História 4 tiros. - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Espada Era a Lei
Personagens Personagens Originais
Tags Romance Policial
Visualizações 0
Palavras 405
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Uma ex policial e agora uma presidiaria,pagando por sua vingança até que...

Capítulo 10 - A presidiaria


Fui condenada, minha pena seria de 12 anos, Bryan desde o julgamento não falou, mas comigo, foi a ultima vez em que o vi. Não esqueço o olhar dele de decepção. Eu não tinha ninguém então não recebia visitas nem telefonemas. Já se passavam três anos que meu pai havia morrido. Sentia muito a falta dele. Deve se perguntar se não me arrepende de ter escolhido a vingança. Mas não, não me arrependo. Sempre tem um pra aparecer e dizer que vingança não leva a lugar algum, pois bem a minha me levou pra penitenciaria feminina de Monsard.

Os dias eram longos custavam a passar, foi ali que decidi contar a minha historia, ali comecei a escrever, quem sabe um dia lendo tudo, sabendo de toda a verdade Bryan um dia me entenderia.

Era mais um dia qualquer eu estava rascunhando num papel quando carcereiro me chamou dizendo que eu tinha uma visita, logo pensei que fosse ele, coração disparou, a cada passo eu sentia ele bater ainda mais rápido ,quando cheguei a sala de visitas ,estranhei ,quem veio me visitar era Rebeca minha colega de delegacia ,mais uma pra querer me dar lição de moral.

-Helena.

-Rebeca.

-Como vai?

-Como você esta vendo. Mas tranqüilo o que veio fazer aqui? Se for pra falar que eu estava errada e bla bla, pode ir.

-Não fiquei contra você cada um tem suas escolhas, estou por causa de Henry Scroll.

-O que tem ele? Ele ficou a frente da empresa de meu pai a única coisa que sei.

-Ele foi seqüestrado

-O Henry! Mas por quê?

- Vim aqui na esperança que me respondesse isso.

-Mas como aconteceu? Digitais?Alguma pista.

-Nada, só encontramos o laboratório todo revirado.

Não, não poderia ser eu havia matado todos os que estavam atrás da formula, não não poderia ser isso, se fosse, mas uma vida inocente se perderia por causa dessa maldita formula.

-Rebeca, nas minhas declarações, omiti um fato, aqueles caras mataram meu pai e aquele garoto por causa da formula de uma arma química, com o seqüestro de Henry agora sei que existem mais deles.

-Viram atrás de você então. Sabe que há essa possibilidade.

-Vocês têm que encontrar Henry antes que eles tenham essa arma em mãos, ela pode matar milhares em, sem ser perceptível a doença que ela transmite.

-Nós, vamos trabalhar juntos, você conhece o caso melhor que ninguém.

-Mas como? Eu estou aqui presa vendo o sol nascer quadrado se não percebeu.

-Vamos dar um jeito.

-Acabou o horário de visita.


Notas Finais


De volta a liberdade,próximo capitulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...