História 1460 Cartas Para Você! - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Personagens Originais
Tags Hentai Alexy
Exibições 59
Palavras 2.852
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Estupro, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiew amores!
Boa leitura

Capítulo 1 - Único.


1460 Cartas Para Você!

 

                                                                                                                                                      Por:CrazyAlgell

 

"O amor é uma infinidade de ilusões que serve de analgésico para a alma".

- Marlon Moraes

 

Beatrice Campbell 

 

05H00M Sexta-Feira.

 

Acordei com o som  amaldiçoado do despertador, minha cabeça estava com uma dor amaldiçoada, e para "ajudar" essa noite foi umas das piores! 

 Estiquei minha mão até o criado-mudo e acertei um tapa no obejeto irritando o qual odeio todas as manhãs, no mesmo momento ele desligou. Sentei na beira da cama e me empreguicei, pisquei algumas vezes para espantar o sono o qual precisava tanto, senti uma pequena ardencia na minha mão direita o qual tinha depositado um tapa no meu  "querido" com muita ironia amigo despertador. Balancei minha mão no ar para a minizar a dor. quando percebi que 75% já tinha passado paro de fazer esses movimentos com a mão. Me arrastei para o banheiro que ficava no meu quarto, lá tomei um banho rápido e frio, me enrolei na toalha que estava pindurada nos guanchos da porta e segui para pia, onde escovei meus dentes, sorri para mim mesma no espelho visualizando meus dentes, voltei para meu quarto e fui diretamente para meu armário branco com detalhes pretos. Optei de escolher um conjuntos de lingeries vermelho, uma calça jeans e uma blusa azul escuro com o nome de uma banda de rock, claramente essa blusa foi um presente pois não costumo usar roupas desse porte, recebi ela no meu aniversario de 16 anos dada pelo meu amigo-TPM Castiel, uso ela algumas vezes e tenho um carinho enorme pela mesma, motivos? Bem, Castiel atualmente está participando em uma turnê com seu amigo Lysandre o qual não tenho muita afinidade. Todas as vezes que á uso e como se recorda-se de alguns momentos com ele, saudades do tomate.

 Após terminar de me vestir, fui a procura de um sapato, sempre fui a favor de usar meu lindo All Star preto e não sera agora que não irei usa-lo. Peguei minha escova de cabelo que estava na minha escrivania, e comecei a pentear meus cabelos enrolados e loiros.

Moro com meus pais, e por efeito de seus trabalhos não passamos muito tempo juntos, sou filha única o que acho muito chato.

 Meus melhores amigos  são Rosalya, Castiel, Violett e Alexy, Alexy é um belo garoto de cabelos azuis que atrevo dizer que ele encanta qualquer um que se aproximar, o conheço faz 5 anos desde então viramos melhores amigos sem deixar Rosa de fora. Desde o dia que o vi nos corredores do colégio perdido juntamente com seu irmão gêmeo Armin me classifico como apaixonada por ele, mas logo em seu terceiro dia soube que esse amor é plátonico, não que eu tenha me declarado para ele mas sim quando ele contou para mim e Rosalya que ele é gay assumido, chorei muio por isso tentei pensar nele só como um amigo mas infelizmente não consegui, para me adaptar a esse amor não reciproco iniciei a escrever cartas de amor, cliche, não? Mas esse caminho me ajudou muito, muito mesmo! Isso virou costume para mim, passo todas as noite em claro me expressando por palavras escritas. Atualmente tenho guardado 1459 cartas.

Conduzi para fora de meu quarto e desci as escadarias, fui direto para cozinha e me sentei na bancada, a cima dela avia um bilhete pela caligrafia julgo ser da minha mãe.

 

"Bom dia, querida!!!

Nos desculpe novamente por sairmos sem avisa-la ocorreu alguns problemas, mas logo estava-mos de volta segunda-feira..

Como  sei que você não gosta dos meus lanches deixei uma pequena quantia de dinheiro em baixo do vazo de flores que há na bancada.

Bye pequena Beatrice".

De: Papai e mamãe.

 

Amassei o bilhete e joguei no lixo, para mim já está sendo normal ficar sozinha, eles nem se quer dão o trabalho de saber se estou bem.

Recolhi o dinheiro e segui para pegar minha mochila que por vez estava ao lado da porta da saída. Joguei-la em minhas costas e sai, tranquei a porta e fui a caminho do meu colégio Sweet Amoris.

Ao longo do caminho fitei meus pés em silêncio, antes Castiel e eu ia-mos para o colégio juntos.

 

Ao chegar no colégio vi uma cena totalmente desagrádavel para mim, Alexy estava ao beijos com Kentin o novato militar.

Meu coração apertou, meus olhos começaram lacrimejar, meu corpo perdeu movimento estava imóvel.

Senti algumas lagrimas escorrerem pelo meu rosto, por que? por que! por que me apaixonei pelo idiota do Alexy!.

 

- Beatrice, por que está chorando? O que houve? - Perguntou uma voz baixa e docemente.

 

Com muito esforço consegui olhar para pessoa, a pessoa era a pequena e doce Violett.

Seu semblante é de preocupação com um misto de curiosidade, a pequena lilas direcionou seu olhar para onde a pouco tempo estava olhando, e por sua expressão ela entendeu o porque de eu estar chorando.

Ano passado eu e Violett eramos do mesmo club #iludidasPorUmCertoAzul mas agora só sou eu. Após Vio se declarar e ser recusada delicadamente, Lysandre a pediu em namoro, agora ela vive felizmente com seu príncipe vitoriano.

- Bea, você é uma garota extraordinária, não deve chorar por uma garoto idiota como ele - Consolou Violett, em quanto me envolvia em um abraço.

- Doí Violett, faz isso para - Pedi em quanto soluçava - Por favor - Sussurrei.

- Bea - A pequena nos separou - Infelizmente não posso fazer nada, mas sim você, venha Rosalya e eu vamos te animar um pouco - Sorrio.

- Okay - Enxuguei meu rosto, em quanto sorria.

 

Violett pegou meu braço  e me puxou pelos corredores do colégio, mesmo tendo a mesma idade que eu, temos uma diferença enorme de altura.

 Com a velocidade que ela me puxava ao parar cai sentada no chão, ela esticou a mão para mim rindo.

 

- Você pode ser pequena, mas e fortinha e rápida - Segurei sua mão.

 

Violette me ajudou a levantar. A sala que nos trouxe é a sala B-3 onde nossa turma estuda. 

Entramos juntas, e logo pude ver Rosalya e Leigh em um beijo, o beijo era delicado e apaixonante, senti inveja deles.

Leigh tem 19 anos, irmão mais velho de Lysandre, e claramente namorado de Rosalya, todos os dias sem falta ele trás Rosa para colégio e aproveita para dar  alguns amassos com ela, sim ele é um sonho! Mas não o meu. 

 

Aquilo já estava se tornando um pouco constrangedor tanto para mim quanto para Vio.

 

Forcei uma tosse para chamar á atenção do casal, mas foi falho a tentativa.

 

- Rosalya! - Chamei a platinada, que logo se separou do namorado e nos viu.

 

- Oh! Vio, Bea, quanto tempo estão ai? - Rosalya perguntou um pouco constrangida, suas bochechas coraram levemente mas perceptível. 

 Leigh apenas deu uma simples risada, e depositou uma beijo na testa de Rosa, e acenou para nós  enquanto se retirava para fora da sala.

- Não muito, só uns 15 minutos prensenciando você se agarrar com o vitoriano mais velho - Brinquei.

- Seus olhos estão vermelhos - A platinada ignorou minha provocações - Andou chorando? Por que? 

- Alexy, a trouxe aqui para animar-mos ela - Contou a lilas. 

- Até sei como - Um sorriso brincou nos lábios vermelho de Rosa - Venham!

 

                                                                     Quebra de tempo.

 

Rosalya nos levou para o banheiro, onde teve a brilhante ideia de mudar meus visual.

 

- Irei ficar com a parte do seu cabelo, e a Vio vai fazer a sua maquiagem, mãos a obra! - Rosalya pronuncio, em quanto um sorriso orelha a orelha vivia em seu rosto.

 

Depois de muito puxão de cabelo, elas terminaram, sinceramente tenho medo de como estou.

 

- Pode virar - Falou as duas em coro.

 

Como antes a dupla não permitiu de me ver no espelho, estou um tanto curiosa.

 

Me virei, tive um susto quando me vi.

 

- É e-essa s-sou e-eu? - Falei surpresa, posicionei minhas mãos indicando a mim mesma.

 

- Claro sua boba! O que achou? - Rosalya encostou sua cabeça em meu ombro.

- Eu estou linda! - Falei sorridente em quanto abraçava minha queridas amigas. - Obrigada, obrigada, eu amei!

- Você já era linda antes, mas devo admitir que ficou mais gata agora - Falou pensativa Rosa em quanto seus olhos passeavam pelo meu corpo.

 

- Tenho a  obrigação de concorda com Rosa, Be você está linda! - Elogiou Violett

 - Obrigada - Falei timidamente.

 

O sinal tocou, indicando que a primeira aula ia começar, nos entreolhamos e seguimos para nossa sala. No caminho Kentin estava se despedindo de Alexy com alguns beijos no pescoço.

 

Abaixo a cabeça para não ver a cena, na qual despedaça tanto meu coração. Senti algo em volta de mim, Rosalya havia me abraçado, talvez tentando evitar de  fazer eu ver Alexy e o militar.

 

O dia ocorreu normalmente, Ambre com suas provocações, Rosalya contado sobre o romantismo de Leigh, Vio trocando mensagem com Lysandre, eu "apreciando" Alexy  se atracando com Kentin.

 Algumas pessoas até me elogiaram pelo meu novo visual, o azulado apenas falou que ficou legal sem emoção o que me destruiu ainda mais.

 

                                                    (..........)

Nosso colégio nos libera 16:30, então falta exatamente 7 minutos para eu ir embora, escrever a maldita 1460.

 

O sinal tocou, me despedi de Rosalya e Violett com um beijo na bochecha, apenas acenei para Alexy e sai da sala.

Me conduzi a caminho do banheiro, os corredores estavam vazios então creio que apenas eu esyou no colégio.

Andando a caminho comecei escuta gemidos, cada passo que dava os gemidos aumentavam.

Quando dobrei o corredor, vi Ambre encostada nos armarios vermelhos com um garoto beijando seu pescoço, era difícil distinguir quem era o menino, mas logo quando ele levantou a cabeça, pude ver a metade de seu rosto, Kentin, Kentin o mais novo namorado de Alexy estava o traíndo.

Peguei meu celular para tirar uma foto e mostrar para Alexy, mas desisti, não vou estragar nenhum relacionamento, se Alexy esta com Kentin ou não para mim tanto faz.

 

Depois disso não irei mais para o banheiro.

 

Sai do colégio e segui para minha casa. Chegando lá joguei minha mala na sala e subi para meu quarto, tomei um banho quente e fui escrever a 1460.

 

Meu querido Alexy...

Hoje descobri que seu namorado o qual você tanto ama o traí com Ambre, sinceramente? Fiquei muito feliz.

Por que eu te amo? Eu não sei.

Seu sorriso é um dos mais lindos.

Seu abraço é um dos mais aconchegantes.

Seus olhos são os mais belos que vi.

POR QUE! por que? 

Odeio lhe ver nos braço de outra pessoa.

Odeio ver lhe beijando outro.

Eu te odeio  porque te amo.

Eu queria falar para você o quanto te amo, queria,  eu queria muito.

Mas não consigo.

Não posso.

EU TE AMO...

 

Abaixei a cabeça, encostando na escrivania ao meu lado, fechei meus olhos fortemente.

Biih Biih

Meu celular tocou uma, duas, três vezes, eu não ia atender, mas parecia que a pessoa não iris desistir. Peguei meu celular, abri uma gaveta da minha escrivania e joguei meu celular lá. Continuou a tocar mais com um som abafado.

Voltei a fechar meus olhos, e logo senti meu corpo adormece aos poucos, até que dormir....

 

Acordei com a campanhia tocando, olhei para o relógio na parede, marcava 21:48. estava chovendo. Me levantei e fui abrir a porta com uma preguiça extremamente enorme.

Ao abrir recebi a pessoa que menos desejava ver. Alexy.

Dei passagem e o mesmo entrou. Seus olhos não estavam brilhante e sim vermelhos, ele estava chorando? Suas roupas estavam molhadas.

 

- Venha - Pedi em quanto subia as escadas.

Alexy me acompanhou, fui para o quarto dos meus pais, e peguei algumas roupas para o azulado.

 

- Aqui - Entreguei a muda de roupa - Tem toalha no banheiro, pode tomar no meu.

 

Alexy assentiu e seguiu para meu quarto. 

 

Me perdi nos meus pensamentos, mas logo voltei a realidade, segui para o meu quarto espera-lo.

 

Se passou 15 minutos e logo ele saiu.

 

- Então - Comecei - Vai me contar o que houve?

 

Alexy se sentou ao meu lado e me olhou fixamente.

 

- Fui fazer uma surpresa para o Kentin e...e quando cheguei no apartamento dele, vi ele fazendo...Com a Ambre - O smurf desabou em lágrimas,

 

Refleti um pouco o que ele havia me falado, "fazendo"? Depois de segundos repetindo isso, me dei conta do que era.

 

- Vou fazer chá, para acalmar - Expliquei me levantando.

 

Me dirigi para cozinha, e fiz chá de camomila, coloquei um pouco em duas xícaras e subi para meu quarto, a porta estava um pouco fechada, então entrei de costas, ao me virar de frente vi Alexy em mãos com a minha caixinha cor-de-rosa a qual guardo minhas cartas secretas.

Espontaneamente travei, as  xícaras que estavam a minhas mãos agora estavam vazias no chão.

- Bea eu não sei o que falar - Alexy se aproximou de mim.

- Não era para você  ver isso - Puxei meus cabelos com as mãos - NÃO ERA PARA VOCÊ VER ISSO! - Gritei.

 

Ante que eu pudesse continuar meu ataque, senti algo em meus lábios, algo macio e gelado, Alexy estava me beijando.

Eu nunca havia beijando então entrei em panico.

Alexy pediu passagem e logo cedi, sua língua explorava minha boca, quando dei conta nossas línguas já estavam dançando com sincronia, senti as mãos de Alexy em minha cintura, meus dedos passeavam pelos cabelos azuis.

Nos separamos por falta de ar.

Alexy parecia fora de si, ele estava em um momento difícil, tinha acabado de descobrir que seu amado estava o traindo.

Novamente nosso lábios estavam juntos, sem nos separar Alexy me ergue colocando minha pernas em volta dele, um pouco atrapalhado ele nos levou para cama.

O beijo havia aumentado o ritmo, suas mãos passeavam pelo meu corpo me trazendo alguns arrepios.

O azulado parou o beijo, me encarou e desceu o olhar para meu pescoço, se aproximou, Alexy mordiscou levemente meu ombro, um gemido involuntário saiu da minha boca me fazendo corar.

Alexy distribui alguns beijos ate chegar em meu pescoço, ele começou a chupa-lo, meu coração está a mil, meu corpo começou a ficar quente, o que diabos está havendo comigo?

Em quanto chupava meu pescoço Alexy me despia, ele se afastou e encarou meu corpo, agora eu havia ficado só de lingerie. Ele me ergueu e tirou meu soutien, e abocanhou meu seio esquerdo e ao mesmo tempo me deitava novamente na cama, eu gemia, gemia alto, meus gemidos era incontroláveis, impossíveis de conter.

Alexy se levantou e tirou suas roupas rápidamente ele não expressava nada. Ele fez um sinal para mim tirar minha parte de baixo, tirei minha calcinha um pouco receosa, estava com medo. Ele olhou profundamente meus olhos, e me penetrou, gemi de dor aquilo foi inesperado, senti algo quente escorrer pela minhas pernas, levantei um pouco a cabeça e vi  sangue, eu estava sangrando, ficou claro que perdi minha virgindade. A dor era enorme, segurei com firmeza o lençol, aquilo estava me rasgando por dentro, algumas lágrimas escorreram por meus rosto. 

Alexy começou a fazer movimento de vai e vem, gritar era o que eu queria fazer, aquilo era como um faca me cortando. 

Depois de alguns minutinho a dor for diminuindo e logo foi preenchida por prazer, aquilo era bom, eu queria mais! 

Alexy começou a ir mais rápido e forte, um pouco agressivo mas não reclamei, aquilo parecia me dar mais prazer.

Estava preste a gozar, até que gozei Alexy deu mais três estocadas e gozou também ele se jogou ofegante ao meu lado.

- Eu te amo - Falei em quanto o abraçava.

 

O dia seguinte acordei sozinha, senti uma dor imensa em minha intimidade estava toda dolorida, mas depois de um banho melhorou - Não 100% mas razoável.

O final de semana inteiro liguei  para  Alexy, precisava-mos conversar, mas sem resposta.

                                                  (.......)

 

Novamente no domingo a noite liguei para ele, está chamando está chamando, atendeu! Finalmente ele atendeu.

- ALEXY! Finalmente, por que não atendia? 

- Alô, quem é? - A voz era um pouco mas grave de que  Alexy.

- Ãh? Bem eu sou a Beatrice, e você quem é?

- Kentin.

- Pode passar para o Alexy!? - Falei com irritação.

- O-oi Be....

- Alexy me explica isso! - Disso quase chorando.

- Bea, depois que sai da sua casa, eu conversei com o Kentinho, nos resolvemos e estamos juntos novamente. Olha desculpa, desculpa mesmo! Eu estava nervoso, não sabia o que estava fazendo espero que você enten...

 

Chamada encerrada.

 

Joguei meu celular na parede o quebrando. 

Ele...brincou comigo....

 

1460 CARTAS PARA VOCÊ, 1460 noites chorando, 1460 dias que passei te amando.

 

Eu perdi minha virgindade...

Eu me entreguei...

Mas ele nunca falou que me amava...

 

Fui uma garotinha que se iludiu com o amor.

A garotinha que chorou quando virou mocinha.

A garotinha que com 13 anos, não sabia o que era sexo.

A garotinha sorridente.

A garotinha inocente.

Amor e ódio andam juntos.

Alexy, o que sinto por você desde agora é apenas ódio.


Notas Finais


Pessoas! Sei que não ficou aquele coisa emocionante mas está ai.

Comentem e favoritem! Isso é muito importante.

Quer mais hentai do AD? Se sim, aqui mais algumas que criei.


Armin: "Você é o Maior Idiota Que Existe".

Nathaniel: O taxi

Castiel: A garota da máscara.


Bjss de luz.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...