História 2 Months - (H.S) - Capítulo 161


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles
Tags Amor, Cameron Dallas, Cosmopolitan, Drama, Harry Styles, Liam, Louis, Niall, One Direction, Romance, Shawn Mendes, Zayn
Exibições 169
Palavras 1.817
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Surpresaaaaaaa
Boa leitura

Capítulo 161 - Prioridades



Pov Sarah

O mais difícil quando se está grávida, não é só seu corpo mudar ou você passar mal a todo tempo, mas você não se sentir preparada pra cuidar de alguém tão frágil, quanto um bebê. E era assim que eu estava me sentindo.

Você tem tanta prioridade, mal pensa em parar e pensa em tudo, menos em se tornar mãe.

Louis me deu todo o apoio quando soubemos, ele ficou bem feliz. Mais do que imaginei.

Minha mãe surtou, fato. Meu pai quis matar o Louis. Pois eles achavam que minha vida ia acabar ali, mas, com um bom regime e muita malhação, voltaria rapidinho.

Muita gente não acreditou quando eu contei na agência, minha gerente ficou com medo da dimensão das gravações e desfiles que teria que fazer e tudo o que eu deveria abrir mão por conta de uma criança.

Uma das meninas até chegou a cogitar a idéia de fazer um aborto, mas eu jamais faria isso. Louis nunca iria me perdoar e eu também não me perdoaria.

Pessoas me dizendo que pulei as prioridades e que agora uma criança só atrapalharia.

Gente em quem eu confiava bastante e que achava que estaria comigo pra tudo, dizendo coisas tão pra baixo, gente que virou para mim e disse que não ia mais dar certo a carreira, uma das colegas de agencia me desestimulou, disse que não era para eu sair da agência, porque nao iriam mais ter trabalho pra mim. E quando você ouve uma pessoa que você gosta dizendo isso é um choque, fiquei triste. Porque, na verdade, é um bebê e não uma doença. E ainda se fosse doença, quem são elas? Um bando de invejosas. Mas, graças a Deus, consegui superar isso.

Dizem que a gente leva um choque e meu choque real, foram com as pessoas. Mas assim que um dos diretores soube, sentou comigo e me disse pra não me preocupar, pois eu seria ideal para campanhas de grávida que eles tanto vão precisar logo mais.

Então bitches, quem está na pior agora?

Minha mãe, que se assustou quando descobriu a gravidez inesperada e que temeu que isso pudesse atrapalhar compromisso profissionais... Me entendeu que tudo daria certo é que eu tenho Louis agora.
- Que tal Jordan?

Louis fala e me tira de meus pensamentos. Ele está me fazendo escolher um nome para o bebê. Desde que o avisei sobre a ultra Hoje, ele não me deixa em paz.

- Não Louis, meu filho não vai se chamar Jordan - digo ao dobrar umas roupas.

- e que tal Mike?

- Amor, nem sabemos qual o sexo do bebê!

- Ah... pode ser Lilly... ou Polly

- Polly? - digo ao me virar para ele -  Polly? Louis, minha filha não vai se chamar Polly.

- É que eu pensei na possibilidade de ser pai de menino, então... - ele fala - podemos fazer assim, você escolhe se for menina e eu, se for menino.

- Certo!

Deus me ajude que seja menina.

- E que hora vai ser a consulta? - ele pergunta

- Amor... pela terceira vez, é as 14h.

- Ah sim... então... eu vou ali em baixo, já volto.

Ele sai do quarto, me fazendo suspirar. Graças a Deus, não aguentava mais ele falando nomes estranhos para o bebê. Ele está tão ansioso, que é capaz dele me deixar louca antes do nascimento.

- Amor, você está com fome?

Louis grita lá de baixo.

- Por enquanto Não! - respondo

- Podemos almoçar depois da consulta, o que acha?

- tudo bem Amor!

Penso em como está tudo tranquilo e o quanto eu estou feliz por essa etapa em minha vida.

- Amor!

- Oi amor - respondo ao ouvir os passos dele no corredor.

- Acabei de ler aqui, você não pode ficar tanto tempo sem comer, tem que nutrir o bebe - ele diz ao entrar no quarto com o notebook na mão- eu trouxe uma fruta pra você.

- Amor... Mas eu tomei café faz pouco tempo.

- Mas aqui tá dizendo que você não pode ficar muito tempo sem comer.

- Mas eu não estou...

- Toma, come essa maçã. - ele me entrega a fruta - eu vou fazer uma vitamina de banana pra você, mais você tem que comer de novo

- Louis...

- Amor, relaxa, to cuidando de você. - ele diz colocando a mão no meu rosto - nosso bebê precisa estar forte...

- E eu, gorda ne? - digo e ele ri.

- Para de graça! - ele diz - vou lá preparar a vitamina.

Louis beija minha testa e sai. Ele está engraçado e todo cuidadoso, estou feliz que esteja tudo bem entre a gente. Ele leva a sério isso de ser pai e ser cuidadoso, no meu caso, eu não estou tão preocupada... então fico feliz, pelo menos ele cuida  de mim.

...

Hoje é sexta, Uma semana se passou e estou a caminho do médico. Harry e Liz voltam hoje, assim. Que chegarem, terão uma surpresa, uma festa de noivado. Já que não fomos pra Londres ao jantar, decidimos fazer isso.

- Amor, você já pensou se forem dois? - Louis me fala

- Amor, não são dois - digo - fica calmo

- Você ri, mas... e se ele for eles?

- Vamos amar da mesma forma - digo sorrindo - bom que vou ter dois pra ajudar com as coisas, eles vão disputar pra ver quem agrada mais a mamãe.

- Você é doida - Louis fala.

Ultimamente, como mais que cinco pedreiros juntos. Me controlo e ainda não tive desejos estranhos. Mas se estou com vontade de comer algo, faço um drama pro Lou e ele acaba achando que são coisas do bebê.

Ele anda falando sobre gêmeos e sobre tanta coisa. Ele está empolgado, tirando o fato de não estar trabalhando. Mas, essa semana, ele foi ao centro de atividades aqui de Los Angeles. Estamos aguardando o telefonema deles pra saber se Louis pode começar a dar aula de futebol para as crianças.

Sim, Lou jogava bola em Londres e assim que soubemos através da Gemma que eles procuravam professor para dar aula para as crianças... ele correu para lá e agora estamos aguardando.

- Quero que a gente compre as coisinhas do bebê, assim que sairmos de lá- Louis disse.

- Louis,nem sabemos o que o bebê é-  sorri

- a gente compra branco se não der. Mas... eu
quero já começar a comprar, pra não deixar pra última hora.

Fico olhando pra ele. Louis está mais animado e ansioso que eu. Imaginava que seria assim. Eu mal tenho barriga, mas estou tranquila. Pelo menos por enquanto.

Ele faz tantos planos pro bebê, se for menina, tenho certeza que será muito ciumento. Ainda mais se for como os meninos dizem: pagando o que ele já fez com as meninas.

Chegando na clínica, a recepcionista nos faz aguardar. Será o primeiro dia que vamos ouvir o coração do bebê. Não sei se saberemos qual o sexo dele/dela, mas só de ouvir o coração, saber que algo em mim cresce todos os dias, me faz ter muita animação.

- Sarah, vamos lá? - a médica nos chama.

Seguimos para a pequena sala, ao qual iríamos saber como está meu pequeno fetinho. Agora, meu coração se acelera um pouco, estou um tanto ansiosa pra isso.

Estava de poucas semanas, então provavelmente,daria pra saber algo. Eu estava ansiosa na minha primeira ultrassonografia, Louis estava mais, posso não demonstrar muito, mas parecia muito surreal o que eu estava vivendo. Sao apenas tres meses, ainda nao fui ao medico fazer ultra, essa é a pdimsida vez... Cheguei achando aqui que a médica ia virar pra mim e falar: “Não tem nada aí não. São apenas gases” Juro, me preparei pra isso.

E agora, eu estava deitada, com a blusa levantada e com Louis segurando minha mão , fazendo milhares de perguntas á doutora.

Ela espalhou o gel e colocou o aparelho de ultrassonografia em minha barriga.

- Vamos ver o que achamos aqui - Ela diz.

- doutora, olha... Se forem dois, você pode me falar - Louis diz - porque ela não acredita nessa possibilidade e...

- Opa! - a médica fala e eu olho assustada para Louis.

-  Opa? Ai meu deus! - Falo assustada

Opa pode ser tanta coisa…

- Opa, o quê? Fala logo, não me esconde nada!- Louis fala nervoso.

Ela riu dele.

-Calma, opa porque já estou vendo várias coisas - ela diz rindo

- Várias? - Louis fala - são mais que dois?

- Meu Deus do céu, vou virar uma orca.

- Calma papais. São Coisas ótimas!

Já pensei em levantar da maca e dar um murro nela por esse susto. É tanta coisa que passa na nossa cabeça, uma confusão de sentimentos que deixam a gente atordoado, né?!.

- É apenas um, não se preocupem. - a doutora diz me acalmando.

Ela foi mostrando e explicando um monte de coisas sobre os ovários, as glândulas para gestação, o tal saco gestacional e... aí veio o silêncio.

Ela então, mexeu no monitor, virando para que eu e Louis pudéssemos ver. Um círculo preto que conforme ela ia mexendo o aparelho aparecia uma coisinha dentro branca...uma coisa minúscula!

- Nossa que borrão - Louis fala e eu sou risada.

E então ela diz a frase tão esperada por nós.

- Aí está o seu bebê!

- Esse é o meu bebê? - disse sorrindo

- Esse grãozinho miúdo boiando no meio do nada? - Louis fala tenta do enxergar no monitor, me fazendo rir.

- sim, e ele tem 5 centímetros  - ela fala - olhem só...

Ela fala e ficamos em silêncio.

Logo ficamos parados e um som invadiu à sala. Louis sorriu e apertou a minha mão.
Não consegui esboçar mais nenhuma reação ou pronunciar qualquer palavra, apenas sorri e fechei meus olhos.

Como um coração tão pequeno, pulsando e fazendo tanto barulho. Que coisa mais emocionante! O som do coração daquele ser, de um feto, ele que estava dentro da minha barriga... ssu coração era tão forte e alto que o mundo parou naquele momento por alguns instantes e ficamos ali preenchidos por ele.

O coração do meu bebê.

...

Fomos embora da clínica e a nossa sensação era completamente diferente de quando a gente entrou. Agora era concreto! Vimos o nosso filho ou filha.

Sim! Não conseguimos saber o que é ainda. Mas logo saberemos.

Lou trouxe a gravação da ultra e é uma foto do nosso bebê. A primeira foto do nosso fetinho.

Eu tinha compromissos profissionais marcados e não sabia como faria com eles. Mas quando você ouve o coraçãozinho do bebê batendo, acaba tudo, passa o susto na hora.

Fico ali olhando a foto e sorri, eu tenho uma nova prioridade agora, eu realmente virei mãe.

----


Notas Finais


Oi amores. Olha eu aqui de novo...
Ainda tão perdoando minha pessoa aqui?
Um capítulo da Sarah, pra vocês saberem sobre a gravidez dela...
Espero que tenham gostado

Volto logo.

Fiquem com Deus.
Amo vocês.
Marea


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...