História 24 de Janeiro - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Sehun, Xiumin
Tags 24 De Janeiro, Baekyeol, Chanbaek, Chenmin, Hunhan, Kaisoo, Luhan, Poxie, Sehan, Sehun, Selu, Xiuchen
Exibições 269
Palavras 1.460
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa Leitura!

Capítulo 4 - 30 de Maio.


Fanfic / Fanfiction 24 de Janeiro - Capítulo 4 - 30 de Maio.

30 de maio.

Tudo estava indo bem até aquele dia.

Os dois meninos continuavam bem amigos, como sempre foram. LuHan e Sehun não fingiam que nada havia acontecido muito pelo contrário, continuavam se beijando em lugares aleatórios, as vezes até... Inapropriados, como no dia que o mais novo levou Lu a sala do diretor.

Inclusive, para os amigos dos dois meninos eles se tratavam como namorados, mas para eles era apenas uma amizade colorida.

Por mais que eles se gostassem, só não admitissem isso.

(...)

LuHan ia ao seu armário conversando com MinSeok – Xiumin ou Baozi, como Lu havia apelidado carinhosamente o menino. Ele era da aula de mandarim e falava fluentemente, o que fez com que  Lu se sentisse muito mais confortável com o menino que, inclusive, era mais velho – mesmo que por apenas alguns dias.

Xiumin, Baek e Soo eram os únicos que o garoto havia realmente contado o que estava acontecendo entre ele e Sehun – não que o menino não confiasse em Chanyeol, Kai ou Chen, mas os três sempre foram muito mais amigos de Sehun.

Chegando a seu armário, abriu o objeto vendo um pequeno envelope vermelho cair sobre seus pés. MinSeok que era do time de futebol do colégio e sempre foi mais habilidoso que LuHan em qualquer coisa que envolvesse exercício, pegou rapidamente o papel e saiu correndo para longe do menino resultando em:

Xiumin tentando ler o papel enquanto corria e um menino sedentário tentando alcança-lo.

BaekHyun e KyungSoo apareceram do nada apenas para fechar o armário do menino correndo atrás dos amigos em seguida, logo ultrapassando LuHan e ajudando o menino a correr.

Xiumin com pena dos amigos parou antes mesmo de conseguir abrir o envelope. Todos estavam no meio do pátio e MinSeok – ainda sem nem um pingo de cansaço  –  sentou-se com uma expressão irônica enquanto esperava os três garotos.

Assim que fora alcançado, Baozi, Soo e Baek riram de como Lu estava cansado, enquanto o menino se apoiava nos próprios joelhos respirando pesado.

“Me dá essa bosta logo, eu quase morri por causa disso.” – LuHan disse assim eu recuperou o fôlego.

“Aish Lu... Nem foi tão ruim assim.” – Baek disse –

“É, pelo menos você finalmente fez algum exercício!” – Soo falou em seguida.

“Antes tarde do que nunca, certo?” – MinSeok falou em tom bricalhão, e olhou para BaekHyun que entrou na brincadeira assentindo com a cabeça –  “Toma o bilhete que seu senpai te deu.”

Oh Sehun me deu um bilhete?

“Sehun?” – LuHan perguntou totalmente surpreso.

“Não, foi o ChanYeol.” – disseram em sincronia.

“Óbvio que é Sehun.” – BaekHyun falou.

“Até porque ChanYeol é o senpai do Baekkie.” – Soo disse levando um leve tapa em seguida. – "AISH BAEK."

Continuaram perturbando Lu, até que JongIn chegou para levar Kyung para sair. Os dois estavam em um relacionamento há um tempo, e todos os amigos ouviam as histórias e notavam o quão apaixonado KyungSoo estava pelo menino, e agradeciam pelo sentimento ser recíproco.

“Lu.” – Baozi falou assim que Soo saiu de mãos dadas com o garoto – “Pega logo o papel, daqui a pouco eu tenho um encontro com o Chen.”

LuHan revirou os olhos e pegou o papel da mão de Xiumin. Abriu o envelope recebendo várias vezes a frase “lê em voz alta”. Assim como foi pedido, o menino leu em voz alta.

Lu Han,

Gostaria de conversar sobre tudo o que está acontecendo entre nós há um mês... E de te perguntar algumas coisas. Encontre-me no parque agora mesmo!

Oh Sehun.

O menino nem esperou os menino dizerem nada, apenas correu desajeitadamente em direção ao parque ajeitando sua mochila nas costas.

Queria ver Sehun.

Ia ver Sehun.

Era isso que importava no momento.

(...)

Assim que chegou ao parque – que no momento estava cheio de crianças,  procurou pelo mais alto, que não deveria ser tão difícil assim de achar.

Convenhamos, um menino de 1,81 de altura com os cabelos coloridos não devia ser tão impossível assim de se ver.

Andou pelo parque observando todas as flores que haviam ali, e notou que tudo fazia ele lembrar de algum momento seu com Sehun, ou do próprio menino, principalmente as cores. 

Talvez eu realmente goste dele.

Algumas crianças o cumprimentavam e Lu apenas sorria, tentando cumprimenta-las de maneira educada enquanto não falava, para que não recebesse várias perguntas sobre seu sotaque. Após um tempo, LuHan encontrou Sehun, mas da pior maneira possível.

 O menino estava beijando uma garota.

Assim que viu que eles se separaram e Sehun veio correndo falar com ele, Lu correu o mais rápido possível para sua casa, queria se encolher e chorar no seu quarto. Queria gritar ao mundo o quanto ele foi o maior trouxa do universo ao se apaixonar pelo menino.

LuHan agradecia aos céus por hoje ser segunda e ninguém estar em casa.

Destrancou a porta e trancou o mais rápido que conseguia, porque Sehun vinha correndo logo atrás de si. Tacou sua mochila em qualquer canto da casa e nem conseguiu sair de frente da porta, apenas deslizou por ela até o chão, abraçando suas próprias pernas segurando ainda mais o choro, mas não aguentou mais e simplesmente desabou.

Ele chorou como nunca havia chorado antes, a ponto de soluçar. Ouviu um baque na porta e tentou parar de chorar achando que eram seus pais, mas para a sua infelicidade não era.

Era Sehun.

“LUHAN, ABRE A PORTA.”

“V-Vai embora.” – Além e chorosa, a voz do menino estava fraca.

“VOCÊ TÁ CHORANDO?” – Bateu ainda mais na porta, como se de alguma maneira pudesse abri-la  –  “LUHAN, ABRE A PORTA POR FAVOR.”

“VAI EMBORA SEHUN. EU NÃO TE QUERO AQUI, SAI.”

E mais nenhum barulho foi ouvido.  

O que LuHan não sabia, é que essas palavras também fizeram Sehun chorar e deslizar na porta, só que do outro lado.

O menor se aliviou ao achar que o menino tinha ido embora, mas passou a ouvir soluços baixos e contidos vindos de trás da porta. Achou que era apenas coisa de sua cabeça, até o mais novo voltar a falar.

“Me perdoa, Lu.” – o menino disse fungando –  

“S-Sehunnie? Vo-você tá ch-chorando?”

“Não se preocupa... Eu já vo-“ – antes que Sehun pudesse completar a frase a porta foi aberta e o menino caiu dentro da casa do mais velho.

Sehun olhou para LuHan quase que automaticamente, notando que os olhos do menino estavam inchados e vermelhos e ainda continham lágrimas neles. O mais novo em um pulo, levantou-se e abraçou o menor.

 Queria explicar para ele o que havia acontecido e Lu queria corresponder ao abraço dado pelo amigo, mas começou a chorar novamente assim que sentiu o cheiro da menina no maior.

E como ele sabia que o cheiro era da menina?

Simples, conhecia e era completamente apaixonado pelo cheiro de Sehun.

E definitivamente, não era esse.

“Para de chorar... Por favor.” – afagou os cabelos do mais velho enquanto ele tentava se afastar do garoto – “E para de tentar sair do meu abraço.”

“Vai embora.” – fungou finalmente saindo do abraço do menino –  “Eu só quero que você vá embora. Por favor.”

“Por quê?”

“Porque você tá com o cheiro daquela menina.” – LuHan sussurrou para si mesmo, mas Sehun ouviu. O mais novo suspirou pesado.

Não havia beijado a menina, muito pelo contrário, ele queria afasta-la.

Queria LuHan, e não ela.

“Lu... Eu não beijei a menina.”

“Claro que não, eu que estava sob o efeito de drogas, faz muito mais sentido.” – Sehun tentou segurar o riso pelo comentário do mais velho, mas foi em vão e LuHan o olhou com raiva.

Após um tempo rindo contido, o menino passou um tempo analisando o menor que olhava para baixo com um olhar triste. Queria ter alguma maneira de explicar que tudo aquilo não passava de um grande mal-entendido, mas não tinha como explicar pois o garoto não daria a oportunidade.

Mas sabia exatamente o que tinha que fazer para convencer o menor, e colocou seu plano em ação.

Colocou a mão na cintura do mais velho, que estremeceu com o toque repentino. Mas dessa vez, não queria contato do Sehun, só queria deitar na sua cama e chorar até não dar mais. Queria que o menino fosse embora de uma vez, mas ao mesmo tempo queria acreditar que o maior realmente não tinha beijado a menina e que era tudo apenas um engano.

Mas sua cabeça apenas repetia a cena.

Milhares e milhares de vezes.

“Me solta. E sai daqui. AGORA.” – falou apontando para a porta.  

Sehun se assustou com o grito que foi dado pelo seu “amigo” e saiu da casa completamente triste. LuHan correu ao seu quarto e chorou, chorou até não ter mais o que chorar, chorou até de noite. Não havia comido nada, mas não queria comer, não queria fazer nada.

Queria apenas dormir até dizer chega.


Notas Finais


FOI ISSOOOOOOOOOOO
Até domingo que vem
TCHAU

TT: https://twitter.com/Poxie_

---Outras fics minhas---

A KaiSoo: https://spiritfanfics.com/historia/apenas-um-tolo-6271690

A TaeKook: https://spiritfanfics.com/historia/just-friends-5479780


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...