História 20 dias: Recovery - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Anne Hathaway, Chaz Somers, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Chaz Somers, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette, Personagens Originais, Ryan Butler
Tags Amor, Anne, Drama, Justin Bieber, Personagens Originais, Romance
Exibições 182
Palavras 3.291
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá amores, bem vindos ao segundo dia da semana abençoada haha <3

Bem vinda Leitoras Novas, espero que gostem daqui tanto quanto eu <3

Obrigada a todas por acompanhar, favoritarem, comentarem. Eu vou responder os comentários assim que a semana acabar, porque estou passando o dia todo escrevendo, porque eu quero tentar postar cinco capítulos das fanfics nessa semana, não sei no momento se é possível, mas vamos tentar. T.T


Boa Leitura <3

Capítulo 17 - 20 Dias: Recovery - XVI


Fanfic / Fanfiction 20 dias: Recovery - Capítulo 17 - 20 Dias: Recovery - XVI

Os homens deviam ser o que parecem ou, pelo menos, não parecerem o que não são.

                                                      – William Shakespeare

-Onde podemos ir agora? –Jack perguntou agitado, assim que saiu de um dos vários brinquedos que fomos. Peguei o meu celular, percebendo que já eram 13h. O tempo passou rápido desde que chegamos no parque. –Pai? –Escutei Jack me chamar. Guardei o celular no bolso da minha calça, bagunçando o cabelo dele.

-Vamos comer. –Falei, escutando as crianças reclamarem. –Depois, vamos ver mais algumas partes do parque enquanto faz a digestão. –Falei, sorrindo para Anne que conversava com Alana animada. Era bom saber que a amizade das duas continuava a mesma apesar de tudo.

-Vocês vão nos acompanhar? –Perguntei para Alana, que olhou para o namorado, esperando a resposta dele. O mesmo assentiu com a cabeça, olhando para mim. Ainda continuava desconfiado dele, ainda mais depois de ter visto o olhar dele em Anne, em quase todos os brinquedos que andamos. –Vamos indo atrás da lanchonete. –Falei, enquanto me aproximava de Anne, pegando na mão dela.

-Não vem tirar a minha amiga de mim não. –Alana falou, puxando Anne para ela. Eu apenas ri, enquanto negava com a cabeça. Anne entrelaçou nossos dedos, olhando para mim com um sorriso. –Vocês continuam os mesmos. –Alana falou com um sorriso, enquanto nos olhava. –Tudo bem, fica com ela por enquanto, vou ficar com o meu amor. –Ela falou mostrando a língua para mim, indo em direção a Jason.

-Conversaram bastante? –Perguntei para Anne com um sorriso, enquanto olhava para ela. Tirei uma mexa que estava cobrindo o seu rosto, deixando ela corada. Senti puxarem a minha calça, me fazendo olhar para baixo. –Está com fome pequena? –Perguntei com um sorriso, enquanto ela estendia os braços para cima, pedindo colo.

-Colo. –Ela falou, me fazendo sorrir enquanto a pegava no colo com o braço livre. Ela passou os braços ao redor do meu pescoço, apoiando a cabeça no meu ombro. Olhei para Anne, que sorriu enquanto passava as mãos nas costas de Isa, acariciando ela.  

-Mamãe, vamos mais tarde naquele brinquedo. –Cathy perguntou do lado de Anne, apontando para o mesmo brinquedo que ela tinha apontado quando chegamos. Anne olhou para o mesmo, olhando em seguida para a expressão animada de Cathy.

-Podemos ver se você consegue entrar com o pé assim. –Anne falou para Cathy, me olhando com o canto dos olhos, como se tivesse tido alguma ideia. –Mas só vamos, se o papai for naquele com o Jack. –Anne apontou com uma expressão divertida a montanha russa que o Jack havia me pedido para ir mais cedo. –O que acha? –Ela perguntou, com uma expressão desafiadora.

-Aceito. –Falei, escutando Jack e Cathy comemorarem por conseguirem ir aos brinquedos que eles queriam. –Mas agora vamos comer, depois vemos sobre isso certinho. –Falei começando a andar seguindo umas plaquinhas que tinha por ali falando onde era a lanchonete.

(...)

             Peguei na mão de Anne entrelaçando nossos dedos enquanto ela conversava com Alana sobre algo que eu não prestava atenção. Olhei para as crianças, que estavam fazendo uma maquiagem especial com umas funcionárias do parque. Senti Anne apertar um pouco a minha mão, me fazendo sorrir. Era tão bom estarmos todos juntos.

-Mama. –Isa chamou Anne, enquanto puxava a saia dela. –Xiii. –Ela falou, com a mão no meio das pernas, segurando o xixi. Anne olhou para Alana com um sorriso pequeno, enquanto soltava a minha mão, pegando na mão de Isa para levar a pequena logo ao banheiro.

-Já voltamos. –Anne falou, enquanto Alana apenas assentiu com a cabeça olhando para as duas. As duas caminharam um pouco, até de repente as duas pararem no meio do caminho, darem a meia volta e voltar para onde estávamos. –Onde tem um banheiro mesmo? –Ela perguntou, me fazendo rir, junto Alana.

-Eu lembro ter visto um nessa direção. –Alana apontou na direção contrária da qual elas estavam indo. Anne agradeceu com a cabeça, indo na direção que Alana falou, segurando na mão de Isa. –Feliz, pai babão? –Escutei Alana perguntar, enquanto observávamos as duas até sumir de nossa vista.

-Feliz é pouco. –Falei, escutando Alana rir. –Sinto que ganhei uma segunda chance de fazer tudo certo. –Falei, olhando para ela. –Mas e você? Como está sendo com esse seu novo namorado? –Perguntei, vendo ela suspirar,olhando para baixo. Ela molhou os lábios, antes de me olhar com um sorriso triste.

-É estranho. –Ela admitiu dando de ombros. –Eu sempre quis namorar com Chaz, e agora estou com Jason. –Molhei os lábios, sem saber o que dizer. –Não reclamando de Jason, ele tem sido um príncipe encantado, mas o Chaz ainda é o meu primeiro e único amor, sabe. –Ela se aproximou da grade ao meu lado, se encostando a ela.

-Chaz ainda gosta de você. –Comentei, percebendo ela rir, olhando para baixo. –Eu sei que você não gostou dele ter vindo para cá, mas... Se você o ama, não poderia entender? Entender a escolha dele de voltar? –Perguntei, Alana suspirou, olhando dentro dos meus olhos. Era possível ver a tristeza estampada neles.

-Se ele me amasse como eu o amo, ele teria pensado mais sobre ir ou ficar. Teríamos discutido melhor tudo, porque se ele tem razões para vir para cá, eu tenho as minhas razões para ficar lá. –Alana falou, amargurada. Suspirei, vendo ela negar com a cabeça. –Eu sei que ele me ama, eu vi o brilho no olhar dele. –Ela admitiu, sorrindo um pouco.

-Ele ficou muito para baixo quando te viu com ele. –Comentei, apontando com o queixo o homem que falava com alguém no celular. –Eu achei que nunca veria Chaz ficar baixo daquele jeito. –Comentei tentando descontrair.

-Acredito, que se for para acontecer, vai acontecer. –Alana falou com um pequeno sorriso. –Por enquanto, eu vou ficar com Jason. Não que eu o ame ainda, mas pelo menos ele me aceita, sem me forçar. –Alana sorriu, me fazendo sorrir para ela. Ver ela e Chaz, me dá uma certeza, tem amores que são o amor da nossa vida, mas não para a nossa vida.

-Se você está feliz assim, eu fico feliz por você. –Falei olhando para Alana. Ela abriu um sorriso de orelha a orelha, me fazendo sorrir junto a ela. –Mas como vocês se conheceram? –Perguntei, olhando para Jason, enquanto ele ainda falava no telefone.

-No trabalho. –Alana falou sem rodeios. –Ele chegou a conhecer Anne também, quando ela ainda trabalhava lá. –Olhei para Alana no mesmo momento que ela falou isso. Jason conhece Anne? –Mas Anne nunca foi com a cara dele, para ser sincera, pelo menos pelo que eu consegui perceber. –Ela falou, enquanto colocou a mão no queixo, tentando lembrar de algo.

-Anne deve ter seus motivos, mas eu não me lembro de já ter escutado algo dela sobre ele. –Comentei, enquanto bagunçava o cabelo. Olhei para as crianças ,percebendo que Cathy já estava pronta, só esperando por Jack, que parecia terminar a pintura dele.

-Não acha que está na hora de cortar o seu cabelo? –Alana perguntou, enquanto eu mexia no mesmo, me fazendo olhar para ela. –Eu ainda me lembro quando você tinha aquele cabelo de chapinha. –Ela comentou, rindo alto, chamando atenção de algumas pessoas que passavam por ali.

-Sobre o que estão falando? –Escutei Anne perguntar, com Isa no colo. Abri os braços, fazendo menção de pegar a pequena no colo, mas ela negou com a cabeça com um sorriso. –Está tudo bem. Mas estou curiosa. –Ela falou, fazendo Alana rir, junto a mim.

-Estava falando para ele que ele deveria cortar o cabelo. Não acha Anns? –Alana perguntou, passando o braço ao redor dos ombros dela, tomando cuidado para não derrubar Isa. –Não sei se você sabe, mas teve uma época que ele parecia fazer chapinha no cabelo, ele ficava jogando o cabelo de lado assim. –Alana falou, tentando me imitar. Eu comecei a rir junto de Anne, assim que eu percebi o cabelo dela tudo bagunçado.  

-Ela fala assim, mas as garotas ficavam atrás de mim. –Falei vendo Alana rir ao meu lado. Anne me olhou um tanto surpresa. –Mas eu sempre só tive olhos para você. –Falei mandando um beijo para ela, enquanto Alana ria ao nosso lado.

-Mamãe olha, olha. –Cathy apareceu com o rosto pintado com uma maquiagem mexicana, do dia dos mortos. Jack apareceu do lado dela, mas não tinha nada no rosto dele, ele estava normal.

-Olha a minha. –Jack levantou o braço, mostrando um machucado. Anne arregalou os olhos surpresa, enquanto Alana se aproximou dele, largando Anne e olhando para o braço dele, parecendo ver se não era um machucado de verdade.

-Isso é muito real. –Alana falou surpresa, fazendo Jack rir. –Até me assustei, achando que tinha se machucado. Não faça isso comigo, menino. –Alana falou, puxando Jack para mais perto dela e bagunçando todo o cabelo dele, enquanto ele reclamava.  Eu somente ria, junto de Anne.

(...)

-Pronto para isso? –Perguntei para Jack, enquanto estávamos na fila da montanha russa, com algumas pessoas a nossa frente. –Se não estiver, é melhor se preparar, porque daqui a pouco é a nossa vez. –Falei, olhando para a montanha russa, onde os carrinhos já chegavam.  

-Pai, eu nasci pronto. –Jack falou, abrindo um sorriso para mim. Ele estava realmente animado para ir na montanha russa, ele estava inquieto. –Pai, posso te fazer uma pergunta? –Jack perguntou, ficando quieto no mesmo instante. Olhei para ele, percebendo a expressão séria que ele estava no rosto. Eu apenas assenti com a cabeça, esperando a pergunta dele. –A Tia Alana não gosta mais do Tio Chaz? Eu prefiro os dois juntos do que com ele. –Jack apontou disfarçadamente para onde os outros estavam.

-Quando se trata de amor é um assunto complicado. –Baguncei os cabelos dele, acenando para Anne, que acenava para nós com um sorriso. –Quem sabe quando você arranjar uma namorada você entenda. –Falei, percebendo as bochechas dele ficarem vermelhas. –Você já tem alguém que gosta? –Perguntei, enquanto ele me olhou com os olhos arregalados.

-Como você sabe? –Ele perguntou, me fazendo rir enquanto bagunçava o cabelo dele. –Para com isso pai. Que insistência vocês tem com o meu cabelo. –Ele falou com um bico, enquanto arrumava o cabelo dele.

-Sou o seu pai, por isso sei. –Falei sorrindo, enquanto ele apenas olhou para baixo, ainda arrumando o topete dela. –Ela sabe que você gosta dela? –Perguntei, mas ele apenas negou com a cabeça, sem olhar para mim. –Você deveria contar para ela. –Falei, mas Jack apenas negou com a cabeça.

-Ela já gosta de alguém, ela já me falou. –Ele falou um tanto tristonho me fazendo sorrir. Puxei ele para perto, abraçando ele. Suspirei, meus pequenos estão crescendo. –Eu não esperava que doesse tanto, papai. –Ele falou, me fazendo sorrir.

-O importante é você não desistir sem se confessar. –Falei, me separando dele. –Agora vamos, que chegou a nossa vez. –Falei começando a andar junto à fila. –Ou vai ficar para trás? –Perguntei, rindo ao ver ele já ao meu lado, animado de novo.

             Eu esperei Jack ser medido para ver se ele estava na altura certa, antes de irmos para os carrinhos do meio. Jack sorria animado, enquanto esperava ao funcionário passar verificando as barras de ferro de segurança. Quando estava tudo pronto, senti o carrinho começar a andar, me causando um frio na barriga gostoso.

             Senti o carrinho começar a subir a primeira subida, me deixando animado pelo que iria vir. Olhei para Jack, percebendo ele mordendo o lábio, com um sorriso, enquanto segurava forte na barra de ferro. Senti o tranco assim que chegamos ao topo, logo o carrinho começou a ir bem lentamente para a ponta. As coisas lá embaixo estavam um tanto pequenas, mas ainda era possível ver as pessoas ali assistindo.

             Jack levantou os braços, gritando, assim que o carrinho começou a descer. Imitei a atitude dele, sentindo o vento batendo contra o meu rosto. O frio na barriga era a melhor parte. Segurei na barra de ferro, assim que chegamos na primeira curva. Jack ria, feliz ao meu lado.

-Isso é muito divertido pai. –Jack falou para mim, enquanto o carrinho subia novamente. Ele estava agitado ao meu lado, com um sorriso de orelha a orelha. Jack parecia uma criança normal assim, não parecia à criança madura que ele é. –Olha o túnel! –Ele falou assim que chegamos ao topo, ele estava quase pulando no banco. Então o carrinho desceu lentamente como no caminho, entrando no túnel escuro. Levantei as mãos, gritando junto de todos.

(...)

-Gostou da montanha russa? –Perguntei, assim que saímos da montanha russa indo nos juntar com todos. Olhei para Jack, percebendo o sorriso de orelha a orelha, o cabelo um tanto bagunçado, e a animação dele. Era uma pergunta um tanto óbvia de se fazer.

-Quero ir e novo, de novo. –Ele falou alto, enquanto chegamos perto de todos, me fazendo rir. Ele se aproximou de Anne, abraçando a mesma de lado. –Mãe, você deveria ter ido com a gente. –Jack falou para Anne, que riu com o animo dela.

-Quem sabe se um dia voltarmos a um parque de diversões e todos pudermos ir. –Anne falou com um sorriso, tentando arrumar um pouco a bagunça que estava o cabelo de Jack com a mão que estava livre.

-O que aconteceu? –Perguntei, indicando com o queixo para a pequena no colo de Anne. Percebi a dificuldade dela, em carregar Isa, que já deveria estar pesada para ela ficar segurando. –Me dá ela aqui. –Pedi, estendendo os braços para pegar a pequena Isa. Anne com cuidado me passou ela, se alongando logo em seguida.

-Ela disse que estava com sono, então eu acho que ela dormiu. –Anne falou, acariciando as costas da pequena. Arrumei-a melhor no meu colo, sentindo a respiração dela batendo no meu pescoço. –Agora que você fez a sua parte, está na hora da minha né? –Anne perguntou, me fazendo rir enquanto assentia com a cabeça.

-Posso ir com ela, pai? Deixa? –Jack me perguntou com os olhos brilhando enquanto ele fazia um bico. Sorri, assentindo com a cabeça, enquanto me aproximava de Alana, que estava abraçada ao seu namorado.

-Vocês vão querer ir naquele brinquedo também? –Perguntei enquanto observava Anne ir com Cathy e Jack em direção ao brinquedo que Cathy queria tanto ir. Por ter machucado o pé, Cathy caminhava com um pouco de dificuldade. Ela tinha conseguido ir nos outros brinquedos, então espero que ela consiga ir nesse também.

-Parece divertido, vamos amor? Por favor? –Escutei Alana perguntar para Jason, com um bico, igual Jack, me fazendo rir. Jason olhou para o brinquedo, voltando a olhar para Alana em seguida com uma careta.

-Pode ir, eu te espero aqui. –Ele falou com um sorriso, Alana se aproximou dele dando um selinho rápido, antes de ir atrás das crianças e de Anne. –Vamos esperar por elas até elas saírem? –Jason me perguntou, indicando com a cabeça para seguirmos elas. Assenti com a cabeça, dando um sorriso pequeno.

             Parei ao lado de Jason, perto da saída do brinquedo, onde dava para ver eles no brinquedo perfeitamente. Olhei para Anne na fila, ela olhava tudo ao redor, como se estivesse procurando algo. Assim que ela me viu, ela sorriu acenando para mim, animada. As crianças olharam na mesma direção que ela, acenando junto a ela.

-É uma bela família a sua. –Escutei Jason comentar ao meu lado, chamando a minha atenção. Apenas dei um pequeno sorriso concordando com a cabeça. –Sorte a sua que ela perdeu a memória, não? –Ele perguntou, com um sorriso enquanto olhava para Anne. Eu o olhei, tentando entender o que ele queria dizer.

-O que você está tentando dizer com isso? –Perguntei, depois de perceber que ele não iria falar mais nada. Jason olhou para mim, arqueando as sobrancelhas, enquanto sorria de lado, como se ele estivesse debochando de algo.

-A sua traição. –Ele disse simples, dando de ombros enquanto cruzava os braços. –Ela se esqueceu de tudo, principalmente da traição, mas junto também se esqueceu de você, não? –Ele perguntou olhando para Anne, que estava entrando naquele exato momento, junto as crianças.

-Como você sabe disso? –Perguntei depois de alguns minutos em silêncio, estava tentando entender aonde ele queria chegar com aquela conversa. Escutei ele rir ao meu lado, como se tivesse escutado a melhor piada do mundo. Olhei para ele de relance, observando o brinquedo começar a subir, começando a girar devagar.

-Namorar a melhor amiga dela tem seus lados bons, ainda mais quando Alana é uma bocuda. –Jason falou, me fazendo arregalar os olhos, surpreso pelo que ele acabará de dizer da namorada. –Já que ela perdeu a memória, por que você não a deixa ter uma segunda chance? –Ele perguntou, pegando um cigarro para fumar no bolso. Olhei para Anne que ria animada no brinquedo. –Seria bom para ela ter um recomeço novo, com outra pessoa, alguém que a valorize melhor do que você valorizou. –Jason falou, soltando a fumaça pela boca.

-O que você sabe? –Perguntei irritado, tentando controlar a voz para não acordar Isa. –Você não sabe da minha história com ela. –Falei, olhando para Jason, que apenas sorriu com escárnio para mim.

-Um casal apaixonado, que no colegial engravidou por não usar proteção. Um filho, o qual atrasou os estudos dela, acabou com qualquer sonho e curtição que ela poderia querer em seguida um casamento com mais duas filhas, que até poderia ter dado certo se você não fosse atrás de um rabo de saia qualquer. –Jason falou, tragando o cigarro. –Em seguida a doença, que quase a matou. –Olhei para Anne, mordendo os lábios. –Acho que você já estragou demais a vida dela, deveria a deixar ir, existem vários caras por ai que fariam de tudo para vê-la sorrir. –Engoli em seco, enquanto Jason terminava com o cigarro. –É melhor deixar ela ir ser feliz, antes que ela sofra por saber que o marido que ela pensa que é um sonho, traiu ela com a amiga dela? Ou era a melhor amiga de infância dela? –Jason perguntou com um sorriso irônico nos lábios.

             Passei a minha mão livre pelo cabelo, respirando fundo. O que Jason disse de alguma forma parece à verdade, eu fiz Anne sofrer, e muito, mas todos merecem uma segunda chance, não? Olhei para ele, percebendo que ele me observava com um sorriso, como se estivesse satisfeito com o que ele tinha feito.

               Olhei novamente para Anne, sentindo o meu coração se apertar, só de pensar na possibilidade de fazer ela sofrer de novo. Mas pensar em viver novamente sem ela, era o pior. Como eu poderia viver sem a mulher da minha vida? Mas também, como eu podia continuar fazendo ela sofrer? Como eu podia continuar como se eu não tivesse feito nada para ela? Qual era a melhor opção? Será que Jason estava certo?

-Justin? Justin? –Escutei me chamarem, me fazendo voltar à realidade. Anne estava a minha frente, com uma mão no meu braço, me olhando preocupada. –Aconteceu algo? Você está bem? Está passando mal? –Ela perguntou olhando dentro dos meus olhos, me deixando mais perdido.

-Está tudo bem. Não foi nada. –Dei um sorriso tentando acalmar ela. Percebi Alana me olhando junto a Jason, que parecia se divertir me olhando. –Como foi o brinquedo? Querem ir em mais algum? –Perguntei, enquanto pegava na mão de Anne, me acalmando um pouco com o toque da sua pele. Escutei as crianças começarem a falar juntas o que queriam fazer, de modo que não desse para entender nada.

-Um de cada vez, se não eu não consigo entender, e não vai dar certo para decidirmos qual podemos ir. –Anne falou com uma expressão confusa, fazendo as crianças rirem. Então, um de cada vez falou qual brinquedo queria ir.


Notas Finais


Jason abalou as estruturas de Justin, e agora? :o

Bom amores, por hoje é só, espero que tenham gostado. Obrigada a todas por ainda estarem aqui, voces mudam o meu dia. Ainda mais com a pressão familiar, socorro T.T Estão preparadas? Se não me engano, tem mais nove capítulos contado com esse. Até me dá um aperto no coração falar isso </3

O que vocês acham que vai acontecer no próximo? Anne vai descobrir a traição de Justin? Justin vai contar a Anne? Qual o plano maléfico de Jason? Alana deveria acabar com Jason e voltar para Chaz? Tudo no próximo capítulo <3 haha ' Até quinta, amoores <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...