — Naruto disse serio e aqueles babacas se entreolharam e me soltaram.

Naruto se aproximou de mim me puxando pelo braço.

— Sasuke o que esta acontecendo? — Ele me olhava preocupado.

— Naruto eu preciso ir atrás dela. — Minha respiração estava descompassada.

— Calma cara, você esta muito alterado. — Ele tocou em meu ombro e eu empurrei.

— Eu vou atrás dela.

— Sasuke. — A idiota da karin grudou no meu braço.

— Tira essa garota de perto de mim.

— Karin da um tempo. — Naruto a puxou pelo braço fazendo a mesma cambalear.

Os ignorei e corri até o elevador, os seguranças ainda tentaram me segurar mas eu fui mais rápido e as portas do elevador se fecharam. Sai do mesmo as pressas e corri até o estacionamento, eu preciso concertar essa burrada, eu não vou conseguir ficar sem ela.

Eu preciso daquela garota comigo.

— Sasuke seu louco para. — Naruto gritou correndo atrás de mim.

— Eu preciso concertar essa merda Naruto. — Gritei tentando encontrar meu carro, minha visão estava ficando turva.

— Você não pode dirigir nesse estado, você esta bêbado. — Ele gritou me segurando e eu balancei a cabeça.

— Me leva até ela Naruto. — Suplique e ele soltou um suspiro.

— Cara você não ta legal. — Ele me olhou estranho.

— Dane-se, eu só quero que me leve até ela. Ela tem que ouvir, ela precisa me perdoar. — Passei a mão no rosto tentando controlar meu desespero.

— Sasuke fica calmo, quem quer que seja eu não acho que ela vai querer te ver nesse estado. — Ele disse tocando em meu ombro.

— Ela tem que me ouvir Naruto. Ela precisa me ouvir. — Consegui encontrar meu carro e corri até ele.

— Merda, me da a chave. — Ele resmungou e eu tirei as chaves do bolso o entregando.

Entramos no carro e logo ele estava dirigindo em direção a casa dela.

— Eu não acredito que fez isso com a Sakura. — Ele freou o carro no meio fio quando eu contei tudo pra ele.

— Liga a merda do carro. — Gritei perdendo a paciência.

— Sasuke você viu a burrada que você fez? ela não vai querer te ver nem pintado de ouro. — Ele resmungou balançando a cabeça.

— Eu vou pedir desculpas.

— E você acha que desculpas vão adiantar? você esta bêbado. — Ele meu deu um tapa na cabeça.

— Eu não tô bêbado, agora liga essa merda. — Gritei lhe devolvendo o tapa.

— Que droga Sasuke, você esta muito alterado vai fazer merda. Vamos voltar pra casa e amanhã quando você estiver melhor você a procura. — Ele tentou me fazer mudar de ideia mas eu neguei.

Eu vou concertar essa merda hoje.

— Não, e se você não me levar eu te chuto desse carro e vou sozinho. — Gritei perdendo a paciência e ele bufou.

— Quando levar um tapa na cara não diga que eu não avisei. — Ele resmungou lingando o carro e voltando a dirigir.

— Não importa, ela pode me bater até perder as forças, mas ela tem que me perdoar. — Murmurei encostando a cabeça na janela.

Depois de alguns minutos paramos em frente a seu prédio. Desci rapidamente do carro e corri até a recepção.

— Apartamento de Sakura Haruno. — Fui direto e a mulher me olhou de boca aberta.

— Sasuke Uchiha. — Ela sussurrou como os olhos brilhando.

— Quero o número do apartamento de Sakura Haruno. — Minha voz saiu elevada e ela piscou os olhos assentindo.

Quando consegui corri para o elevador com Naruto atrás de mim. Meu coração estava acelerado e minha respiração descompassada.

Quando o elevador se abriu no quinto andar o medo me invadiu, engoli em seco seguindo para a porta de número 107. Parei em frente a mesma e bati apertando os punhos com força. Naruto parou ao meu lado e me olhou exitante.

Ela vai me perdoar, ela tem que me perdoar.

Ouvi passos se aproximando da porta e prendi a respiração. Estava preste a ter um ataque cardíaco quando a porta se abriu. Mas para minha surpresa, não era Sakura e sim uma garota loira.

A olhei confusa enquanto a mesma me olhava surpresa, ela abriu a boca piscando os olhos que estavam vermelhos, antes que eu pudesse falar alguma coisa meu rosto virou com o tapa que ela me deu.

— Eu te avisei Sasuke. — Ouvi a voz de Naruto e fechei os olhos.

Virei o rosto olhando para a mesma que tremia os lábios segurando o choro,eu não vou desistir, não importa quantos tapas eu leve na cara de suas amigas. Mas Sakura vai ter que me ouvir e me perdoar.

Eu fui um burro ao dizer aquelas coisas a ela, Eu não me importo com mais nada, faço qualquer coisa pelo seu perdão...Até mesmo abrir mão da minha carreira.

Por que eu...a amo.

 

Bem, você só precisa da luz quando está escurecendo

Só sente falta do sol, quando começa a nevar

Só sabe que a ama quando a deixar ir

Só sabe que estava bem quando está se sentindo pra baixo

Só odeia a estrada quando está com saudade de casa

Só sabe que a ama quando a deixar ir

E você a deixa ir

Oo oo oo

E você a deixa ir

Oo oo oo

Bem, você a deixa ir



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...