História 50 tons de Dylan - Capítulo 3


Escrita por: ~

Exibições 144
Palavras 1.972
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello, boa noite <3
Enjoy.

Capítulo 3 - Grey


Fanfic / Fanfiction 50 tons de Dylan - Capítulo 3 - Grey

P.O.V Thomas.

 Eu gosto de pensar que ainda existem pessoas boas no mundo, é como uma ideia reconfortante, para que as coisas não fiquem sem sentido. Gosto de saber que pessoas como Dylan O’Brien existem, gente rica que se preocupa com a sociedade, isso mostra que a humanidade não está tão mesquinha como eu pensava.

Tem dias que simplesmente não conseguimos pensar em nada, é como se tudo te distraísse, e eu sei exatamente por que estou assim. Dylan O´brien me conhece a menos de uma semana e já está me deixando completamente desorientado. O fato é,  nunca me apaixonei de verdade por alguém portanto não sei como é me sentir assim, mas esse homem está mexendo tanto com o meu psicológico... Eu preciso desesperadamente tirar ele da minha mente.

Quando chego em casa sou recebido com um abraço apertado de Kaya que até estrala os meus ossos.

-Até que enfim chegou! –Ela diz.

Kaya pega na minha mão e me  puxa para sentar no sofá junto de Ki.

-Eu tenho tanta coisa para contar pra vocês! Vou começar pelo navio que era incrível, tinha tanto homem sem camisa que puta que pariu, voce ia gozar só de olhar Tom.

Olho para ela constrangido, estou mais vermelho que um pimentão.

-Para com isso Kaya, o Thomas vai ser hetero. –Disse Ki, eu não me importo com essa insistência dele por que sei que ele me ama do jeito que eu sou.

-Nada disso, ele é gay. Continuando, tinha uns caras com tatua...

-Ele gosta de mulher, só que a convivência com voce está o deixando um pouco lesado, mais do que ele já é.

-Ei, eu não sou lesado ! –ME defendo, mas os dois parecem preocupados demais em definir a minha sexualidade e me ignoram completamente.

-Eu nunca influenciei na decisão do Tom, e quer saber de uma coisa? Ele é gay por que de tanto voce falar de peitos ele começou a ter nojo.

-Ele não tem nojo de peitos! Ele ama peitos!

Reviro os olhos.

-Os únicos peitos que ele ama são os meus.

Ki solta uma gargalhada irônica.

-Voce está sendo egoísta.

Kaya estava pronta para rebater quando eu levantei as mãos no ar e disse:

-Da pra vocês pararem? Eu tive um dia cheio, a única coisa que eu quero é um banho e um pouco de paz, é pedir muito?

Os dois se calaram e me lançaram um olhar de desculpa.

-Eu preparo o jantar. –Disse Ki.

-E eu te ajudo no banho!

-Não deixe ela se aproveitar de voce.

Sorrio para os dois, são completamente idiotas mas são as pessoas que eu mais amo no mundo.

Vou para o meu quarto seguido pela Kaya e jogo minha pasta sem nenhum cuidado na cama e começo a tirar a minha roupa. Quando estou apenas de boxer dois braços envolvem a minha cintura, Kaya encosta seu rosto nas minhas costas e fecha os olhos, eu entrelaço nossos dedos e respiro fundo.

-Eu senti a sua falta. –Ela diz.

Fecho meus olhos e sorrio.

-Eu também senti a sua.

Eu amo esses momentos Kaya, chamo- os assim por que são únicos, apenas ela faz com que eu me sinta tão bem e amado, ela é o meu porto seguro, é a pessoa que eu não conseguiria viver sem.

-Vai, me conta o que aconteceu enquanto eu estive fora.

Nos soltamos e deitamos na cama, estou exausto, tive um dia cheio e na minha mente só prevalece um pensamento... Dylan.

-Nada de mais, voce sabe que os melhores momentos são com voce.

-Anw. –Ela diz e beija a minha bochecha. –Eu te amo Tom, mas voce pode desembuchar.

Reviro os olhos.

-O que voce quer que eu conte?

-Não tente me enrolar, eu sei que aconteceu algo, da pra notar.

-Kaya, la vem voce com esse sexto sentido.

-Thomas Sangstes, voce está sorrindo, seus olhos brilham mais, o que foi que aconteceu?

Sorrio, aconteceu que eu encontrei um homem lindo e quero desesperadamente descobrir como ele é por tras de todo aquele terno.

-Está corado.

Coloco as duas mãos no rosto com vergonha.

-Tudo bem, voce vai falar por bem ou por mal?

-Kaya... –Resmungo.

-Um. –Ela diz e trilha um caminho com os dedos da minha cintura até meu peito nú. –Dois.

-Não se atreva!

-Três.

Eu explodo em risadas, Kaya corre seus dedos por toda a extensão do meu abdômen até o meu pescoço fazendo cosquinhas, ela sabe que eu sou sensível ao toque e faz de proposito.

-Pa- par. –Não sou capaz de completar, minha risada se torna infinita.

Com muito esforço consigo segurar as duas mãos dela.

-Tudo bem, eu me rendo! –Falo jogando as minhas mãos para cima.

Ela arqueia as sobrancelhas para mim e me encara.

-Eu conheci uma pessoa.

Seus olhos se arregalam, por um estante penso que eles vao saltar do seu rosto.

-Eu sabia! –Ela diz. –Eu Sabia! Quem é?

-O nome dele é Dylan. –Digo

-É da faculdade?

-Não.

-É do trabalho?

-Não.

-Qual o sobrenome?

Hesito por alguns segundos, ela com certeza vai rir e tirar sarro de mim.

-O´brien.

Ela franze as sobrancelhas.

-Dylan O´brien? –Pergunta e eu faço que sim com a cabeça. –O empresário gato que um dia vai ser meu marido?

Reviro os olhos.

-Ele não vai ser seu marido.

-Claro que vai. Quem não iria se apaixonar por uma mulher maravilhosa de olhos azuis  como eu?  -Ela joga seus cabelos para o lado se gabando.

-Me poupe Kaya.

-Eu to brincando. Mas porra, como foi que vocês se conheceram?

-Então, lembra da entrevista que o Minho tinha que fazer?  -Ela faz que sim. –Eu fui no lugar dele, acabei pegando o numero do O´brien e hoje ele apareceu la na loja pra comprar umas coisas.

-Espera, como assim ele apareceu na  loja?

-Ele disse que estava fazendo uma reforma e precisava comprar umas coisas. E também disse que posso marcar uma sessão de fotos para a reportagem do Minho ficar melhor.

-Fala serio! Que desculpa mais esfarrapada.

-O que? –Pergunto. –Como assim desculpa?

-Tom, meu amor, voce é tão inocente!

Olho para ela desconfiado.

-Kaya, do que está falando?

Ela me lança um sorriso pervertido.

-É claro que ele só foi la para te ver Tom.

-O que? Nada haver Kaya, ele nem se importa comigo.

-É o que veremos. –Ela diz baixinho.

-O que disse?

Ela revira os olhos como se fosse algo obvio.

-Voce já contou para o Minho sobre as fotos? -Eu fiz que não com a cabeça. -Então depois que tomar banho nós contamos e ai voce liga para o Dylan e marca o horário com ele.

Reviro os olhos para ela e levanto da cama.

-Ta bom, mamãe.

                                                                              *****

Saio do banho já com a minha boxer de dormir, ela é escura e um pouco mais larguinha, daquelas que nos deixa bem a vontade, se é que me entendem.

Quando volto para o quarto Kaya já não está mais la. Abro o meu guarda roupa e pego uma escova para pentear o meu cabelo, uma luz brilhante chama a atenção da minha visão e eu me viro para ver o que é. Encontro o meu celular desbloqueado encima da cama e acho estranho, não mexi nele desde quando cheguei em casa, resolvo ignorar e bloqueio a tela.

Pego um cobertor e vou para a sala onde encontro Kaya e Minho conversando animados sobre alguma coisa, quando eu chego eles estranhamente se calam e ficam me olham como se soubessem de um segredo muito obscuro.

-O que foi? –Pergunto.

Eles se entreolham e abrem um sorriso perverso.

-Senta aqui Tomizinho. –Minho fala e aponta para um lugar ao seu lado no sofá.

Desconfiado me deito entre os dois e coloco minha cabeça no colo de Minho que fica mexendo no meu cabelo.

-Voce não tem nada para me contar Thomas?

Fecho os meus olhos, estou tão cansado...

-Nada sobre Dylan O´brien?

Dou um pulo de supetão e acabo assustando os dois. Olho para Kaya com cara feia, ela contou para ele primeiro que eu!

-Dylan pediu para marcarmos uma sessão de fotos na sexta!

-Ta brincando?! –Pergunta Minho, ele não conseguia conter sua felicidade. –Aimeudeus! Eu não acredito!

Ele me abraça forte e começa a distribuir beijinhos por todo o meu rosto.

-Com essas fotos eu posso até conseguir uma promoção, com certeza eles vão me promover! –Ele beija a minha bochecha mais algumas vezes. –Eu te amo loirinho!

Kaya aproveita o clima e também me abraça, damos então o típico abraço coletivo.

-Eu amo vocês. –Digo.

Nos afastamos e eu pego um pote de sorvete que estava do lado do sofá e começo a comer.

-Então, que horas fica melhor ?

-Acho que nove horas está bom. Kaya, voce pode fotografar? -Pergunta Minho.

-Claro. -Ela responde. -Aproveito e peço para ele tirar a camisa, quem sabe a calça também...

Arregalo os olhos para ela e Minho faz o mesmo.

-Nem pense nisso Kaya Scodelario. Essas fotos tem que ficar perfeitas, se eu ganhar uma promoção meu salário vai multiplicar.

-E voce pode comprar roupa nova pra mim se quiser. -Falo dando uma piscadela para ele.

-Vou pensar se voce merece. -Ele pisca para mim de volta.

-PELOAMORDEDEUS! Se peguem logo. -Kaya joga as mãos para o céu como se estivesse pedindo para que uma graça acontecesse.

-Nunca. -Digo para ela.

-Agora falando sério gente. Vai ser sexta, nove horas, no estúdio da Kaya?

Kaya concorda com a  cabeça e faz uma cara maliciosa para mim.

-Agora o Tom só tem que ligar para ele e confirmar.

-Vou fazer isso bem longe de voces. -Digo.

Vou para o meu quarto e me certifico de que eles não estão escutando atrás da porta, quando tenho certeza pego o meu celular e disco o número do Dylan.

O telefone toca uma, duas, tres vezes e cai na caixa postal. Disco de novo e começo a morder meu labio inferior, é uma mania que eu tenho quando fico nervoso. Ele atende no quarto toque.

-O´brien. -Diz, com a voz séria, digna de um CEO.

-Oi Dylan, aqui é o Thomas Sangster. Você me passou seu número e disse eu poderia marcar uma sessão de fotos para sexta feira. -Faço uma pausa.

-Sim, eu me lembro. -Diz. 

-Eu conversei com o meu amigo Minho, ele marcou para nove horas no estúdio da nossa fotografa Kaya Scodelario. Pode ser esse horário?

-Claro.

-Tudo bem. Vou mandar o endereço para você por mensagem.

-Claro. Preciso usar algum traje especial?

Sorrio com a pergunta.

-Não precisa, apenas use o traje Dylan O´brien Grey e estará ótimo.

Ele ri do outro lado da linha e todos os pelos do meu corpo se arrepiam. Até sua risada é sexy!

-E o que seria ´traje Dylan O´brien Grey´ ?

Eu sorrio.

-Só seja você mesmo. Use as roupas que você gosta e tenho certeza que ficará ótimo.

Percebo que ele está sorrindo de novo.

-Tudo bem, está combinado Thomas.

Eu sei que deveria desligar mas alguma coisa me fez continuar a conversa.

-Porque você me chama pelo primeiro nome? -Pergunto.

-Porque eu posso. -Ele diz e eu fico boquiaberto. -Tenha bons sonhos, Thomas.

-Se forem com você... -Sai automático, e coloco a minha mão no pescoço me enforcando de leve.

Ele gargalha do outro lado, deve estar me achando um completo idiota.

-Você está se comportando de maneira inadequada. -Ele diz. EU-QUERO-ME-SOCAR.

-Boa noite, Sangster.

-O´brien.

E com a única dignidade que me resta desligo a ligação.

No resto da noite assisto filmes com meus dois melhores amigos e fico me punindo mentalmente pelo que eu disse, certo de que não terei coragem de encara-lo na sexta feira.

Durmo relativamente bem, mas alguns sonhos com um certo senhor de olhos pretos invadem a parte mais pervertida da minha mente.

 


Notas Finais


COMENTEM!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...