História 101 dias - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags 101 Dias
Exibições 14
Palavras 1.630
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olha eu, então, desculpem os erros, boa leitura, bjsssss

Capítulo 2 - Izzy


Fanfic / Fanfiction 101 dias - Capítulo 2 - Izzy

      Já estava de madrugada quando cheguei no centro de Nova York. Prédios altos, luzes para todos os lados... Era realmente incrível.

Então me hospedei em um hotel, que fica ao lado do hospital aonde uma das minhas velhas amigas trabalha.

–A senhora precisa de ajuda com alguma coisa? –Perguntava a  dona da hospedagem.

–Meu filho ainda está dormindo, então não sei se consigo carregar tudo lá pra dentro.

–Não seja por isso. Eu irei chamar alguém pra te ajudar.

–Obrigada.

Um tempo depois um homem alto, de cabelos claros e com um aspecto cansado veio até mim. Ele me ajudou a colocar todas as malas dentro do quarto, enquanto eu levava o Rafa.

Era bem simples, uma cama de casal, um criado mudo de cada lado da cama, um armário lindo de madeira, uma TV e um frigobar. Não era aquele quarto, mas dava pro gasto. Só ia ficar dois dias ali mesmo.

Então deitei pra dormir ao lado do Rafael, que parecia estar no mil e um sonho. Nunca vi criança ter mais sono que ele.

De manhã~~~~~

Acordei com o Rafa por cima de mim, pulando. Parecia animado e sonolento ao mesmo tempo, era engraçado e fofo.

–Calma querido, já vamos comer.

–Na padaria? Quero tia Sabrina!

–Amor, a gente não tá em casa. Vamos comer aqui e depois vamos visitar uma amiga da mamãe, está bem?

–Bolo!

Sai da cama e levei ele pro banheiro. Depois de tomar banho e dar banho no Rafa, colocamos roupa e fomos comer. Eu usava uma calça jeans preta rasgadinha, uma camiseta branca com um gato na frente e um all star vermelho. O rafa estava com uma calça azul escura, uma camiseta branca e um tênis da mesma cor.

–Bom dia! –Dizia a dona da hospedaria. Ela se chamava Janice, e não aparentava ter mais que trinta anos.

–Bom dia! –Sorri gentilmente enquanto Rafa puxava minha calça. –Que foi? –Falei baixinho pra ele.

–Quero bolo...

–Já vamos comer bolo. Calma.

Nos sentamos perto de duas mulheres, que me olhavam indiferente. Não questionei, apenas fui pegar um pedaço de bolo e panquecas.

Logo após comermos peguei Rafa e sai. Quanto antes falasse com a Izzy, melhor seria. Só tem um problema, não sei qual nome ela usa como médica. Isso eu descubro depois.

–Aonde vamos mamãe? –Pego ele no colo enquanto vou em direção ao hospital.

–Vamos achar uma amiga da mamãe. Não sei se ela tá trabalhando aqui... Deve estar.

–Como detetives?

–Como detetives.

–Ebbaaaa –Ele me abraçou mais forte. Acho que não falei que ele ama coisas do tipo.

Entramos no hospital e nossa, era lindo. Bem, o cheiro era o mesmo de sempre, a cor também, mas ele possuía um designer sofisticado e bem diferente. Para de ficar prestando atenção nessas coisas! Você não pode tirar foto daqui! Andei em direção à moça que estava no balcão.

–Olá, em que posso ajuda-la? –Ela tinha um sorriso lindo, e um cabelo tão negro como o meu. Usava uma das típicas roupas de enfermeira e era dona de uma voz doce.

–Eu estou a procura de uma médica. Não creio que ela esteja há muito tempo trabalhando aqui.

–Qual o nome dela?

–Isadora Akemy. Trabalha na área de pesquisa e desenvolvimento.

–Ahh sim, ela trabalha aqui. No momento acho que não está ocupada. Se quiser falar com ela vou precisar que deixe a criança e assine aqui. –Ela me mostrou uma prancheta  e eu assinei.

–Vou pedir para alguém lhe levar até ela, e preciso que a criança fique. Relaxe, pois o levarei à um lugar onde irá se divertir.

–Está bem.

Esperei uns minutos até que vi outra enfermeira. Ela pediu para que eu a acompanhasse até a sala da Izzy. Subimos até o terceiro andar. Era uma sala de vidro e bem bonita. Dentro dela havia duas pessoas, um homem alto que estava de costas então só vi o cabelo bagunçado, e de frente uma mulher que não acreditei que era a Izzy. Ela estava linda com seu cabelo azul platinado, seus óculos, que pra mim a deixavam com cara de secretária de filme pornô, e seu jaleco branco.

Depois que o homem saiu eu entrei na sala. A enfermeira foi embora e a Izzy ficou me olhando. Ela estava realmente muito diferente, era mais alta, mais madura, mais séria.

–Me disseram que você queria falar comigo. Em que posso te ajudar?

–Poxa, assim me ofende! Você mudou tanto. Ficou mais madura, mudou bem a aparência, e conquistou o trabalho que queria. Mas me ofende não ter se lembrado de mim... –Ela me olhava séria, parecia que me achava louca – Panda...

—AI MEU PAU QUE EU NÃO TENHO!!! Não acredito que é você! –Ela vinha em minha direção e como senti saudade dessa sua expressão, parecia que não usava há muito tempo.

–Também senti saudades! –Rimos de leve.

–Sua... Sua... Cretina! Como você some do nada, e agora vem toda mudada e, PAAHH! "Oi!" Com a maior cara de pau! Ai que raiva que tô! –É, a Isa muda de humor muito fácil.

–Olha, eu tinha que viajar pra poder me formar no que sempre quis, e você também. E eu tô aqui, não tô? Então, me conta o que anda acontecendo com você. Podemos por o papo em dia?

–Eu acabei de chegar do trabalho, mas como não tenho nenhum caso mesmo, e minhas pesquisas estão paradas, acho que não faz mal sair um pouco. –Ela tirou o jaleco e os óculos, soltou o cabelo e pegou sua bolsa. Ela estava usando uma roupa social preta e um salto bege.

–Vamos aonde?

–Que tal irmos dar uma volta. Faz tempo que não passo no shopping. – Eu concordei com a cabeça.

Descemos pro primeiro andar e vi a moça da recepção ir buscar meu filho, enquanto a Izzy avisava que sairia por um tempo.

–Aqui seu filho.

–Obrigada por ter ficado com ele.

–Imagina.

Ela deu meia volta e voltou pro seu balcão. Vi Izzy vindo em minha direção e peguei Rafa no colo.

–Juh, não sei se é bom ficar pegando criança dos outros. Sabe que a mãe dele pode estar louca atrás do menino. –Não pude aguentar e comecei a rir baixo. Rafa olhava empolgado pro cabelo da Izzy, a mesma olhava incrédula para mim.

–Ele é meu filho. –Ela ficou sem reação. Eu sei, é estranho reencontrar a amiga e do nada descobrir que ela é mãe –Dá oi pra tia Izzy!

–Cabelo azul!

–Você gostou? –Ele fez que sim com a cabeça. –Ele é um fofo, nem acredito que tem uma mãe como você!

–Eu sou uma ótima mãe, não duvide!

Rimos novamente e decidimos sair de lá. Já estava ficando estranho duas loucas e uma criança rindo no meio do hospital.

Nós andávamos tranquilamente em direção ao shopping. Seria muito bom passar um tempo com ela.

Quebra de tempo~~~

Nós estávamos comendo em um restaurante um pouco mais afastado do centro. Rafael estava bem quieto hoje, isso não é normal.

O restaurante tinha um ar meio pesado. Parecia aqueles filmes de ação, era vermelho e com cada talher impecavelmente limpo.

–Então, Juh. Me conta porque sumiu... E me conta sobre ele. –Ela mexeu a cabeça em direção ao Rafa.

–Bem, quando acabamos a escola cada um foi pro seu canto. Eu acabei perdendo contato com vocês, mas sempre tive notícias. O Rafa tem dois anos. Conheci o pai dele na faculdade, mas depois que descobri que estava grávida, ele teve que viajar por causa do trabalho... Não o julgo, ele nem sabe que tem um filho, e agora preciso encontrá-lo. Mas antes irei realizar meu sonho... E preciso da sua ajuda pra isso. –Ela abriu a boca para falar alguma coisa, mas a impedi e continuei. –Primeiro fale de sua vida atualmente, depois te conto sobre o que você vai me ajudar.

–Ok... –Ela fez uma pausa e continuou –Eu me formei em medicina, tenho uma boa vida, moro praticamente dentro do hospital, já que estou começando agora, não namoro, mas tem um cara que eu acho interessante. Acho que só isso. Agora, me fala...

–Há dois dias eu descobri que estava com uma doença, não tem cura e eu tenho menos de cento e um dias de vida. Como não quero viver meus últimos dias sozinha, decidi realizar meu sonho. Mas antes preciso reunir todas as garotas, e queria que você aceitasse meu pedido.

–Juh, eu... –Ela estava espantada, incrédula, com dó... –Eu farei o que for preciso para realizar seu último desejo.

–Entao irei te pedir só uma coisa.

–Pode pedir –Ela segura minhas mãos sobre a mesa e me olha.

–Me dá um beijo?

–O QUE?!! Tá louca? Cê comeu cocô?

–To zuando!! Nossa, sua cara foi ótima! –Eu não consegui me controlar e comecei a rir.

–Não brinca... O assunto é sério!

–Está bem... Nossa... Eu só vou pedir para que adiante suas férias e viaje comigo por três meses. Você poderia fazer isso? –Olho pra ela com cara de pidona.

–Olha, só vou aceitar porque tenho uma causa maior. Mas você irá ficar me devendo uma.

–Prometo que iremos nos divertir muito nesses próximos meses. Eu, você, o Rafa e as meninas.

–Eu tenho o contato delas, mas vai ser meio difícil achar todas.

–Pode deixar comigo! Nós vamos conseguir... Né filhote?

–Brincar de detetives!

Rimos e passamos a tarde assim, conversado, brincando, rindo, nos divertindo, e nossa! Como eu sentia saudades da Izzy... Saudades de passar nem que fosse dez minutos com ela.

Agora vamos lá, vamos te achar Girafa!

Mais tarde Izzy me convidou pra ficar na casa dela enquanto procurávamos a Girafa. Eu achei melhor não, mas ela insistiu muito, então acabei sedendo.

            All star azul

                ~~~~

             Nando reis
   


Notas Finais


Foi isso, no próximo veremos a história da nossa girafa kkkk
Bem, tentarei postar no sábado e escrever cap maiores, até lá, comentem, critiquem, falem oq tão achando e me ajudem...
Bjs da padii


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...