História 11 Vezes que Kwon Ji-yong percebeu amar Lee Chaerin - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias 2NE1, Big Bang
Personagens Cl, G-Dragon, Sandara Park, Seungri, Taeyang
Tags Menção Sundara, Menção Topbom, Skydragon
Exibições 31
Palavras 5.449
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá! Voltei com o meu primeiro projetinho para postar, porém, não estava conseguindo finalizar...ainda mais com a notícia de disband das minhas favs
~Tentando parar de chorar
De qualquer forma, tinha que finalizar e upar logo, confesso que estava/estou mais empolgada com essa oneshot do que com a minha outra drabble, desculpa minha drabblezinha </3. Anyway, espero que eu tenha feito um bom trabalho porque foi...foda terminar, tava na bad mesmo.

Aproveitem...eu acho?

Capítulo 1 - 11 ou mais. - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction 11 Vezes que Kwon Ji-yong percebeu amar Lee Chaerin - Capítulo 1 - 11 ou mais. - Capítulo Único

I Vez.


 Quando ele teve a iniciação na escola primária, via-se como um peixinho deslocado, fora d'água. Nunca gostara de falar tanto com as pessoas, era tímido e mesmo com os poucos amigos que tinha, nunca fora totalmente extrovertido como eles.

 Kwon Ji-yong era tímido de mais, quieto de mais e algo que era totalmente excessivo, era a forma que ele protegia a garotinha vesga, fora do 'padrão' de crianças de 5 anos de idade e que nem sabiam como estavam interferindo no próprio futuro daquela forma. Ele simplesmente odiava como ela, ainda mais introvertida que ele, via-se sendo alvo de algo totalmente desnecessário para ele. . . sério, ele não aprovava o jeito que Donghae tratava a garotinha fofa.

 E pela primeira vez e sem realmente saber disso, Kwon Ji-yong viu-se apaixonado e preocupado com a fofa Lee Chaerin.


 II Vez.


 Como em toda evolução e transição, o agora 8 anos de idade, viu-se longe do jardim de infância e ao longo da alfabetização. Ele, ainda continuava sendo o mesmo de antes, o mesmo garoto reservado e que possuía o seu próprio grupinho.

 Talvez, apenas talvez, ele agora tivesse 4 amigas neste grupo e bem, uma delas não podia se deixar de notar, era a mesma garota do jardim de infância e o alvo de brincadeiras bobas. Agora, 3 anos depois, ela não se importava tanto com isso e simplesmente agradecia pelo fato de ter conseguido um novo amiguinho. Não era como se ele também não gostasse disso, ele gostava.

 Gostava da forma como ela sorria serenamente quando conseguia acertar o seu exercício da escola e também da forma que ela lhe tratava. Ji-yong apreciava a forma de como os seus cabelos negros balançavam toda vez que eles corriam ao redor do parque da escola.

 Pela segunda vez, Kwon Ji-yong vira a forma boa de Lee Chaerin ao conseguir fazer o que ela queria.


 III Vez.


 Lee Chaerin e Park Sandara eram melhores amigas, Kwon Ji-yong e Dong YoungBae, também. Ambos estavam no mesmo grupinho de amizade de garotos de 11 anos de idade.

 Lee Chaerin agora era um pouco menos tímida que antes e gostava da forma que Kwon Ji-yong a tratava, ela amava ser tratada como irmã mais nova, apesar de já possuir Lee Seunghyun neste lugar.

 Ele também gostava da forma que tratava a sua little sis. No entanto, quando via os outros oppas dela fazendo o mesmo trabalho de cuidar de sua dongsaeng, por algum motivo, sentia-se desconfortável.

 Ele não deveria sentir isso, certo? Ele era um dos oppas e era extremamente normal os outros também cuidarem dela, a mimarem. Mas, ele simplesmente não conseguia agir assim.

 Por quê estava se sentindo desta forma estranha e extremamente nova para ele? Devia apenas ser algo da sua mente, ele não precisava agir assim, era ridículo. Sim, ridículo para ele.

 Pela terceira vez, Kwon Ji-yong viu-se em uma situação familiar e ao mesmo tempo desconhecida envolvendo, mais uma vez, Lee Chaerin.


 IV Vez.


 Ah, quartoze anos. Idade a qual você está na fase da adolescência e largando um pouco mais a infância. Encaminhando-se para o nível mais alto do aprendizado escolar e logicamente, para as possíveis dores de cabeça no futuro e era assim a definição de Kwon Ji-yong para isso, sim, ele achava um verdadeiro porre estar na adolescência e ter que sentir mudanças hormonais;não tanto como as garotas, porém, ainda sentia.

 O Kwon Ji-yong da adolescência estava bem diferente do seu antigo pertencente ao jardim de infância, talvez devia-se ao fato de agora está sendo engajado em um grupo maior de amigos, um que acolhia ainda mais as garotas e algumas pessoas aleatórias do colégio. Sabia que isso devia-se ao fato de ele estar lado a lado da famosa puberdade e as respectivas mudanças da mesma.

 Entretanto, ele não estava ligando tanto assim. Ainda possuía os antigos amigos e isso era importante, ele ainda os preferia em relação das novas pessoas em sua vida.

 E, no meio de tudo isso, tinha Chaerin e a sua também transição da puberdade. Claro, todos mudavam nesta fase e bem, ela estava ficando ainda mais bela do que sempre fora e. . .

 Espera! Ele estava mesmo pensando sobre a sua sis desta forma?! Não! Era impossível, completamente impossível!

 Ele não deveria cogitar esta possibilidade absurda. Porém, ele percebeu mais uma vez que ela sempre estava envolvida em sua vida, principalmente quando estava ficando mais bela do que já era.


 V Vez.


 — Roupas de banho, escova de dentes, roupas normais, minhas cuecas. . . é, 'tá tudo aqui de boas. - Suspirou e depois abriu um sorrisinho, este que morreu depois de receber um travesseiro na cabeça.

 Ah, é claro que a pessoa que o jogou fora Chae. A garota de cabelos negros longos logo o abraçou por trás.

 — Vê se não esquece o seu fone, da última vez você perturbou bastante a minha pessoa. - Ela sentiu ele fazendo uma careta antes de, finalmente, a puxar para a sua cama.

— Me respeita, cadê o Ji oppa saindo da sua boca? - Arqueou uma sobrancelha e ela riu.

— Ji... para de ser chato! Você sabe que eu sempre chamo! - Fizera um bico fofo e ele riu, antes de assentir levemente com a cabeça.

 Algo que realmente não mudara fora o fato de ela continuar agindo como a little sis do garoto e ele nem sequer reclamava isso. Agora, com os seus 16 anos, os dois estavam se encaminhando para um viagem escolar e como sempre, ela o estava ajudando a arrumar as coisas.

 Depois de finalizarem tudo, ficaram conversando até enfim dormirem para acordarem -infelizmente- cedo no dia seguinte.

                   {...}


 — Oppa, o Panda oppa já mandou mensagem, parece que ele e a Minji estão esperando o pessoal lá no colégio. . . sozinhos. Você acha que eles estão aproveitando esse tempinho? - O encarou e ele rapidamente assentiu, é óbvio que Lee Seunghyun deveria está se atracando com a namorada em plena 6:30 da manhã.

— De qualquer forma, a gente tem que ir. . . eu tô morrendo Chae, cancela a minha presença. - Pôs o travesseiro no rosto em um ato dramático, sentiu a garota sentar na cama e jogar-se nele.

— Não! Se você não for, terei que ficar sendo vela para a Bommie e Dara unnie, você tem que ir! Vamos oppa! - Remexeu-se e ele por fim desistiu.

 Sempre cederia para aquela garota, até mesmo em algo como isso e isso era evidente. Ele apenas concordou com a cabeça antes de se encaminhar para o banheiro ao fim de tomar banho.

 É claro que ele sempre cederia para Lee Chaerin e a sua personalidade maravilhosa.


 VI Vez.


 Ao chegarem no próprio local que o colégio reservara para a expedição dos seus alunos, os dois logo trataram de sair de perto dos casais de amigos deles, era desgastante ver o amor daqueles 3 casais. Ficaram sabendo que os quartos eram divididos por sexo e logo foram procurar pelos seus.

 Por fim, depois disso, eles apenas ficaram no quarto da garota e isolados do amor bem demonstrativo dos amigos.

 — Oppa, por quê agora não podemos ir lá fora? - A garota anunciou e ele logo captou a coisa toda.

 Lá fora era igual a. . . piscina, exposição da maioria das garotas da sala e logicamente dela. Mas é claro que ele iria negar, porém, ele sempre cede para ela. . . certo?

                     

                   {...}


 — E aí Ji-yong, manda a real. . . tu 'tá pegando a Chae né? - Eunhyuk comentou, lhe dando um tapa perto da cabeça.

 Ji-yong revirou os olhos antes de lhe dar um empurrão.

 — Claro que não! 'Cê 'tá viajando muito, ela é a minha sis cara! - Defendeu-se e o outro o olhou de forma incisiva.

— Não tem nenhum rolo? Sério, mesmo? - Ele ainda arqueava as sobrancelhas e o outro mais uma vez lhe deu um tapa.

 Com todo esse desenrolar das coisas, a garota aproximou-se do grupo ali;deu um abraço por trás do mais velho e os outros apenas observavam as cenas. Mais precisamente, estavam sendo observados por Eunhyuk, Kyuhyun e Heechul.

— Érr. . . vocês hein! Não entendo mais! - Heechul comentou e Chaerin encarou o resto dos garotos confusa.

— Agora quem está sou eu, o quê rolou? - Chaerin perguntou e Ji-yong apenas balançou a cabeça em um sinal de que realmente não importava, antes dos dois saírem dali.

 Era lógico que não deixaria ela na companhia daqueles inconvenientes, não quando ele negou ter algo com ela e eles a atacarem do jeito que o mesmo sabia muito bem. Essa fora a sexta vez que ele sentiu um extinto natural ao proteger a garota.


 VII Vez.


 Ao que todos sabiam, Hyuna era a garota que sempre deixava evidente a afeição em relação de Ji-yong, o crush on da garota era bastante evidente para qualquer um e logicamente, para ele.

 Não era surpresa também o fato de que, apesar de eles estarem ficando, o garoto não gostar de verdade dela. Até que em uma das vezes eles discutiram e ela pôs o nome de Lee Chaerin no meio, Hyuna apenas queria entender o fato de ele sempre ir recorrer para a garota quando possuía problemas.

 Hyuna fingia não entender e até mesmo negar o fato de que Ji-yong não era e nunca seria dela. Ele realmente amava outra e ela sabia muito bem, apenas não gostava de admitir.

 Ela apenas queria ocultar o fato de que ele preferia mil vez a outra, quando, na verdade, deveria prestar mais atenção nela. No entanto, cara, era óbvio que Ji-yong sempre iria recorrer para a melhor amiga! Hyuna que estava sendo tola!

 O garoto nem tão garoto agora, iria sempre optar pela melhor amiga e Hyuna percebera isso muito antes do que ele mesmo.

 Pela sétima vez e a primeira para Hyuna, Ji-yong sempre gostaria da sis em primeiro lugar. Mesmo que em seus 17 anos, não se atentasse tanto à esse fato.


 VIII Vez.


 Lee Donghae possuía 18 anos e agora era totalmente o oposto do seu eu de 5 anos;agora não fazia comentários maldosos e não era a miniatura de um demônio, ele mudara. No entanto, ainda possuía Lee Chaerin no seu radar e diferente do jeito que tratava a garota quando possuía 5 anos, ele agora a via como um alvo, Donghae a via como uma possibilidade amorosa.

— Ji-yong? - O rapaz o cutucou e viu o outro revirar os olhos.

— Uh, o quê foi hyung? - Comentou enquanto prestava mais atenção no jogo do que no outro.

 Donghae mordeu o interior da bochecha antes de declarar a sua verdadeira intenção. Os dois e mais alguns do grupo de amizade estavam na casa de Seunghyun, Tabi, na verdade e ele apenas gostaria de falar para o bro de Chaerin que gostava da mesma e pedir ajuda.

 Ji-yong deu pausa no jogo e virou-se para o outro, um olhar incisivo no rosto.

— Hyung, fala logo, qual o problema? - impaciente.

— Chaerin. E-eu acho que gosto dela. - Falara e viu olhar espantado do outro, Donghae pensou que se Ji-yong estivesse com algo na boca, cuspiria.

— Gostar. . . daquele jeito? Tipo, daquele jeito mesmo? - O encarou com os olhos arregalados e Donghae assentiu levemente.

 Certo, essa não era a resposta que esperava. . . Donghae e Chaerin? Arght.

 — Acho que irei lhe convidar para um encontro, eu realmente quero me aproximar...porém, preciso da sua aprovação antes. - Murmurou e depois deu um sorriso sem mostrar os dentes.

— Hyung, e-eu nem sou o irmão dela! Deveria pedir isso para o Seung. . . - Desviou o olhar do outro.

 Isso até poderia ser verdade, mas ele também não queria deixar porque havia outra coisa ali, só não estava percebendo ainda. Donghae mordeu o lábio nervoso antes de se aproximar mais e inspirar profundamente.

— Eu falei com o Seung, ele não viu problema nenhum e até mesmo achou que era o segundo a saber disso. Ele pensou que eu já havia dito a você, mas, cara. . . não, eu só vim falar isso agora.

 Agora quem estava confuso era Ji-yong.

— Bem, se você acha, sai com ela! Chaerin é uma garota maravilhosa e se, se der certo, não a quero ver magoada por alguma bosta que você fez! - O encarou antes de levantar-se do sofá e sair dali, virando-se mais uma vez para encarar o mais velho com apreensão — V-você, uff... tem a minha permissão..

 E assim, fora para a cozinha com aquele aperto no coração.

 Que diabos Kwon? O quê significa isso? 

                       

                      ***

 1 semana.

 Havia passado 1 semana desde o fatídico dia em que Donghae havia declarado sentir algo a mais por Chaerin e consequentemente, a chamado para um passeio pela cidade, o qual estava acontecendo nesse exato momento.

 Ji-yong rondava pelo seu quarto inquieto, possuía o celular em mãos e não iria sossegar até a moça lhe ligar ou mandar mensagem, precisava saber se ela estava bem e se Donghae não havia feito nenhum erro. Poderia parecer até neurótico, mas ele precisava saber do bem estar da mais nova e com esse pensamento em mente que decidira ficar em casa e cancelar um rolê com os seus amigos.

 Até que enfim recebera uma ligação, porém, não era dela.

 — O quê foi? - Perguntara olhando para o teto do quarto, balançava as pernas de forma inquieta.

— Ai credo, assim que você fala comigo depois de anos de amizade - Riu de forma escandalosa.

— YoungBae, para com essas frescuras. . . o quê houve? Sandara te deu um pé na bunda e veio me ligar para chorar?

 Ouviu a risada cessar. É, ele havia acertado.

— Só para a sua informação, ela fez isso para estudar esse final de semana...as provas estão preocupando a minha namorada! - Resmungara e Ji-yong teve a sua vez de rir.

 — Certo, certo! Mas ainda há outra coisa? - Perguntou depois de acalmar-se.

— É claro...preciso saber porque você 'tá todo bolado em relação da Chaezinha e o Hae! Cara, você nem saiu da sua casa hoje, aposto que está movendo-se pelos cantos da casa esperando para fofocar com a Chae sobre o encontro dela. Manda a real, estou certo né? - YoungBae pode ouvir a respiração do amigo ficar agitada, ele sabia que o outro estava histérico.

 — E-eu...Aish! Bae, você é um saco mesmo! É óbvio que estou esperando por notícias porque quero saber se o Hae foi legal com ela...a Chae é até de mais para o caminhãozinho dele - murmurara.

Ora, ora...o Hae é nosso amigo, cabeça. Você sabe muito bem que ele é de confiança e que a Chae também gosta dele, quer dizer, eu acho né! Não deve ter motivos para você tá bolado com isso, porque - Respirou fundo — ele a conhece há tanto tempo como você e eu, mas, deve saber também que ela o considera só como amigo!

 Ji-yong mordeu o lábio antes de inspirar profundamente.

— Você tem razão, estou sendo super-protetor. Ela sabe se cuidar e não é uma criancinha.

— Isso aí, deixa ela cara! Faz tempo que a nossa dongsaeng não beija ninguém...na verdade, ela já beijou?

 Certo, agora Ji-yong queria estapear o melhor amigo. Ele sabia muito bem que a garota ainda era bv e em pleno 17 anos de vida.

 — Não seja rude, cê sabe que ela é pura ainda.

Que porra, você falou pura...e-eu - gaguejou e começou a rir histericamente. — ai nossa! Me socorre, eu tô rindo disso..tô morrendo.

 A vontade de socar o melhor amigo presente novamente.

 — Você entendeu, para de rir seu abestado. - Revirou os olhos e esperou o outro se conter, novamente.

 — Hey Kwon, me recuperei e ah! Dara falou que a Chae estava bastante nervosa para esse encontro. . . sabia dessa?

 Ji-yong ficara pensando até enfim responder:

 — N-não, acho que não era tão importante assim para ela compartilhar comigo, - sorriu — aposto que era só neura dela.

 — É só impressão minha ou você está ressentido? Ya!

 — Não enche hyung, você 'tá muito chato e se era apenas para me perturbar, já pode desligar.

 — Ouch, mas está bem...depois falo com você, seu chato. Me liga depois de falar com a Chae, tô esperando. - Finalizara a ligação.

 Depois disso, Ji-yong ficara mais inquieto do que já estava, movendo-se mais apressadamente em busca de respostas. Respostas de Lee Chaerin.

 Era apenas preocupação, ele pensava.


 IX Vez.


 Com 21 anos e bem longe dos tempos do colégio, ele estava na faculdade, ainda possuía aqueles pestes que chamava de amigos e a sua sis. Bem, agora Chaerin também estava na mesma instituição que ele, o que não era uma surpresa tão grande assim.

 Por razões óbvias, todos já esperavam aquilo e bem que os pais dos dois também deram um empurrãozinho. Ao que todos sabiam, eles mantinham a mesma amizade forte do passado e bem que Ji-yong não queria que fosse só amizade.

 Sim! Depois de três anos pensando sobre isso, ele finalmente percebera que amava a sua dongsaeng e que por isto, sentia-se daquela forma em relação da mais nova. Ele já havia admitido este amor e até o momento, encontrava-se em uma situação de amor unilateral...é, ele ainda não havia dito para ela.

 Por este motivo, possuía uma batalha interna entre contar e ver amizade de anos corroer-se por seu sentimento ou apenas guardar para si mesmo e continuar em contato com a moça. Ji-yong estava extremamente fodido.


                        {...}


— Kwon Ji-yong, posso saber por quê você não me esperou hoje? - Ela perguntou antes de jogar-se no corpo do mais velho que estava estatelado no sofá.

— Chae, eu estava com de cabeça...apenas isso - Resmungou — Ya! Você 'tá gorda, sua coisa.

 Ouviu a moça resmungar e depois lhe beliscar, ele riu.

— Ha ha, você é muito engraçado...engraçado demais! - Bufou — E está me fazendo querer te matar, você sabe que é horrível voltar sozinha...tem umas pessoas que ficam te encarando ao passar pelo campus.

 É, eles viviam no mesmo prédio do campus da faculdade, até neste item não havia surpresa nenhuma e ela era menor ainda pois viviam em apartamentos lado a lado. Ji-yong bufara antes de envolver Chaerin em seus braços, era comum lhe abraçar assim, de forma repentina...ela provavelmente deveria pensar que era em relação de ambos serem melhores amigos.

 Apenas melhores amigos.

 — Chae, não sabia que havia ficado tão dramática que nem a Dara noona, - riu — de qualquer forma, me desculpa! 'Tava cansado mesmo...precisava vir logo e ah, maldita hora que decidi dar a outra chave para você.

 — Ya, nem vem...eu também dei a minha para você oppa - fizera um bico e depois ajeitou-se ao lado dele no sofá da pequena sala.

 Ji-yong observou o rosto da garota mais uma vez e engoliu em seco, havia momentos que simplesmente não conseguia ocultar o fato de amar, de declarar o amor que ele sentia pela mesma e a abraçar fortemente, como a do exato momento. Ele observou que a, agora moça, falava mais alguma coisa e reclamava levemente...porém, ele só pensava em lhe beijar.

 Em finalmente lhe beijar e confirmar o desejo de YoungBae em vez os dois pombinhos juntos.

 —. . . então foi assim q-- Yongie, você não está prestando atenção! - lhe bateu e oh, ela estava tão linda.

 — Chae, não estava mesmo...porém, e-estava prestando atenção em algo mais importante.

 Chaerin o encarou e franziu o cenho, como assim?

 — Eu estava prestando atenção em você, porque há algo que venho guardando comigo por tanto tempo...e-eu te amo Chae e não é de forma fraternal, eu descobri que te amava quando Hae lhe levou para aquele encontro, - suspirou roçando levemente o dedo no rosto dela. — eu entendo se você quiser ficar um tempo afastada de mim e entendo profundamente se você não quiser a minha amizade, porém, eu já estava sufocado por tanto tempo...três anos Chae! Três anos sem ter corarem em lhe contar isso! - Abaixou a cabeça e depois voltou a fitar a garota profundamente.

 Chaerin estava, no mínimo, chocada...não acreditava que o seu bro amava a mesma, era até surreal. Engoliu em seco ao sentir as pontas dos dedos do mais velho em contato com o seu rosto, Ji-yong não tirava os olhos dos dela e Chaerin sentia que deveria lhe responder logo, deveria acabar com a aflição do mesmo.

 — Yongie, v-você me pegou de surpresa...eu não consigo assimilar tudo isto, mas, nem ouse em dizer que irei me afastar de você. Eu te amo. - sussurrou a última parte e por um pensamento impulsivo, aproximou-se o suficiente para sentir a respiração do outro contra a sua.

 Era verdade que ela o amava e também era verdade que sentia ciúmes de Hyuna no passado, apesar de sentir que era apenas neura. No final de tudo, ela ela apenas empurrou esse pensamento em um canto de sua mente, ao fim de esquecer.

 Nesta altura, Ji-yong apenas fitava a garota, estavam tão próximos e a sua vontade de a beijar era palpável. E ele a realizou.

 Pela primeira vez em anos de amizade, Kwon Ji-yong tivera coragem de beijar Lee Chaerin e ele não se arrependara, pois ela possuía o encaixe perfeito ao seu.

 — Yongie...- murmurou ao se separarem, a respiração ofegante.

— C-chae, eu entendo se você sair por essa porta e não voltar, me perdoe...acho que roubei o seu primeiro beijo.

 Mordeu o lábio inferior em um ato constrangido, sendo surpreendido ao ouvir a risada da garota de cabelos negros.

— Ya! Não se preocupe, eu quis isso...eu quis esse beijo, assim como quero o seu amor porque eu também quero que você aceite o meu. - Declarou e viu a expressão de surpresa do homem.

 É, parece que outra pessoa havia admito amar também e ele não poderia estar mais feliz.

 Ao que tudo aparentava, Lee Chaerin agora era sua melhor amiga e namorada.


 X Vez.


 — Kwon Ji-yong, é melhor você me explicar porque ainda está assim! Vamos, estamos atrasados! - bufara e ele apenas negou com a cabeça.

 — Chae, eu 'tô morrendo, por quê a gente tem que ir mesmo? - Enrolou-se no cobertor, a fitando levemente.

 Chaerin bufou antes de ser puxada para aquele emaranhado de cobertores e para os braços da pessoa que fizera isso.

— Temos que ir pelo motivo de ser o noivado dos nossos melhores amigos ou se esqueceu disso? - Lhe deu um leve tapa no braço, ele riu. —Não esquece do fato de nós sermos escalados para padrinhos e você, sua coisa, trata de ir tomar banho! Uhh, está fedendo! - riu ao proferir a última parte.

 Ji-yong fizera um bico antes de girar na cama e lhe pôr embaixo do seu corpo, riu ao ouvir um grunhido de surpresa da garota e pôs os lábios no pescoço da mesma.

— Eu irei, porém...só se você prometer fazer algo comigo hoje, depois desse evento. - os lábios roçaram no pescoço da mulher e fez com que ela se arrepiasse.

— Yongie...para! Você está se referindo à aquilo não é? Que vergonha! - Sussurrou e ele suprimiu a vontade de rir.

— Não, estava citando a nossa maratona de dramas em casal, faz um tempo desde a nossa última vez! - Riu e sentiu o rosto dela esquentar — Maas, se você quiser isso também...não terá problema! Apesar de que até umas 4 horas atrás estávamos fazendo isso e por este motivo ainda estou aqui na cama.

 Certo, este foi o estopim de tudo, antes que ele percebesse já estava sendo atacado por tapas.

— Chae, aahhh, para! Me desculpa! - Gritara e viu de canto de olho a mulher rindo dele. — Você é horrível, me agredindo sem motivos...

 — Aish, você estava insinuando aí! Sabe que ainda tenho vergonha disso, seu oppa ridículo! - Revirou os olhos e ele riu.

 — Certo, certo. Porém, vamos tomar banho agora? Temos um noivado para ir! - Ji-yong anunciou e depois disso, os dois levantaram.

 Finalmente, eles começaram a se arrumar.


                     {...}


 Parecia que a cada dia mais, Park Sandara estava no caminho de virar uma Dong e faltava tão pouco para isso. O evento fora apenas para os mais próximos e obviamente, os seus amigos estavam ali.

 Da roda de amigos, ela e YounBae eram os segundos à ir em uma nova fase da vida, o casamento;Bom e Seunghyun eram os primeiros. Ela não poderia estar mais feliz.

 — Unnie, você está tão linda! - Chaerin exclamou ao encontrar a agora, loira.

 Isso fez com que Sandara sorrisse antes de retribuir o abraço entre as duas. Ela estava tão feliz e compartilhar isso era ainda melhor.

 — Aigoo, não me faz isso, irei achar que sou capaz de sair por aí me achando maravilhosa, - riu — e o Ji? 'Tá com o YoungBae? - arqueou uma sobrancelha.

 — Sim, eles estão conversando e ahhh! Unnie você está tão linda, nem acredito que será a segunda a casar depois da Bommie unnie!

 — Nem eu! Eu estou em êxtase! - Riu e abraçou a mais nova novamente — E você? Quando assumirá essa etapa em sua vida?

 Chaerin a encarou pensativa, nunca chegou a pensar no momento em que faria isso com Ji-yong. Era óbvio que em seus 25 anos de vida pensava em ter uma família no futuro, mas nunca pensara em como proceder isso no presente, era até engraçado pois ela era a que mais pensava em ter filhos e nunca, em casamento!

 — Ya...eu não sei? Aish! Isso é tão confuso! - murmurou antes de Dara rir e lhe puxar para o meio do local.

 Ah, ela nem sabia o que estava por vir.


                    {...}


 — Ji-yong, se controla! Vocês estão juntos há 3, 4 anos e ainda são amigos por bastante tempo, é óbvio que ela irá aceitar o pedido cara! - YoungBae o empurrou levemente, antes de revirar os olhos.

 — Mesmo assim, eu 'tô muito nervoso, pareço até aqueles caras que nunca ficaram com nenhuma mulher! Puta merda. - suspirou.

 — Não esquece de seguir o fluxo e boa sorte, espero ser o padrinho do casamento como você é o meu. - Tossiu forçadamente e recebeu um tapa. — Ai credo, assim que você trata o seu hyung? Que horror!

 Ele riu e Ji-yong também.

 — É o nervosismo...ahh, como você e o Tabi hyung conseguiram fazer isso?

 — Para de ser frouxo, não foi assim que eu te criei. Agora, vai para o apê que vocês dos dividem e pede a nossa dongsaeng em casamento, viado!

 É, com esse estímulo até que ele chegaria em algum lugar.


 2 Horas Depois:


  Estavam assistindo a marotona em casal, parecia que ele iria colapsar em qualquer momento e Chaerin notava isso. Ela ainda estava pensativa em relação do que a sua unnie dissera na comemoração de noivado e agora, mais do que antes, imaginava uma vida ao lado do homem que formou-se em Direito e mesmo assim conseguia ser o seu músico particular, demonstrando o talento que possuía somente para ela.

 Lee Chaerin queria casar e mal sabia que Kwon Ji-yong, também.

 — Hunchae, preciso conversar sobre algo sério, seríssimo. - Suspirou ao pausar o episódio do drama que assistiam. Observou ela mexer-se no sofá até ficar cara-a-cara com ele, como anos atrás.

 Como o dia em que ele a fez ser a sua namorada.

 — Hmm, então...diga? Estou um tanto nervosa! - murmurou.

 — Lee Chaerin, sei que nós estamos juntos há 4 anos e possuímos uma amizade além de 10 anos, sei que ao longo de tudo isso...eu apenas lhe quero em minha vida para sempre, pois eu te amo e mesmo que esse seja o pior discusso que já fiz na minha vida, eu desejo que você seja a minha esposa e companheira. Desejo que você esteja comigo em todas as loucuras que eu decidir fazer e também em todas as vezes que faça algo extremamente certo, desejo que você venha a formar uma família comigo, a nossa família. É tudo o que eu quero em meus plenos 26 anos de vida. - A fitou antes de abaixar a cabeça e lhe estender o anel delicado. — Você aceita casar comigo e ser uma futura Kwon? - engolira em seco ao ver a moça chorar.

 — Sim, eu aceito ser uma Kwon e lhe apoiar em todas as merdas que você fizer. Até mesmo nos planos contra o meu irmão mais velho em fazer a Minji morar com ele! - Riu antes de selar os lábios deles.

 Porque a partir daquele dia, Kwon Ji-yong tivera a certeza de possuir o amor dela para sempre e ela, o dele. Ele apenas a amou ainda mais durante todos aqueles anos.


 XI Vez e muitas outras.


 O choro ecoou pela residência fazendo ele acordar primeiro e logo em seguida a sua esposa, entreolharavam-se antes de seguir até o outro quarto daquela casa.

 — Nãoo, não é preciso o bebê chorar...os papais já chegaram. - murmurou acalentando a criança em seus braços.

 Fizera aquilo até enfim a criança possuir o choro cessado, voltando a dormir novamente. Ao passo que isso aconteceu, a mulher olhou para o homem visivelmente cansada mas ainda com o sorriso doce no rosto.

 — Hey, será que podemos voltar a dormir agora e levar esse pedaço de gente para o nosso quarto? - sussurou antes de selar os lábios na testa dela.

 — Acho que sim, Haru se acalmou agora...deve sentir falta da gente, mas quero tanto que ela se acostume ao quarto dela. - Fizera um bico antes de ver o marido carregar delicadamente a filha de quase 2 anos no colo.

 — Chae, ela ainda é muito novinha...'tá estranhando. - olhou para a filha em seu colo e depois para a esposa que escontou-se em seu ombro. — Vamos deixar ela mais um pouquinho com a gente...uh?

 — Ji...você a está mimando muito, ela tem que se acostumar. Daqui a pouco nós temos que dormir toda vez com essa coisinha entre a gente e eu não quero que ela fique dependente da nossa companhia...apesar de amar ter ela com a gente de noite. - bufou.

 É, Kwon Haru fazia essa confusão entre os dois.

 — Maas ela é tão bebêzinha, não pode ficar sozinha e qual o mau em mimar a minha filhinha? - fez um bico ao deitarem na cama com ela no meio dos dois, eles se encaravam.

 — O problema é que você está pondo mau costume na nossa filha! Parece o Panda oppa e o resto dos meninos! Se bem que você que começa tudo né, Kwon Ji-yong? - o encarou com os olhos cerrados.

 — Não me ameaça porque não estou fazendo nada de mais e o Seung também não está! Estamos apenas dando bastante amor para essa mini versão minha e sua.

 Chaerin bufou antes de acomodar-se melhor na cama. O seu marido e o seu irmão mais velho não tinham jeito mesmo!


 2 dias depois:


 — Appa! Appa! - o chamou antes de ir para o trabalho, Ji-yong sorriu antes de envolver a garota em um abraço apertado.

 — Hey, você chega mais tarde hoje? - Chae perguntou depois de os dois se abraçarem, ele assentiu com a cabeça e Chaerin fizera um bico.

 — Sim, estamos em um período cheios de casos no escritório! Eu estou prevendo uma aspirina sendo a minha companheira durante todo o expediente e vários copos de café...- suspirou ao acariciar as têmporas — e ah! Você vai para a agência ou ficará com a Haru hoje?

 — Os dois, terá uma reunião lá e deixarei a Haru na casa da Bom unnie, pretendo voltar o mais rápido que conseguir. - Fechou os olhos e depois sorriu. — E, oh, Minji ligou dizendo que ela e Seunghyun já estão voltando do Japão! Estou com tantas saudades!

 Suspirou aliviada e Ji-yong sorriu antes de lhe beijar mais uma vez e finalmente ir ao trabalho, notara que ao passar do anos ela ainda continuava do mesmo jeito e ele achava isso surpreendente, afinal, ele amava cada pequeno detalhe daquela mulher maravilhosa.

 E além de a amar de forma incondicional, amava a filha deles e amava a forma que ela parecia tanto com Chaerin em coisas tão pequenas. Pois, Kwon Ji-yong percebeu amar Kwon Chaerin muito mais vezes que ele conseguiu contar e realmente não dava a mínima para a contagem, ele ainda a amaria muito mais vezes.

 Porque a sua meta era nem mesmo perceber esse mínimo detalhe, ele só queria amar aquela mulher extraordinária... e a sua filha.

 Para sempre.


Notas Finais


Foi isso! Não era para esperar tanto assim de mim mas, eu gostei do enredozinho...se bem que, eu amo esse clichê mesmo. Gosto, mas não admito, brincadeira.
De qualquer forma, vou voltar para o meu cantinho e chorar pelo disband do 2NE1 mas, mesmo assim... #ThankYou2NE1
OT4 é 4ver! ( ._.) e obrigada pelo review <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...