História 50 Tons de Preto - Capítulo 17


Escrita por: ~ e ~RainhaHomicida

Postado
Categorias In This Moment, Marilyn Manson, Motionless In White, New Years Day
Personagens Ashley Costello, Christopher "Chris Motionless" Cerulli, Devin "Ghost" Sola, Joshua Balz, Maria Brink, Marilyn Manson, Personagens Originais, Richard "Ricky Horror" Olson, Ryan Sitkowski, Vinny Mauro
Tags 50tdp, Damablood, Ghost, Motionless In White, Originais
Visualizações 9
Palavras 1.599
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - Thank you for being so obscene.


Fanfic / Fanfiction 50 Tons de Preto - Capítulo 17 - Thank you for being so obscene.

— Hey baby, oque foi? - Ele perguntou enquanto acariciava meus cabelos. — Só estou repensando minha vida nos últimos quinhentos anos - disse em tom de brincadeira mas era verdade, forçava minha mente a tentar se lembrar do passado, eu precisava daquilo. - Vamos esquecer isso por hoje ok? Esta noite vou fazer você se sentir especial como verdadeiramente é - Ele diz e porra, Ryan era sempre tão amoroso comigo que na maioria das vezes eu achava que não merecia alguém me amando, ou seja lá oque ele sentia por mim, assim. — O que vamos fazer? - perguntei curiosa e ele disse que não iria falar.

— Mas agora vamos ao shopping fazer algumas compras. - Ryan diz e nós dois subimos, tomando banho e trocando de roupa e logo saímos de casa indo para o shopping, durante todo o trajeto conversamos sobre coisas diversas até chegarmos no estacionamento do maior shopping da cidade, quando descemos do carro vários paparazzis começaram a fazer seus cliques, eles deviam se perguntar oque a mulher de Devin estava fazendo com Ryan em um shopping. Ryan percebeu as fotos e pegou em minha mão, entrelaçando nossos dedos depois se virando para mim e me beijando o bastante para que tirassem muitas fotos, minhas bochechas ficaram da cor dos cabelos de Nicole ou até mesmo pior enquanto adentravamos o shopping.

— Espero que isso não tenha te incomodado ou coisa do tipo... - Ele disse nervoso e apreensivo. — Não, claro que não, eu gostei. - Disse lhe dando um sorriso que ele devolveu, era raro Ryan sorrir abertamente mas quando acontecia, porra, ele tirava o chão de meus pés. Nós andamos muito e compramos muito, coisas lindas, tanto eu quanto ele, mas oque mais havia gostado e pelo visto ele também era uma lingerie preta com renda vermelha e um vestido preto rodado, suas mangas eram no ombro e seguiam para um decote não muito generoso mas que deixava os seios em destaque, Ryan havia me falado que no passado eu tinha um vestido quase como aquele, que gostava de usar no verão. Enquanto estavamos no caixa, o homem tatuado me abraça e sorrio.

—  Quando chegarmos em casa e você for experimentar a lingerie eu quero ver ok?

Ele sussurrou em meu ouvido e sorri mordendo lábio confirmando. Depois de mais algumas compras voltamos para casa e eu estava ansiosa para mostrar a lingerie a Ryan, será que ele iria gostar? Subimos para o quarto e ele se senta na poltrona que havia no canto do quarto, lhe dou um sorriso meio pervertido que ele devolve rapidamente e aquilo já foi o bastante para me deixar em chamas, entro no banheiro e me troco, me olhando no espelho alguns segundos, acho que estava bonita. Saiu do banheiro e ele me olha como um predador observa sua presa, seus olhos transbordam a mais pura luxúria, Ryan me olha de cima a baixo, analisando cada parte de meu corpo até girar seu dedo indicador no ar, me mandando dar uma volta e eu fiz, quando estava de costas ele se aproximou e apertou minha cintura me fazendo suspirar, suas mãos desceram por meu quadril até minha bunda aonde Ryan a agarrou com ambas as mãos e dando um tapa forte em cada uma das nádegas e eu solto um gemido baixo em resposta, o moreno subiu uma de suas mãos e a envolveu em meus cabelos os puxando com firmeza, mas delicadeza, para o lado me fazendo tombar a cabeça, lhe dando total acesso a meu pescoço, Ryan ataca o local começando a distribuir beijos e chupões por ali, porra ele havia descoberto um de meus pontos fracos, sentir sua língua quente e sua barba aspera me fazia suspirar, sua outra mão desliza até minha calcinha adentrando a peça com seus dedos tocando minha intimidade já totalmente encharcada, soltei um gemido um pouco mais alto mas ainda baixo, passando ums de minhas mãos pelos cabelos de Ryan que estava totalmente colado em mim, olho para ele pelo espelho a qual estávamos enfrente e ele me olha ao mesmo momento, seus olhos estavam negros, dominadores e completamente loucos por mim. Ryan me joga na cama sem muita delicadeza oque me faz morder o lábio. 

— Essa lingerie ficou maravilhosa em você, porém, eu te prefiro sem ela e gemendo meu nome. - Ryan disse sorrindo e atacou meu pescoço novamente dessa vez dando mordidas e chupões mais violentos, passo minhas unhas por toda as suas costas e começo a retirar sua camiseta a qual me livrei de uma vez, o homem retira meu sutiã e desce com sua boca por todo o colo de meu peito até chegar a um de meus seios aonde Ryan o abocanhou começando a suga-lo, uma de suas mãos foi até o outro seio começando ali a brincar com ele, o massageando e apertando, eu por minha vez soltava gemidos e suspiros baixinhos, sentindo minha intimidade pulsar cada vez mais por ele, passo minhas mãos por seus cabelos começando a brincar com eles, depois de poucos minutos sem perder tempo Ryan começou a descer por toda a minha barriga até chegar a minha calcinha, depositou um beijo em minha intimidade ainda coberta e já era possível sentir o quão molhada estava pela calcinha, gemi baixinho diante de seu beijo, porra eu precisava senti-lo sem estar chapada, precisava me lembrar com todos os detalhes e sensações daquela noite, ele retirou minha calcinha sem muito rodeio e passou sua língua por todo o cumprimento de minha intimidade, suspirei e agarrei seus cabelos levemente, Ryan começou a explorar minha intimidade com sua língua e a passar seu barba por minha vulva, seus olhos observavam todas as minhas reações, os gemidos, minha boca formando um perfeito "o", logo dois de seus dedos adentraram minha intimidade me fazendo gemer um pouco mais alto, ele começou os movendo de forma lenta mas depois de poucos segundos seus movimentos eram rápidos e me faziam delirar, depois um tempo naquilo eu gozei em um gemido um pouco mais alto e Ryan sorrio retirando seus dedos de dentro de mim e os levando até minha boca enquanto ele cuidava de "limpar" toda minha intimidade. Quando ele terminou, se sentou na beira da cama e eu sabia oque tinha que fazer, desci dali e me coloquei de joelhos em sua frente olhando nos olhos de Ryan enquanto apertava seu membro ainda coberto oque o fez suspirar, retiro seus coturnos e sua calça me dando uma visão de seu membro já totalmente marcado na box preta e porra, meus parabéns Ryan, sorrio e passo língua por toda a sua extensão ainda coberta, ele solta oque mais parecia um rosnado e aperta seus olhos agarrando meus cabelos.

— Não enrole Helena, por favor. - Seu tom era autoritário apesar do seu pedido e eu não ia desobedece-lo, retirei sua cueca e seu membro saltou para fora me fazendo morder o lábio e passar minha língua por toda sua extensão, até chegar a sua glande aonde eu pensei minha língua sugando levemente, desço minha boca por todo o membro de Ryan me engasgando um pouco, ele envolve suas mãos em meus cabelos soltando um maravilhoso gemido rouco e de fundo de garganta, começo a me movimentar enquanto Ryan controlava a intensidade que queria em meus cabelos, não vou mentir que amava fazer aquilo, principalmente em Ryan e eu sempre mantinha meu olhar fixo em suas reações enquanto me movimentava, depois de um tempo seus gemidos aumentaram mostrando que ele estava chegando ao seu máximo oque me fez aumentar os movimentos de minha boca logo Ryan gozou em minha boca em um gemido alto e eu suspirei abafado, engolindo toda sua porra, passando minha língua pela que havia escorrido por seu membro, ele sorrio e me levantou de forma leve pelos cabelos, me jogando na cama, Ryan se colocou por cima de mim e me penetrou de uma vez, me fazendo quase gritar, ele sorrio e gemeu junto a mim começando a se movimentar rapidamente, uma de suas mãos agarrou meu pescoço e eu gemi baixinho diante daquilo o olhando conforme ele me fodia, envolvo minhas pernas em sua cintura arranhando suas costas, aquilo tudo era maravilhoso, eu sentia como se ali eu e Ryan nós tornássemos um só mas devia ser coisa de minha mente. Depois de algum tempo, quando estávamos começando a nos aproximar do orgasmo eu decidi afrontar Ryan, invertendo as posições e começando a rebolar e me movimentar, ele sorrio de lado de modo pervertido e agarrou meu pescoço novamente descendo sua outra mão até minha bunda, começando a distribuir tapas por ali.

— Não é só porque você está por cima que está no comando. - seu tom era dominador — então faça obque tem que fazer vadia. — Aquele xingamento para mim, não havia sido ofensivo e sim bom por algum motivo que eu não entendia o porque mas se ele quisesse me chamar daquele jeito mais vezes não ligaria. Continuo a rebolar em seu colo enquanto Ryan distribuía tapas por minha bunda e apertava meu pescoço, depois de um tempo nós dois gozamos juntos, em sintonia, gemendo alto enquanto ele me puxava para si e me beija ferozmente, porra aquela havia sido a melhor transa da minha vida me jogo ao seu lado totalmente ofegante e com um sorriso nós lábios assim como Ryan que me puxa para si dando um beijo em minha testa, eu me sentia protegida em seus braços, eu estava protegida em seus braços por mais que talvez fosse só como dois amigos que se pegam.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...