História 4 Rules - Nyongtory - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias 2NE1, Big Bang, Jay Park, Tablo
Personagens Cl, D-Lite (Daesung), G-Dragon, Jay Park, Lee Seon-woong "Tablo", Sandara Park, Seungri, T.O.P, Taeyang
Tags 2ne1, Bigbang, Daesung, Gdragon, Gri, Nyongtory, Sandara, Seungri, Taeyang, Todae, Top
Exibições 270
Palavras 3.290
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Festa, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Kim (intrometida) Taeyeon


Fanfic / Fanfiction 4 Rules - Nyongtory - Capítulo 9 - Kim (intrometida) Taeyeon


                                                   Pov Seungri



Eu nem me importei o quanto de quarteirões eu tive que andar até a minha casa, eu só queria me trancar no meu quarto e me isolar de tudo que aconteceu. Se meus pés estavam doendo eu não sei, quando cheguei a minha casa apenas me preocupei em me trancar no meu quarto e trancar a janela dele. Fui direto pra de baixo do edredom e fechei os olhos como se tudo aquilo fosse me livrar do nervosismo e vergonha que eu estava.

Era difícil entender tudo que aconteceu comigo e com Jiyong. Pedir pra ele me ensinar o que sabe e imaginar as cenas é uma coisa, sentir tudo o que eu senti com ele era diferente.

Conforme ele ia me beijando eu só queria que ele aprofundasse aquilo mais e mais, sem nem saber o que aconteceria.

Sim, eu fiquei com medo.

Pra mim aquilo foi tão errado. Eu estava praticamente implorando pro meu melhor amigo continuar me tocando. A pessoa que eu cresci, que é íntima de mim como nenhum outro amigo é.

Aquilo foi como se meu cérebro tivesse explodido pois eu estava com um misto de pensamentos. E se antes  não sabia o que eu estava sentindo, agora havia piorado.

Era como se a cada vez que eu pensasse que não teria como desejar mais Jiyong ele vinha e me provava ao contrário.

Eu não sabia o que eu sentia, mas também não queria procurar saber porque tudo parecia ser assustador demais. Complexo demais e complicado demais.

Eu preferi fugir porque eu tenho medo.

Escutei baterem na porta e eu me encolhi mais na cama, não querendo que fosse Jiyong porque simplesmente eu não tinha cara pra encará-lo. 

— Seungri, sou eu. Abre. — A voz era de Daesung, então aquilo me tranquizou. Levantei da cama e fui até a porta e destrancado para que Dae entrasse, ele me olhou como se quisesse que eu explicasse algo mas eu apenas voltei para a minha cama e me cobri até a cabeça novamente. — Ei, o que aconteceu? Por que você saiu da festa daquele jeito?

Eu senti o colchão afundar, continuei coberto.

— Jiyong-ah aconteceu! — Respondi abafado contra o travesseiro.

— O que vocês fizeram no quarto da CL pra você ter saído correndo todo assustado? —  Dae perguntou cauteloso.  Eu neguei com a cabeça, envergonhado para falar sobre aquilo. Ouviu um suspiro vindo do Dae e novamente sua voz sobre o quarto. — Seungri... você sabe que tudo que você falar pra mim eu vou levar como nada demais, você me conhece, pode se abrir comigo. 

Dae tinha razão. Eu o conhecia perfeitamente para saber que eu poderia falar a maior bizarrice do mundo, e mesmo assim ele acharia tudo normal. 

Fui retirando meu edredom de cima do meu rosto lentamente, deixando só meus olhos amostra enquanto encarava Dae que acabou soltando um risinho. 

— A-A gente se beijou de novo...—  Comentei baixinho.

—  E...?

— Foi diferente... dessa vez não foi um simples beijinho, calmo como das outras duas vezes. —  Comentei como se fosse um segredo.

— E como foi então?

— Foi mais rápido... mais intenso, ele me beijou como se me desejasse muito e... e-e eu queria tanto aquilo que deixei que ele continuasse e pedi por mais. Até que...

— Até que?

Mordi meus lábios nervoso e desviei o olhar do meu amigo que tinha um sorrisinho sacana nos lábios.

— Você sabe...

— Não, eu não sei.

— Tipo que esquentou demais e quando fui ver eu já estava sendo prensado na parede, o corpo dele no meu, seus lábios no meu pescoço e eu não consegui evitar de ficar.... sabe... — Minhas bochechas corarem terrivelmente e vi Dae tentar não sorrir, mas estava falhando. — Eu fiquei igual o cara do video que você me mandou.

— Ah, quer dizer que você assistiu? — Dae tinha um sorriso vitorioso nos lábios e eu apertei com mais força o edredom,  tentando conter minha vergonha. — Você quer dizer que você e o GD ficaram excitados?

Apenas concordei com a cabeça, não conseguindo falar um "sim" para aquilo. 

— E daí o que aconteceu?

— Mais nada... foi a hora que eu sai correndo.

Me assustei com o barulho da risada alta que o Daesung deu. Ele realmente parecia ter achado graça daquilo.

— O que?

— Você deixou o GD sozinho e de pau duro? Que garoto mau você é...

Arregalei os olhos pela a maneira que Dae falou.

— N-Não fala essas coisas!

— Ok, desculpa. Eu esqueci o quanto você é sensível. 

— Aish! Eu não sou sensível...

— Claro que não é.

— Só não fala essas coisas...

— Ta bem. Mas você viu o vídeo,  certo? — Concordei.  — Eu não te disse que aconteceria algo parecido com você e o GD nessa festa? Seungri, isso é totalmente normal...

— Não é normal pra mim ter esses pensamentos com o meu melhor amigo.

— Você gosta do beijo dele? — Muito. Concordei com a cabeça. — É a mesma coisa. É ainda um beijo, só que é como etapas, em cada uma delas algo a mais vai acontecer. E você não pode evitar, porque você gostou, apenas fugiu porque ficou com medo.  E a única maneira de evitar que as coisas entre vocês dois se aprofundem é se você não quiser mais ele como o seu "professor particular" Você não quer isso, ou quer?

Neguei com a cabeça. Eu não queria que Jiyong deixasse de me mostrar o que eu precisava saber. Eu não queria que fosse outro.

— Então você tem que começar a entender que isso tudo é normal. É normal sentir, Seungri. É normal gostar.

— Mas eu sinto que não é só isso. Parece que se fosse com outra pessoa seria menos intenso...

— Deve ser porque isso é mais do que uma simples experiência pra você. 

— Como assim?

— Nada, esquece. — Dae sorriu como se soubesse de algo que eu ainda não sei. — Seungri, não tô dizendo que você tem que se jogar de cabeça nisso. É normal sentir medo. Mas você poderia ter simplesmente falado pro GD que era melhor vocês pararem por ali.  Ele ia atender e com certeza não ficaria chateado.

Concordei novamente com o Dae agora me sentindo um idiota por correr daquele jeito. Jiyong deve tá me achando uma criancinha idiota.

Poxa, eu tenho 18 anos. Quantas vezes eu tenho que repetir isso pra mim mesmo como uma forma de me lembrar que eu tenho que crescer mentalmente?

— Mas agora ele deve tá chateado.  Não com você,  mas com ele mesmo. Ele deve está se culpando, achando que foi longe demais.

— O que? NÃO! Eu que p-pedi por mais. Ele não tem culpa.

Me sentei na cama, não queria que Ji ficasse chateado. Eu queria aquilo, ele não me obrigou a nada.

— Então sugiro que você fale isso pra ele. Eu o vi na festa e os olhos dele estavam preocupados enquanto te preocupava e eu tenho certeza que ele já estaria aqui se uma das amigas dele não tivesse o puxado para perto dela.

Meu coração começou a acelerar naquele momento.

— E-Eles... você viu se o Ji ficou com ela?

— Não.  Eu não fiquei pra ver o que eles fariam, vim direto pra cá. 

Assenti, estranhamente sentindo a tristeza que sempre senti quando sabia que Ji tinha ficado com alguém,  ou achava que ele ficou. Quando comecei a sentir essas coisas estranhas eu tinha 13 anos, quando vi Ji beijar uma garota pela a primeira vez e na minha frente. Desde então eu sinto a mesma sensação entranha e de tristeza, as vezes me dando vontade de chorar.  Uma vez eu cheguei a chorar quando Ji arrumou a primeira namoradinha com seus 15 anos, quando ele me contou eu só corri pro colo da minha mãe e comecei a chorar como se o meu mundo tivesse acabado. Mas eu nunca soube o motivo pra isso.

Desde então eu achei que eu me acostumaria com essa sensação de tristeza, mas nunca me acostumei.

— Ah sim... — Respirei fundo. — Amanhã falo com ele. — Garanti pra mim mesmo. — Mas em fim, obrigado por vim aqui. Sempre me fazendo enxergar as coisas.

Sorri e abracei Dae que retribuiu. Escondi meu rosto no peito dele enquanto senti ele rir.

— O que seria de você sem mim, não é mesmo? — Ele disse convencido e eu me separei dele, dando um tapinha fraco em seu braço. 

— Convencido. — Ele riu novamente. 
— Ah, o que foi aquilo com o Choi?

Vi ele corar e eu sorri vitorioso. Falar do T.O.P era a maneira de desconcertar Dae totalmente.

— Que? Choi? Conheço nenhum Choi não. Tá doido? — Dae disparou e desviou o olhar — Eu tenho que ir pra ca— Disse quase se levantando mas eu segurei em seu braço e o interrompi.

— Você é um fingindo mesmo. Pensa que eu não vi aquele beijão?  Eu pensei que o odiasse.

— Eu o odeio. — Garantiu. Eu apenas ri.

— Mostrou isso muito bem enquanto parecia hipnotizado com o beijo. — As bochechonas de Dae ficaram ainda mais vermelhinhas. Adorável. 

— Não se engane, eu o odeio. Mas ele beija muito bem...

Eu levei as mãos a boca por Dae estar admitindo que o garoto que ele diz odiar beija bem.

— Agora eu preciso ir. — Ele disse antes que eu falasse alguma coisa e me deu um beijo na bochecha, ainda envergonhado.

Quando Dae foi embora e eu troquei a roupa pelo o meu pijama e me deitei para dormir, notei que Ji ainda não havia chego e eu desejei não ter fugido do que aconteceu, porque seria eu beijando no lugar de qualquer garota que deve estar com ele nesse momento.

✖✖✖✖✖

Toquei a campainha da casa de Jiyong exitantemente. Eu poderia simplesmente mandar uma mensagem ou continuar sem vê-lo durante mais algumas horas mas eu tinha que controlar toda a minha vergonha e pedir desculpas por ter saído daquela forma,  dizer que ele não tem culpa de nada e que eu quis aquilo tanto quanto ele.

Na primeira vez ninguém atendeu então eu toquei novamente antes que eu desistisse.

Enquanto esperava, eu murmurava o que eu falaria pra ele.

Eu simplesmente chegaria pedindo desculpas ou agiria como se nada tivesse acontecido? 

De repente o portão abriu e meu coração acelerou.

— Jiyong eu sinto muito por on— Antes de completar a frase eu me interrompi e arregalei os olhos pra quem veio atender o portão.  — T-Taeyeon?

Ela me olhou de cima a baixo, tentou sorrir amigavelmente mas eu sabia que ela não gostava de mim.

O que ela tava fazendo aqui? 

— Seung... Seung o que mesmo? — Ela se perguntou, de repente achando que havia lembrado. — SeungByun.

Eu estava tão chocado de vê-la ali que eu nem fiz questão de corrigi-la. Eu apenas tentei me encolher o máximo que podia enquanto a sensação de tristeza me invadia novamente.

Ela me encarou como se eu fosse um retardado. Pois eu fiquei a encarando com os olhos assustados.

— O GD está ocupado, volte outra ho—

— Quem é Tae? — Um garoto apareceu do lado da menina e me olhou, de cima a baixo também, mas diferente de Taeyeon ele não me olhou com algum sentimento negativo. Ele deu um sorriso quando seus olhos bateram em meu rosto novamente. Eu lembrei que já tinha visto ele várias vezes na mesa dos populares só não me lembrava de seu nome. Eu fiquei mais aliviado em saber que não era só Taeyeon ali e que provavelmente Ji tinha chamado alguns amigos pra passar a tarde com ele. — Oh. Você é o nerd gostozinho melhor amigo do G-Dragon, não é?

Taeyeon olhou pro garoto como se ele fosse louco por falar aquilo é e eu o olhei totalmente assustado por ele ter me chamado de gostozinho.

O que?

Eu fiquei totalmente sem graça e sem saber o que falar. O garoto apenas sorriu e pos sua mão nas minhas costas me incentivando a entrar.

— O GD ta lá dentro. — Ele disse simpático e eu juro que vi Taeyeon soltar fogo pelos os olhos.

Eu entrei exitante na sala e vi um garoto sentado em um dos sofás, e Ji não estava ali. Taeyeon e o garoto que me atendeu se sentaram em um sofá e vi o garoto que estava aqui quando entrei prestava atenção no vídeo game a sua frente. Antes que eu pudesse  procurar Jiyong pela a casa, ele apareceu descendo as escadas com outro controle de vídeo-game na sua mão. 

— Sabia que eu não tinha perdido ele. E estava no meu quarto. — Jiyong falou se referindo ao controle na sua mão.

Ele jogou o controle pro menino que me atendeu com Taeyeon.

Antes de pensar em se sentar ele finalmente me notou, seus olhos arregalando um pouco.

Automaticamente parecia que a cena da gente se beijando apareceu ali na nossa frente. Eu vi as bochechas dele ficarem vermelhas iguais as minhas e ele ficar tão sem graça quanto eu.

Escutamos uma tosse que parecia ser forçada vinda de Taeyeon que com certeza fez aquilo por eu e Ji estarmos nos olhando demais.

Jiyong pareceu voltar do transe e se aproximou de mim, me envolvendo em um abraço quentinho e aconchegante.

— Ei, Seungri-ah. Você está bem? — Ele perguntou com uma voz culpada e eu sabia que ele se referia ao dia anterior.

Eu precisava falar com ele. Mas os amigos dele estavam ali.

— Eu... Sim.  Jiy—

— Ei, GD. Vai me ensinar a jogar agora?

A voz de Taeyeon se fez presente, me interrompendo.

Jiyong se desfez do abraço e olhou pra ela, em seguida pra mim.

Eu tentei sorrir.

— Se divirta com os seus amigos. Depois a gente conversa. — Eu disse, mas antes que eu desse as costas ele segurou em meu pulso.

— Fica também. Você adora jogar comigo.  Estamos jogando Naruto, quem perde sai e outro joga com o vencedor. — Jiyong disse sorrindo pra mim e eu não pude evitar de sorrir. Era meu melhor amigo me pedindo pra ficar. Que mal tinha?

Eu concordei com a cabeça e me sentei em um sofá de dois lugares vendo os outros dois garotos começarem a jogar um contra o outro.

Ji mal teve tempo de escolher um lugar pra sentar porque Taeyeon o puxou pelo o braço e fez ele cair no lado dela.

— Quando eles acabarem você me ensina. — Ela proferiu com um bico nos lábios e Ji concordou sorrindo pra ela.

Eu desviei o meu olhar da cena e  encarei meus dedos durante alguns segundos, meu olhar se voltou pra TV e eu me assustei com os xingamentos que os outros dois garotos preferiam um contra o outro, como se ganhar o jogo fosse uma questão de honra.

...

A tarde até que estava sendo divertida, a sala virou realmente uma zona de guerra. Quando chegou a minha vez eu cheguei a vencer os dois garotos que ficaram impressionados porque acharam que eu não sabia jogar. Mal eles sabiam que eu e Ji já viramos noites jogando Naruto.

Tudo estava indo bem. Taeyeon até não estava se jogando pra cima de Jiyong, apenas também prestava atenção na TV.  Até que eu tive que jogar contra ela.

Era óbvio que eu ganhei várias vezes contra ela, mas isso não era vitória pra mim, porque toda vez que ela perdia fazia um bico nos lábios e reclamava com Ji. Falando que ele não a ensinou direito e ele com a maior paciência do mundo explicava novamente pra ela.

Lá estávamos na última partida um contra o outro e ela já tinha perdido pra mim no Round 1. E lá estava ela de novo fazendo bico pro Ji que fez carinho nos cabelos dela.

Ele fez carinho nos cabelos dela.

CARINHO.

Eu senti um sentimento estranho me dominar quando ele começou a torcer por ela e contra mim.

Ele começou a gritar o nome dela e aquilo me desconcentrou completamente, quando percebi já não apertava os botões do controle, o que fez Taeyeon ganhar o Round 2.

Ela gritou desacreditada e praticamente se jogou no colo de Jiyong que riu e comemorou junto com ela.

É muito estranho sentir vontade de chorar só porque Jiyong está contra mim em uma fútil partida de vídeo-game? 

Eu desviei dos pensamentos e com toda a minha raiva voltei a jogar. Estava com tanta raiva que venci Taeyeon com um Perfect.

Eu olhei pra ela com um olhar vitorioso e ela me encarou desacreditada.

Os outros dois garotos comemoraram que eu tinha vencido e e eu sorri com aquilo. Jiyong apenas lançou um olhar acolhedor pra Taeyeon.

Aquilo  estava me deixando triste e irritado. 

— Aaah! O nerd gostozinho ganhou! — O garoto que havia proferido isso mais cedo voltou a dizer. Me fazendo corar de vergonha novamente por ter me chamado de gostozinho. — Parabéns. 

Ele bagunçou meus cabelos e novamente eu fiquei sem graça.

— Você chamou ele de que? — Jiyong perguntou, olhando um tanto furioso pro garoto.

— De nerd gostozinho. — O garoto respondeu naturalmente me olhando com aquele olhar estranho, como se quisesse algo. — Pois realmente ele é.

— Aaah! — Jiyong falou tão alto que quase gritou. — Não fala assim como ele! Ele não gosta. Peça desculpas!

Eu encarei Jiyong e minha raiva voltou.

— Não precisa pedir desculpas.  — Falei pro garoto. — E eu não estou incomodado com ele, e caso eu estivesse, eu mesmo reclamaria. Não precisa se meter.

Eu falei o mais grosso que planejava. Mas eu estava chateado. Ele estava todo carinhoso pra cima de Taeyeon, torcendo contra mim, pode ser idiota mas isso me deixou estranhamente chateado e com raiva, porém, nem por isso falei algo. Já ele fica me tratando como se eu fosse de porcelana. Ninguém podia falar nada senão eu poderia quebrar.

Mal sabia ele que tudo que comentando ao meu respeito não causa nem um por cento do  efeito que ele me causa quando está com outra pessoa.

— Por que esta sendo rude comigo? — Ele perguntou incrédulo. 

Todos na sala nos olhavam de uma maneira estranha.

Eu apenas bufei e  me levantei no sofá indo até Jiyong e o puxando pelo braço,  ele se quer reclamou. Eu nos direcionei até a cozinha da casa dele e ficamos de frente um pro outro.

— Olha, me desculpa pelo o tom, eu só vim aqui pra conversar contigo sobre ontem, mas teve algumas coisas que me irritaram hoje e que me fez falar dessa forma.

— Que coisas que te irritaram hoje?— Ele perguntou com o tom ainda raivoso e eu  não sabia se era por minha causa ou pelo o que o garoto tinha dito.

— N-Não importa. Você também está irritado e eu não perguntei o porquê. 

— Não estou irritado.

— Esta sim.

— Aish! Tá.  O que quer falar sobre ontem?

De repente o clima mudou. Os pensamentos do dia anterior me dominou e eu e eu lembrei do intuito que me veio ir até a casa de Jiyong. 

— S-Sobre eu ter ido embora...eu—

— GD...— E a intrometida aparece novamente. 

Por que ela sempre tinha que atrapalhar?

Ela passou por mim e literalmente se agarrou a ele. Ela começou a perguntar se ele queria que ela fizesse um bolo, que, segundo ela, era muito bom. Jiyong deu atenção a ela e praticamente me ignorou enquanto suas mãos pousaram pousaram na cintura dela. 

Eu me senti sem chão.

Eu não sabia se eles tinham alguma coisa, porque Ji sempre  foi próximo das mulheres. 

Eu tinha medo de saber se ele já ficou com ela, se ficam, ou se ela apenas tenta.

Meu coração doeu enquanto ele sorria para o que ela falava e me ignorava completamente.

Eu senti meus olhos marejarem. 

E eu novamente não entendia toda aquela dor. 

— J-Jiyong.... depois a gente conversa!

Eu disse mesmo que ele tivesse esquecido que eu estava ali.

Fui pra fora daquele local e  ouvi Jiyong chamar.

— Seungri!

Mas eu não lhe dei atenção, apenas continuei andando e não segurei as lágrimas quando ouvi voz da Taeyeon.

— Oppa, deixa ele e me da atenção...


Notas Finais


OI MEU CHUCHUZINHOS

como estão?

( DESCULPEM OS ERROS ) MORTA QUE EU TROQUEI O JIYONG PELO O HARRY ASJDHSAJDHASJDSHAJ, ja concertei gente, é tanta fic aqui e no wattpad que eu confundo kkkkk

OBRIGADA PELOS OS 71 FAVORITOS E TODOS OS COMENTÁRIOS. AMO VOCES S2

Taeyeon veio nesse cap pra reforçar o desgostar de voces sobre ela sjadashgashdgashdgashdg

Tão com raiva do Ji? Ignorou o pandinha '-' se eu fosse o panda dava o troco com o Jay Park.... em falar nele, sentiram a falta dele? Dois caps sem o capeta kkkkkk mas pode deixar que no próximo tem ele.

Sobre Jiyong e Taeyeon... voces acham que rola algo entre eles ou não?

Próximo cap vai ser.... ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°) nada digo u.u sdhasjdhasj

Até a próxima, amores

XOXO s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...