História 100porcento MALFRED - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Império
Personagens José Alfredo "Comendador" Medeiros, Maria Marta Medeiros de Mendonça e Albuquerque
Tags Alexandre Nero, Lília Cabral, Malfred
Exibições 77
Palavras 1.954
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


As primeiras partes estão fofas, o flach back foi trabalhoso, se n entenderem me digam, e esse cap e onde tudo começa à ... acontecer ( digamos assim )

Capítulo 20 - Nem sempre a morte e o fim


Fanfic / Fanfiction 100porcento MALFRED - Capítulo 20 - Nem sempre a morte e o fim

A imperatriz começa a se mover nos braços do comendador procurando refúgio contra o sol que atingia o seu rosto  

 

ZA - Bom dia my queen ! - ele diz ainda com os olhos fechados 

 

MM - Bom dia meu comendador ! - ela da um selinho no marido e se senta no sofá se enrolando na coberta 

 

ZA - Não my queen !

 

MM - Não o que Zé ? 

 

ZA - Você tampando essas obras de arte 

 

MM - Você ta falando dos meus seios, comendador !?

 

ZA - Claro, não existe nenhuma obra de arte mais bonita que seus seios, nem aqueles quadros em branco com molho de tomate jogado que você diz ser bonito 

 

MM - Seu jagunço, aqueles quadros são bonitos sim !

 

ZA - Eu sou e cabra macho e em relação aos quadros aquilo e tudo coisa de gente fresca 

 

MM - Zé tenha um pouco de delicadeza !

 

ZA - Fique quieta Maria Marta - ele a senta em seu colo e começa a chupar os seios da mulher que geme em resposta - Cê gosta disso ne Marta ?

 

MM - Hã ! - a mulher concorda sem ao menos perceber 

 

ZA - Então aproveite por que em breve não vou mais poder sugar os seus seios, com a quantidade de leite que vai ter 

 

MM - O que ? Zé ? Não mesmo ! - ela impura ele - Nós não teremos mais nenhum filho - ela se levanta e começa a vestir as suas roupas - nós já tivemos três filhos e de quebra você ganhou uma filha de brinde. Então não e aqui e nem na...

 

ZA - Olha o palavrão Marta - ele falou apenas para provocar a fera em Marta, sabendo que a mesma jamais falou uma palavra de baixo escalão 

 

MM - Um filho - ela bateu a porta e saiu, o comendador gargalhou da mulher, se vestiu e saiu atrás de Marta 

 

...

No quarto Imperial : 

 

ZA - Marta ! - ele abre a porta e não encontra a mulher, apenas ouve o barulho do chuveiro, ele entra no banheiro, o comendador sorri com o que vê.

 

A Imperatriz nua com aquele corpo exuberante encostada na parede, com os olhos fechados e a água escorrendo por toda a e extensão da pele branca em contraste com o  filete de sol que entrava pela pequena janela. O comendador rapidamente tira sua roupas e entra no chuveiro, segurando com as duas mãoss a cintura da Imperatriz

 

MM - Zé ! - ela enlaça o pescoço dele, ele roça os lábios nos lábios dela, a mesma abre os olhos 

 

ZA - Você e linda ! - a mulher se surpreende com a fala do comendador, o jeito rude do homem fazia com que a mesma não escutasse tantos elogios vindo da parte de seu marido 

 

MM - Obrigada ! - ela disse apenas, com um tom de voz mais fraco do que o habitual que ela teria a responde a um elogio de qualquer outra pessoa 

 

Eles ficaram ali por um tempo olhando um nos olhos do outro, Marta viaja na imensidão do céu  estrelado e negro do seu marido, e Zé encontrava paz nos campos verdes e floridos de sua esposa 

 

O comendador quebra o confortante silêncio 

 

ZA - Adoro os seus olhos - ela sorri - acompanhados de um sorriso eles ficam ainda mais bonitos 

 

MM - José Alfredo Medeiros de Mendonça e Albuquerque o que você fez de tão errado para está sendo tão... galanteador 

 

ZA - Disse para a minha esposa que TEREMOS mais um filho - ele da ênfase ao teremos 

 

MM - Zé sem chance, me larga - a Imperatriz tenta se soltar, o que a faz rebolar sobre o membro do comendador o fazendo ficar excitado e duro 

 

ZA - Sem chance e eu te solta sua diaba - ele beija Marta, que mesmo relutante abre a boca recebendo ao beijo dele 

 

Zé desliga o chuveiro, e encaminha a Imperatriz até a banheira.

 

Enquanto a banheira enche, eles trocam carícias. O suor dos corpos se intensificou ate ao ápice.

 

Marta se encaixou no corpo do comendador recuperando o fôlego

 

MM - Zé o que e isso ? - ela sentiu um líquido sendo derramado sobre os seus ombros, ela abriu os olhos - Comendador ! - o tom de voz dela era divertido - está bom Zé chega ! - ela tenta pegar o frasco da mão dele, mas já era tarde de mais Zé tirou a tampa do frasco e jogou o mesmo dentro da enorme banheira - Seu jagunço, esse sabonete veio da China, você sabia que acabou de jogar nessa água o meu sabonete predileto - ela fica ''emburrada''

 

ZA - Bom agora eu entendi o por quê de ter sonhado com pêssegos 

 

MM - Você sonhou com isso ?

 

ZA - E claro - ela se vira para ele lhe dando um beijo de felicidade, a quanto tempo ele não dizia que tinha sonhado com ela.

 

A quanto tempo ele não a acordava no meio da noite para dizer que teve um sonho e no final tudo ser uma superstição dele a qual ele sempre terminava dizendo " Marta temos que ter três jóias com essa determinada pedra ", ela apenas concordava com ele e voltava a afundar o rosto no pescoço dele.

 

Ela sorriu no meio do beijo com a lembrança. 

 

ZA - Ficou feliz por isso - ela disse sim com a cabeça ( ela estava de joelhos sentada olhando para ele ) - não esta mais brava com migo - ela disse não com a cabeça - então agora nos podemos ver como você vai ficar quando tiver uns 90 anos - ele pegou um pouco de espuma e jogou sobre os cabelos dela 

 

MM - Bode velho ! - ela exclamou rindo ...

 

...

MM - Bom dia ! - a Imperatriz e o comendador se sentam a mesa com a família 

 

JL - Pelo visto a noite foi boa em coroas !

 

DU - Lek ! - Du exclama dando uma cotovelada no marido

 

JL - Ai, o que foi ! - ele olha para a esposa, passando a mão no braço - eu só disse que a noite foi boa, ne coroa !? - ele se dirige a mãe 

 

MM - Por que João Lucas você quer saber o detalhes - Lucas arregala os olhos - foi o que eu pensei - a Imperatriz diz depois de ver a reação do filho 

 

ZP - Podia ter dormido sem essa !

 

JL - A Zé Pedro nem vem falar ... - começou a discussão e o resto da família entrou no meio, sem nenhuma interferência dos Imperiais 

 

Tosse.

Tosse.

Tosse.

 

MM - O que foi Zé ? - a Imperatriz se agacha em frente ao Imperador.

 

Tosse.

Tosse.

Tosse.

 

ZA - ... - o comendador diz algo, mas a Imperatriz não escuta 

 

MM - SILÊNCIO ! - Marta grita chamando a atenção de todos 

 

ZA - Falta de ar - ele diz já sussurrando

 

MM - Calma meu amor vai ficar tudo bem - ela desabotoou a camisa do comendador - Zé Pedro chama o médico, rápido - ele pegou o telefone e começou a discar o numero do cardiologista do pai - João Lucas me ajuda a levar o seu pai para o quarto

 

JL - OK - O comendador se apoio em Lucas e Marta e eles começam a andar para o quarto 

 

ZA - Para ! - ele diz com a voz fraca, parando no meio da sala 

 

MM - O que foi Zé ? - até agora a família estava calma 

 

O comendador tira o braço esquerdo do pescoço do filio caçula e coloca sobre o coração, ele geme de dor e isso desespera a família

 

MM - calma Zé ! - lagrimas rolam dos olhos da Imperatriz 

 

A família estava atônita com a cena 

 

ZA - Eu to calmo, ta tudo bem my queen, eu te amo ! - ele segue com a mão esquerda ao rosto de Marta secando as lágrimas que rolavam com o desespero contido da Imperatriz. 

 

As mãos vão descendo pelo rosto de Marta, enquanto os olhos do comendador estão fechados e a cabeça para baixo 

 

MM - Zé ! - ela chama pelo marido e as mãos do mesmo param na cintura dela e ele abre os olhos 

 

ZA - Ta tudo bem, argh... - o comendador geme de dor e aperta a cintura de Marta 

 

MM - Zé ! - o tom de voz era de desespero, ela colocou a mão encima da mão do comendador em sua cintura e ele cai - ZÉ ! - toda família vai para chão.

 

As íris pretas do comendador estavam dilatadas e fixas a um ponto qualquer, ele apenas escutava os gritos e choros da família que iam se perdendo no ar, até ele se ver jovem...

 

Flach back on 

 

Podia se ver o comendador (nero) correndo atrás de...

 

A câmera foca em...

 

Eliane...

 

A câmera retorna para o comendador (chay) e agora ele corria atrás de...

 

A câmera foca em...

 

Isis...

 

O comendador (nero) e Marta (adriana) caem na grama 

 

MM (adriana) - EU TE AMO ZÉ ! 

 

ZA (chay) - EU TE AMO MARTA !

 

O comendador (nero) e Marta (lilia) se beijam, um beijo lento e saboroso.

 

Flach back off 

 

ZP - Pai não fecha os olhos, pai ! - Zé Pedro chama o pai.

 

Acabou. O fim. O homem de preto.

O Imperador dos diamantes. O marido. O pai. O comendador Medeiros. José Alfredo Medeiros de Mendonça e Albuquerque avia morrido. 

 

Marta chorava no chão, cercada pela família que chorava junto a ela.

 

...

J - D. Marta ! - Marta estava na cama tomando coragem para levantar e ir até o outro quarto e encarar o seu marido morto, ela olha para o motorista - Eu sei que não e um bom momento, mas eu gostaria de pedir algo a senhora - Marta olha pra ele com os olhos vermelhos de choro e consente - eu gostaria de pedir demissão  

 

MM - Demissão.  Por que Josué ? - a voz era rouca 

 

J - Porque D. Marta eu não gostaria de ir ao enterro do Zé como empregado  e sim como amigo 

 

MM - E mas Josué você não precisa se demitir para ir ao ... - ela não consegue falar - enfim eu te libero - Josué assente

 

J - Colicença D. Marta 

 

...

Na sala :

 

JL - O que você ta fazendo aqui ? - Lucas pergunta com toda a sua raiva 

 

MI - Eu vim ver o Zé - a notícia da morte do comendador avia sido anunciada 

 

JL - Pode esquecer, a única pessoa que tem direito de ver o meu pai agora e a viúva dele e no caso essa mulher e minha mãe, então sai daqui - Lucas disse friamente 

 

MC - Lucas o que tá acontecendo aqui ? 

 

JL - Essa puta que se acha 

 

MI - Clara...

 

MC - Sua sonsa você sai daqui ou vai ver o que uma Medeiros de Mendonça e Albuquerque faz com putas igual a você 

 

MM - O que tá acontecendo aqui ? - diz a Imperatriz do alto da escada, com a voz mais forte e altiva. Ela desce os últimos degraus 

 

JL - Não e nada mãe - diz Lucas de um jeito sereno tocando nos ombros da Imperatriz, como uma forma de proteção  

 

MM - Seja o que for não me importo. Só tirem essa... coisa daqui.

E que você não ouse aparecer no enterro do Zé - ela se dirige a Isis 

 


Notas Finais


Gostaram do cap ? Foi trabalhoso eu nessei como conseguir fazer.

A e obg pelos novos favoritos. Comentem !
Bjs1


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...