História 50 tons de Draco Malfoy - DRARRY - Capítulo 50


Escrita por: ~ e ~condessa_malfoy

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, Harry Potter, Shawn Mendes
Personagens Cedrico Diggory, Cho Chang, Córmaco Mclaggen, Dino Thomas, Draco Malfoy, Fred Weasley, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lilá Brown, Lino Jordan, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Neville Longbottom, Olívio Wood, Personagens Originais, Ronald Weasley, Rose Weasley, Shawn Mendes, Simas Finnigan, Ted Lupin, Tiago S. Potter, Viktor Krum
Tags Draco, Draco Malfoy, Drarry, Gay, Harry Potter, Hentai, Hogwarts, Lemon, Yaoi
Visualizações 342
Palavras 3.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E aí, galerinha.
Vamos às comemorações.

50 CAPÍTULOS DE 50 TONS DE DRACO MALFOY!
EU NASCI PRA VER ISSO, MEU DEUS!

Nunca escrevi tantos capítulos em uma fanfic (já escrevi de capítulos bem maiores, mas nunca de tantos capítulos). Escrever essa fanfic é tão agradável quanto escrever ODDM. Minha praia é a fantasia e o romance, mas isso está sendo uma ótima experiência de poder escrever algo mais leve e com algumas piadinhas (que vocês dizem adorar, então vou ficar feliz me gabando).

Quero muito agradecer a todos vocês que gastam um tempinho lendo essa história (é apenas uma fanfic, mas para mim é um tempo que deixo de estudar e de passar com minha gata Alasca, mas que gasto escrevendo essa coisa maravilhosa com vocês). Eu leio todos os comentários, leio todas as recomendações e até mesmo aquelas que vocês dizem ser brincadeira. Não se surpreendam caso alguma coisa que tenham comentado apareça nos próximos capítulos. Meu trabalho é trazer fan service para vocês.

Obrigado até vocês, fantasmas, que perambulam por aí lendo minha história.
É um prazer ter vocês (eu também sou fantasma em muitas histórias, entendo vocês).

Não saiu de noite, saiu uma da manhã, mas o que vale é a intenção.

Se esse capítulo chegar a 10 comentários ou mais, posto mais um amanhã de manhã.
Agora, boa leitura e feliz 50 capítulos.

Capítulo 50 - The senior king


Fanfic / Fanfiction 50 tons de Draco Malfoy - DRARRY - Capítulo 50 - The senior king

CAPÍTULO 50

THE SENIOR KING

 

— Bem-vindos a Noite de Máscaras – Luna Lovegood esticou o braço.

Harry piscou. Era impressão ou Draco estava completamente pelado, com seu pau mole, mas ainda grande, caindo pela coxa e usando apenas uma coroa? O garoto ainda não tinha visto que ele estava parado bem ali, só de cueca. Mas nem Harry iria perceber. Seus olhos corriam diretamente para o garoto pelado sentado no centro, usando uma coroa mais brilhante e aparentemente mais pesada que a dos outros. Harry tinha que confessar que o rei do terceiro ano estava em um nível bem mais superior que os dois primeiros.

Era negro. Dos pés a cabeça. Os cabelos escuros cresciam para cima, não muito armados, mas que já lhe dava um charme considerável. Seu corpo inteiro era torneado, suas coxas grossas e definidas, o corpo simetricamente de acordo com o resto do corpo, os músculos definidos e duros, nada muito exagerado e nem muito sem graça. Tinha um sorriso falso no rosto, de dentes brancos brilhantes, mas que, mesmo assim, lhe deixava sendo o mais bonito do lugar. E, claro, não poderia deixar de notar o grande pênis que parecia cair por entre suas pernas. Estava mole, como os dos outros, mas que tomava conta de uma boa parte da coxa. Harry não se surpreenderia se, quando duro, passasse do seu umbigo.

Estava quase babando no garoto negro quando Rony o puxou pelo braço.

— Não olha agora – Rony o empurrou para o canto do clube que as luzes coloridas não o iluminavam -, mas o Draco está com uma garota.

Harry bufou, empurrando o amigo para o lado. Ainda na escuridão olhou para Draco, que sorria para uma garota de cabelos loiros e volumosos, que tinha uma bunda tão grande que praticamente engoliu as coxas de Draco. O pau do loiro ficou tão duro quanto uma pedra.

— Isso já é normal – Harry disse, sem qualquer tipo de preocupação na cabeça. — O problema é ele não ter me convidado para vir com ele. Draco tá achando que o meu nome é Shae e que sou uma puta, só pode!

Rony olhou de esgoela para Draco e depois para o rei no topo.

— Você viu o negro ali?

Harry balançou a cabeça. — Ele deve ter um nome.

— Claro que ele tem – Rony revirou os olhos. — Mas chega ser errado dizer o nome dele em vão. Olha o tamanho daquela cobra. Se eu fosse como você, eu com certeza estaria me cagando de vontade de sentar naquilo.

— Como eu? – Harry soltou uma risadinha. — Você é tão manja rola quanto eu, Rony. Como é o nome dele, afinal?

Rony balançou os ombros. — Descobre. Já disse que não vou falar o nome dele em vão. Ei, se você vir a Mione se encanando com o Córmaco, pode tirar ela de perto dele? Obrigado...

 — Aonde você vai? – puxou seu braço antes que ele desaparecesse na fumaça e no escuro. Rony estava quase voando, parecia preocupado em seguir alguém com olhos. Harry não via ninguém.

— Preciso encontrar aquele guri da porta. Ele apertou o meu pau quando tirou minhas calças. Acho que ele está querendo meu ruivinho. Até depois, Harry. Não se esquece do negócio da Hermione.

O ruivo saiu correndo atrás de quem ele queria foder naquela noite e Harry ficou ali, olhando de canto olho seu namorado foder uma menina bem na sua frente. A menina gemia de forma escandalosa e pendia a cabeça para trás, como se estivesse em uma montanha russa. Tudo bem, Draco era tão bom fodendo quanto o seu pau era gozando, mas ele era a sua montanha de russa de emoções e não de uma galinha esfolada. Tinha certeza, porém, que Draco estava fazendo apenas por dever... E um pouco de prazer, tudo bem.

Mas o loirinho continuava amando o moreninho, não é?

Harry não sabia organizar seus pensamentos direito. Olhou ao seu redor, não tinha ninguém que pudesse lhe comprar uma bebida, estava totalmente sem grana. Neville era a única pessoa que conhecia das aulas, mas ele estava interessado em desfazer e amarrar os cadarços dos tênis várias e várias vezes. Nem sinal de Hermione ou até mesmo de Luna. Ótimo, estava sozinho no meio da fumaça tendo que ver seu namorado comer uma gazela.

Ótimo.

Desviou do campo de visão de Draco e fez a volta nos três “tronos” no centro do lugar. Havia mais três corredores lotados de pessoas, bebidas e putaria atrás daquele pequeno hall. Chegou a ver Rony sentado em um sofá com o garoto em cima dele, quicando como se fosse a última rola que teria na vida. Hermione também estava por ali, entre dois grandes garotos do terceiro ano, os braços tão grandes quanto a bunda dela, pareciam dois gigantes querendo entrar em uma pequena caverna na montanha.

Ele se aproximou e ficou em frente à garota. — Hermione.

A menina não disse nada, continuou a beijar um dos garotos enquanto o outro mexia os dedos freneticamente dentro da saia dela. Os volumes nas bermudas deles não eram tão grandes e Harry já sabia onde aquilo iria acabar. Hermione saindo brava daquele sofá por ter dado chance para dois funis de pinto pequeno. Clássico.

— Mione – continuou a chama-la.

A menina soltou os lábios de um deles. — Estou aqui beijando o Big João, enquanto o Little João está me masturbando e você está atrapalhando o meu tesão, Harry. Eu espero que seja por um bom motivo.

— Você tem dinheiro?

Ela olhou séria para ela. — É isso mesmo? Você atrapalhou uma transa para pedir dinheiro?

— Isso não é uma transa...

— Não importa! – ela gritou. — Big João.

Ela bateu no braço daquele que ela chupava. Ele tirou sua carteira do bolso e entregou toda para Harry, que olhou assustado para a amiga. Ela levantou os ombros. — Gasta, gasta tudo, Harry. Gasta e sai minha frente. Eu tô tentando gozar aqui.

Harry balançou os ombros, colocou a carteira no bolso e deu a volta em direção a Rony. Ele segurou o ombro do garoto que estava quicando nele e olhou para Rony. — Oi, Rony.

O ruivo soltou um suspiro. — Você está cuidando a Mione?

— Mione? – disse o menino que estava quase soltando gases pelo pau de tanta excitação. — Quem é Mione?

— Você precisa me pagar para fazer isso – Harry cruzou os braços. O amigo tirou uma nota de cinquenta da carteira e lhe deu. Harry soltou um muxoxo. — Só isso? Preciso demais. Vodca é cara.

Rony tirou uma nota de cem. — É tudo o que eu tenho. Vai.

— Obrigado, querido – disse, colocando junto com a carteira do Big João. — Cuidado com as DSTs Rony. Elas sempre são mais fáceis de proliferar em viados burros como você.

Enquanto voltava para o bar, escutou o menino dizer indignado a Rony. — Eu achei que você fosse hétero. Se fosse para transar com viado estava transando com outra pessoa. Licença.

— Não, calma aí – Rony o segurou pelos quadris, ainda com o pau dentro dele. — Eu sou hétero. Mas já comi os dois garotos na minha vida. Não tem problema. Eu ainda prefiro as meninas. Só estou te usando como produto, lembra?

Rony achava que o garoto era idiota ou o quê? Harry riu de sua cara, juntando mais de trezentos euros em sua mão. No bar, um aluno do segundo ano estava vendendo as bebidas. — Uma vodca.

O menino balançou com a cabeça. — Clássica ou da casa?

Harry meneou a cabeça. — Tem alguma diferença entre essas duas?

O garoto abriu os lábios, mas as palavras vieram de outra boca. Harry virou-se, com um arrepio subindo pela sua espinha. Era o rei do terceiro ano, pelado e em pessoa, sorrindo para ele e encostando-se no balcão.

— A de casa está batizada – ele respondeu. — Eu mesmo fiz questão de escolher o que foi e o que não foi ali dentro. Você deveria experimentar.

Harry não disse nada. Estava nervoso demais para isso.

— Um pouco de relaxantes, algum tipo de pó que estão usando por agora. Entorpecentes, LCD. Algumas coisas bem legais e outras bem pesadas. Você vai gostar.

Harry concordou com a cabeça. — Eu vou ficar loucão?

Maravilhoso, Potter. Maravilhoso. A primeira coisa que você pergunta para o rei do terceiro é se você vai ficar doidão. O que você tem na cabeça, viado? Rola?

O homem sorriu perante o rosto abobado de Harry. — Eu acho que você nem precisa tomar isto. Seu rosto já diz que você é “loucão” por natureza. Uma vodca comum, por favor. Por minha conta.

Harry ficou vermelho no escuro. — Obrigado...

— Eu costumo pagar alguma coisa para aquelas pessoas que vejo pela primeira vez. E pela primeira vez é alguma coisa que não envolva uma cama ou uma droga. Tome sua bebida.

Harry segurou o copo gelado em sua mão, sentindo um frio tomar conta de seu corpo. Os dois ficaram se olhando por um tempo, mas não era um olhar de quem estava com uma vontade louca de foder, mas um olhar de quem se interessava por uma pessoa que nunca havia visto na vida.

— Lee Jordan, rei do terceiro ano, prazer – disse o garoto, esticando seu braço.

Não diga seu nome em vão, não diga seu nome em vão. — Prazer, Harry Potter.

Os olhos de Lee Jordan brilharam e não foram as luzes coloridas no teto. Ele sorriu novamente, mas agora já não era mais aquele sorrido forçado. Era um sorriso de interesse, Harry conhecia os sorrisos de interesse. Ele sabia muito bem como usá-los, mas Lee... Harry sentiu aquele calor só de vê-lo sorrir daquele jeito. O que estava acontecendo?

— Você é o príncipe do primeiro ano... – disse Lee Jordan, com calma a calma e um sorriso.

— Príncipe...?

— Você não namora o Draco? – Harry concordou com a cabeça. — É, demora um pouco para se acostumar com isso. Eu ainda não me acostumei e eu sou rei há três anos.

Harry ficou levemente aturdido. — Dois anos no terceiro?

— Não, não. – ele riu. Uma risada gostosa. — Fui rei do segundo, agora do terceiro. Infelizmente não consegui ser rei do primeiro, mas não tem problema. Eles não têm muita importância.

Harry ficou mais aturdido. — Desculpa?

— Não, me desculpa. Eu não quis falar mal do Draco. Que isso. Ele é um ótimo amigo. Se eu te contar que a gente namorou por um tempo você acredita?

Harry olhou para o loiro que agora comia uma morena enquanto uma loira passava seus peitos no rosto dele. — Não, com certeza não. Então, Lee...

Não diga seu nome em vão.

— Vossa Majestade – se curvou, rindo e sorrindo. Estava brincando claro. Viu o pênis do garoto mole em sua frente. Tão mole, mas tão grande. — Nunca te vi pela escola.

Lee percebeu que Harry tinha um pequeno interesse em seu pau. Não fez nada.

— Eu estive fora. Problemas pessoais. Mas eu tenho certeza que você sentiu minha presença. Sou um ser onipresente e onipotente. Sou como um deus, só que negro e com um pau grande.

Harry riu.

Mas de nervoso.

Grande pra caralho.

 

Ilarie, ilarie, ilariê

OH OH OH

 

— Você é uma preciosidade – Lee Jordan passou os dedos pelo rosto de Harry e os desceu até o seu peito. — Tão branquinho. Somos opostos. A gente combina. Ei, não precisa fazer essa cara. Eu não vou te beijar agora.

Me beija, porra. Me fode.

— Bem, tu parece uma pornô – Harry comentou.

PORRA, Harry. De novo. Só fala merda.

Lee Jordan soltou uma risadinha sarcástica e se aproximou, colocando seus lábios perto das orelhas de Harry, que se arrepiou por inteiro. — Você sabe que eu sou o Rei e que se eu pedir você tem que fazer, né?

Aqueles malditos arrepios de novo.

Quero mais.

— Harry – uma voz surgiu nas suas costas.

Virou-se. Draco estava bem pleno, uma mão em seu pau, que parecia estar amolecendo, e a outra coçando seu cabelo. — Você conheceu o nosso rei supremo, então.

Lee Jordan abriu um sorriso.

Draco Malfoy abriu um sorriso.

Harry queria abrir as pernas.

— E você a boceta de duas garotas – Harry disse, com certa força em sua voz.

O rei do terceiro ano soltou uma risada, rindo da cara de Draco, que estava levemente surpreso com o namorado. Ele puxou Harry pelo braço: — Você nem era para estar aqui!

— Você não quer sair com o teu Príncipe? – ele queria dizer alto o suficiente para que Lee escutasse, mas preferiu sussurrar. — Estou aqui, desculpa, baby.

— Eu justamente queria que você não conhecesse ele – Draco apontou com os olhos para Lee. — Ele não é uma boa companhia pra ti. Acredite em mim. Acredite no seu namorado.

Harry gargalhou. — Está com ciúmes de mim ou dele? Eu ouvi dizer que vocês dois namoravam, mas agora nós dois estamos namorando. Isso está me deixando confuso.

— Você bebeu?

— Não. Nem toquei nessa vodca ainda. Eu estou puta, Draco. Puto. Nós deveríamos começar a andar como namorados, mas você fica me excluindo das coisas. Quer saber? Acho que a companhia da cobra do Lee Jordan é melhor do que a da sua minhoca.

Draco foi quem riu. — O que Cedrico te disse? O que ele fez com essa tua cabecinha? – se aproximou e abraçou o namorado, colocando a cabeça de Harry em seu peito. — Você tem que parar de escutar Diggory, ele só bosteja pela boca. Ele gritou “Bolsopresidente” na sala de aula o ano passado.

Harry sorriu.

— Ei, Potter – Lee Jordan disse, com o copo de vodca na mão. — Acho que tem alguém te chamando lá na suíte presidencial.

Draco soltou um suspiro. — Desculpe Lee, mas o Harry vai passar o resto da noite comigo. Certo, amor?

Harry olhou para Cedrico. Ele estava passando os dedos no corpo de Córmaco. Sorria para ele de forma ameaçadora e as palavras dele de mais cedo voltaram, contudo. Olhou para Draco e então para Lee, que lhe estendia a mão. Estava com o rosto no peito mais lindo que já havia visto e sentindo a respiração pesada de Draco levantar seu rosto. Mas estava segurando a mão de um garoto que estava mexendo com todo o calor de puta dentro de seu corpo.

Indecisão era o nome.

— Harry – escutou a voz de Hermione. A garota estava parada atrás deles, observando a situação.

— Harry – disse Rony. Estava ao lado da namorada, com uma grande garrafa de vodca nas mãos e um cigarro em um dos dedos.

Puta que pariu Merlin tinha que envolver o olhar crucificador dos amigos também? Suspirou fundo. Levantou os olhos, beijou Draco, mas segurou firme a mão de Lee Jordan.

— É pra você aprender a deixar de ser babaca – sorriu para o namorado.

— WOW! – Hermione e Rony gritaram ao mesmo tempo, vendo Draco, de cara fechada, observar o namorador caminhar com Lee. — WASTED.

Draco empurrou Rony e foi atrás de Harry.

— Você está querendo discutir, Harry?

Harry virou-se para Draco. Lee estava apenas sorriso com sua grande rola pendurada no meio das pernas. Harry estava com o rosto vermelho. Gostava de ver Draco daquele jeito, tão ciumento e tão puto.

Lee abraçou Harry por trás e colocou sua mão envolta de sua cintura.

Draco ficou vermelho.

— CORRE, NEGADA! VAZOU GAME OF THRONES – gritou Luna Lovegood, aparecendo do nada. Todo mundo começou a correr desesperadamente. Harry, Lee e Draco continuaram se olhando. — Vocês não ouviram? Vazou episódio de Game of Thrones. Isso é codinome pra emergência, porra! CADÊ O MEU SHAWN?

Hermione correu até Harry e o puxou. — Precisamos sair daqui. Alguns alunos do fundamental estão na festa e a diretora de lá tá puta. Não sei como conseguiram entrar. Vamos, Harry.

Harry olhou para o namorado, para Lee Jordan e então saiu correndo com Hermione e Rony. Draco se aproximou de Lee, apontou o dedo em seu rosto e gritou no meio da gritaria: — Nunca mais encoste em Harry.

Lee lhe deu um beijo. — Você sente a minha falta, amor. Eu sei.

O rei do terceiro ano foi cercado por vários alunos que o protegiam. Draco também foi, por uma quantidade menor, assim como Córmaco. Viu Harry sair por uma porta suspensa na parede, estava indo ao caminho contrário. Teria que conversar com ele pela manhã.

— O que deu na sua cabeça, Harry? – questionou Rony, fumando um baseado. — Você viu a cara que o coitadinho do Draco ficou quando você escolheu o Negro da Rola Grossa?

Hermione revirou os olhos. — Bem feito para aquele loiro de pau seboso. Tem que aprender. Fazia a mesma coisa quando era eu ele. Alguém viu a Luna? Ela deve estar correndo atrás daquele cara imaginário.

— Eu acho que não... – disse Cho Chang, perto deles.

No meio da correria, alguém atravessou a mesma porta suspensa que dava em direção ao pátio lateral. Luna estava sendo carregada por um garoto alto e forte, com os cabelos ondulados e...

— Puta que pariu... – disse Hermione.

— É ele – continuou Rony.

— Shawn Mendes – completou Harry.

Luna soltou uma risadinha para eles, sendo carregada por aquele puta homem enquanto eles escutavam gritos de alguns alunos ainda dentro do lugar.

— Hermione! – disse uma voz fina ao fundo.

Os três se viraram.

— Rose! – exclamou Mione. — O que você está fazendo aqui... Ah. Vocês são os alunos do fundamental?

Ela estava ao lado de dois garotos, mais alto do que elas, mas com uma cara de inocentes. Certamente eles deveriam estar apenas seguindo o que ela havia mandado. Eles não eram muito mais novos. Tinham quinze anos, mas já mostravam suas caras de safado. Isso Rony conseguia ver.

— Esses são Teddy e James Sirius – Rose explicou, apontando cada um dos garotos ao lado dela. Ela parecia bastante assustada com o que estava acontecendo, apesar de ter um olhar irônico nos olhos. E o sorriso então... Muito Hermione. — A gente precisa de um lugar para se esconder. Qualquer lugar. Até amanhã. Eles não podem mesmo nos achar.

Hermione olhou por todos os lados. — Okay. Mas só dessa vez. Promete que não vai mais me encher o saco com isso? Nem te ajudei, mas já tô com raiva. Rony, Harry, vão para os dormitórios de vocês e levem esses dois garotos aqui. Eu escondo Rose.

Rony e Harry se olharam. — Merda.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado do capítulo e de saber que o Lee Jordan é o nosso rei principal.
Caso vocês queiram saber como eu imagino ele, procurem pelo ator Keiynan Lonsdale, ele é lindo e bissexual <3
Desculpa pela demora, aliás.

Se esse capítulo chegar a 10 comentários ou mais eu posto mais um amanhã bem cedo.

Boa noite, amiguinhos.
kisses


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...