História 1000 dias - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Suga
Tags Hopega, Jsuga, Yoonseok
Exibições 163
Palavras 657
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fluffy, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


desculpa, hoje é um daqueles momentos sad :(

Capítulo 17 - Abraços.


128 dias antes.

Yoongi choramingava baixinho perto da cama na qual sua avó repousava. Estava passando por um momento difícil, mal tinha sua memória. Sofria de uma doença terminal e era questão de tempo até ir.

Ela era a única fraqueza de Yoongi e a única pessoa a quem amava com todo o seu coração.

Apertou a mão da senhora e murmurou um “eu sou o Yoongi, vó”, deixando um beijo terno em sua testa. Todo dia longe dela era o mais difícil de sua vida.

 

...

500 dias depois.

 

Hoseok corria de um lado ao outro de Seul, mas nem sinal do namorado. Sentia o coração acelerado, a mente repassava mil e um momentos inventados e suava frio, o medo o tomando.

- Taehyung... você viu o Yoongi?! Ele não me atende e não disse nada mais cedo... – Respirava pesadamente de tanto correr e sentia o corpo doer.

O melhor amigo de seu namorado saía da faculdade com um outro rapaz e seu semblante era terrível.

- Ah... você não sabe? – Taehyung apertou a mão de Jimin, que tinha um semblante tão triste quanto o do namorado. – A avó de Yoongi morreu há algumas horas atrás. Eu tentei conversar com ele, mas saiu correndo e não me atende... Se encontrá-lo, diga que preciso falar com ele. Ele está muito machucado, Hoseok. Ela era tudo que ele tinha.

Hoseok sentia o corpo fraco. Imaginava seu namorado sozinho, com frio nesse dia chuvoso, andando por aí com o coração doendo e se afogando nas memórias. Sozinho. Passando por toda a dor de seu pequeno ser e sozinho. Agradeceu a Taehyung e pegou sua moto, dirigindo o mais rápido o possível.

Só tinha um lugar em mente e correu até lá com a maior velocidade que pôde atingir. Geralmente quando tudo dava errado ou quando Yoongi queria esconder suas lágrimas, essas que quase não apareciam, ia para perto da ponte Banpo, para ficar observando as cores e chorar sozinho. Ele odiava chorar. Odiava mais do que qualquer coisa.

Ao chegar lá, pôde ver o namorado encolhido em seu casaco enorme, olhando a água, quieto, sozinho. Desceu da moto rapidamente e se aproximou correndo, logo depois diminuindo o passo. Yoongi se virou e pela primeira vez pôde ver seus olhos totalmente vermelhos, inchados, o rosto cansado e as olheiras evidentes.

Hoseok se aproximou com cuidado do namorado e segurou em sua bochecha, sem nada dizer e sem nada escutar, limpou as lágrimas finas com os dedos e abriu os braços num convite silencioso. Yoongi sentia o orgulho doer, não queria se aproximar, não queria ser visto daquela maneira, não queria que nada daquilo estivesse acontecendo. Mas ao ver um braço aberto, um convite de conforto, sentiu o corpo fraco e deixou-se cair naquele abraço.

Segurava na cintura do namorado com força e o mesmo acariciava a sua cabeça com carinho. Chorou com toda a tristeza que o tomava, com toda a dor que o possuía. Gritou contra o peito acasacado do outro e fungou baixinho. Aos poucos ia caindo, se ajoelhando ainda envolto daquele abraço. Ficou sentado no chão, sem forças para continuar o enlace, sentindo os braços ainda envoltos em si, como uma proteção, um escudo do mundo.

Às vezes Hoseok não dizia nada. Era silencioso daquele jeito e entendia a mensagem muda. Às vezes não precisava de suas palhaçadas, piadas ou bobeiras, muito menos seus beijos ou coisa do tipo. Às vezes só precisava daquilo, daquele abrigo, daquele abraço mudo, daquele conforto. Não queria ouvir um “sinto muito”. Não queria ouvir um “estou com você”. E sabia que Hoseok não diria aquilo. Não diria o que ele sabia que ia ouvir. Não diria nada. Ele queria sentir, só isso.

Ele queria poder ser vulnerável sem medo. Queria ser pequeno, inseguro e assustado, porque ele era assim. E naquele momento, no momento em que esteve mais fraco, Hoseok era seu único porto seguro.

E ele nunca romperia aquele abraço.


Notas Finais


sempre lembrando que eu também quero mostrar esses momentos tristes de fraqueza.
essa história é o resumo de uma relação, e às vezes na vida a gente sofre.

amar também é aceitar as suas fraquezas e as do outro. :(

tt: @ attdisco


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...