História 1870, A Primeira Guerra Mundial. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Ação, Armas, Etc, Guerra, Hentai, Lutas, Romance, Steampunk, Trem
Exibições 12
Palavras 1.251
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Luta, Romance e Novela, Steampunk, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bom galera, espero que gostem e decidi dar uma imagem para cada personagem! ^^ Flws

Capítulo 5 - Mais um Dia na Base.


Fanfic / Fanfiction 1870, A Primeira Guerra Mundial. - Capítulo 5 - Mais um Dia na Base.

- Abre os olhos devagar, minha visão estava toda embaçada, então eu começo a coçar e fico encarando um corpo na minha frente. – Então você ta dormindo ainda é? – Falava rindo olhando para Isaac, então se levantava e ia para a direção do banheiro e ia tomar um banho. – Bom acho que não tem nada hoje... Já que ninguém veio encher o saco de madrugada falando que tem uma missão! – Pensava tomando banho.

 

- Uaaaar... – Se despreguiçava na cama abrindo os olhos e olhando para o lado. – Huh? – Olhava em direção ao banheiro. – Hmm... Então ela está no banho. – Se levanta de despreguiçando. – Alex... Vou ver como o Amaterasu está! Deixa-lo pronto para sair a qualquer momento! – Colocava a roupa, se virava e ia para a garagem.

 

- Ouvia Isaac gritando lá do quarto, mas permanecia em silencio tomando o banho em sua banheira. – Será que vou conseguir brincar com meu novo brinquedinho hoje? – Pensa olhando para seus seios começando a lava-los. Após terminar o banho, saia da banheira se enxugava e saia do banheiro. – Boa agora sala do Coronel... – Se arruma colocando seu short marrom curto, coturno, regata preta e por ultimo sua blusa que tampa até metade do short, após se arrumar sai do quarto fecha o mesmo e vai em direção à sala do coronel. 

 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

- Então Nilton, parece que vamos ter que ajudar uma Resistência próxima ao México, e lá é o pessoal das outras Américas. – Dizia encarando ele. – Até onde eu sei eles vão enviar 3 Capitães que eu tenho quase certeza de quem vai ser, mas em apenas um trem, que já foi escolhido! – Dizia tomando seu café. –

 

- E qual trem vai ser? – Pergunta comendo seu pão com manteiga enquanto toma café.

 

- Amaterasu. – Dizia encarando ele. – Acho que vou me voluntariar. – Dizia gargalhando.

 

- Interesseiro HAHAHA – Dizia rindo.

 

- Bom daqui a pouco vou à sala do coronel, até onde eu sei o Íkaros teria sido designado, mas ele tem que ir investigar algo em sigilo, eu fiquei curioso, mas a única coisa que ele me disse, e que foi algo haver com um comboio de civis, que foi atacado no dia da Retomada de Arkaica. – Dizia terminando de beber seu café. – E você? Acha que tem algo por trás dessa missão? – Dizia encarando ele.

 

- Eu não sei de nada. Sou apenas um soldado, que recebeu uma promoção após aquela missão virando Sargento! – Dizia rindo. – E tenente? Vai ficar sem?

 

- Por enquanto sim! Você pode fazer o papel de segundo em comando! – Dizia se levantando. – Bom vou lá ver com o Coronel se ta precisando de mais um capitão! – Saia andando em direção à sala do coronel.

 

James saia do refeitório que por sinal estava bem vazio, já que apenas seis brigadas de vinte estavam nesta base, Nilton acenava para ele e ia pegar outro pão para comer, e voltava e ficava sentado comendo.

 

------------------------------------------------------------------------------------------------

 

- Enquanto se aproximava da sala do Coronel via aquela Raposa desgraçada saindo da mesma, ela me da um sorriso, mas passa direto por mim, QUE VONTADE DE IR ATRÁS, mas eu tinha que ir ver com o coronel, então assim que chego perto da porta dele eu bato, e após alguns segundos ele fala para entrar. – Senhor? Eu gostaria de saber se ainda tem alguma vaga para capitães na missão do Amaterasu em ajudar a resistência!

 

- Fico olhando para ele. – Na verdade não tem nenhuma vaga, Zac, Alexcia e você são os capitães que vão nesta missão! – Dizia encarando ele.

 

- Pera eu? – Fico confuso até o coronel dizer que Alexcia pediu para me colocar o que me motivou mais ainda, então me despeço do Coronel e vou reagrupar meus homens.

 

----------------------------------------------------------------------------------------

 

- Ia caminhando procurando o quarto de Joshua que era o maquinista do Amaterasu, até chegar a um “Quarto” que na verdade e um quarto cheio de engrenagens e coisas bizarras. – E depois eu que sou a mecânica fanática. – Dizia olhando aquele quarto e vê um corpo estirado no chão com uma garrafa de Run do lado, vou até ele e o chuto. – JOSHUA ACORDA – Gritava encarando ele.

 

- ALEMÃ – Gritava se sentando rapidamente mas sem perceber que sua cabeça estava em baixo de uma mesa então bate na mesma e cai pra trás denovo.

 

- Demonio.... – Pega o run e joga na cara dele mas dessa vez com o pé no peito dele.

 

- RUSSA – Gritava mas dessa vez não conseguia se sentar. – Capitã? – Dizia encarando ela.

 

- Porque toda vez que você acorda você grita? – Tira o pé de cima dele.

 

- Porque eu queria um Hárem com uma mulher de todos os países. – Dizia se levantando e enxugando a cara que estava suja de run, eu estava fedendo a graxa, mas nada de mais.

 

- Vá para o Amaterasu, vamos partir em algumas horas! – Dizia encarando então o mesmo batia continência e eu ia para o Alojamento dos soldados do amaterasu. – Depois tenho que ir achar o Zac.... – Dizia andando.

 

--------------------------------------------------------------------

 

- Estava deitado em cima do Amaterasu quando Vejo James e uma caralhada de soldados entrando no trem. – Não me diga que você é um dos dois que dará suporte? – Digo La de cima encarando ele.

 

- Olho para cima do trem e lá está o demônio. – Sim... Alexcia me escolheu! – Dizia como se eu fosse superior a ele.

 

- Hmm...Ótima bucha de canhão! – Voltava a ficar deitado olhando para o teto.

 

- Vai se fuder, seu filho da puta....- Pensava olhando para ele entrando no trem e indo ao vagão do capitão e ficando deitado no sofá. – Agora só esperar os outros dois... – Pensava tentando tirar um cochilo.

 

- O que você gostou nele Alex? – Pensa olhando para o teto enquanto lembrava-se da noite anterior.

 

----------------------------------------------------------------------------

 

- Após mandar todos os soldados irem para o Amaterasu estava parada na frente da porta do quarto de Zac. – Que merda............................ – Ficava em silencio olhando a porta. – Bom. – Via um soldado passando e pedia para emprestar o porrete que ele tinha na cintura e pedia para ele esperar então entrava no quarto que estava tudo escuro. – Zac? – Falava segurando o porrete na mão.

 

- Uma risada começava baixa e ia aumentando. – Alex? ALEX! – Quando pulava em cima dela sentia algo de madeira batendo em minha cara e eu voando para o lado, então as luzes se acendiam, e eu via aquela coisa fofa na porta e ela abria a mesma e entregava algo para alguém e voltava abrindo a cortina. – Queria te apertar...

 

- Olhava para ele. – É eu sei igual todas as vezes que nos vemos. – Dizia com uma cara de decepção olhando para ele. – Vamos temos uma missão capitão sem Brigada. – Ficava encarando ele.

 

- Precisa me lembrar de que todos de minha brigada morreram? – Se levantava pegando alguns machados e colocando na cintura. – O Capitão sem Brigada a sua disposição! – Dizia se curvando.

 

- Já sabia que eu vinha certo? – Ele afirmava com a cabeça. – Bom vamos então

 

---------------------------------------------------------------------------------

 

 Após algumas horas todos se reuniam no Amaterasu, os Três capitães e Isaac estavam na sala da capitã Alex, Isaac e James ficavam trocando olhares do estilo “ Te Matei Ontem” enquanto Zac ficava escrevendo seu nome na parede e Alex ficava tentando fazê-lo parar.

 

- Bem distante dali. – O que aconteceu aqui... – Dizia olhando aquele monte de corpos no chão. – Droga... Abrack você não vai gostar disto. – Dizia de olhos arregalados. – PROCUREM SOBREVIVENTES! – Gritava dando ordem aos seus soldados e saia procurando alguém que ainda vive.


Notas Finais


Bom obrigado a todos que leram até aqui, vou ter que ir mais devagar na historia me desculpa, mas a falta de pessoas lendo e me incentivando a continuar , e muito ruim. Obrigado e flws o//


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...