História 4 Senses - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai
Tags 4 Sentidos, Amor, Belezas Da Vida, Bullying, Cegueira, Cuidado, Drama, Fluffy, Kaisoo, Kyungsoo Cego, Menção Chanbaek, Paixão, Preconceito, Yaoi
Visualizações 17
Palavras 992
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLAA! Aqui estou eu de novo com uma fanfic nova dos meus pais Kaisoo, e ela é tipo, o amor da minha vida, to a uns sete meses querendo postar ela mas sempre tive medo, então por favor deem muito amor a ela!
Leiam as notas finais!
XOXO, amo vocês! ❤️

Capítulo 1 - Prólogo - Kyungsoo é chato.


Kyungsoo estava pouco se fodendo para aqueles que insistiam em deixar a sua marca na curta vida que tivera até agora, seja em forma de palavras ofensivas, pés postos a sua frente para que tropeçasse ou até mesmo os malditos bilhetinhos grudados em suas costas ou qualquer parte de seu corpo. Já não ligava mais. Dezessete anos de sua vida foram assim, todos os dias com algum otário tentando tirar seu sossego e recebendo em troca, na maioria das vezes, um tapa, peteleco ou chute na canela. Isso quando não eram ignorados. Ah, eles ficavam putos quando isso acontecia, e o Do adorava sentir a bufada forte e irritada daqueles acéfalos quando colavam em si malditos bilhetes que ele nem mesmo conseguiria ler. Alguem com a burrice a este ponto nem devia ser considerada humano, na verdade era um Porífero! O mais implório do reino Animalia.

O garoto nascera cego. Nunca enxergara sequer sua própria aparencia e como se não bastasse, tinha de ser serveramente taxado de "baixinho" e "gay", simplesmente por não ser um poste ambulante e não se esconder dentro de um armário ridículo. Sabia disto desde que seus melhores amigos, Baekhyun e Chanyeol, discutiram sobre como fazer o Do aproveitar dos prazeres da vida, tendo como resultado um selinho do Park e um beijo na boca do Byun, sempre animadinho demais.

Os dois sempre deram o seu máximo para divertir Kyungsoo, que mesmo irritado, ia na onda dos dois amigos. Teve a certeza de que não gostava de beijar meninas quando Baekhyun, com toda sua persuazão, fez a melhor amiga, Kim Yongsun, selar os lábios do cego nos seus da melhor maneira que podia. Ele não enxergava ela, não havia a tocado e sequer sentido seu gosto direito, mas sabia que os lábios do Byun eram muito mais apetitosos que os dela, sem querer ofender, é claro.

A verdade mais que pura, é que não é porque Kyungsoo não enxerga, que ele tem que ser um santo. Já tinha sim, dado mais alguns beijos no seu hyung depois daquele dia, nas caladas da noite de suas festas do pijama, mas infelizmente, nada além disso. Não que ele não quisesse, sentia-se até mesmo pronto e se o amigo quisesse, ele se abriria a fazer qualquer coisa. Isso se não fosse interrompido por um poste com orelhas de dumbo, e paixão finalmente correspondida do Byun. Porque não bastava ser gay, baixinho, cego e virgem. Agora ele tinha que ser uma vela também.

Não que ele não estivesse feliz pelos amigos, era o maior Chanbaek shipper já registrado em toda a história e fora a seca que sua boca e lingua enfrentaram, o namoro de seus melhores amigos foi algo bom. Estavam mais do que nunca unidos pela causa "Dar uma vida irada ao Soo", nome criado pelos dois, e corajosos, lê-se barraqueiros, toda vez que o mais baixo deles era xingado, tocado, ou até mesmo mencionado em uma conversa que não fosse deles. Kyungsoo sentía-se uma bonequinha sendo mimada por aquelas crianças escândalosas, perto dos melhores amigos.

É claro que não seria diferente quando um idiota qualquer, infantil demais para ser levado a sério, decidiu grudar os costumeiros bilhetinhos nas costas do cego, com os belíssimos dizeres “Você é chato”. Isso como se o Do conseguisse ler tal coisa sozinho e não precisasse que o seu casal de guarda-costas particular lê-se o bilhete de forma muito escandalosa para a sua paciência.

-Channy, você acredita nisso? Ele o chmou de chato! Bate nele Chanyeol! - O Byun exclamava batendo os pés no piso do corredor escolar, chamando a atenção de todos.

-Eu vou meter porrada nele Baekie! - Chanyeol socava o ar com um bico.

Quem via o casal assim, revoltado, não fazia ideia das madrugadas viradas jogando Overwatch e LOL, ou das caçadas eminentes aos duendes que juravam de pés juntos existir. Eram duas crianças grandes tentando proteger o único ali que mesmo sem enxergar, tinha noção de como fritar um ovo.

-Relaxem, deixe o bilhete ai, não tô interessado em ser legal mesmo - Kyungsoo suspirou, bufando - O próximo que aparecer eu mesmo dou uma coça.

Mesmo discordando, o casal calou a boca. Sabiam muito bem que não deveriam mexer com um Kyungsoo irritado, e a prova disto eram os roxos em seus braços. Quem diria que um ser tão pequeno teria um tapa tão forte?

---------//---------//-------

Kim Jongin sempre odiou injustiças. Odiou não ser deixado entrar na equipe de dança pelo seu pai, odiou ser transferido de escola por causa da porcaria do time de futebol e com toda certeza, odiou ler o bilhete bobo nas costas daquele ser pequeno a sua frente, que nem sequer conhecia.

Certo, não se pode tomar conclusões precipitadas sobre um garoto pequeno acompanhado de dois malucos, dizendo se ele é chato ou não, mas se o Kim havia aprendido algo com a sua mãe, é que zoar os amiguinhos é feio, mesmo que estejamos certos e sua bunda pareça um tumor benígno. Não demorou muito para tentar alegrar o pequeno e sacar um papel em sua mochila, escrevendo ali as palavras que achou serem perfeitas para que o garoto a sua frente não se encontrasse tristonho.

Jongin sorriu e grudou o mesmo nas suas costas, só tendo tempo então para o ver bufar e virar-se bruscamente contra si. Sentiu uma forte pancada na canela, viu tudo escurecer e então, caiu. Simplesmente se jogou no chão segurando a própria perna e gemendo de dor.

Rindo, Baekhyun insistiu em tirar o bilhete das costas do amigo baixinho e soltar um “Anww”, meio atrapalhado pelas risadas e o dizeres de “Bem feito!” de Chanyeol.

-Eu disse que daria um jeito no próximo que quisesse me irritar... - Kyungsoo sorriu vitorioso.

Chanyeol então catou o papel das mãos do namorado e soltou outro som demonstrando fofura, insistindo em ler bem alto, em voz alta seus dizeres mais que profundos:

“Ele não é chato. É muito bonito


Notas Finais


Bom, eu espero que tenham gostado dessa pequena introdução a história e ao universo dela. A amo muito então mais uma vez peço que deem muito amor a ela ❤️
Caso queiram saber, Kim Yongsun é a Solar do Mamamoo e além disso, sim, não só Chanbaek mas também os dois bilhetes citados (O do Jongin e o que ja estava no Kyungsoo) eram para soar meio infantis, para demosntrar a fofura do Kai e a burrice para xingar dos odiadores de Kyungsoo, não sei se ficou muito claro então preferi explicar.
Bom, é isso! Comentem, favoritem e me deem suas opiniões! Juro que respondo todas com o maior prazer, vocês deixariam um bolinho muito feliz!
CHOGIWAAA! ❤️❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...