História 10 Dias Com Ele - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 1.223
Palavras 1.513
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Primeira vista


 

10 Dias Com Ele

 

Meu ar havia indo embora e eu tossia sem parar. A gritaria na televisão não estava me ajudando em nada, e para piorar Ino voltou a terra e me olhou de olhos arregalados e depois começou a pular e gritar igual vaca parida.

— Ahhhhhhhhhhhhh, você ganhou Testuda, você ganhou — Ela gritou pulando de um lado para o outro feito uma gazela saltitante.

Se passou 5 minutos e meu ar voltou e eu me acalmei, Ino ainda pulava e o cantorzinho já havia ido embora. Bati no meu rosto pra ver seu acordava daquele pesadelo mas não adiantava. Ino parou de pular e me olhou com os olhos brilhando, engoli em seco e ela pulou em cima de mim beijando meu rosto.

— Te amo testuda, obrigada por ser tão sortuda assim. — Ela disse beijando meu rosto, eu não sou sortuda sou é azarada e a prova disso foi eu ter sido sorteada nesse sorteio ridículo.

Eu pensei que a Ino iria ficar triste por não ter sido sorteada mas ela está mas feliz que pinto no lixo.

— Sai porca — Gritei a tirando de cima de mim correndo para a janela ao lado a abrindo.

Eu preciso me matar.

— O que vai fazer Testuda? — Ino perguntou alegre e confusa ao mesmo tempo.

— Me matar, eu não vou nessa viajem nem morta. — Coloquei minha perna para fora da janela, quando ia colocar a outra perna sinto meu corpo sendo puxado para trás e eu caio no chão.

Maldição.

— Ta louca testuda? você vai nessa viajem sim e vai ser vivinha da silva. — Ela disse me puxando do chão e me jogando no sofá.

— Ino isso é loucura eu não irei a lugar nenhum. — Gritei irritada levantando os braços.

— Você vai sim, e não adianta tentar se matar. — Ela disse cruzando os braços e eu a fuzilei com o olhar me levantando.

— Têm razão, eu não irei me matar, irei matar você. — Disse com o olhar assassino e ela arregalou os olhos dando um passo para trás.

Essa maldita vai me pagar por isso.

— Calma testuda paz é amor. — Ela sorriu sem graça.

— A culpa é toda sua, sua loira falsificada eu vou te matar.  — Gritei e ela começou a correr comigo atrás.

— Sakura essa é a oportunidade da sua vida. — Ela gritou correndo ao redor do sofá.

— Oportunidade uma merda. — Gritei pegando uma almofada e jogando na lacraia que desviou.

— Testuda para com isso. — Ela gritou pulando por cima de uma almofada.

— Você me paga Ino. — Gritei e consigo a pegar pelos cabelos, a joguei na parede e levantei a mão para lhe dar uma bofetada. — Quais suas últimas palavras? — Perguntei com um olhar assassino e meu celular começou a tocar.

Droga.

— Posso atender o celular? — Ela perguntou com um sorrisinho amarelo, bufei e a soltei.

Ela correu e pegou meu celular atendendo, espera... por que ela atendeu meu celular?

— Sim é amiga dela, sim pode confirmar comigo — Ela começou a falar e começou a passar meus dados para alguém, franzi o cenho e arregalei os olhos ao perceber do que se tratava.

— Ino sua porca desliga isso — Gritei correndo até ela, mas a desgramada foi mas rápida e se trancou no meu quarto.

Comecei a esmurrar a porta e a gritar mas a megera não abria, se passaram 10 minutos e eu estava escorada na porta já cansada de  tanto gritar.

— Ta tudo resolvido Testuda, virão te buscar aqui amanhã as 9 horas da manhã — Ela abriu a porta com um sorriso e eu apertei os olhos tentando me acalmar.

— As vezes eu me pergunto se você é mesmo minha amiga. — Resmunguei e ela sorriu me puxando para o quarto,  pegou uma mala vermelha e a jogou na cama.

— Sou sua única e melhor amiga e só quero o seu bem, agora vem vamos arrumar sua mala. — Ela disse animada abrindo a porta do meu guarda-roupa, me joguei na minha cama e olhei para o teto.

A vida me odeia, todos me odeiam é muito azar pra uma pessoa só.

O tempo se passou e Ino fez minha mala e arrumou tudo o que eu precisava, já eu não mexi nenhum músculo, Ino disse que iria dormir comigo  para poder se despedi de mim amanhã.

— Boa noite testuda sortuda — Ela disse bocejando, eu não me dei o trabalho de responder, fiquei acordada quase a noite inteira e  fui dormir as 3 horas da madrugada.

Era muito para minha cabeça.

Acordei no outro dia com Ino gritando que o café da manhã estava pronto, me levantei parecendo um zumbi e fui para o banheiro, tomei um banho lavei meus cabelos e sai enrolada em uma toalha. Tinha uma roupa em cima da cama que Ino tinha separada para mim. Era uma regata azul marinho e um casaco azul mas claro, um short e uma rasteirinha.

Sequei meus cabelos e me vesti sem animo. Desci as escadas e Ino cantarolava enquanto colocava uma jarra de suco na mesa.

— Bom dia minha bela flor. — Ela disse animada e eu a olhei com raiva e me sentei começando a comer.

Ela não disse mas nada e se sentou começando a comer uma rosquinha.

— Já são 8:30, está quase na hora — Ela disse terminando de comer e eu bufei indo para sala. — Qual é testuda vai ficar emburrada até quando? — veio até mim fazendo biquinho me sentei no sofá cruzando os braços, não iria falar com ela.

Ino revirou os olhos e foi para a cozinha lavar vazia, o tempo se passou e logo deu 9 horas, peguei meus óculos escuros e minha bolsa de lado. Ino pegou minha mala e nós fomos para a recepção. Não demorou muito e um carro preto apareceu e um Homem de cabelos grisalhos saiu dele e veio em nossa direção.

— Senhorita Haruno — Ele me cumprimentou e eu devolvi o cumprimento por educação. — Sou Kakashi Hatake, eu irei leva-la para a casa de praia, Sasuke já se encontra lá. — Ele disse pegando minha mala e foi rumo ao seu carro.

Olhei para Ino ela dava um sorriso de orelha a orelha, fui até o carro e ele guardou minha mala no porta malas e depois veio até mim sorrindo.

— Vamos? — Ele perguntou e eu suspirei cançada.

— Vamos — Disse desanimada e ele abriu a porta para mim.

— Boa sorte Testuda, estarei te esperando — Ino gritou e eu acenei com a mão para ela entrando no carro.

Ele começou a dirigir e eu fiquei olhando pela janela, por que eu aceitei isso mesmo? poderia ter fugido quando a Ino estava distraída, bufei de raiva.

— A Senhorita deve estar muito feliz — Kakashi disse me olhando pelo retrovisor.

Muito, sintam a ironia.

— Com certeza — Disse em deboche e ele me olhou confuso mas não disse nada.

Já tinha se passado 1 hora desde que entrei naquele carro, agora estávamos passando por  uma estrada de terra, pude ver a praia ao longe. Ele dirigiu mais um pouco e eu pude ver uma linda casa de praia sozinha no meio daquela imensidão de areia.

— Chegamos — Ele disse parando o carro e saindo, respirei fundo e sai quando abriu a porta para mim. 

Ele era muito gentil.

Estava ventando e as palmeiras balançando, Kakashi pegou minha mala e começou a andar rumo a casa, o segui até ele parar no caminho assim que viu um homem parado olhando para as ondas. Seus cabelos negros estavam balançando com o vento, ele estava vestindo um bermudão e uma regata preta, suas mãos estavam no bolso.

— Sasuke, chegamos — Kakashi gritou e ele se virou para nós.

Seu olhar estava sério.

Era ele, o cantorzinho que eu vou ter que aturar. Ele veio até nós lentamente e a medida que ele chegava mais perto meu coração começou a disparar, mas que merda é essa? parou a minha frente e me analisou sem nenhuma expressão, ficamos nos encarando por um bom tempo sem dizer nada e eu senti um arrepio por todo o meu corpo, eu ainda estava de óculos escuros e meus cabelos balançavam com o tempo.

— Comprimente a moça Sasuke — Kakashi o repreendeu e eu pude o ver estalar a língua.

— Oi — Ele disse grosso, como se não me quisesse aqui. Revirei os olhos e tirei meus óculos o encarando melhor, seus olhos eram de um preto tão intenso que eu me perdi neles, não podia negar que ele era bonito, mas o que adianta ser bonito se é um seco por dentro?

— Oi — Disse seca e passei por ele andando em direção a casa, eu só preciso ignora-lo, é só ignora-lo.

E talvez eu consiga sair daqui sem ir presa por cometer um assassinato.

 


Bem, a vida tem um jeito engraçado
de aprontar com você
quando você pensa que está tudo bem
e tudo está dando certo
E a vida tem um jeito engraçado
de ajudá-lo para
quando você pensa que tudo deu errado
e tudo explode na sua cara


É como chuva no dia do casamento
É um passeio gratuito quando você já pagou
É o bom conselho que você simplesmente não aceitou
Quem teria imaginado... Isto acontece



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...