História 10 dias com ele - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Sakura, Sasuke, Sasusaku
Exibições 281
Palavras 2.093
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Self Inserction, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 17 - Seguindo em frente


10 Dias com Ele

Sakura

Ino me fez contar tudo a ela, contei tudo desde o inicio. Ela ficou em choque, me olhou estática por alguns minutos e quando acordou do transe me abraçou chorando comigo.

Não disse nada. Palavras não eram necessárias.

Ficamos abraçadas por um longo tempo, ela só me soltou quando bateram na porta.

— Eu vou ver quem é. — Ela disse e eu assenti me deitando na cama.

Ela saiu do quarto e eu abracei o travesseiro escondendo meu rosto no mesmo.

Os minutos seguintes foram puro silêncio, Ino estava demorando para voltar e eu estranhei. Comecei a ouvir vozes elevadas e franzi o senho, o que estava acontecendo?

— Vai embora daqui. — Ouvi o grito de Ino e me sentei na cama.

— Eu preciso falar com ela, Sakura. — Outro grito se fez presente e meu coração disparou.

Era ele. Arfei sentindo meu ar ir embora.

O que ele estava fazendo aqui?

— Sakura. — Ele gritou outra vez e eu me levantei da cama abraçando meu próprio corpo.

Era ele, eu não acredito. Ele disse que nunca mais queria me ver em sua frente.

— Sasuke você não pode invadir a casa dos outros assim. — Outro grito. Eu conhecia aquela voz, mas não me lembro de onde.

— Sakura por favor. — A voz dele estava em súplica.

Minha respiração ficou descompassada e meu corpo estava paralisado.

— Sai daqui agora ou eu vou chamar a policia. — Ino gritou.

Os gritos estavam perto e passos também.

A porta do meu quarto se abriu bruscamente e meu corpo estremeceu. Lá estava ele, ofegante com a respiração descompassada me olhando intensamente com os olhos em desespero.

O nó na minha garganta se intensificou e quando ele deu um passo para frente e dei outra para trás.

— Sakura. — Sussurrou se aproximando de mim e eu me afastei rapidamente.

— Não se aproxime. — Minha voz saiu esganiçada, o que ele estava fazendo aqui? veio ver minha desgraça?

— Saia daqui seu idiota. — Ino gritou entrando no quarto me surpreendendo.

Pela primeira vez na minha tola vida, escuto Ino xingar Sasuke Uchiha.

— Sasuke você enlouqueceu? — Olhei para porta reconhecendo Naruto Uzumaki.

— Sakura por favor me escuta. — Sasuke se aproximou e me encurralando na parede.

O olhei aterrorizada com tamanha a proximidade era demais para meu coração, sua respiração bateu em meu rosto e eu senti seu bafo de álcool. Claro, ele estava bêbado, isso explica seu comportamento.

Senti a raiva voltando e o olhei seriamente.

— Saia do meu apartamento agora, ou eu vou chamar os seguranças. — Minha voz saiu dura.

Ele piscou os olhos e balançou a cabeça.

— Me desculpa. Eu te amo. — Ele sussurrou e eu arregalei os olhos.

Eu não acredito nisso.

Ele levantou a mão tentando tocar em meu rosto e eu o empurrei me afastando.

— O que você quer? brincar com meus sentimentos? quer acabar comigo é isso? já não basta o que você fez? — Gritei sentindo as lágrimas voltarem com tudo.

O que eu fiz pra merecer isso?

— Não, eu nunca quis lhe magoar. — Ele me olhou apavorado se aproximando.

Por que ele faz questão de me destruir?

— Sai daqui, vai embora, você mesmo disse que não queria me ver na sua frente nunca mais. — Gritei e Ino veio até mim segurando meu braço.

— Não, eu não vou embora até você me perdoar. — Ele gritou vindo pra cima de mim e Naruto entrou em sua frente o segurando.

— Sasuke vamos embora cara. — A voz do loiro saiu séria.

— Sakura por favor, aquilo tudo era mentira, eu só queria o seu bem. — Ele gritou empurrando Naruto.

Eu não suportava mais, aquilo era muito pra mim.

— Você têm uma forma muito estranha de querer o bem das pessoas. — Minha voz saiu fria.

— Sakura, eu não tenho vida a mídia me cerca vinte quatro horas por dia, eu só queria te proteger de tudo isso. — Ele disse me olhando com um olhar triste.

Então ele queria me proteger? não faz sentido, ele me desprezou como se eu não fosse nada e agora esta aqui igual um cachorro abandonado me pedindo desculpas.

O silêncio reinou e eu abaixei o olhar, senti Ino apertar meu braço, ela estava tensa.

Aquilo foi um erro. Não conseguia tirar suas palavras de meus pensamentos.

— Somos de mundo completamente diferentes, você é Sasuke Uchiha e eu sou apenas Sakura. Nunca daria certo. Como você mesmo disse foi um erro. — Mordi os olhos com força fechando os olhos.

A dor no peito era tão grande que eu queria morrer, mas a culpa disso tudo foi minha, acho que sonhei além da realidade. Nunca imaginei que estaria em um situação como essa, mas a vida ama pregar peças nas pessoas.

Não escolhi me apaixonar por ele, mas ninguém manda no coração. Agora é tarde de mais.

— Não. Sakura eu só quero você, eu desisto de tudo, desisto da minha carreira por você. — Ele disse se aproximando ficando a centímetros de mim, vi desespero em seu olhar.

Todos os olharam surpreso, até mesmo eu. Ele disse que desistiria de sua carreira por mim? Ele só pode estar bêbado, isso só pode ser efeito da bebida.

E se eu o perdoasse? o que aconteceria depois? mesmo se ficássemos juntos, no primeiro problema que aparecesse ele faria a mesma coisa.

Eu não consigo lhe dar com o seu gênio e com sua bipolaridade aguda. Não queria sofrer mas eu tinha que aceitar a realidade. Sasuke não é para mim.

Minha cabeça estava prestes a explodir.

— Não. Pare de falar, chega por favor vai embora. — Supliquei pois não aguentava mais.

— Sakura. — Ele continuou insistindo mas eu neguei.

— Vai embora.

O silêncio voltou e Naruto suspirou o puxando pelo braço, guiando o mesmo até a porta.

Ele estava estático, me olhava como se não quisesse acreditar em minhas palavras.

— Acabou? — A voz dele saiu incrédula.

Tudo o que eu queria naquele momento era ficar sozinha e pensar, longe da confusão que era a cabeça de Sasuke Uchiha.

— Nunca tivemos algo, foi você que desistiu de tudo antes mesmo de começar. — Disse seriamente, eu não aguento as mudanças de humor dele, ele não pode me tratar daquela maneira e depois vir fazer essa cena.

— Sakura. — Ele suplicou mais uma vez e eu apertei os punhos.

Eu tinha que ser forte, eu não podia deixa-lo brincar comigo dessa forma.

— Eu não vou discutir com um bêbado.

— Eu não tô bêbado porra, será que você não percebe que eu não aguento mais isso? — Ele gritou irritado.

Ino me olhou nervosa e eu balancei a cabeça.

— Sasuke já esta tarde, vamos embora. — Naruto o repreendeu tentando puxa-lo.

Ele continuo me olhando e eu continuei com o olhar firme, eu não iria mudar de ideia isso estava explicito no meu olhar. Estava destruída mas não cederia pois ele não tinha o direito de pisar em mim e depois vir me encher de mentiras, e ainda por cima estava bêbado.

— Sasuke chega isso não vai dar em nada, vocês dois estão alterados, vamos ir embora isso já esta passando dos limites. — Naruto o repreendeu e ele abaixou a cabeça.

Ele parecia esta realmente arrependido e isso doeu ainda mais.

— Eu...só quero que saiba que eu realmente te amo. — Sua voz saiu baixa e eu perdi o chão.

Ele disse que....me ama.

O mesmo passou rapidamente pela porta do quarto e Naruto o seguiu. Logo escultei a porta da frente batendo e arfei caindo sentada no chão.

— Sakura. — Ino se abaixou ao meu lado me olhando com preocupada.

— Ele disse que me ama. — Sussurrei incrédula e afundei o rosto entre as pernas começando a chorar compulsivamente.

— Nossa Sakura, isso foi...eu não sei o que dizer. — Ela estava atordoada.

— Por que ele fez isso? ta doendo muito.

— Sakura...eu nunca pensei que veria Sasuke daquela maneira, todas as vezes que o via na televisão ele estava sério ou tinha aquele sorriso enlouquecedor. Mas agora....ele estava desesperado...Sakura ele realmente te ama. — A voz dela sai assustada e ela estava surpresa.

— Acabou Ino, acabou. — Balancei a cabeça atordoada.

Eu preciso ser forte, preciso o esquecer e seguir em frente. Nunca daria certo mesmo.

Não dormir aquela noite, não consegui pois sua imagem insistia em aparecer em minha cabeça.

Ino ficou comigo a noite toda.

— Fiz café. — Ino murmurou quando eu adentrei a cozinha.

Ela estava sentada na minha pequena mesa redonda com uma xícaras em mãos.

— Hum. — Me sentei na mesa soltando um suspiro.

Eu estava horrível. Completamente acabada.

— Você não precisa ir trabalhar hoje. — Ela disse depois de um tempo em silêncio.

— Preciso sim. Eu não estou doente e não vejo nenhum motivo para não ir. — Disse firme e ergui o olhar.

Não posso ficar desse jeito, preciso seguir minha vida.

Ino me olhava com preocupação.

— Sakura.

— Não me olhe assim Ino, eu estou bem. — Disse colocando um pouco de café em uma xícara.

Não quero olhares de pena.

Ela ficou em silêncio e eu fiz o mesmo, tomamos o café e eu fui me arrumar para o trabalho.

Vesti uma calça jeans, uma blusa de alcinhas preta e joguei um casaco por cima. O céu havia amanhecido nublado e estava bastante frio. Amarrei meus cabelos em um rabo de cavalo e calcei um tênis.

Fiz uma leve maquiagem e consegui cobrir as olheiras.

— Pronta? — Ino apareceu na porta do meu quarto.

— Pronta. — Respondi pegando minha bolsa de lado e a segui para fora do quarto.

Saímos do apartamento e entramos no elevador. Depois de alguns minutos chegamos ao andar de baixo, algumas pessoas me cumprimentavam sorrindo e a maioria não paravam de me olhar.

Aquilo de alguma forma me incomodava.

Quando saímos do prédio apareceu milhares de fotógrafos, arregalei os olhos e Ino colocou a mão no meu ombro.

— Sakura Haruno, uma palavra por favor. — Uma mulher apareceu com um microfone e varias câmeras ao seu lado.

— A Senhorita Haruno não pode falar agora. — Ino respondeu por mim e puxou meu braço começando a andar a passos rápidos.

Ainda escultei o grito da mulher e o som de um fleche.

Algumas pessoas na rua gritavam quando eu passava, uma mulher até me chamou de linda e disse que era minha fã.

— O que foi isso? — Ofeguei quando paramos em frente a Floricultura.

— Você foi a felizarda que passou dez dias com Sasuke Uchiha, cantou com ele ontem e sua voz é linda. Considere-se famosa Sakura. — Ela respondeu entrando na Floricultura.

— Famosa? — Sussurrei incrédula.

Ignorei aquilo e entrei na floricultura, guardei minha bolsa e coloquei meu avental. Quando iria para o jardim pessoas começaram a se aglomerarem na porta da Floricultura.

— Parece que hoje teremos muitos fregueses. — Ino sorriu ao meu lado e eu olhei incrédula para a fila de pessoas que se formou na porta.

— Meu Deus. — Sussurrei vendo um garota me mandar beijo e gritar meu nome.

— Vamos começar ou não damos conta. — Ino foi animada até a porta a abrindo.

Eu pensei que hoje meu dia seria um tédio mas foi o contrario, as pessoas compravam flores apenas para me ver. Muitas tiraram fotos comigo e me pediram autógrafos, eu estava atordoada, perdida no meio de tantos sorrisos.

Eu os agradeço, eles me animaram e me distraíram. Fiquei muito feliz quando uma menina de apenas sete anos me deu uma flor de Sakura e disse que me admirava.

Mas sempre alguém tocava no nome dele e a tristeza voltava. Tenho medo de nunca conseguir supera-lo.

— Nossa estou exausta, ainda bem que acabaram. — Ino suspirou caindo sentada no chão se escorando na parede.

Dei um minimo sorriso e tirei o avental.

— Faturamos muito hoje, e olha os presentes que ganhei. — Disse apontando para o cesto cheios de ursos, caxas de chocolates e flores que havia ganhado.

— Você vai dividir os chocolates comigo. — Ela fez bico e eu sorri.

— Claro. — Murmurei e olhei para a porta, conseguia ver fotógrafos tentando inutilmente se esconder. — Será que eles vão embora?

Eu não estava acostumada com aquilo, não estava acostumada com tantas pessoas ao meu redor.

— Se acostume querida eles nunca mais irão lhe deixar em paz. — Uma mulher abriu a porta e entrou na Floricultura.

— Quem é você? — Perguntei a olhando com cautela.

Ela estava usando uma roupa social, seus cabelos loiros estavam soltos e seus olhos eram castanhos.

Ela era elegante.

— Tsunade Senju, sua futura Empresaria. — A mulher disse com um sorriso de lado e estendeu sua mão.

Olhei para sua mão e franzi o senho.

— Futura o que?

 

As lembranças dele vêm em flash backs e ecos
Digo a mim mesma que agora é a hora, preciso esquecer
Mas me distanciar dele é impossível
Quando ainda vejo tudo em minha cabeça
Vermelho ardente



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...