História 3 por 3 - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Delfina, Gaston, Jazmin, Jim, Luna Valente, Matteo, Nico, Nina, Pedro, Ramiro, Simón, Yam
Tags Karol Sevilla, Lumón, Lutteo, Micharol, Ruggarol, Sou Luna
Visualizações 93
Palavras 1.562
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


HEY GENTE! COMO ESTÃO?
MAIS UM CAP PRA VCS
BEIJOS


P.S: QUEM QUISER MATAR A LUNA, A VONTADE!

Capítulo 26 - Dois Pedidos Aceitos


Fanfic / Fanfiction 3 por 3 - Capítulo 26 - Dois Pedidos Aceitos

P.O.V ITZITERY SEVILLA

Todo mundo olhou pra mim. Só pode ser palhaçada.

–Como assim eu? –perguntei.

–Isso mesmo queridinha, geral votou em você! Parabéns! Amanhã, que é Sábado, venha antes da nove aqui pra escola para ensaiarmos a peça! –sorriu. Não podia ser verdade, como assim a sala inteira tinha votado em mim? Os burburinhos começaram, e até a professora falava com a ruiva sobre que roupa vestir, enquanto Valentina se desculpava com algumas meninas por elas não terem sido as selecionadas. Michael sorria fofo pra mim como sempre fazia mas naquela hora não pensava em retribuir e sim em milhares de respostas pras perguntas que se formavam em minha mente.

[...]

O sinal tocou anunciando o final da aula e eu fui uma das últimas a sair por conta de algumas garotas que vinham me fazer perguntas do tipo: Como é ser a Branca de Neve desse ano?, ou, A maçã envenenada vai ser de verdade?. Argh, não mereço essas coisas. Estava perto da saída quando vi Michael vindo na mesma direção, eu iria falar com ele se Luna não tivesse o parado antes, não sou esse tipo de pessoa, mas quando se trata dela, aguça minha curiosidade pra saber o que está tramando. Me escondi num canto perto dos armários e me arrumei de uma forma que eu conseguisse tanto ver quanto ouvir.

–Então, Mike, eu queria te perguntar uma coisa...–abaixou a cabeça. Ele como sempre fora tímido, coçou a nuca e assentiu positivamente.

–Pode falar Luninha. –sorriu. Desde quando eles tem essa intimidade com apelidos?

–Eu...queria...

–Pode falar, sem medo. –alargou o sorriso.

–Sei que, é só mês que vem, mas, vim te...na verdade, te perguntar, se você quer ir ao baile comigo? –perguntou. Nesse momento, não sei o que me deu. Chutei a lata de lixo a minha frente e a derrubei acidentalmente. Os dois imediatamente olharam pra mim. Ela com certo ódio no olhar –Itzitery...!

–Eu.

–Tudo bem Itz? –ele vinha na minha direção e quando ia me tocar, coloquei o dedo indicador em seu peito o impedindo.

–Não toca em mim. Eu estou bem. –levantei a lata e ia sair quando o mesmo me segurou –O que você quer?

–Eu que te pergunto: O que foi?

–Nada. Apenas me solte. –respondi ríspida e ele me soltou. Dei as costas e sai.

P.O.V MICHAEL RONDA

Eu tinha ficado muito feliz pela Itzitery ter sido a escolhida, isso mostra que as pessoas estão a vendo de outro jeito. Gostando dela.

Quando a aula acabou, vi a mesma saindo e apressei o passo para alcança-la, mas antes que isso acontecesse, Luna me alcançou me puxando pelo ombro.

–Hey, posso falar com você? –sorriu.

–Claro. –olhei pra ela e para a saída que já não tinha ninguém, deduzi que Itz tivesse ido embora.

–Então, Mike, eu queria te perguntar uma coisa...–abaixou a cabeça. Fiquei meio tímido e confuso, portanto cocei minha nuca assentindo positivamente.

–Pode falar Luninha. –sorri.

–Eu...queria...

–Pode falar, sem medo. –alargo o sorriso.

–Sei que, é só mês que vem, mas, vim te...na verdade, te perguntar, se você quer ir ao baile comigo? –perguntou. Nesse momento, ouvimos um barulho muito chato vindo do lado dos armários. A. lata de lixo tinha sido derrubada pela Itzitery acidentalmente. Pelo menos era o que parecia. Eu e Luna olhamos pra ela por conta do susto –Itzitery...!

–Eu.

–Tudo bem Itz? –fui em sua direção e quando ia lhe tocar, ela me impediu com o dedo indicador em meu peito.

–Não toca em mim. Eu estou bem. –levantou a lata e ia saindo, mas a segurei –O que você quer?

–Eu que te pergunto: O que foi?

–Nada. Apenas me solte. –respondeu ríspida e a soltei. Deu as costas e saiu. Fiquei bastante chateado. Por que me tratou assim? O que eu fiz?

–Me desculpa, o que, você queria mesmo? –perguntei meio sem graça.

–Te convidar pro baile. –respondeu desanimada.

–Ah claro –olhei pra saída, mas ninguém voltou –Sabe, aceito Luna, vou ao baile com você. –dei meio sorriso e ela me abraçou muito forte e também, me roubou um selinho.

–Obrigado Mike. Eu te adoro! –beijou meus lábios de novo e saiu saltitante.

P.O.V RUGGERO PASQUARELLI

Talvez eu tenha sido um babaca.

Talvez não.

Eu fui.

Após o colégio, passei numa floricultura e comprei flores para a Karol. Se ela jogar na minha cara não será nenhuma surpresa. Corri na frente de todo mundo para que pudéssemos ter, pelo menos, cinco minutos a sós. Cheguei na porta de sua casa e antes de bater tirei minha essência da mochila e passei. Quem sabe eu cheirosinho não ajuda um pouco? Sem mais delongas bati. Não demorou para que me atendesse.

–Oi, me desculpa Karol, será que podemos conversar? E aliás, te trouxe essas flores. –entendi o braço.

Ela olhou pras flores e abriu um sorriso enorme, as pegou e cheirou. Percebi seu agrado. Antes que eu dissesse algo mais, ela fechou a porta na minha cara. Levantei a cabeça, olhando pro andar de cima.

–Karol? Qual é? Eu não mereço nadinha? –gritei. Num instante ela apareceu na janela.

–Sim Ruggero, eu trouxe o que você merece.

–Então me dá amor! –pedi.

–Claro! –ela sorriu e se abaixou. Esperei um pouco e assim que levantei a cabeça de novo meus olhos foram golpeados por água muito gelada, ou seja, ela me jogou um balde de água fria. Fiquei encharcado –Isso que você merece por ser UM COMPLETO IMBECIL! E obrigado pelas flores...–deu as costas.

P.O.V LUNA SEVILLA

Uhu! Michael vai ao baile comigo!! Quem é a garota mais feliz desse mundo? Euzinha! Nunca me senti tão feliz. No caminho, encontrei Lucas andando devagar por aí, costume dele.

–Lukinhas! Novidade! –o assustei.

–Que susto Luna! –sorriu –Mas diz aí, por que tanta felicidade?

–Adivinha, adivinha!

–Hum...achou o príncipe encantado?! –deduziu brincando.

–Na verdade, sim! Michael aceitou ir ao baile comigo!

–Sério? –fez uma cara de impressionado.

–Sim. Nossa Lukinhas, eu estou muito feliz! –pulei e o abracei.

–Que bom hein. Tenho certeza que você vai estar linda nesse dia.

–Por ele! –afirmei e abracei mais forte meu amigo.

Pena que depois seguimos caminhos diferentes, cheguei em casa e vi Ruggero sentado em frente á porta, todo molhado. Segurei o riso pois sabia que tinha sido obra da Karol.

–Rugge? Tudo bem? O que aconteceu?

–Ta meio na cara né? Sua irmã...–nós dois rimos.

Itzitery chegou.

–Nem quero saber o que aconteceu aqui. –abriu a porta onde ele estava encostado o fazendo cair.

–Quer entrar? Se secar, ou...?

–NÃO QUERO ESSE FILHO DA MÃE AQUI! –Karol gritou.

–Ela me odeia? –perguntou cabisbaixo.

–Qual é Ruggero? Claro que não, ela te ama. Fica mais um pouco aí pra você ver se ela não te socorre. Bye. –sorri e entrei.

P.O.V RYAN DANIEL

O plano foi um verdadeiro sucesso. Agora só precisava esperar o baile chegar e BAM! Adeus Itziteuris!

–Minha musa, como vou fazer pra acabar com a demonia?

–Simples Ryan. –Valentina sorriu maquiavélica –No dia do baile, você vai levar uma maçã envenenada e dar...

–Gente, babado novo! –Katja entrou correndo –Eu não entraria se não fosse urgente, Valu é um ótimo ponto pro seu plano!

–Então, desembucha!

–O Michael não vai ao baile com a Itzitery e sim com a Luna! Ela acabou de postar no Instagram Histories, dizendo que vai ao baile com um príncipe e tem a hastag no canto, #Mike.

–Perfeito! Então nesse baile, querido Ryan, serão duas maçãs! E uma delas...–alargou o sorriso malvado –Não será de brincadeira!

–Perfeito, minha musa!

P.O.V KAROL SEVILLA

O Ruggero foi sim um babaca!

E não é por que vou socorre-lo que ainda gosto dele. Na verdade, a quem eu quero enganar? Fiquei olhando ele pela janela e só corri pra abrir a porta quando ele se levantou pra ir embora.

–Ruggero!

Ele se virou. E ainda está encharcado.

–Vem. Vou te dar uma toalha. –falei mantendo seriedade e o vi abrir um sorrisão –Saiba que isso não significa nada.

–Beleza.

Entramos e o levei pro andar de cima lhe entregando uma toalha.

–Obrigado, não sei o que teria feito se você não tivesse me socorrido.

–Ok –peguei a toalha –Você conhece a saída.

–Espera Karol. Me desculpa ok? Eu sei que fui um crápula com você, um idiota, um babaca, um sem noção, mas foi por que eu fiquei com medo. Não pra te magoar. Eu juro. E se vamos ter um filho, quero criar junto com você.

–Não gostei nem um pouco da sua atitude. Quem liga pro que o Ryan pensa e fala de mim. Eu não dei pra ele? Agora quem se importa. –dei de ombros.

–Para, não, você não deu pra ele, nossa primeira vez foi juntos, num momento a dois, esse idiota não tem nada ver! Me escuta...–pegou minha mão –Sério, perdão, não aguento mais ficar um minuto sem você!

–Hum.

–Por favor! Eu te amo!

–SERÁ QUE TEM COMO PARAR DE MELAÇÃO AÍ FORA? ACEITA LOGO! –Itzitery gritou do quarto interrompendo a cena.

–Ta bom Ruggero. Te perdôo.

–Mesmo? Que bom! –se aproximou para me beijar mas o impedi.

–Agora tchau. –dei as costas e entrei no meu quarto. Ouvi seus passos e vi a sombra dos seus pés parados em frente á porta.

–Não faz assim! –pediu –Só um!

Abri a porta e sem demorar o puxei pra dentro.

Faltam 4 capítulos...


Notas Finais


HEY GOSTARAM?
ESPERO QUE SIM
OBRIGADO POR LEREM #RUGGAROL #LUCHAEL??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...