História 1ª temporada de Incesto (Imagine Jungkook) “forbiden love” - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga
Tags Hot, Incesto, Proibição, Romance
Visualizações 81
Palavras 1.041
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


👇Aqui mais um capítulo😘

O próximo capítulo eu vou publicar amanhã, e também vou publicar a 2ª temporada de incesto.

Espero que estejam gostando da história

A todos, boa leitura!✌😉

Capítulo 6 - Five • 5


Aquilo não podia estar acontecendo, não podia. Como ele ousou ameaçar minha mãe dessa forma? Depois de anos, por que ele tá fazendo isso? Por que meu pai está ameaçando minha mãe dessa forma?

Não conseguia parar de chorar. Não conseguia nem se quer levantar da minha cama. foi muita crueldade de meu pai ameaçar minha mãe assim.

Quando li a carta não conseguir conter as lágrimas e guardei a carta imediatamente fui correndo para meu quarto chorar.


Na carta estava escrito o seguinte:

(S/m), mantenha (s/n) longe desse garoto bastardo que você chama de filho. Não quero ver nossa filha perto desse moleque. E se você quiser continuar vendo seu filho ou nossa filha é melhor afastar esse garoto dela, senão você já sabe o que pode acontecer e tenho certeza que não será bom para eles, nem para você. Esse será meu último aviso.

Ass: Roberto O. Quaresma.


Sim, esse era o nome de meu pai: Roberto Oliveira Quaresma.

Eu sabia que meu pai era um homem cruel, mas não sabia que chegaria a esse ponto. Ameaçar minha mãe de tirar dela os próprios filhos. É muita maldade.

Sou tirada de meus devaneios com alguém batendo na porta e em seguida abrindo a mesma.

Não queria falar com Jungkook agora, pois a culpa é dele de minha mãe ter sido ameaçada pelo meu pai.

Começo a me encolher, e assim ficando em posição de um feto.

__ Você está bem? – ele diz e sinto a cama se afundando atrás de min – O que ouve? Eu fiquei te esperando e você não apareceu, pensei que tivesse acontecido algo com você e ouvi choro vindo do seu quarto. Aconteceu alguma coisa? Você está bem?

Realmente estava ficando irritada com a voz de Jungkook, não aguentei e me sentei bruscamente na cama recebendo o olhar de assustado dele.

__ Por que você não se cala? – perguntei ríspido e ele ficou assustado – É tudo sua culpa, senão fosse por você, se você nunca tivesse nascido nada disso tivesse acontecido na minha vida – digo alterada.

Acho que eu realmente fui dura nas palavras, mas não conseguia me conter.

__ Tem razão – ele diz e vejo uma lágrima solitária caindo em sua face – Se não fosse por mim eu não sofreria, você não sofreria, ninguém sofreria – ele diz cabisbaixo.

__ Não tenta dar uma de coitado! – digo enojada – Eu te odeio! – do nada um tapa é feito na face dele por min – Eu te odeio, odeio... – começo a chorar e socar o peitoral dele, repetindo várias e várias vezes a palavra “odeio”.

Jungkook não reagiu, apenas aceito ser agredido por mim.

__ Te odeio – fui perdendo as forças e assim parando de bater nele – S-s-suma da minha vida... – digo fraco, aquelas palavras foram difíceis para que eu pronúncia-se, pois eu estava gostando do Kook e não queria velo longe de mim.

Aquelas palavras deixaram Jungkook bravo, o mesmo me empurrou na cama bruscamente me fazendo deitar e ele em seguida por cima de mim segurando meus pulsos por cima de minha cabeça um tanto forte. Seu rosto estava perto de mais conseguia sentir sua respiração pesada e seu olhar sério fixados aos meus.

__ Nunca! – exclamou ele – Você pode me pedir o que quiser, só nunca me peça para sumir da sua vida – ele diz sério – Nunca! – seus lábios se tocaram ao meu, mas não nos beijamos.

Por impulso fecho os olhos ao sentir aqueles lábios macios colados aos meus e comecei a beija-lo com carinho. O beijo não foi retribuído, mas ele também não se afastou.

Abri os olhos, ainda acariciando os lábios dele com os meus e vi os olhinhos de Kook fechados. Jungkook não conseguia mais resisti, retribuiu ao meu beijo pedindo passagem com a língua e eu acabo cedendo. Sua língua explorava cada canto de minha boca.

Jungkook vai descendo a mão pelo meu corpo parando em minha bunda, ainda coberta pela bermuda e assim apertando a mesma me fazendo arfar em meio ao beijo caloroso. Cada toque me deixava louca. Estava perdida de meus pensamentos. Aqueles dedos largos percorrendo por todo meu corpo e me apertando, estava com tanta vontade de querer-lo em mim.

Infelizmente eu acabo acordado pra vida e meus olhos ficam arregalados com o que estávamos fazendo. Nao podia fazer isso. Ele e meu irmão. Então, por impulso afasto Kook de mim e dou um empurrão no mesmo fazendo com que ele caia para fora de minha cama, caindo de bunda no chão.

Me levanto da cama e o olho por um breve momento.

__ Sai... – digo fraco.

__ Que? – ele pergunta com o cenho franzido.

__ SAI! – grito apontando para a porta do quarto, minha atitude fez Kook arregalar os olhos – SAI DAQUI! SAI DO MEU QUARTO!

Ele se levanta do chão devagar, não queria ficar mais nem um segundo perto de Jungkook, então pego e jogo um travesseiro nele.

__ Eu já to indo! - ele diz e finalmente sai do meu quarto.

Sozinha em meu quarto, começo a chorar. Já não aguentando mais ficar de pé, me ajoelho e começo a gritar e chorar. Me senti suja por ter feito aquilo. Era errado o que eu fiz, se eu não tivesse acordado pra vida na quele exato momento, aquilo iria adiante. Ele era meu irmão, não podíamos ter feito aquilo.

Finalmente consigo me acalmar e vou até o banheiro tomar um banho. Um banho sempre me acalma. Já, de banho tomado, visto um vestido preto e desso as escadas para ver se minha mãe havia chegado.

Ao chegar na sala vou andado devagar para com que não encontrando Jungkook no meio do caminho.

Jungkook mexeu comigo tão repentinamente, não sabia como esquece-lo, o desejo que estava sentindo por ele era tão forte que eu queria ter novamente aqueles lábios macios colados aos meus.

Me peguei acariciando meus lábios e me lembrando do beijo. Queria sentir aquele corpo novamente ao meu. Sentir o lábios dele novamente colados aos meus. 


 Para com isso garoto!


Não estava aguentando aquilo, não estava mas aguentando aquele desejo por Jungkook. Parecia que se eu não tivesse ele na quele exato momento eu poderia invadir o quarto dele a qual quer momento e estuprá-lo.

Sorri com meus pensamentos.


Sua doida… Foco! Você tem coisa mais importante pra resolver


Dei uma sacudida na cabeça para espantar esses pensamentos pervertidos.Fui em direção ao sofá e sentei no mesmo, esperando minha mãe chegar.


Eu tinha uma conversa muito séria para tratar com minha mãe. 







Notas Finais


Espero que tenham gostado
Até o próximo capítulo
Beijos da Fefe😘
J'C♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...