História 33 - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Erik Durm, Maite Perroni
Personagens Erik Durm, Maite Perroni
Tags Erik, Maite, Romance
Exibições 82
Palavras 1.306
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Mas eu amo ser o seu cachorrinho.


Fanfic / Fanfiction 33 - Capítulo 1 - Mas eu amo ser o seu cachorrinho.

Eu não devia estar refazendo esse caminho.

Eu não devia pensar nela quase 24h por dia. 

Eu não devia gostar das coisas que ela faz comigo.

Eu não devia amar a maneira como ela me trata. Mas é impossível.

Seu corpo, sua voz, sua pele. Tudo nela era exatamente perfeito e tudo o que eu queria. Não consigo explicar o feitiço que ela jogou em mim ou qualquer coisa do gênero, só sei que estou totalmente viciado nela. E agora estou aqui fazendo o caminho do nosso lugar secreto. 

Pela minha profissão e pela dela era mais seguro que nos encontremos o mais afastado possível do centro urbano. E também, precisamos combinar que em segredo e proibido é bem mais gostoso. 

Com certeza iria chegar bem cansado no treino amanhã. E bem cansado, porque com aquela mulher... Meu Deus. Penso enquanto vejo uma foto sua que sempre carrego comigo. Bem clichê. 

Uma linda morena mexicana extremamente sensual com uma carreira consolidada na maior editora da Alemanha. Um pequeno detalhe de ser nove anos mais velha que eu, e, sinceramente, isso que deixava tudo mais intenso e inteiramente viciante.

- Essa mulher ainda vai te ferrar um dia, Erik. E foder é algo que ela sabe fazer bem e muito bem. - Digo alto para mim mesmo.

Assim que chego ao nosso lugar coloco meu óculos escuro e uma toca, só para a garantia de que ninguém vai me ver aqui. Entro no prédio sem precisar ser anunciado pela portaria já que gastei uma nota alta para o querido porteiro, mas quem se importante quando se tem uma sensual e maravilhosa mulher lhe esperando?

Dou duas batidas na porta e quando é aberta dou de cara com a mexicana com uma linda lingerie amarela e um copo de, que eu acho que seja, uísque. - Que saudade de ti, lindinho. - Ela diz.

- Eu estava quase morrendo.

- Sempre exagerado. Entre. - A latina dá espaço para que eu adentre o local.

Logo que entro dou de cara com vários livros espalhados pela a luxuosa sala. Ela ama muito isso. 

- O que esta fazendo?- Pergunto.

- Estava separando uns poemas. 

- Só de lingerie?

Ela solta uma pequena risada. - Nada melhor do que ler poemas apenas de calcinha e sutiã, principalmente quando se pensa em um lindinho alemão de olhos verdes. Inclusive, tenho um para ler para você. 

Sentamos no chão da sala e ela começa a recitar um poema da qual não entendo nada, mas nela tudo soava com perfeição.

- Amo-te tanto, meu amor... não cante

O humano coração com mais verdade. - Ela começa a traçar uma trilha de beijo em meu pescoço. -

Amo-te como amigo e como amante. - Sussurra essa parte em meu ouvido. Eu não estava entendo nada do que estava falando, mas estava conseguindo me provocar.

Tento beijá-la, porém se esquiva de mim.

- Já disse que aqui quem manda sou eu, lindinho. - Diz se levanto e indo em direção ao quarto. - E eu não gosto de menino desobediente. - Faz um sinal para eu acompanha-la

- O que você vai fazer? - A morena riu. 

- Te foder, Erik! — Tremi com aquilo. Como ela iria-me foder? - Tenho regras, pequeno Erik. Não pode me tocar, não pode se tocar e nem gozar quando eu não ordenar. 

- Sim senhora! — Não era a primeira vez que isso iria acontecer. Mas, me sinto nervoso como nunca.

Ela me amarrou na cadeira com algemas. Eu não sabia o que estava por vir, mas me sentia nervoso demais. 

- Quero que preste atenção nos meus movimentos. Sei que você vai gostar disso, mas lembre-se, sou eu quem manda aqui. - Maite colocou uma música que eu não conhecia e começou a dançar no ritmo daquela canção. 

O seu corpo balançava lindamente. Eu estava muito excitado e vê-la dançar daquele jeito não estava ajudando. Maite começou a tirar a parte de cima do lingerie devagar, revelando os seus seios fartos. Mordi os lábios, quando pensei que tocaria naqueles seios gostosos.

Ela continuava dançando sensualmente, me provocando, deixando-me louco. Essa mulher realmente quer me ferrar. 

- Ah Erik, quero tanto você! - Ela disse, enquanto se livrava daquela pequena calcinha. Eu estava necessitado, queria que ela acabasse com tudo aquilo. - Sabe Erik, sempre quis experimentar coisas com você. Por exemplo, isso aqui. - Ela revelou um chicote, me deixando mais apreensivo do que antes. - Lembre-se, tudo para o meu prazer. 

Ela começou batendo o chicote em minhas pernas expostas, maltratando de vez a minha pele. Aquilo ardia demais, e também doía de uma forma horrível. Ela alisou o chicote em minhas pernas, até chegar ao meu membro; soei frio neste momento. 

- Está com medo que eu te machuque? Não farei isso lindinho. - Ela tirou o chicote daquele lugar critico e suspirei aliviado. 

A vi pegando um pacote de camisinha e o rasgando com a boca. Fiquei ansioso, queria realmente que ela acabasse com tudo isso. Maite colocou a camisinha sensualmente no meu membro, enquanto me olhava. 

A morena se preparou para sentar em mim e respirou fundo. Eu só queria que ela agilizasse aquilo, quero a sentir de todos os jeitos. Quero implorar para ela fazer logo isso, mas sabia que não adiantaria nada. 

- Você quer Erik? - Ela perguntava enquanto rebolava descaradamente.

- Quero, quero muito! — A morena posicionou o meu membro em sua entrada e se enfiou de uma vez em mim. Olhei e a vi de olhos fechados, enquanto se deliciava com aquilo. 

Os seus movimentos começaram devagar, parecia que ela estava aproveitando tudo aquilo. Estava me deixando louco, eu queria tanto que aquilo começasse rápido, assim como aconteceu em todas as nossas fodas. 

Então, ela começou a quicar forte, estava se acabando com aquilo. Eu estava suando, tremendo com o prazer que ela me fazia ter. Aquilo parecia ser mais um incentivo para os seus movimentos rápidos. Isto está tão bom. 

- Oh... Erik! - Maite quicava com precisão. Deus, aquela mulher não para. É incrível o fogo que ela tem. 

A sua intimidade ficava mais escorregadia, os movimentos dela já não eram mais tão intensos, porque o orgasmo começava a vir. As pernas dela tremiam e eu me sentia feliz com isso, pois era bom saber que ela sentia o mesmo prazer que eu. 

- Goza comigo, garoto! — A senti explodir quando eu ainda estava dentro dela. A morena se contraiu, fazendo-me vir junto a ela. Eu estava acabado, ela realmente me fodeu. 

Meu peito subia e descia desregulamente. Ainda tentava recuperar um pouco de folego.

- Você é a mulher mais perfeita do mundo. – Digo.

- Não sabe o que está falando, Erik.

- Claro que eu sei. Não é só o sexo. Você é uma mulher incrível, bem sucedida, decidida, sensível, sensual e parece me entender tão bem. Eu poderia te amar fácil se eu já não te amo

- Você ainda é uma criança. Você acha que ama, mas só está fascinado pelas cosias que fazemos juntos.

- Eu tenho certeza que eu te amo. – Digo convicto.

- Você sabe o que é amar?

- Eu não sei exatamente o que é, mas sei que te amo.

Ainda em cima de mim ela me beija intensamente, como tudo nela é intenso.

- Amor é algo muito serio meu garoto, principalmente para você que não sabe muito da vida ainda.

- Mas... – Sou interrompido por ela.

- Mas nada, meu garoto. Vamos apenas aproveitar isso. - Maite começa a rebolar em cima do meu colo novamente.

Era incrível como me rendia a ela. Não passava de um cachorrinho onde ela mandava fazer qualquer coisa e eu obedecia. Isso é totalmente humilhante. Deveria pegar minhas coisas e ir embora agora, mas... Mas eu amo ser o seu cachorrinho.


Notas Finais


Olá, gente. Estou com muita vergonha de estar postando isso haha
Bem, espero que vocês gostem. É minha primeira OS e a primeira com esse tipo de assunto.
O hot foi escrito pela Driele @bankss pois ainda não estou pronta para escrever algo assim, quem sabe um dia haha
Boa leitura, até a próxima. Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...