História 365 dias com ela - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Annabeth Chase, Apollo, Atena, Calipso, Chris Rodriguez, Dionísio, Frederick Chase, Jason Grace, Leo Valdez, Nico di Angelo, Percy Jackson, Piper McLean, Poseidon, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Silena Beauregard, Thalia Grace, Zeus
Tags Percabeth
Exibições 224
Palavras 7.045
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 24 - Vinte e três


🌞 Pov's Annabeth

Estou com medo, muito medo do que possa acontecer nessa noite.
Essa idéia me pareceu tão boa quando a Demeter nos disse. Mas agora estou começando a pensar que as coisas não são bem assim.
Eu deveria estar feliz em ver que tantas pessoas compareceram a nossa recepção.
Mas eles não sabem que estamos prestes a revelar uma bomba. E essa bomba pode acabar com a minha vida e a do Percy.
Eu tenho certeza de que a maior parte está ali para aparecer, pois não perde uma festa por nada.
Outros estão ali para bajular- ou talvez quase todos estão presentes para bajular- e não tem nada melhor do que alguém com bastante grana e status para ficar puxando o saco.
E isso me irrita, esse povo não se importa com o que somos e sim o que temos. Se tiver muito dinheiro não faz mal se não tiver um mínimo de caráter. E eu tenho nojo de me lembrar de que eu sou obrigada a sorrir para todas essas pessoas.
A minha vontade é de dizer umas boas verdades para eles, aquelas verdades que eles gostam de esconder de baixo do tapete, aquelas sujeiras que nenhum deles quer que ninguém descubra. Essa é a minha vontade, mas ainda não posso falar nada do que penso. Ainda não.
O que me deixa um pouco mais tranquila é saber que alguns deles estão ali porque realmente se importam, e estão curiosos - acho que todos estão- para saber por que decidimos fazer essa recepção.
No começo eu estava com medo de organizar uma coisa tão importante assim, pois eu não sou essas madames que fazem uma festa até para comemorar o aniversário do gato.
Eu odeio essas coisas, são tão fúteis.
Mas eu precisei usar tudo o que eu aprendi com a minha mãe e com a minha tia, para fazer o evento perfeito.
E também eu contei com a ajuda da Demeter e conseguimos fazer tudo muito lindo.
Estou muito contente com o resultado de tudo e até mesmo orgulhosa da minha capacidade para fazer uma festa simples mas elegante.
E confesso que fiquei chocada quando eu vi que a minha mãe tinha aprovado o resultado, já que ela dizia que estava tudo simples demais.
Olhando todas essas pessoas rindo e conversando e com os fotógrafos registrando cada momento, me veio uma angústia de dar tudo errado novamente, eu não sou uma garota pessimista, mas o que temos a perde é muito alto.
Mas como o Percy disse, essa bomba iria explodir mais cedo ou mais tarde, e quando antes no livrar desse problema vai ser melhor.
Estou me sentindo uma verdadeira princesa com essa vestido rodado, e como uma verdadeira princesa eu não posso perder a cabeça e me entregar para o desespero como estou tentada a fazer nesse momento.
Dá até mesmo uma vontade de desistir de tudo.

Desistir. Uma palavra tal pequena, fácil de se dizer, e com um significado muito importante.
Seria mais fácil desistir. Seria melhor ser covarde do que enfrentar todas essas pessoas que iriam nos julgar sem dó.
Seria mil vezes mais fácil sorrir e dizer que esse evento era apenas para celebrar a vida - como muitos quando não tinham motivos para fazer festas dizia- do que enfrentar a ira dos nossos pais, eu estou com medo de saber o que eles vão fazer depois de termos revelado essa bomba. E posso ter certeza de que não vai ser nada bom. Eu os conheço e eles não admitem que ninguém quebre as regras e faça algo em que eles não aprovem.
Eles iriam preferir que eu dissesse que cometi um assassinato a dizer que estou namorando o meu primo, e que vamos ter um filho juntos.

_O meu filho- penso.

Essa criança que está no meu ventre me dará forças para seguir com esse plano. E como a Demeter falou, essa era a melhor idéia para garantir a segurança do meu bebê que ainda não tinha nascido.
E por ele que eu vou arriscar até o meu último sangue.
Mas o Percy também está do meu lado, e eu sinto o quanto que ele me ama, e isso é muito importante.
Eu consigo sentir o seu grande amor através do toque. E olha que ele quase não está me tocando. Pois não precisamos dar bandeira antes da hora.
Seja o que for acontecer eu sei que o meu amor vai estar aqui do meu lado.

_Chegou a hora- o Percy aperta a minha mão.
_Chegou a terrível hora- penso sorrindo.

_Olá boa noite e obrigada a todos pela presença- começo tomando coragem- todos estão curiosos para saber o motivo dessa recepção, bom acho que chegou a hora. A um tempo atrás começou surgir rumores sobre o Percy e eu. Toda vez que saímos juntos viravamos capa de revista com insinuações de que estamos juntos. Nesse tempo, com toda essa aproximação viramos amigos e essa amizade se transformou em algo mais forte. Algo que estava além das minhas mãos, um amor começou a surgir. Eu estava apaixonada pela primeira vez e pelo o meu primo. Eu lutei contra esse amor, esse desejo do meu coração, mas foi impossível e o amor venceu. Sim é errado- choro- mas não mandamos no coração. O nosso amor foi mais forte do que tudo e todos e hoje decidimos compartilhar essa grande felicidade com todos vocês.

Todos estavam chocados.
E alguns sorriam. E não poderia ser diferente já que essa era uma grande revelação digna de uma capa de revista.

_Eu descobri que amo muito a Annabeth- o Percy diz segurando a minha mão e me transmitindo uma grande quantidade de amor - nunca pensei que um amor pudesse ser tão grande assim. Começamos a nos ver através dos boatos e vimos que era a verdade, que nós estávamos nos apaixonando. A Annie é a minha alma gêmea e não consigo mais viver sem ela. E para completar a nossa felicidade, a família Magnus irá ganhar mais um membro.
_Ela está grávida? - um jornalista pergunta. É claro que eles chegariam logo a essa pergunta. Pois esse era o único jeito da família Magnus ganhar um novo membro.
_Sim- o Percy confirma todo orgulhoso seremos os pais mais felizes da terra.

Para terminar o Percy beija a minha barriga e por último os meus lábios.
Estou radiante com essa grande demonstração de amor diante de todos.
Agora era ver a reação de todos e torcer para tudo dar certo.

Várias pessoas nos aplaudem e os fotógrafos estão registrando tudo.
Quando nos viramos vimos que os nossos pais estão nos olhando cheios de raiva.

Raiva. Uma profunda raiva, era tudo o que eu via nos olhares dos nossos pais. E eu só posso começar a me preparar para o pior.
As outras pessoas nos encaram ainda chocados e o silêncio toma conta do lugar. E a única coisa que eu ainda consigo escutar é os flashes das câmeras dos fotógrafos registrando cada momento.

_Estou com medo- sussurro- e se não for nada como estamos esperando.
_Não tenha medo- o Percy sussurra- amor eu estou aqui do seu lado, e sempre vou estar.

Tento sorrir mais confiante.
E se todos encarasse essa revelação como chocante demais? Algumas pessoas eram muito tradicionais e um relacionamento entre primos não era algo bem visto pela sociedade.
Mas eu não deveria ter medo, pois o Percy estaria sempre do meu lado e juntos vamos conseguir enfrentar essa multidão que está pronta para me julgar da pior forma possível.

_E se a reação deles for negativa- sussurro novamente- se o nosso plano for por água abaixo?
_Não vai- diz mais firme- não se esqueça de que todos gostam de uma proibida história de amor.
_Até os nossos pais?- suspiro e sorrio.
_Eles são outra história- admite- mas agora eles não vão poder fazer nada.
_Por que diz isso com tanta certeza? - pergunto o encarando.
_Olha só quem está vindo na nossa direção- sussurra.

Encaro a multidão e me assusto quando vejo uma elegante mulher caminhando e sorrindo na nossa direção.

_Duquesa- arfo.

Ter a Duquesa de Gray do nosso lado era como ganhar na loteria.
Ela era uma das pessoas que tinha mais influência que eu poderia imaginar.
E ela não comparecia a quase nenhum evento social - a minha mãe sempre a convidava e ela sempre negava- e ela aparecer aqui e agora ser a primeira a vir sorrindo na nossa direção era um verdadeiro show.
O Percy estava certo, agora os nossos pais teriam que aceitar - pelo menos diante de todos- que estamos juntos, pois eles não são loucos de se opor a grande e magnífica Duquesa.

_Duquesa- o Percy beija a sua mão.
_Me chame de Angelina- diz sorrindo- estou muito feliz que tenham se assumido diante de todos assim.
_Não foi fácil- digo e ela me abra.
_Você jovens- diz sorrindo- tem uma aura magnífica, como é lindo lutar pelo amor.
_Será que todos vão pensar assim? - sussurro.
_Muitos vão torcer o nariz- admite- mas já deram um primeiro e incrível passo.
_Eu a amo muito- o Percy beija os meus lábios- e o bebê completou esse amor.
_Esse bebê é o fruto do amor de vocês- diz acariciando a minha barriga- é o futuro de toda uma nova geração.
_O futuro- digo incerta.
_Alguns velhos costumes tem que ser quebrados- pisca- e fora que todos já tinham percebido que se amavam, o amor nos dá uma luz própria.

E com isso ela saiu.



_Isso só pode ser um sonho- sussurro- sabe o que significa ter a duquesa do nosso lado?
_Um problema a menos- o Percy responde sorrindo e beija os meus lábios.
_Posso abraçar a grávida mais linda? - alguém pergunta.
_Thalia- sorrio a abraçando.
_Então era esse o motivo da recepção? - pergunta- precisou de muita coragem.
_Sim- admito- mas era necessário.
_E ai- era o Ryan- escondendo segredos dos amigos.
_Você conhece os nossos pais- o Percy troca uns socos - uma espécie de comprimento que eu não entendia- com o amigo.
_Annie- duas vezes estridentes me deixaram quase surda.
_Lia, Beatriz- as Abraço- eu queria contar - digo as soltando- mas foi tudo tão depressa.
_Entendemos amiga- a Lia sorri- e te perdoamos se você tirar algum dia para ir às compras com a gente.
_Com certeza- sorrio. Era tão bom ter as minhas amigas por perto e me apoiando.

Do outro lado da sala eu vi o choque no rosto dos McLean e em como eles não esperavam respostas tão positivas assim.
Também vi o Leo e a Calipso que não quiseram se aproximar muito.
A Silena conversava com um garoto e fazia pose para um fotógrafo. E o Chris estava conversando com uma senhora e a sua filha.

_Cadê a Andreia? - escuto o Percy perguntando.
_Ela estava aqui do meu lado- o Ryan diz assustado.

A garota aparece como por mágica.
Ela estava com um vestido impecável, mas a sua maquiagem estava borrada, como se ela estivesse chorando.

_Não- ela sussurra e sai correndo e chorando.
_O que aconteceu? - pergunto baixo.
_Eu vou ver- o Ryan também sai.
_Acho que ela foi uma das primeiras a demonstrar o quanto odiou a notícia- penso.

_Não se preocupe- o Percy sussurra.
_Ela gosta de você- falo chocada- por isso ela reagiu assim.
_Será? - se assusta- acho que não.
_Eu tenho certeza- falo baixo.
_Vou conversar com ela e esclarecer isso- garante.
_Melhor você conversar com ela do que eu- me irrito.
_Não precisa de ciúmes- beija o meu rosto.

Era só o que me faltava, uma amiguinha apaixonada. E o pior é que eu até que gostava dessa Andreia, e espero que tudo não tenha passado de um mal entendido. E essa garota não esteja apaixonada pelo o meu Percy.
Sinto alguém me puxando.

_Precisamos conversar mocinha- a minha mãe sussurra.
_Mãe- exclamo.
_Muito esperta- comenta ainda me segurando- sabiam que não iríamos fazer escândalo diante dessas pessoas.
_Era o único jeito- resmungo.
_Não me tente- me aperta mais forte- não imagina como estou com raiva.
_Não entendo o motivo de estar com raiva- digo petulante.
_Annabeth- resmunga com os dentes cerrados forçando um sorriso- o que fizeram foi errado, e podem ter certeza de que isso terá consequências.
_Já imaginava- tento aparentar estar calma.
_Depois- ela sorri e sai.

Eu sabia que a minha mãe não iria armar um barraco aqui na frente de todos, mas isso não iria significar que ela iria aguentar tudo aquilo calada quando ficássemos sozinhos.
Mas eu já estou preparada para tudo o que eles fazer.
Bom eu espero que sim.

Sorrio me fingindo de forte e corajosa. Mas no fundo estou morrendo de medo da reação dos meus pais e dos meus tios.
Várias outras pessoas vêm nos dizer que ficaram surpresos com essa revelação, outros confirmaram que tudo não passava do fogo da convivência e alguns afirmava que já sabiam que estava acontecendo algo entre os dois.

_Estava na cara- a senhora Arianna diz sorrindo- menina não conseguimos esconder do amor.
_Bem que eu tentei- digo baixo- mas toda vez que eu o via pelos corredores o meu coração se acelerava.
_É o amor- canta- é tão lindo o amor dos jovens.
_Espero que esse amor dure por muitos e muitos anos- sorrio para as câmeras.
_Apenas se precipitaram em já fazer o bebê- diz rindo- mas a vida é para se aproveitar.

a Senhora Arianna é o exemplo de uma verdadeira festeira, essa mulher está presente em todas as festas e eventos que você imaginar. Mas ela é legal, e vira uma figura quando bebe mais do que devia.
Bom eu já estava cansada de tanto sorrir e conversar com algumas pessoas que queriam saber se foi o motivo que nos fez terminar com os nossos antigos namorados.

_Depois que vimos o Leo e a Calipso juntos isso acabou com a gente- digo forçando o choro- e nos aproximamos com a nossa dor.

O resto da recepção correu muito tranquila. O Ryan voltou e disse algo ao Percy e acenou pra mim e saiu.
A Lia e a Beatriz também já tinham ido embora, e a maioria dos convidados também. E tudo o que eu queria é tirar esse vestido e cair na minha cama.

_Obrigado pela presença- o Percy e eu falamos quando a última pessoa vai embora.
_Ufa- me sento no sofá.
_Agora podemos conversar- a tia Sally e a minha mãe aparecem e nos puxa até o escritório. A onde elas poderiam expressar a raiva sem que ninguém as escutasse.

_Conversar- digo me sentando no sofá- podemos fazer isso amanhã? Os meus pés estão me matando.
_Amanhã coisa nenhuma- a minha mãe rosna- vamos falar sobre essa palhaçada agora.
_Palhaçada? - o Percy repete- não vi nenhuma palhaçada.
_Então acha que o anunciaram foi o que? - a tia Sally grita- uma falta de vergonha?
_Não- digo baixo- foi a verdade.
_Ah verdade- a minha mãe ri- que estão de safadeza e ainda grávida?
_Que vergonha filha- o meu pai sussurra- grávida do seu primo.
_São duas crianças- a minha mãe grita- que mal saíram das fraldas e já querem brincar de adultos.
_Não somos crianças- o Percy também grita- se nos ouvissem de vez em quando.
_Para dissesse que estão apaixonados- a tia Sally também ri- que a culpa é das pessoas que faziam suposições? Acham que enganam a quem.
_Estamos falando a verdade- grito.
_A verdade é que vai se saber a quanto tempo estão fazendo essa coisa nojenta- o tio Poseidon fala indignado.
_Errada- o meu pai completa.
_Doentia- a tia Sally encara o filho.
_E ainda querem envolver uma criança inocente- a minha mãe balança a cabeça- isso é ser adulto?
_O amor não é nada disso- o Percy diz firme.
_Amor- a tia Sally debocha- o que sabem sobre isso?
_Mais do que pensam- digo me enchendo de coragem.
_Não sei o que é pior- a minha mãe me ignora- ter uma filha adolescente solteira e grávida, ou ter uma filha grávida do primo.
_Depressivo- o meu pai suspira- não poderiam ter sido honestos com a gente?
_O que quer dizer? - pergunto assustada.
_Não deveriam ter exposto isso para todos- a minha mãe diz- mas acharam que isso seria bem melhor né?
_Assim não poderíamos falar nada na frente de todos- a tia Sally nos encara- e pensar que até a duquesa apóia essa porcaria.

_Não é porcaria- digo firme- é o nosso amor.
_Uma grande diferença- a minha mãe grita- amor sua peste é quando nos casamos , crianças não entende nada sobre o que é o amor.
_Eu entendo- me defendo- eu já amo o meu filho.
_Essa praga na sua barriga- o meu pai resmunga- grande coisa.
_O fruto do nosso amor não é praga- o Percy diz irritado.
_O que vocês têm é um fogo pela convivência- a tia Sally suspira- e que vai passar daqui a pouco tempo.
_Não mãe- o Percy garante- o que eu sinto não vai passar.
_Vai sim- diz firme- e os dois vão sair machucados.
_Não vamos desistir de ficar juntos- garanto- e vocês vão ver.
_Eu quero ver é quando o amor morrer, por que um dia ele morre e você ainda continuar vendo a sua barriga crescendo- a minha mãe cospe as palavras.
_Isso não vai acontecer- digo firme.
_Deveria ter feito um aborto ao invés de anunciar que estava grávida- a tia Sally diz- a sua mãe e eu a levaríamos para uma clínica de família.
_Suas loucas- grito- eu não sou sem coração para fazer isso.
_É uma burra- a minha mãe também grita.
_E você é uma fria, sem coração e que só pensa em dinheiro- grito.

Ela se levanta furiosa e me puxa pelo braço e levanta a mão para me bater.

_Uma surra é tudo o que você está precisando- diz furiosa.
_Não vai bater nela- o Percy segura a sua mão e me puxa- ninguém vai encostar um dedo na Annie.

_Vocês não entende- o meu pai puxa a minha mãe- que não é fácil ser pais.
_Vamos aprender- o Percy garante- nos amamos.
_Vão ver como o amor termina rápido- a tia Sally suspira- vamos embora meu amor? Foi um erro ter tentado colocar um pouco de juízo nesses dois.
_Vamos- o tio Poseidon diz baixo.
_Também vamos- a minha mãe sorri- foi uma bela recepção está de parabéns pela decoração, mas esse joguinho de coragem vai ter consequências.
_Consequências? - pergunto.
_Sim- a tia Sally garante- e não vai ser pouca.
_Eu não tenho medo- falo baixo.
_Pois deveria- a minha mãe sorri - pois os dois vão ficar arrependidos para sempre.

E com isso os quartos saem e batem a porta.
Eu não acredito que eu acabei de ser ameaçada pela minha própria mãe.
Eu sabia que não ia ser fácil, mas eu não cheguei a pensar que ela iria tentar me bater.

_Não tenha medo- o Percy sussurra- estou aqui.
_Estou assustada- confesso- aquele vocês vão se arrepender me pareceu ser uma ameaça.
_Ninguém vai lhe machucar- garante- eu vou proteger você e o nosso bebê.
_Obrigada amor- sussurro.
_Vem você precisa descansar um pouco- ele pega na minha barriga e saímos para a sala e encontramos a Silena e o Chris.

_Não deveriam os provocar assim- a garota diz.
_Isso é uma ameaça?- pergunto.
_Longe de mim te ameaçar- diz baixo- o meu extinto sempre me dizia que vocês se pegavam.
_Sério? - o Chris pergunta- pois você sempre dizia que o Percy estava a fim de você.
_Sim eu sempre soube- diz sem graça.
_Que ótimo- bocejo- terminou?
_Não vim brigar- garante.
_Não? - falo irônica- já sei veio nos parabenizar pelo bebê?
_Vim os alertar- diz mais baixo ainda.
_Sobre o que garota? - o Percy está sem paciência.
_Sobre achar que estão com a bola toda- ri.
_Bom estou com sono- resmungo.
_É melhor tomar cuidado com os seus pais- diz séria.
_E por que? - fico curiosa.
_A dona Sally e a dona Atena são capazes de tudo para não sair do status da alta sociedade- fala baixo.
_Acho que já estou sabendo- garanto- mas mesmo assim obrigada pela dica.
_ Isso mesmo, pense que pode sozinha- diz debochada.
_Ela não está sozinha- o Percy me abraça- eu estou do lado dela.
_Então boa sorte- diz subindo as escadas e o Chris a segue.
_Garota estranha- suspiro e o Percy e eu também subimos as escadas.

Chegamos ao meu quarto.

_Ufa- desabo em cima da cama.
_Cansou? - o Percy pergunta tirando os meus sapatos e beijando a minha perna.
_Muito- admito.
_Posso entrar? - alguém bate na porta.
_Pode Demeter- me levanto.
_Como foi a conversa com os seus pais? - entra no quarto- eles saíram com uma expressão nada boa.
_Foi terrível- admito- a minha mãe nos falou coisas horríveis.
_E a minha mãe não ficou atrás- o Percy comenta- não gostaram nem um pouco da novidade.
_Logo eles vão mudar de idéia- diz sorrindo.
_Por que acha isso? - pergunto curiosa.
_Vocês ficam lindos juntos- diz pensativa- eles vão ver que foram feitos um pro outro.
_Tomara- suspiro- dizendo eles vamos nos arrepender.
_Uma ameaça? - pergunta.
_Provavelmente- suspiro.
_Não se preocupe- sorri e me ajuda a soltar o meu cabelo- logo eles vão ver que o amor sempre vence.
_O que a vovó iria achar? - o Percy sussurra.
_Ela ficaria muito feliz- diz firme- e admirada com tamanha coragem para enfrentar a sua própria família.
_Será? - pergunto.
_Com certeza- fala tão decidida- ela iria apoiar essa decisão.

A Demeter falou com tanta confiança e certeza que me deu um frio na espinha.

_Agora vou os deixar dormir- diz e sai do quarto.
_Ela está escondendo algo- sussurro.
_Será? - pergunta.
_Com certeza- digo também firme- e algo me diz que tem haver com a vovó.

Tiro aquele vestido e coloco uma camisola bem sexy e me deito na cama e o Percy se deita do meu lado.

_É a primeira vez que vamos dormir juntos sem ser escondido- comento sonolenta.
_A primeira de muitas- diz beijando a minha testa.

Sorrio e adormecemos juntos.

Na manhã seguinte quando abro os olhos eu não consigo evitar de sorrir quando eu vejo o Percy dormindo do meu lado.
Era tão bom não ter que ficar me escondendo de ninguém, pois toda dia ele ou eu tínhamos que ir para os nossos quartos antes de amanhecer.
Mas agora as coisas estão diferentes pois assumimos publicamente que estamos juntos.
Me levanto e faço a minha higiene pessoal e volto pra cama e o Percy ainda está dormindo.

-Hora de acordar- sussurro no seu ouvido.
_Mais cinco minutos- diz sem abrir os olhos.
_Temos aula hoje- digo- então trate de se levantar.
_É- ele abre os olhos e se senta na cama- ui striper para despertar? - pergunta quando tiro a camisola.
_Largue de gracinha- sorrio vermelha.
_Linda- ele se levanta e beija a minha testa e vai pro banheiro.

Coloco uma blusa de alças azul, uma calça jeans preta e botas de cano alto por cima, e deixo os meus cabelos soltos e faço uma maquiagem leve.

_Te vejo lá em baixo- grito e pego as minhas coisas e desço as escadas.
_Bom dia- digo a Silena e ao Chris que estavam tomando café.
_Bom dia- respondem baixo.

Sorrio e começo a tomar café e vejo uma revista e a pego.
Sorrio satisfeita quando vejo que o Percy e eu somos capas de revista.

_Saiu bem na foto? - a Silena pergunta.
_Sai- sorrio- fiquei muito elegante.

A garota não responde nada e continua a comer.

_Bom dia anjo- o Percy aparece e beija os meus lábios e até agora me assusta de fazer isso na frente de todos.
_Bom dia- sorrio vermelha.
_Algo interessante? - pergunta apontando para a revista.
_Advinha quem está na capa- canto.
_Sério- pega a revista- foram rápidos.
_Uma grande revelação- sorrio.

Ele folheia algumas páginas e a lê só pra mim.

" Uma bomba.
Finalmente os herdeiros Magnus revelarão que estão mesmo juntos.
O casal deu uma grande recepção na mansão e anunciou a todos que um novo herdeiro está a caminho. O que desejamos é muita sorte ao novo casal"

_Ótimo né- sussurro- tem alguns comentários negativos, mas são poucos.
_Eu te disse que vai dar tudo certo- sorrio.
_Estão muito positivos- o Chris diz.
_E por que eu não estaria- bebo um pouco de suco.
_Vai saber- responde e volta a comer.

A verdade é que eu estou mesmo muito satisfeita com esse resultado tão positivo, e isso é apenas o começo. Se as coisas continuar assim, em breve os nossos pais também vão ter que aceitar o nosso amor.

Depois de terminar de tomar café fomos para a faculdade. Durante todo o caminho a Silena e o Chris não falaram nada, era como se eles estivessem com medo de alguma coisa.

_Estão tão calados- digo alto- aconteceu algo?
_Não- o Chris responde.
_Ok- suspiro.

Quando chegamos algumas pessoas nos encaram e eu sinto o Percy pegando na minha mão, e sinto um calor agradável subindo pelo meu corpo.
Eu fui para a minha aula e o Percy foi para a aula dele.
O resto do dia correu normal, e felizmente a minha mãe não apareceu para me dar uma surra como a mãe da Piper fez.
Quando a minha última aula acaba eu vou até a lanchonete e me sento ao lado da Thalia.

_Não te vi o dia todo- digo.
_Hoje o dia foi corrido- diz baixo.
_Aconteceu algo ?- está diferente.
_O Nico me pediu em namoro- sussurra- eu estava com ele.
_Estava- me assusto- vocês fizeram.
_Não- diz depressa- estávamos conversando e trocamos alguns Beijos.
_E como foi o pedido? - pergunto.
_Foi meio repentino- admite.
_Repentino? - repito- por que?
_Estávamos conversando e do nada ele me beijou- diz vermelha- e quando terminamos o beijo ele perguntou se eu queria namorar com ele.
_Ele é esperto e não quis demorar e te perder - ela sorri- mas você aceitou?
_No começo fiquei com medo- admite- mas aí ele me disse que gostava muito de mim. E por que não tentar ?
_Pois é- sorrio.
_E vocês estão bem? - pergunta e passa a mão na minha barriga.
_Até agora tudo tranquilo- digo feliz.

A Thalia sorri e continuamos a conversar. E eu vejo que a garota está diferente. Com um brilho no olhar.
E radiante de tanta felicidade.

Era muito bom ver a minha amiga assim tão feliz.
Quando o Percy p Chris e a Silena apareceram fomos pra casa.
E quando chegamos ficamos na porta da minha casa conversando e rindo. Nesses momentos eu me esquecia de que a minha vida era muito comentada por aí.
A Thalia contava que ia visitar os pais em breve.

_É uma chatisse- diz- o meu pai e a minha mãe moram quase que isolados, o vizinho mais perto fica a uns dois quilômetros.
_Uau- exclamo- pelo menos deve ter um momento de silêncio.
_Escuto até os grilos- ri.
_Se quiser companhia- sussurro.
_Thalia- alguém a chama.
_Oi Nico- diz ficando vermelha- sumiu.
_Tive que ir buscar a minha irmã- responde- Olá Annaneth, Percy.
_Olá- respondemos.

Uma garota aparece atrás do Nico.
Ela deveria ter uma quatorze anos, os seus cabelos eram castanhos, e os seus olhos eram enormes. Porém ela usava as roupas muito apertadas e provavelmente essas roupas não eram para a sua idade.
Um top preto apertado, um short curto e uma sandália de saltos enormes e muita maquiagem no rosto.

_Pessoal, essa é minha irmã caçula- o Nico diz- Bianca.
_Olá- respondo educada.
_Bia esses são os meus amigos e a Thalia a minha namorada- vejo que ele tem muito orgulho de apresentar a Thalia a irmã.
_Oii- diz com uma voz aguda- prazer em conhecer todos.

A garota encara a todos como se estivesse nos analisando.
Nesse momento a Reyna e o Jason apareceram.

_Olá pessoal- diz animado.
_Resolveu sair da toca- a Thalia provoca- não foi a faculdade.
_Aconteceu uns imprevistos- diz olhando a Reyna
_Nem quero imaginar- a Thalia ri.
_Aposto que está pensando besteiras- a Reyna fecha a cara- só sabe pensar nisso.
_E é mentira- ri- se eu não quero imaginar então é por que eu não pensei em nada.
_Você sempre pensa- resmunga- e isso me irrita.
_Então vai embora- diz calma- eu já te disse que se não gosta da nossa casa então some de lá.
_Bem que você quer- ri- isso nunca vai acontecer.
_Que pena- a Thalia suspira, e as duas voltam a brigar.
_Chega né- o Jason grita.
_Isso mesmo defende a sua irmã- a Reyna chora e sai pisando duro.
_Esquece ela Jason- a Thalia o puxa- essa daqui é a Bianca a irmã do Nico.
_Olá lindinha- o Jason pega na mão da garota.
_Olá- diz com uma voz rouca e sensual. Ela mediu o Jason de cima a baixo e parou por um tempo encarando o meio das pernas dele- muito bom- passa a língua nos lábios.
_Não entendi- o garoto a encara- o que é muito bom?

Engulo uma risada.

_O seu corpo- a garota responde.
-Obrigado- diz sem jeito.
-Principalmente isso aqui- e na maior cara de pau ela apalpa o seu membro- bem dotado.
-Uau- sussurro ao Percy que encarava a cena chocado.

Enquanto conversamos a Bianca continua dando em cima do Jason.

Depois de curtir aquela cena tão engraçada o Percy e eu voltamos para dentro de casa.
Apenas para ter outra desagradável surpresa: as nossas mães.
As duas estavam sentadas no sofá enquanto tomavam chá como se nada tivesse acontecido.

Eu não entendia como elas conseguiam agir dessa forma, como se ontem a noite elas não tivessem nos ameaçado depois de dizer coisas terríveis sobre o meu amor. E sobre um futuro aborto.
Elas devem pensar que vamos mudar de idéia da noite para o dia.
E eu simplesmente odeio quando elas aparecem como se a casa fosse delas, a minha mãe principalmente não entende que agora essa casa é nossa e não delas, então seria educado não ficar folgada demais.

Penso em evitar uma briga, e subir as escadas correndo e as ignorar.
Estou muito cansada, pois eu sei que elas não vão mudar o disco tão cedo.
Mas eu sei que isso não vai adiantar nada. Elas não desistem tão fácil.
Mas eu também não.

_Mãe- digo e fico um sorriso- o que está fazendo aqui? Eu pensei que não fosse voltar tão cedo.

_Bem que eu deveria- dizer- deixar que vocês aguentasse as grandes consequências sozinhos.
_O que você quer dizer? - pergunto.
_Não estão vendo que se ficarem juntos vão perder tudo- a tia Sally diz baixo.
_Perder tudo? - o Percy repete.
_Isso mesmo- a minha mãe me encara - estão mesmo dispostos a perder essa boa vida?
_Por que vamos perder? - pergunto.
_O testamento dizia que deveriam se entender- diz- não disse nada sobre se envolver.
_Disse que não era para ter brigas- insisto- e pelo o que estou vendo não estamos brigando.
_Seus idiotas os advogados vão achar uma brexa e lhes tomar tudo- a tia Sally insiste- tudo o que era da mamãe vai sair das nossas mãos.
_O que acha que devemos fazer? - pergunto.
_Fazer com que ela aborte o bebê? - o Percy fala- fingir que nada aconteceu?
_É uma boa oportunidade- a minha mãe fala tranquila.
_ Vocês estão loucas- grito- isso não vai acontecer.
_Então vamos perder tudo- minha mãe insiste.
_Nós? - penso irritada.
_Não vão- o Apolo aparece com a Demeter- essa senhora nos trouxe uma carta.
_Carta? - perguntamos.
_Uma carta da senhora Reia- a Demeter diz.
_Uma carta da mamãe? - minha mãe pergunta assustada.
_Isso mesmo- o Apolo afirma- uma carta legítima da senhora Reia.
_Como não ficamos sabendo dessa carta? - a tia Sally pergunta desconfiada.
_Ela me entregou um pouco antes de falecer- a Demeter explica- mas acabei a esquecendo.
_É da mamãe mesmo? - a minha mãe dúvida.
_Sim- o Apolo confirma- eu mesmo conferi a autenticidade.
_E o que ela diz? - pergunto.
_Queridos netos- o Apolo começa ler- eu não tenho certeza se já perceberam que se amam? Pois eu já percebi e os apoio, o amor é a melhor coisa do mundo e vocês estão se amando desde que eram crianças. E espero que percebem logo para aproveitar o máximo de tempo juntos. E vou dar um jeito de os aproximar e espero que o meu plano dê certo. Então meus amores, a vovó os apóia nesse momento tão importante.
_A mamãe apóia essa porcaria? - minha mãe grita.
_Sim- o Apolo confirma- e pelo o que eu entendi foi nessa intenção que ela os juntou nessa casa.
_O que isso significa? - a tia Sally pergunta.
_Que não tem problema se eles se envolver- fala sorrindo.
_A vovó nos apoiava- digo chorando- é tão importante saber isso.
_Sim- o Percy confirma e pega a carta.
_Sinto a vovó tão perto- sussurro e passo o dedo na carta e sinto que a tinta está fresca.
_A tinta é recente- o Percy sussurra assustado.
_Sim- me assusto mais ainda.

Como isso era possível? A letra era da vovó, mas a tinta está fresca, como se essa carta estivesse sido escrita ontem mesmo.

_Isso só pode ser uma armação- a minha mãe grita.
_Não tem armação senhora Magnus- o Apolo diz- pelo o que eu li essa era a real intenção da senhora Reia, juntar os dois netos.
_A mamãe não iria apoiar isso- a tia Sally chora.
_Sim ela apóia- digo- ou vocês não conhecem a letra da vovó.
_Pode ser uma falsificação- sugere- não quero duvidar de você Demeter. Mas a mamãe não iria apoiar isso.
_Meninas- o Apolo suspira- eu já verifiquei e está tudo certo.
_Vamos dar um jeito de mudar isso- a minha mãe grita. E as duas saem irritadas.
_Bom meninos qualquer coisa me chamem- o Apolo também vai embora.
_A vovó sempre nos surpreende- digo chorando- que saudades dela.
_Eu também estou- o Percy me abraça- agora elas vão ter que aceitar.

O resto do dia passou sem mais imprevistos e logo a noite chegou.

_Você acha que as nossas mães ainda vão tentar fazer algo? - pergunto ao Percy, estávamos deitados na sua cama.
_Eu acho que sim- diz- elas receberam um duro golpe com essa carta.
_A vovó sempre nos apoiou- sorrio.
_Sim- diz pensativo- mas você não achou estranho a carta?
_Por que estranha? - pergunto.
_Sem dúvidas de que era a letra da vovó- sussurra- mas como a tinta poderia ainda estar fresca se já tem mais de meses que ela faleceu.
_Não sei explicar- sussurro- o que me passou pela cabeça foi um absurdo.
_O que passou pela sua cabeça? - pergunta.
_Será que a vovó está viva? - pergunta.
_Será amor? - se assusta.
_Não sei- suspiro- seria muito legal se fosse verdade.
_Seria sim- concorda.

Nos beijamos devagar, era tão bom sentir os seus lábios sob o meu.
Intensificamos os beijos e ele aperta a minha cintura e sobe a minha camisola para cima e passa a mão na minha pele nua.
Sinto um arrepio gostoso e passo as unhas no seu pescoço.
Com um único movimento ele retira a minha camisola e beija o meu pescoço, os meus seios e a minha barriga.
Ele beija e chupa os meus seios e passa a língua no biquinho me causando várias sensações deliciosas.
Ele vai descendo e tira a minha calcinha e passa um dedo na minha intimidade e me penetra com os seus dedos e arqueio as costas.
Ele me penetra gostoso e coloca os seus lábios na minha intimidade e me chupa intenso e aperta as minha coxas. Gozo nos seus lábios.
O puxo para cima e Beijo os seus lábios e o viro e fico por cima. Tiro a sua camisa e Beijo o seu peitoral e passo a língua na sua barriga, tiro a sua bermuda e a sua cueca e me sento no seu colo e rebolo devagar e agarro o seu membro com as mãos e o aperto devagar e começo a fazer uma massagem devagar e depois com força e logo ele goza.
Passo a língua nos dedos e ele me puxa e fica por cima e beija os meus lábios e me penetra intenso.
Nos beijamos intenso e ele me penetra mais forte e aperta a minha cintura e rebolo.
Gozamos juntos.
Adormecemos logo.

Acordo com uma batida na porta.

_Me desculpe- a Demeter aparece.
_O que aconteceu? - o Percy pergunta.
_É que a mãe de vocês estão lá em baixo- diz.
_Mande elas embora- resmungo- está muito cedo para as aguentar.
_Elas mandaram dizer que vieram em paz- diz séria.
_Diga que já vamos descer- o Percy diz.
_Ok- a Demeter sai.
_O que será agora? - pergunto nervosa.

Me levanto e vou para o meu quarto e faço a minha higiene pessoal e coloco um vestido solto.
Suspiro e saio do quarto.

_Vamos? - o Percy estava me esperando perto das escadas.
_Vamos- pego na sua mão e descemos as escadas.

Quando chegamos lá em baixo as nossas mães estavam sentadas no sofá.

_O que querem?- pergunto irritada- para vir tão cedo.
_Viemos nos desculpar- a minha tia se levanta.
_Se Desculpar? - me assusto.
_Sim- a minha mãe concorda- perdemos a cabeça.
_Falamos coisas que não era verdade- a tia Sally se aproxima do Percy- nunca que iríamos desejar o mal de vocês.
_Mas foi isso que pareceu- o Percy se afasta.
_Ficamos em choque- a minha mãe sussurra- o importante é que vimos que erramos e estamos aqui.
_Depois de tudo o que falaram? - me irrito.
_Antes tarde do que nunca- a minha mãe sorri- vocês vão nos perdoar?
_Não sei- sussurro.
_Por favor- a minha mãe me abraça.
_Esta bem- digo baixo.
_Vamos lhes apoiar em tudo- a tia Sally sorri e acaricia a minha barriga- estou tão feliz com a chegada do meu netinho.
_Eu também- a minha mãe concorda.

As duas são muito carinhosas.

_Estamos muito felizes- a tia Sally diz.
_Estão? - pergunto.
_Muito- a minha mãe sorri- já começou o pré natal?
_Ainda não- digo.
_Vamos marcar logo- diz sorridente.

Por mais que elas estejam dizendo que estão felizes e arrependidas de tudo o que falaram, eu não estou tranquila com isso.
É muito suspeito.
Elas estão me mimando muito e foram para a cozinha para preparar algo para o netinho que logo iria chegar.

_Estou com medo- sussurro ao Percy.
_É estranho- admite- mudaram de idéia tão depressa.
_Sim- digo- estou muito desconfiada.
_Vamos ficar com o olho aberto- diz e beija a minha testa- mas eu vou te proteger.
_Sabe me lembrei de onde eu conheço a irmã do Nico- diz sorrindo.

_E de onde a conhece? - pergunto.
_Das festas do Castor- fala rindo.
_Do idiota que passou a mão em mim? - me lembro.
_E se ele fizer isso de novo eu arranco as mãos dele- diz sério - mas é ele mesmo.
_O que ela estava fazendo na festa do Dionísio e do Castor.
_O que todos fazem lá- sorri- se divertindo e bebendo.
_Bebendo? - me assusto- ela deve ter uns quatorze anos.
_Sim- confirma.
_Será que o Jason vai ficar com ela?- pergunto pensativa.
_Ela deu em cima na maior cara de pau- sorri.
_E ele ficou sem jeito, mas aposto que gostou- comento.
_Ela é muito direta- diz- e tenho certeza de que o Jason vai acabar se aproveitando dela.
_Aquele idiota não presta- falo- ele vai preso se transar com ela.
_Mas a Bianca também não vale grande coisa- diz sério.

_Por que diz isso? - pergunto.
_Ela vai pras festas do Dionísio- diz- pra beber e.
_E? - fico curiosa.
_Para bancar a puta- diz- ela é meia irmã da Hazel.
_Sério- me assusto- então o Nico também.
_Se eles forem filhos do mesmo pai sim- afirma- a Hazel tem vergonha da irmã que gosta de fazer coisas em troca de presentes.
_Misericórdia- comento- sério isso amor?
_Sim- suspira- ela é muito nova mas já está no caminho errado.
_Mas você diz que ela faz coisas- sussurro- que coisas são essas?
_Sexo- fala sério- o Castor já me disse isso uma vez e outros lá também.
_Acha que o Nico sabe? - pergunto curiosa.
_Não sei- diz- mas acho que não. Pois ele parece se importar muito com ela.
_E com quem ela vai às festas- pergunto.
_Ela tem entrada vip por ser meia irmã da Hazel- diz e sorri.

Estou chocada com toda essa revelação.

_Que história- falo sorrindo- que garota que apronta.
_Sim- ri.

Nos beijamos devagar e ele pegou umas uvas que estava em uma bandeja e as colocou na minha boca.
Eu amo como o Percy me mima.

_Lhe trouxe isso- a minha mãe diz saindo da cozinha.

Ela estava segurando uma bandeja cheia de comidas deliciosas. Mas eu não estava com fome.

_Obrigada mãe- agradeço- mas eu não estou com fome.
_Tem que se alimentar- a tia Sally insiste.
_Isso mesmo- a minha mãe me oferece um copo- tome é para relaxar.
_O que é isso? - pergunto curiosa enquanto encaro o conteúdo no copo.
_Água- diz firme- é apenas a boa e velha água para te relaxar.
_Estou bem- insisto.
_Ela deve estar achando que tem algo a mais- a tia Sally comenta triste.
_Não- falo firme- eu apenas não estou com fome.
_Então bebe a água- a minha mãe insiste.
_Mas- encaro o Percy.
_Filha agora você tem que pensar no bebê- a tia Sally diz.
_Gente depois ela bebe- o Percy fala.
_Só a água não vai lhe fazer mal- a minha mãe insiste.
_Ok- digo pegando o copo.

O copo estava frio na minha mão e eu tenho uma sensação estranha.

_Obrigada- digo encarando o copo.
_Bebe filha- minha mãe sorri.
_Ok- suspiro pois eu não estava com sede e tento sorrir.

Levo o copo aos lábios e a minha mãe e a minha tia me encaram ansiosas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...