História 20 músicas (Cellyu) - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~kamaramella

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Felipe Z. "Felps", Flavia Sayuri, Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Alan Ferreira, Felps, Flavia Sayuri, Mike, Pac, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange
Tags Romance, Texting
Exibições 28
Palavras 985
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Yaoi
Avisos: Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello kamaramellos
Tá aí mais uma capítulo espero que gostem.
Essa é a alana (imagem)

Capítulo 4 - Professoras estragam nossas vidas


Fanfic / Fanfiction 20 músicas (Cellyu) - Capítulo 4 - Professoras estragam nossas vidas

POV's Jujuba (Júlia) Amora: SOU EU PORRA

-ALAN! LIXO DA PORRA! TEM TRABALHO PRA AMANHÃ, DERROTA!-T3ddy gritou, antes que Rosa (a veía chata que ensina Português) entrasse na sala.

-VAI SE FUDER, VIADO! LIXO É VOCÊ!!!-Lana gritou, indo pra cima dele. Agora imagina: uma pirralha de um metro e cinquenta e cinco tentando bater na cara de um gigante de um metro e oitenta. Ela começou a pular e eu a rir.

-PARA DE RIR, PORRA, E ME AJUDA, CARAI!-ela gritou pra mim e eu caí no chão. Não que ela tenha me batido, mas eu estava rindo tanto que perdi as forças e desabei em cima da Sasa.

-BUCETA, EM CIMA DE MIM NÃO!!-Sayu gritou. Eu me levantei e fiz o favor de empurrar o Rafael pra cima dela. SE NÃO AGILIZA, DEIXA QUE EU AJUDO! O melhor foi que eles ficaram cara a cara, de modo que, se eu empurrasse a cabeça dele, eles se beijariam. Olhei pra Lana (que, detalhe, estava de braços cruzados e com um biquinho) e ela me olhou. Apontei o casalzinho, que ainda não tinha se levantado, e um sorrisinho maliciosamente malicioso apareceu em seus lábios. Ela se aproximou e já estava para empurrar a cabeça dele, mas...

-Todo mundo sentado!-Rosa entrou na sala bem na hora que Lana iria empurra-lo. Rosa apontou para os dois (que ainda estavam no chão, cada um com a cara parecendo um pimentão)-Vocês se levantem. TODOS EM SEUS LUGARES!!-Alana fechou a cara e se sentou ao lado do Alan, que alisou sua cabeça carinhosamente, fazendo a expressão de raiva dela se dissipar devagarinho.

"SE SEGURA PRA NÃO GRITAR, A VEÍA TÁ NA SALA!"


Soltei o ar e me sentei atrás de Alana. Peguei minha apostila e escrevi um bilhete pra ela:

"Miga, tô vendo hein! Só não se comam, espera a hora da saída, please!"

Ela leu e passou pro Alan, fazendo ele virar pra mim e me dar um tapa na cabeça(que eu respondi com outro). Segundos depois, veio a resposta:

"Tá vendo o que, puta, tu já quase viu nois se comendo, tá reclamando de quê?"


Dei uma gargalhada e Rosa me repreendeu com o olhar.

"Veia chata da porra! Devia tá depilando esse bigode, não dando aula!"


~Quebra de tempo~

-CARALHO, AMÉM, PUTA QUE PARIU!!!!!-gritei, quebrando o silêncio de cemitério que estava naquela sala. Rosa ("SAI LOGO DESGRAÇA") me olhou com raiva, e eu fui até ela.

-Rosa amor da minha vida!!!-falei, mais falsa que bolsa de couro em camelô.

-FALLLLLSAAAAA!!-a galera lá atrás gritou. Olhei de um jeito que eles entendessem o que eu queria dizer. "VÃO SE FODER".

-Tá bom, dona Júlia Silveira. Bom dia pra vocês!-Rosa acenou pra gente e saiu.

-VÃO SE FUDER, VEI! EU TAVA ENROLANDO A VEÍA, CARAI!-reclamei. Alana e Alan saíram correndo antes que eu pudesse piscar.

-Esses dois têm uma vida sexual mais ativa que a minha...-T3ddy reclamou, olhando pro Luba.

-Nem vem! Meu cu ainda tá doendo de ontem, derrota!-Luba disse.

-Quem diz derrota sou eu!-falei.-E eu não precisava saber que você deu o cu ontem. Mentira, precisava sim. Como é que foi?-apoiei meus cotovelos na banca, esperando ele me contar. Quando ele abriu a boca, Rafael puxou meu braço.

-Preciso falar com você.-ele disse.

-Agora? Não pode ser depois?

-Não.-ele disse, firme.-Tem que ser agora.

ATENÇÃO: SE VOCÊ É SANTINHO (suponho que não seja) PULE ESSE CAPÍTULO! NÃO TERÁ PROBLEMA (mas eu tenho certeza que vocês vão ler).



POV's Alana

Beijei Alan de forma desesperada, como se não o visse faz tempo. Podemos ser considerados tão rápidos quanto o Flash, porque já estávamos na casa do Alan.

Suas mãos percorriam as laterais do meu corpo, enquanto as minhas estavam preocupadas com seus cabelos. Paramos de nos beijar, e ele se concentrou em meu pescoço. Sua mão levantou minha blusa, retirando-a, fiz o mesmo com a dele. Suas mãos percorreram meu tronco nu, enquanto eu me concentrava em marcar seu pescoço. Então ele desceu as mãos para a minha calça, desabotuando-a. Minha calça foi jogada, igual a sua. Ele tirou meu sutiã, e se concentrou em massagia-los. Arfei em seu ouvido, e já podia sentir seu "amiguinho" ficando animado. Minha calcinha foi jogada no limbo que estava seu quarto junto com sua cueca.


-Alan...-falei, com a pouca sanidade que me restava,-Vamos logo. Deixa a camisinha pra lá. Nem estou no período fértil.

Eu estava no período fértil, mas, naquela altura, não sabia mais o que estava acontecendo nem em que período eu estava.

Senti seu membro roçar na minha intimidade e me penetrar. Gritei de prazer e de dor, extasiada com o prazer intenso que seu toque me proporcionava. Ele ia e vinha, cada vez mais rápido. Senti seu líquido me invadir e soltei um gemido abafado. Ele, então, deitou ao meu lado, trazendo-me para seu peito.

Então, em uma fração de segundo, lembrei do meu calendário menstrual que eu tinha no meu celular.(O app se chama clue, garotas, baixem ) Período fértil a partir do dia 12/02/2016. Hoje. Merda. Fodeu.

-Amor...-virei meu rosto para ele.-Eu te amo. Passaria por todas as dificuldades para ficar com você.-"Até um filho?", tive vontade de perguntar, mas apenas fiquei calada e beijei seu peito nu.

-Lana, o que você acha de um filho?-ele perguntou. "Droga. O que eu respondo agora?"

-Perfeito.-respondi. Então ele me olha. Meus olhos nos seus. Ele parecia ler meus pensamentos.

-Lana... Você tá me escondendo algo?

-Sim....-sentei, sentindo dor.-Eu... Eu estou no período fértil.-seus olhos brilharam e ele sorriu.

-Ou seja... Eu tenho grande probabilidade de ser... Pai?-sorriu e me abraçou com força. Minha cabeça tava tão cheia de coisa que eu comecei a chorar, fazendo Alan me abraçar com mais força, me trazendo uma paz maravilhosa.

-Mas...-me soltei dele, pois seu tom de voz me assustou.-Vamos ter que casar...-ele sorriu e eu sorri junto.

-Pensaremos sobre isso.-falei e deitei de lado. Ele me abraçou e dormimos de conchinha.

Notas Finais


Que fofos kamaramellos
Espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...